“Meio ambiente está sendo dizimado pela omissão do governo”, diz grupo em ação

Agência de Direitos Animais (ANDA) entrou com uma ação, nesta segunda, invocando o governo federal a atuar para acabar com as queimadas no Pantanal

Incêndios consumindo o Pantanal - Foto: IBERE PERISSE/PROJETO SOLOS/AFP

Jornal GGN – Advogados da Agência de Direitos Animais (ANDA) entraram com uma ação, nesta segunda-feira (21), invocando o governo federal a atuar para acabar com as queimadas no Pantanal. O processo ingressado na Justiça Federal do Mato Grosso destaca que é preciso atuar imediatamente para “evitar o ponto de irreversibilidade da tragédia ambiental que estamos vivendo”.

A petição afirma que a Força Aérea Brasileira (FAB) deveria estar atuando para diminuir as queimadas na região. A ação do grupo de direitos animais foi protocolada logo após o governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), solicitar ao Ministério da Justiça o envio da Força Nacional para auxiliar na região.

As queimadas já destruíram cerca de 15% do bioma do Pantanal. Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro disse na semana passada que o Brasil estava “de parabéns” com a questão ambiental. Nesta segunda (21), o ministro general Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, minimizou o aumento do desmatamento durante o governo Bolsonaro.

“O meio ambiente – fauna e flora – estão sendo dizimados em razão da omissão da União em promover ações efetivas no combate aos incêndios, deixando de cumprir a responsabilidade prevista constitucionalmente”, informa a ANDA.

O governador do Mato Grosso já havia decretado estado de emergência para o Pantanal, “em razão do descontrole absoluto dos incêndios que avançam destruindo a vegetação e aniquilando animais silvestres”, descreve a ação.

No pedido enviado ao Ministério da Justiça para o efetivo federal, não há detalhes sobre o envio de auxilio da FAB, por meio de aeronaves. Durante o final de semana, as chuvas diminuíram os focos de incêndios de sábado para domingo.

Leia também:  Governo Bolsonaro não separou recursos para pagamento de médicos-residentes

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome