As enchentes nordestinas

Por silvio campello

Apenas uma observação. A idéia de que as cidades atingidas pelas águas sofriam de seca é uma falta de compreensão dos sudestinos e sulistas do que venha a ser este ente imaginário Nordeste. O Nordeste, como concebido pelo eixo de concentração econômica e midiática, não existe. É mero construto sociopolítico. As cidades atingidas são da zona da mata, região com abundância de rios e chuvas. Chuvas torrenciais, diga-se de passagem, e concentradas neste período do ano. Recife, por exemplo, teve sua economia destruída durante os anos 60 e 70, época em que faliu de vez — em tributo ao seu interesse pela música — a única indústria fonográfica fora do eixo rio-são paulo e responsável pela correta interpretação dos frevos pernambucanos, a Rozemblit (antes as partituras eram enviadas ao Rio e interpretadas sem o ‘molho’ necessário). Apenas graças ao trabalho, faça-se justiça, do tão apagado Marco Maciel, construindo represas e retificando o leito do rio capibaribe as cheias de Recife são coisas do passado. A degradação das matas ciliares e a incrível falta de ordenamento da ocupação do solo pelas cidades brasileiras é a principal causa de tragédias como essa. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora