Com a maior reserva hídrica do mundo, Brasil quer pagar royalties de água


Usina de dessalinização Sorek, em Tel Aviv, Israel – Foto: Divulgação

Por Rogério Maestri

O país que tem a maior reserva hídrica do mundo pagando royalties para ter água!

Tem alguma vantagem de se ter um presidente burro? Além das piadas que ele vai gerar enquanto estiver no poder, nenhuma!

Pois a primeira grande piada é a dessalinização como solução para a falta de água no Nordeste, uma ótima piada, porém uma piada de tremendo mal gosto, pois pela primeira vez no mundo o país que de longe possui a maior reserva hídrica do mundo poderá começar a pagar royalties para outro país que o déficit hídrico é imenso.

Pois Bolsonaro, encantado pelas soluções maravilhosas da grande tecnologia do Estado de Israel em dessalinizar água do mar para o consumo de um é simplesmente uma questão de vida e morte pois o país na realidade não tem água.

O processo empregado em Israel, de osmose reversa, é um processo foi concebido por Jean-Antoine Nollet em 1748, e vem sendo pesquisado em processos industriais desde 1950 nas Universidades da Califórnia em Los Angeles e na Universidade da Flórida. Quem começa a utilizar a nível industrial foi a cidade de Cape Coral, Flórida em 1977 e atualmente produz mais de 56.000 m³ de água por dia. Atualmente Israel possui as maiores plantas de dessalinização do mundo, a planta de dessalinização da empresa Sorek produz um volume de 624.000m³/dia, que resulta numa vazão de 7,22 m³/s.

Leia também:  Bolsonaro dá a deputados poder de "assinar" decretos

Mas o mais importante seria a comparação entre o custo do metro cúbico da água do adicional que a transposição implica nos custos da água em comparação com a água dessalinizada.

Supondo que o preço da água do projeto do Projeto da empresa Sorek israelense, fosse transferido para o Brasil, sem levar em conta os custos de royalties e lucro da própria empresa, em Israel, com todos os subsídios governamentais, com taxas de juros muito mais baixas que são cobradas em Israel (algo significativo para projetos de longo prazo) e sem outros problemas cambiais, o custo em Israel é de 0,5EUR/m³ (dado European Investment Bank), se fizermos as mesmas considerações que foram feitas Controladoria Geral da República, de uma inadimplência de 50%, impostos de 25% e perdas de energia elétrica, somando a isto uma perda de água de no mínimo 30%, praticamente inexistente em Israel, teríamos um custo por metro cúbico de água para a Paraíba (onde o custo é mais alto) de 1,625EUR/m³, ou seja, na taxa de hoje (25/12/2018) de R$7,23 por m³, como na Paraíba a água é cobrada R$2,98, significa que sem mesmo considerar outros custos, que denominaremos custo Brasil, a mais barata água dessalinizada do mundo é no mínimo duas vezes e meia mais cara do que a água convencional e cara brasileira.

Porém há ainda algo mais sério, a total ignorância que o futuro governante brasileiro e seu ministro astronauta tem do que já ocorre no nosso país. A consultora técnica norte-americana, Dow Water Solutions, que simplesmente ajuda a expansão das redes de dessalinização para regiões longe do mar, já ajudou a instalar nada menos nada mais de 508 unidades dessalinizadoras para estados do Nordeste e Minas Gerais para água salobra (que tem um custo muito mais baixo do que água salgada do mar). Já a cidade de Fortaleza está num estágio avançado na composição de uma PPP para e instalação até 2020 uma unidade de dessalinização com a capacidade de 1m³/s.

Leia também:  Jessé de Souza: Estão arquitetando a renúncia de Bolsonaro

O nosso bobo alegre presidente, junto com seu ministro astronauta, parece que nem sabem a onde é o nordeste, e numa pirotecnia que pode custar muito caro ao país, ficam encantados com as promessas de seu novo aliado mais chegado, o governo de Israel, que simplesmente deve ter falado qualquer coisa, para quem não entende nada de nada, que eles tem a solução miraculosa, e chegam a aplicar a imensa mentira que esta água serviria para a agricultura, algo que na realidade produziria hortifrutigranjeiros com um preço no mínimo dez vezes os preços em qualquer banca de verduras em qualquer parte do Brasil.

Para quem não sabe as vantagens de ter um presidente burro, já vou avisando, exceto as piadas, nenhuma, porém as desvantagens são milhares e cada uma custando ao bolso dos brasileiros.

PS: Até me esqueci, para esta água israelense, pagaremos royalties pelo o uso de suas membranas para a osmose inversa.

19 comentários

    • E principalmente, para os
      E principalmente, para os daqui…..

      Vc ouve a gangue dizendo que vai cortar isso e aquilo, de repente a boa vontade em gastar com estulticies…..sei…………

  1. estoques

    E caíram na alma da Dilma por ter falado em estocar vento. Mesmo sabendo-se que o termo é usado por especialistas, da mesma forma que dizem estocar eletricidade ao reduzir vazão nas hidrelétricas.

    Mas o idiota eleito presidente contribuiu com algo que nem os especialistas em neurociência tinham pensado em estudar. Acaba de demonstrar sua capacidade de estocar burrice.

  2. ótimas informações, falta revisão de texto

    ótimo texto, ótimas informações mas está muito truncado, às vezes temos dificuldade de compreender a informação dada, que sabemos preciosa.

    por favor, uma revisão de texto!

    grata, 

    Lucila

    • Lucila, se eu reviso eu não publico!!!

      Sabe o que são as idisincrasias que incomodam as pessoas, pois eu tenho as minhas, e uma delas é a necessidade de publicar sem revisar, pois se começo a revisar termino num circulo vicioso interminável. Logo, me desculpe, mas como dizia a minha avó; Cada louco com sua mania.

      Só para informar, tenho no meu computador pelo menos umas duas centenas de artigos que comecei a revisar, nunca termino.

  3. Bolsonazi

    Quando os bolsotários se darão conta da merda que fizeram votando num burro para presidente do Brasil?

    • Ao mesmo tempo que cairem na
      Ao mesmo tempo que cairem na real da “beleza” que foi o governo dos “doutos” petistas!

      • Por mais que seja um crítico do academicismo, vejo que os ……

        Por mais que seja um crítico do academicismo, vejo que os imaginários “doutos” petistas são bem melhor do que um ministério escolhido por um guru de uma Tariqa Sufi!

  4. Agua
    No Nordeste ja tem e sem pagar royalties. Ele não é burro. É esperto como ladrão. Tem décadas de escola na politica. Burros são os eleitores

  5. O sujeito gasta um tempo

    O sujeito gasta um tempo enorme xingando e trunca os argumentos. Em uma região árida como o nordeste qualquer solução que se aplique de forma que a região receba agua sem precisar transpor rios que já sofrem com diminuição de vazão, é postivo.

    O custo para o cnsumidor final depende de uma série de coisas e o proprio autor aponta uma delas, a PPP. 

    Quanto a royalties por tecnologia…

    Talvez fosse o caso de aguardar informações mais concretas para poder criticar.

    Ao final fiquei na dúvida se o autor é apenas anti-bolsonaro, ou é anti-israel, ou as duas coisas juntas.

    • Não meu caro, o autor é alguém que trabalha COM ÁGUA

      Não meu caro, o autor é alguém que trabalha COM ÁGUA há mais de 40 anos! Não gosto de dar carteiradas mas depois de uma agressão meramente “ad hominem” não tenho nada mais do que mostrar que quem me refuta é um mero ignorante.

      Pois bem, vou só dizer que comecei a trabalhar em engenharia com água no ano de 1974 na Universidade, passei pela iniciativa privada (trabalhando com água), entrei na Universidade, por acaso no Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS em 1978, fiz um mestrado em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental, um DEA emGrenoble na França, trabalhei tanto na Universidade como professor dando no mínimo durante todo o meu trajeto Universitário uma carga horária de mais de 14 horas semanais (cheguei a dar mais de 24 horas em três disciplinas da área, por algum tempo), participei de mais de trinta projetos para a iniciativa privada (como o grupo Gerdau, Shell, Exxon Mobil e outros de menor porte) e para estatais (Petrobras, Eletrosul, CEEE, Codevasf e outras) assim como lecionei em cursos de nível médio (Corpo de Bombeiros do RGS, treinamentos para irrigantes, ), trabalhei para empresas públicas de fornecimento de água e de coleta e tratamento de esgotos (DMAE, CORSAN, DEP, …….) e com este trabalho amealhei para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul algo que deve ultrapassar quantias da ordem de alguns MILHÕES de DÓLARES, que resultaram em laboratórios de grandes dimensões, equipamentos sofisticados (e caros) além de várias dezenas de estágios para alunos de curso médio, superior, pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado).

      Em todo este período se tive algum rendimento para mim aferido com todo este esforço profissional que ultrapassa a função de um professor, não deve ter ultrapassado a quantia de R$1.000,00 mensais.

      Agora o meu caro detrator, o que o senhor é? E qual o conhecimento técnico que o senhor tem?

      PS.: Mesmo aposentado há quase meia década ainda oriento uma aluna que talvez se o senhor não fosse o ignorante que aparenta a ser, poderia daqui a alguns meses ver publicações em revistas internacionais e em vários congressos internacionais da IAHR e outras publicações com o meu nome.

      PS2: Quanto a royaties, se o senhor entendesse alguma coisa do assunto, saberia que a base da osmose inversa é o uso de microfiltros que são adaptados para cada processo empregado, logo se os Israelenses vão vender tecnologia e implantar sistemas de dessalinização, eles vão vender pelo resto do tempo estes elementos filtrantes!

       

      • Pois é…engenheiro que nunca

        Pois é…engenheiro que nunca construiu uma ponte na vida…médico que nunca tratou um doente… “lecionei por tantos anos”…

        Perguntei se o sujeito era anti-bolsonaro, anti-israel ou ambos. Porque a maior parte do tempo se dedicou a questionar os dois. A resposta é xingamento e ai sim, senhor professor, argumento ad hominem.

        Não me recordo de ler, baseado em seu enorme conhecimento, críticas contra a efetidade das obras de transposição do Rio São Francisco que já sofre com falta de agua. Não me recordo de ler, baseado em seu enorme conhecimento, o fato de se elogiar a construção de cisternas para reuso de agua, em uma região de semi-árido. Mas bastou aparecer o governo do malvadão de direita que fala em parceria com israel e pronto, deita falação.

        Não é preciso ser “especialista” para saber que em uma área tão necessária em uma região tão necessitada, toda e qualquer solução é bem vinda. E antes que me esqueça, se os governos petistas no lugar de gastar bilhões com a transposição do são francisco gastassem isso nas tecnologias nacionais de uso de agua, o problema estaria resolvido muito tempo atrás; mas o “especialista” ficou calado, decerto batendo palminha para a transposição do rio.

        Diferentemente do “professor” atuo no mercado, de verdade, e não fico em salinha de aula e sou especialista em PPP´s, tendo construido e implantando 4 delas.

        O Piauí deu um belo exemplo quando implantou na capital uma PPP que em praticamente um ano de funcionamento dobrou o serviço de agua e saneamento. Que se tragam todas as tecnologias possiveis e eficientes e que o privado invista na implantação das soluções por PPP´s é a melhor forma de resolver o problema, sem aumentar custos para a população.

        Seria muito bom que os comentaristas (que tem a liberdade de opiniar sobre o que quiserem), passassem a faze-lo sobre uma base neutra e não essa palhaçada de flaxflu que perdura sempre, coisa que o professor é uma belo exemplo negativo.

         

         

      • Pois é…engenheiro que nunca

        Pois é…engenheiro que nunca construiu uma ponte na vida…médico que nunca tratou um doente… “lecionei por tantos anos”…

        Perguntei se o sujeito era anti-bolsonaro, anti-israel ou ambos. Porque a maior parte do tempo se dedicou a questionar os dois. A resposta é xingamento e ai sim, senhor professor, argumento ad hominem.

        Não me recordo de ler, baseado em seu enorme conhecimento, críticas contra a efetidade das obras de transposição do Rio São Francisco que já sofre com falta de agua. Não me recordo de ler, baseado em seu enorme conhecimento, o fato de se elogiar a construção de cisternas para reuso de agua, em uma região de semi-árido. Mas bastou aparecer o governo do malvadão de direita que fala em parceria com israel e pronto, deita falação.

        Não é preciso ser “especialista” para saber que em uma área tão necessária em uma região tão necessitada, toda e qualquer solução é bem vinda. E antes que me esqueça, se os governos petistas no lugar de gastar bilhões com a transposição do são francisco gastassem isso nas tecnologias nacionais de uso de agua, o problema estaria resolvido muito tempo atrás; mas o “especialista” ficou calado, decerto batendo palminha para a transposição do rio.

        Diferentemente do “professor” atuo no mercado, de verdade, e não fico em salinha de aula e sou especialista em PPP´s, tendo construido e implantando 4 delas.

        O Piauí deu um belo exemplo quando implantou na capital uma PPP que em praticamente um ano de funcionamento dobrou o serviço de agua e saneamento. Que se tragam todas as tecnologias possiveis e eficientes e que o privado invista na implantação das soluções por PPP´s é a melhor forma de resolver o problema, sem aumentar custos para a população.

        Seria muito bom que os comentaristas (que tem a liberdade de opiniar sobre o que quiserem), passassem a faze-lo sobre uma base neutra e não essa palhaçada de flaxflu que perdura sempre, coisa que o professor é uma belo exemplo negativo.

         

         

  6. Reserva hídrica.

    Com aquedutos, placas solares e energia eólica, dá para transferir muita água para todo o nordeste, fora a água de chuva, verdejando lugares que possibilitem recriar o ciclo de águas voadoras e resfriando a temperatura da Terra. Os chineses fariam este aqueduto em dois anos.

  7. Reserva hídrica.

    Com aquedutos, placas solares e energia eólica, dá para transferir muita água para todo o nordeste, fora a água de chuva, verdejando lugares que possibilitem recriar o ciclo de águas voadoras e resfriando a temperatura da Terra. Os chineses fariam este aqueduto em dois anos.

    • Eliane, há dezenas de formas de enfrentar a carência ……

      Eliane, há dezenas de formas de enfrentar a carência de água em micro-regiões, e há durante a história da engenharia nacional um número ainda maior de soluções levantadas por centenas de técnicos das mais diversas áreas, porém as oligarquias nordestinas sempre estão interessadas em saber qual o seu lucro nisto tudo. Isto que impede ações como tu apresentas e mais dezenas de outras.

  8. Milagreiros
    A transposição do rio Tocantins ou qualquer outro que desemboca na ilha de Marajó é a solução definitiva. Enquanto isso a melhor escolha são as micro usinas captando e tratando a água do sub solo, isso economizaria em tudo e não precisaria de mais uma estatal.

  9. Pois é Maestri

    É disso que se trata , um governo que tem apenas retórica escondendo outros interesses. A história de que Israel cuidou muito bem da sua falta de água vem dos anos 60 ( para mim), quando de fato Israel havia  desenvolvido  muita coisa nesta área devido a necessidade. Esta conversa surgiu na epoca dos governos militares, e é resgatada agora, como se de lá para cá, o Brasil não tenha feito nada e não tenha desenvolvido nada. Para um grande publico, não existe pesquisa ou desenvolvimento tecnológico no país. E para muitos não interessa que se saiba dos desenvolvimentos nacionais. Afinal em grande parte vivem do consumo ( compra, venda e lucros) da importação da tecnologia  E estes que estão no poder estão no ramo de destruir a história do país. Para isto  vão reafirmar que nada foi feito até agora, este é um mote lucrativo. Os idiotas de plantão vão continuar dizendo que a crítica de Maestri é picuinha petista, e sequer vão prestar atenção no que está escrito. “Ou vão repetir a célebre frase: deixa o homem governar!!!!”

    Mas isto tem um outro lado. Os amores de alguns por Israel, se baseiam nos possíveis negócios. Eu não me surpreenderia se Edir Macedo e Malafaia, não sejam donos ou sócios das companhias de turismo religioso. E não me surpreenderia se em breve nos templos, uma ida a Jerusalém se tornasse  obrigatória para cada um dos seguidores. Algo assim como ir para Meca.  Isto sem dúvida pode gerar um grande negócio ( se já não o é). O outro vai atrás dos drones, e agora o outro vai atráz de usinas de dessalinização de água salgada, a beira mar, para gerar água para o interior do sertão. Acho que está tudo equivocado, além de ser um proposta leviana, por não ter base alguma em estudos esconde interesses inomináveis.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome