Home Editoria Cidadania Papa quer que ‘pecado ecológico’ entre na pauta da doutrina oficial da Igreja

Papa quer que ‘pecado ecológico’ entre na pauta da doutrina oficial da Igreja

Papa quer que ‘pecado ecológico’ entre na pauta da doutrina oficial da Igreja

Jornal GGN – O Papa Francisco pretende incluir o ‘pecado ecológico’ na doutrina oficial da Igreja. A decisão vem depois do Sínodo da Amazônia. Em encontro com advogados, o Papa declarou que pretende inserir novo conceito no Catecismo, em proposta que surgiu no evento de outubro.

A notícia foi dada pelo G1, em matéria de Felipe Domingues, nesta quinta-feira.

O Sínodo terminou há quase duas semanas e o tema foi Amazônia, nele foi aventada a questão do ‘pecado ecológico’ como parte da doutrina da Igreja. A intenção de incluir tal pecado no Catecismo, que é o livro que resume o pensamento da Igreja, principalmente em questões de fé e moral, faz com que a ideia deixe de ser a visão pessoal do Pape e passe a ser oficialmente ensinada pela Igreja.

Antes do ‘pecado ecológico’ a única vez em que o Papa alterou o Catecismo foi para incluir a pena de morte como inadmissível em todas as circunstâncias. E, embora o Papa Francisco já tivesse mencionado ‘conversão ecológica’ em sua encíclica ‘Laudato Si’, de 2015, o conceito de ‘pecado ecológico’ partiu durante discussões no Sínodo da Amazônia.

Ali foi proposto por bispos, missionários e especialistas em Amazônia, que o desrespeito à natureza seja visto como uma nova forma de pecado, por representar um ‘desrespeito ao Criador’, ou seja, Deus, e à sua obra, que são o planeta Terra e todos os seres.

Sínodo propõe resoluções que são repassadas ao Papa. E cabe a ele decidir o que fazer a partir daí. Enquanto o Sínodo acontecia, o Papa criticou duramente as queimadas na Amazônia. E, agora, durante o encontro com a Associação Internacional de Direito Penal, o Papa declarou que a destruição do meio ambiente não é um comportamento ‘justo’ e, portanto, não pode permanecer sem nenhuma punição.

Na ocasião, Francisco fez críticas ao que chama de ‘idolatria de mercado’, e declarou que ‘alguns setores econômicos têm mais poder que os próprios estados’.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

GGN
Sair da versão mobile