Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero

Boechat trabalhava no Grupo Bandeirantes, apresentando dois programas: A Notícia com Ricardo Boechat, na Rádio, e o Jornal da Band

Reprodução

Jornal GGN – O jornalista Ricardo Boechat foi um dos que perderam a vida em queda de aeronave, hoje, em São Paulo. Piloto e copiloto também morreram carbonizados após a queda da aeronave em rodovia Anhanguera, zona oeste de São Paulo.

O Corpo de Bombeiros, logo após o acidente, informou que duas pessoas tinham morrido com a queda do helicóptero sobre um caminhão no Rodoanel, na altura do quilômetro 7, que dá acesso à rodovia Anhanguera. No caso, as vítimas seriam o piloto e copiloto da aeronave. Somente mais tarde veio a confirmação de que o jornalista era um dos ocupantes do helicóptero.

Boechat trabalhava no Grupo Bandeirantes, apresentando dois programas: A Notícia com Ricardo Boechat, na Rádio, e o Jornal da Band, à noite na TV. Além disso, ele tinha uma coluna na revista IstoÉ. O jornalista ganhou três prêmios Esso e é também o maior ganhador do Prêmio Comunique-se.

8 comentários

  1. Carreira brilhante, não fosse um triste comentário sobre a visita da ex-Presidenta Dilma ao presidiário Lula da Silva. Naquele momento vi que era um coxinha.

  2. O canalha silas malafaia (sic) é phoderoso: Boechat mandou ele, o canalha, ir caçar rola e vejam só o que acontece…

  3. Boechat foi um grande jornalista por sua coragem e destemperamento que desagradava e agradava a todos. Merece o nosso profundo respeito.

  4. Lamento que um site progressista ocupe seu espaço com a morte de um jornalista da mídia golpista. Total solidariedade á família, mas o espaço deveria ser dedicado a pessoas mais identificadas com a proposta de igualdade social e combate ao fascismo, temas nos quais o falecido jornalista nunca se engajou

  5. Carreira de sucesso, com um final melancólico, marcado por um populismo rasteiro, manipulador de emoções erráticas e ódios insopitáveis. Nenhum comunicador que faz fama vituperando a ‘classe política’ em geral, xingando ministros do Supremo nominalmente, pode aspirar a grandeza profissional fora do gueto autocongratulatório dos jurados de premiação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome