Globo vaza conversas de funcionários da Samarco depois do rompimento da barragem

Jornal GGN – A Rede Globo obteve acesso a gravações telefônicas de conversas de funcionários da mineradora Samarco, realizadas pela Polícia Federal depois do rompimento da Barragem de Fundão.

Em um dos telefonemas, um funcionário discute com o gerente de Projetos, Germano Lopes, e diz que vai submeter ao jurídico da empresa os relatórios solicitados por peritos. “Cuidado com o que você fala”, responde Lopes, “quanto menos, mais”.

De acordo com a reportagem, a PF encontrou indícios de que a empresa estaria ocultando informações importantes para esclarecer o caso.

Em outra conversa, Othávio Afonso Marchi, sócio da VOG BR, contratada pela Samarco para avaliar a estrutura da barragem, combina com o engenheiro Samuel Santana Lures, que atestou a estabilidade da barragem, o depoimento com a polícia.

“Ah, cara, eu acho que não vai dar nada isso não”, diz Marchi. “No máximo, o que vai acontecer é que vocês vão ter que pagar uma multa bem cara para me tirar da cadeia”, responde Lures.

Em outra conversa, o coordenador técnico de monitoramento, Wanderson Silvério Silva, diz que o diretor de Operações, Kléber Terra, está insatisfeito com as imagens que os funcionários estavam fazendo dos deslizamentos de lama.

“O Kléber ficou bravo demais, demais”, diz Silva. “Imagina se um órgão ambiental tem acesso a isso”, responde o funcionário.

O diretor Kléber Terra disse à Globo que os diálogos estão “descontextualizados” e “não refletem os fatos”. A Samarco disse que sempre colaborou com as investigações.

Leia também:  O papa que é líder de católicos, protestantes, espíritas, ateus… progressistas, por Dora Incontri

Do G1

Gravações mostram tentativas de atrapalhar investigações em Mariana

Polícia Federal interceptou conversas de funcionários da Samarco. Barragem de Fundão se rompeu no ano passado.

 Gravações telefônicas, obtidas pela Polícia Federal, revelam que funcionários da Samarco e das empresas contratadas por ela tentaram atrapalhar as investigações sobre a tragédia de Mariana. O rompimento da barragem de Fundão, que pertence à Samarco, matou dezenove pessoas e destruiu rios e vilarejos.

O relatório da Polícia Federal registra que, foram encontrados vários indícios de que a Samarco omitia informações importantes para a investigação do rompimento da barragem. Gravações de conversas telefônicas entre funcionários, diretores da mineradora e de empresas terceirizadas mostram que eles escolhiam os documentos que seriam entregues à perícia.

Numa conversa gravada em janeiro deste ano, um funcionário da Samarco contou ao gerente de projetos, Germano Lopes, o que falou para os peritos que queriam ver relatórios.

“Então, vocês vão para campo e eu vou organizar e vou providenciar esse material para vocês aqui. aí, eu mandei para o jurídico e o jurídico avaliar se aquele material pode mostrar pra eles”, disse.

Na sequência, Lopes respondeu: “Cuidado com o que você fala. quanto menos, mais”.

Em outros telefonemas, Othávio Afonso Marchi, o sócio da empresa Vog BR contratada pela Samarco para avaliar a estrutura da barragem de Fundão, combina o depoimento à polícia com o engenheiro que atestou a estabilidade da barragem, Samuel Lantana Loures.

Otávio – A Samarco instala, monitora e me passa as informações para trabalhar.. Ela não me passou. Então, se ela não me passou, eu faço o meu laudo com o que existe. É alguma coisa, assim. E deixa a Samarco para lá.

Otávio – Ahh, cara, eu acho que não vai dar nada isso, não.

Samuel – no máximo, o que vai acontecer é que vocês vão ter que pagar uma multa bem cara para me tirar da cadeia.

Otávio – Ahh, tá doido, rapaz. Que cadeia o.

Depois do rompimento da barragem emMariana, houve outros deslizamentos de lama. Num telefonema, o coordenador técnico de monitoramento, Wanderson Silvério Silva, diz a um funcionário que o diretor de operações da Samarco, Kléber Terra proibiu que os funcionários gravassem imagens.

Wanderson: O kléber ficou bravo demais, demais.

Samuel: Tem que ficar mesmo, uai.

Wanderson: Já falei pra turma não ficar gravando, não ficar filmando.

Samuel: Mas imagina se um órgão ambiental tem acesso a isso?

A Samarco declarou que sempre colaborou com as investigações e repudiou o que chamou de insinuações sobre obstrução dos trabalhos.

Leia também:  MPF entra com ação contra União por omissão sobre manchas de óleo

O diretor de operações da Samarco, Kléber Terra, citado numa gravação, repudiou o uso dos diálogos que, para ele, estão descontextualizados e não refletem os fatos.

A VogBR não quis se pronunciar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Vazamento de conversas privadas deixou de ser crime?

    Não custa perguntar. O próprio JN já entrega o autor do crime(Polícia Federal interceptou conversas de funcionários da Samarco).

    Interceptação telefônica só é permitida com autorização judicial e em, hipótese alguma pode ser divulgada.

    Infelizmente o respeito às leis foi para as cucuias.

    LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996.

    Art. 8° A interceptação de comunicação telefônica, de qualquer natureza, ocorrerá em autos apartados, apensados aos autos do inquérito policial ou do processo criminal, preservando-se o sigilo das diligências, gravações e transcrições respectivas.

    Art. 9° A gravação que não interessar à prova será inutilizada por decisão judicial, durante o inquérito, a instrução processual ou após esta, em virtude de requerimento do Ministério Público ou da parte interessada.

    Art. 10. Constitui crime realizar interceptação de comunicações telefônicas, de informática ou telemática, ou quebrar segredo da Justiça, sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei.

  2. Longe de mim querer defender

    Longe de mim querer defender a Samarco, uma empresa suja em todos os sentidos que possa ter o termo,  mas essa história de vazamento de investigações já passou de qualquer nivel toleravel, já que virou zona é melhor delegar a apuração e investigação para a Globo e o julgamento pode ser tipo paredão do BBB com narração do Bial, com isso a gente pode dispensar a policia e principalmente juizes e advogados.

  3. PF e freela nas horas vagas…

    maior fonte para captação de notícias que se tem notícia

    e não é de hoje não

    se demais veículos não se revoltam e nem procuram saber como e de quem,

    tem mais é que se dar bem sozinha mesmo

    não é por acaso que são apenas papagaios da Globo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome