Descaso do Brasil com desmatamento pode custar acordo do Mercosul com União Europeia

"O Brasil tem de reduzir a taxa de desmatamento, de maneira rápida e significativa", alertou o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel

Foto: Agosto de 2019

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro enfrentará maiores dificuldades internacionais, caso mantenha os níveis de desmatamento na Amazônia altos. O descaso do Brasil com a proteção ambiental pode custar ao país o acordo de livre comércio do Mercosul com a União Europeia.

Foi o que disse o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, durante um evento sobre economia e meio ambiente, no Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), no Rio.

“Se o governo não conseguir lutar contra o desmatamento ilegal e reduzi-lo para as taxas de 2017, eu acho que não tem nenhuma chance de ratificar [o acordo] na Alemanha e o [presidente da França] Macron e outros ficarão bem felizes sobre isso”, foi a declaração do cônsul.

De acordo com o embaixador alemão, as notícias negativas sobre o desmatamento no Brasil aumentaram as pressões contra os deputados europeus sobre o acordo da Europa com a região.

O acordo de livre comércio do Mercosul com a União Europeia foi encerrado no dia 28 de junho do ano passado, sendo agora analisado por especialistas técnico e jurídicos, o que deve ser concluído até o final de março.

“É cada vez mais difícil convencê-los [os deputados] de que eles devem aprovar o acordo. Por isso, o Brasil tem de reduzir a taxa de desmatamento, de maneira rápida e significativa”, insistiu.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  TV francesa diz que Bolsonaro faz "ditadura incompetente" frente ao Covid-19

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome