Queda surpreendente da inflação na zona do euro deve manter planos do Banco Central local

Jornal GGN – Uma surpreendente queda da inflação na zona do euro deve forçar o Banco Central Europeu a manter a sua política monetária leve para ajudar na recuperação do bloco. Os preços ao consumidor nos 17 países que utilizam o euro desaceleraram para 1,1% em setembro, contra 1,3% em agosto, levemente abaixo da expectativa do mercado de 1,2%.

A desaceleração de setembro deve-se aos preços de energia, que recuaram 0,9% no ano, enquanto o aumento nos preços de alimentos, álcool e tabaco desacelerou para 2,6%, contra 3,2% em agosto.

As frágeis economias do bloco também enfrentam problemas, com desemprego recorde, políticas de austeridade e deflação, como Grécia e Espanha. Neste último, os preços ao consumidor caíram para o menor nível em quase quatro anos por conta da diminuição dos impostos sobre vendas. Porém, nem dessa forma os consumidores conseguiram recuperar a confiança.

Até na Alemanha, maior economia do grupo, a inflação desacelerou para 1,4% em setembro, ficando bem abaixo da meta do BCE de perto, mas abaixo de 2%, o que não coloca em risco a postura expansionista da política monetária.

O índice chegou a seu menor nível desde fevereiro de 2010, de acordo com os números divulgados pela agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, nesta segunda-feira (30). A próxima reunião do BCE para discutir política monetária acontece na próxima quarta-feira (2), em Paris e a taxa de juros na mínima deverá ser mantida ainda por um longo tempo.

Leia também:  O aniversário da Operação Valquíria: a resistência militar de Stauffenberg, por Roberto Bueno

Com informações da Reuters

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome