Corporation 2020: Transforming Business for Tomorrow’s World

 

 

 

 

 

 

Autor: Pavan Sukhdev
Publicado em: 27 de Setembro de 2012

Este é uma dos melhores livros que li recentemente, e apesar do autor ter sido um dos palestrantes da Rio+20, não acho que seja um livro sobre meio-ambiente, como costuma ser classificado. Para mim, os conceitos apresentados têm muito mais a ver com administração de empresas do que meio-ambiente, considerando que o tema já é obrigatório no planejamento estratégico que qualquer empresa que pretenda sobreviver hoje no mercado global.

Mas antes de falar sobre o livro, preciso explicar um pouco sobre mim mesmo: eu já estive entre os que acreditavam que a única função de uma empresa é gerar lucros para os acionistas. Apesar disso, já tinha certa desconfiança de que havia algo de errado com esse modelo. Quando comecei a ler, percebi que algumas dessas desconfianças estavam lá materializadas, conceituadas e explicadas, incluindo exemplos históricos com dados formatados e objetivos, como seria de esperar de um bom economista.

O livro é dividido em duas grandes partes, apresentando na primeira a história e a forma como operam as empresas atuais, chamadas “Corporation 1920”, mostrando seus problemas e os motivos que levaram ao seu sucesso. Na segunda parte, é apresentado o conceito de “externalidade”, e os quatro pilares das chamadas “Corporation 2020”: incorporação de externalidades, publicidade responsável, limitação da alavancagem financeira e tributação de recursos.

Livros mostrando os problemas causados pela ação do homem existem aos montes, mas para mim a maior qualidade deste é apresentar sugestões objetivas e factíveis, com exemplos reais de sucesso em empresas de todo o mundo. Após ler o livro, minhas desconfianças viraram a certeza de que é possível operar de forma mais responsável, e que essa mudança pode significar novas oportunidades de negócios, levando a empresa a um novo patamar onde ela funcione de forma sustentável não só com relação aos recursos naturais, mas também à sociedade onde está inserida.

Como disse Adam Smith, em “A Riqueza das Nações”: o capitalismo beneficia a todos, desde que cada um aja em benefício dos outros. Então como pode uma empresa buscar somente o lucro rápido e ainda se considerar capitalista? O relacionamento da empresa com a sociedade deveria ser uma simbiose, e não parasitário como é hoje.

Leia também:  MPF recebe estudo sobre impactos das queimadas na saúde da população da Amazônia

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome