Cuidado Moço, que essa fruta tem caroço!

Por Luciano Hortencio

Para manter o canal youtube luciano hortencio em constante atividade dependo não só de meu acervo particular, porém também e sobretudo da participação dos amigos colecionadores e pesquisadores que estão sempre a me enviar preciosidades.

Nunca é demais nomear o Nirez, Samuel Machado Filho, Adilson Santos, Gilberto Inácio Gonçalves, Salvador Falcão, Miguel Bragioni, Laura Macedo, Barão do Pandeiro, Eduardo Saragiotto, Ataulpho Alves Filho, Maria Helena de Andrade e muitos que comigo interagem, quer no envio de fonogramas ou fotografias, quer com informações preciosas para a correta descrição do vídeo.

Ontem recebi do amigo Samuel Machado Filho a seguinte mensagem, via Facebook:

Luciano, tenho o prazer de lhe oferecer um dos maiores sucessos do Jamelão, cantor de quem meu pai era fã incondicional. É o samba “Cuidado, moço”, dele mesmo em parceria com Matinada, lançado em fins de 1968 pela RCA Victor no compacto simples LC-6490-A, e que, no ano seguinte, seria faixa-título de abertura do único LP do cantor nessa marca. Um abraço!

Ao tempo em que agradeço a gentileza dos amigos, divido com todos, prazerosamente, o samba CUIDADO, MOÇO!

https://www.youtube.com/watch?v=GsjHIJq2104

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Memórias: o caso Escola Base, Cláudia Liz e outros crimes de imprensa

32 comentários

  1. Cuidado Moço – Lyrics

    O homem que é homem, não chora

    Cigarra que canta, estoura

    Urubu pra cantar, demora

    Mulher que não serve eu mando embora [2x]

     

    Cuidado moço

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

     

    Olha que o caranguejo por ser apressado

    Nasceu sem pescoço

    Olha que o caranguejo por ser apressado

    Nasceu sem pescoço

     

    O homem que é homem, não chora

    A cigarra que canta, estoura

    Urubu pra cantar, demora

    Mulher que não serve eu mando embora [2x]

     

    Cuidado moço

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

     

    Olha que o caranguejo por ser apressado

    Nasceu sem pescoço

    Olha que o caranguejo por ser apressado

    Nasceu sem pescoço

     

    O homem que é homem, não chora

    Cigarra que canta, estoura

    Urubu pra cantar, demora

    Mulher que não serve eu mando embora [2x]

     

    Cuidado moço

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

    Cuidado moço

     

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

    Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

     Cuidado moço, que essa fruta tem caroço

    • Conheço a letra desde menina

      É uma boa metáfora.

      Frutas sem caroço, todavia, devem ser de difícil germinação, né não?

      As com caroços são de mais fácil manejo. Penso aqui em abacates, graviolas, mamões, romãs, ameixas, pêssegos, mangas … todas essas já plantei lá no meu terreno e brotaram; as romãs foram as primeiras a dar frutinhas.

      Assim, penso que nessa letra talvez a metáfora se refira à pressa em se comer a fruta – quase um aviso – vá com calma para não engasgar ao mastigar, ao chupar, ao lamber, ao saborear a fruta.

      Todo o prazer é mesmo meio assim, demanda ir saboreando, saboreando e o caroço faz parte.

      São eles que trazem nova vida aos canteiros, às hortas, aos terrenos baldios, inclusive.

      Adoro Jamelão,  canteiros, Mangueira  e versos. 

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=S_yeagBJQnc%5D

      • Metáforas!!!

        Acho que tem a ver também com o cuidado que se deve ter em relação às pessoas, aos julgamentos apressados, às condenações precipitadas e injustas, etc. e tal.

        Entendo que tem o mesmo sentido do ditado popular que diz: “Cuidado, que nesse angu tem caroço”, referindo-se  aos caroços de farinha mal mexidos em um angu ou em um pirão. Aparentemente está tudo maravilhoso, porém quando vamos comê-lo encontramos os caroços desagradáveis.

        Acho que essa letra dá margem a muitas e muitas interpretações, apesar de sua aparente simplicidade!

        Aí vai mais Jamelão:

        [video:https://www.youtube.com/watch?v=jbqwRtvSk48%5D

          • Garrafas Mágicas

                    ATIRO GARRAFAS AO MAR

                    ODONIR OLIVEIRA

                    Atiro garrafas ao mar 
                    para que as encontre 
                    vazias de mensagens 

                  

                   e as faça retornar 
                   repletas de significados 
                   com códigos secretos, 
                   com nossas senhas de identidades 
                   descobertas, 
                   e deliciadas

                   Source: jornalggn.com.br

                   See on Scoop.it – EVS NOTÍCIAS…

                   http://www.scoop.it/t/evs-noticias

                   https://cridaosantana.wordpress.com/2015/05/14/atiro-garrafas-ao-mar-por-odonir-oliveira/

          • A leveza de Itapuã , do Farol de Itapuã

            [video:https://www.youtube.com/watch?v=XENDWoq7wis%5D

             

             

            A Lenda do Abaeté

             

            Dorival Caymmi

            No Abaeté tem uma lagoa escura 
            Arrodeada de areia branca 
            Ô de areia branca 
            Ô de areia branca

            De manhã cedo 
            Se uma lavadeira 
            Vai lavar roupa no Abaeté 
            Vai se benzendo 
            Porque diz que ouve 
            Ouve a zoada 
            Do batucajé

            O pescador 
            Deixa que seu filhinho 
            Tome jangada 
            Faça o que quisé 
            Mas dá pancada se o seu filhinho brinca 
            Perto da Lagoa do Abaeté 
            Do Abaeté

            A noite tá que é um dia 
            Diz alguém olhando a lua 
            Pela praia as criancinhas 
            Brincam à luz do luar

            O luar prateia tudo 
            Coqueiral, areia e mar 
            A gente imagina quanta a lagoa linda é

            A lua se enamorando 
            Nas águas do Abaeté 
            Credo, Cruz 
            Te desconjuro 
            Quem falou de Abaeté 
            No Abaeté tem uma lagoa escura

             

            Poeticamente, fiz uma viagem com os ventos de Itapuã.

            (Não é tema correlato, mas deixa eu escrever, vai.)

             

            Morei no Farol de Itapuã em 1979; caminhava pelas areias molhadas com uma barriga de 8, 9 meses de minha filha, pelas manhãs.

            Morava numa comunidade, com mais outros 5 companheiros. Arembepe era o auge, e a gente ia a pé à Lagoa do Abaeté.

            Éramos uns desgarrados das nossas famílias originais e formamos ali a nossa.

            Na época, quem nos conhecia por lá, nos comparava aos Novos Baianos, mas não gostávamos, preferíamos os velhos.

            Éramos um psicólogo reichiano, um arquiteto e artista plástico, duas pedagogas, outro artista plástico e eu. (24 anos) Bocó de tudo!

            Aprendi muito de arte, música de excelente qualidade e de vida com eles- todos um pouco mais velhos que eu.

            Meu companheiro ainda estava em SP. Iria depois.

            O parto de minha filha foi em casa, Leboyer, na água, com 9 pessoas participando, entoando canções até ela nascer e depois na celebração

            Fizemos uma linda gangorra de macramé e cordas presas ao teto como seu bercinho, e a balançávamos pra lá e pra cá.

            Tínhamos pouca grana, reciclávamos tudo e compartilhávamos dores, amores, frescores e muitos abraços, beijos, acarinhamentos. Ninguém se sentia pelado de afetividade lá.

            Oh, que maravilha ter podido viver tudo aquilo!

            Que lembrançaiada danada é essa, Odonir? Acho que é porque se falou em mulher aí em cima e uma coisa se fez correlata à outra e à outra. Deve ser isso.  

             

             

            [video:https://www.youtube.com/watch?v=CLOqNeCps20%5D

  2. Excelente.

    Fazia tempo que não ouvia isso.

    Foi uma das que muitas vezes programei na programação da emissora em que iniciei no rádio como discotecário-programador. Muito bom! Jamelão é lenda.

  3. O fã número 1

    Documentário sobre o maior fã de Nelson Gonçalves é uma preciosidade.

    Por meio de Nelson Gonçalves pode-se contar a história do rádio e da própria indústria fonográfica do Brasil.

    [video:https://youtu.be/Pjf5TDU4HS4 width:600]

    “O fã número 1” conta a história de Diógenes de Carvalho, de Feira de Santana, na Bahia, que guarda toda a produção musical do cantor e compositor Nelson Gonçalves, o terceiro maior vendedor de discos na história do Brasil.

    [video:https://youtu.be/iFLFX90_hT4 width:600]

    Diógenes de Carvalho tem todos os discos do cantor autografados e quer doar tudo. Uma história emocionante de admiração pelo brasileiro respeitado mundialmente pela voz e espetacular interpretação

    Diógenes, que busca apoio para criar um memorial sobre Nelson em Feira de Santana, tinha contato pessoal e amizade com o cantor, por causa da sua paixão pela obra do artista.

    “Nelson criou uma persona: exagerava fatos. distorcia-os; acreditava que a vida de uma pessoa é a sua vida e o mito que ela consegue criar sobre si mesma” – Eliseu Ewald, diretor de “Nelson Gonçalves” (2001).

    http://feirenses.com/o-fa-numero-1-de-nelson-goncalves-e-feirense/

  4. Também nesse estilo

    Também nesse estilo “partido alto”, segue “Quem samba fica”, do LP de 1965: O autêntico Jamelão (O Bom), dele e de Tião Motorista. A canção inspirou o título de um célebre texto político de Marighela, ao romper com o PCB e propor a luta armada contra a ditadura. E virou título de um filme sobre o líder político baiano: Quem samba fica, quem não samba vai embora.

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=qW7q8QoZ59s%5D

  5. Licença para juntar-me aos

    Licença para juntar-me aos bons:

    “Cuidado moço, que essa fruta tem caroço” também serve de aviso: Mermão! Se cuida” Aí tem problema”

    (Deve ser o que os paulistas falam “Aí tem tetra”!)

     

  6. Uma grande perda para o samba e para a cultura brasileira .

    Desde moleque eu já adorava este camarada . Me tornei mangueirense por causa do meu pai e deste grande cantor .

    Pergunte a Nenem – Jamelão e Tantinho da Mangueira ( compositor daquele samba da bolinha de papel que desmoralizou o José Rojas Serra)

    [video:https://youtu.be/zlLqZ0Ewlxs%5D

  7. Para não dizer que sou do contra.

    Tem muita fruta com caroço seu Lulu. Cuidado com elas! 

    Mulher que não serve eu mando embora. Hehehe. Esse Jamelão era o cara! Eu hein! E o problema continua o mesmo. A mulher não serve, vai pra rua. Mas os homens, esses boêmios e barões de cabrochas, fazem e acontecem, e são sempre os bons. E salve o samba, os poetas, os bêbados e as equilibristas!

    • Quem não é do contra sou eu!

      Minha filhota foi acometida de virose e teve que ir à Emergência de um Hospital. Além de todos os percalços que se sofre em uma situação dessas, minha filhota menstruou e tive que ir comprar absorventes em uma Farmácia que ficava a três quarteirões de onde eu estava, em pleno meio dia.

      Se tirasse o carro do estacionamento não acharia mais vaga. Fui no velho e contortável pé dois, porém o sol estava escaldante e sou proibido de levar sol por problemas de pele. Mesmo assim fui! Avexado porque a filhota estava em situação difícil, recorri ao meu sagrado direito de idoso para ficar no primeiro lugar da fila.

      Como havia uma fila grande, repleta de pessoas jovens, resolvi explicar a situação e todo mundo aceitou de boa. Todo mundo, menos uma senhora que estava no fim da fila. Resmungando mais ou menos baixo, reclamou porque estava com um recém nascido dentro do carro, talvez seu neto, pois não tinha mais idade para parir.

      Disse a ela que apenas estava usufruindo de um direito e que nem tinha que dar explicações, só o tendo feito por questão de cortesia. Ela rebateu dizendo ter também mais de sessenta anos. Imediatamente respondi que ela não estava usufruindo seu direito porque não queria e ela disse que tinha vergonha de furar a fila. Passou a reclamar da farmácia que não colocava mais caixas para funcionar.

      Um jovem insistiu que ela devia ir para a frente da fila e, como ela negou-se, o jovem disse claramente que quem não usufrui seu direito, não se respeita e nem pode reclamar de seu ninguém.

      Será que as mulheres por Madame mencionadas se utilizam de seus direitos? Será que se dão ao devido respeito? Sabe Madame que grande parte das mulheres que denunciam violênciam contra o marido logo em seguida vão pedir que os agressores sejam soltos?

      Madame! Direito tem quem direito anda! Direito tem quem se respeita e respeita o direito dos outros.

      O resto é blá blá blá!!!

      • Nem tudo é mi mi mi

        Se a referência é a musica, estava me referindo à uma outra época, quando as mulheres se submetiam aos homens muito mais que hoje. Principalmente ao famoso malandro conquistador. Eu não vou falar pelas mulheres em geral, mas acho que cada um de nos gosta de ser respeitado etc e tal, ainda que alguns não saibam respeitar o direito alheio ou ao seu proprio. E todavia, ainda hoje, nem toda mulher sabe ou pode se defender. Eh uma realidade. E que existe violência, sexismo, machismo, todos sabemos, e a musica brasileira reflete um pouco disso também. E ao mesmo tempo que ela reflete isso em alguns momentos, ela também repele essas ideias em sua ja longa trajetoria.

        Mas o samba estava tão bom…….

         

         

  8. José Bispo Clementino dos Santos, popularmente chamado Jamelão

    Cantor de voz inconfundível, responsável por haver eternizado na MPB várias canções do gênero “dor-de-cotovelo”, e um emérito “puxador de sambas” (detestava esta expressão) da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, que foi a grande paixão de sua vida.
    Era conhecido também pelo mau humor com que recebia os chatos e os aproveitadores.
    Neste vídeo, Jamelão canta um de seus sucessos, “Piano na Mangueira”, de Tom Jobim e Chico Buarque. Acompanhado por um grupo de sambistas e pelo próprio Chico (que não deixou passar em branco uma cena aprontada por um vira-latas ao final da gravação). 

    http://blogdopg.blogspot.com.br/2008/06/sem-piano.html https://youtu.be/BOVTORJ1h0k

    • http://blogdopg.blogspot.com.

      http://blogdopg.blogspot.com.br/2008/06/sem-piano.html

      15 junho, 2008

      Sem piano

       Faleceu ontem no Rio de Janeiro, aos 95 anos, José Bispo Clementino dos Santos, popularmente chamado de Jamelão.
      Cantor de voz inconfundível, responsável por haver eternizado na MPB várias canções do gênero “dor-de-cotovelo”, e um emérito “puxador de sambas” (detestava esta expressão) da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, que foi a grande paixão de sua vida.
      Era conhecido também pelo mau humor com que recebia os chatos e os aproveitadores.
      Neste vídeo, Jamelão canta um de seus sucessos, “Piano na Mangueira”, de Tom Jobim e Chico Buarque. Acompanhado por um grupo de sambistas e pelo próprio Chico (que não deixou passar em branco a cena aprontada por um vira-latas ao final da gravação). [video:https://youtu.be/BOVTORJ1h0k%5D

       

  9. Querido Luciano

    “Com a alma, lavada e enxugada” , como diria um personagem de novela vivido pelo Paulo Gracindo, no tempo em que eu assistia novelas,  já posso ir dormir. Que posso mais ouvir além do Jamelão, Clementina, Toquinho e o meu amado Dorival Caymi. Sem falar nas histórias da Odonir e de outros mais.

    Boa noite e um beijão prá todos.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome