Volatilidade deve ser a palavra de ordem na bolsa em outubro

Jornal GGN – O mês de setembro não foi dos mais fáceis para quem negocia com ações, e a tendência é que outubro apresente um quadro igualmente suscetível aos riscos governamentais domésticos e do cenário internacional.

O Ibovespa (índice da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo) terminou o mês de setembro e o terceiro trimestre do ano com alta mensal de 4,65%, passando a acumular -14,13% em 2013 e -11,55% em 12 meses, bem como, subiu 10,3% no terceiro trimestre, após ter tido baixas consecutivas nos seis primeiros meses do ano (-22,1%).

Avaliação realizada pelo analista Nataniel Cezimbra, do BB Investimentos, mostra que o mercado apresentou uma trajetória ascendente até o dia 18 (quando atingiu a máxima mensal de 55.900 pontos ou +11,8% no dia 19), quando o Federal Reserve (o Banco Central dos Estados Unidos) decidiu manter o programa de estímulos no país. A partir daí, houve redução até o fim do mês. “As suas resistências estão próximas de 55.900 pontos, 57.100 pontos e 59.500 pontos, com suportes em torno de 52.200 pontos, 51.100 pontos e 49.500 pontos”. No último dado disponível, a bolsa brasileira teve retirada de capital externo de R$ 80,801 milhões no dia 26, acumulando saldos líquidos de R$ 4,423 bilhões no mês (+R$ 2,126 bilhões em agosto) e de R$ 10,833 bilhões no ano.

Outro ponto que estará no radar dos investidores no mês será a safra de balanços referentes ao terceiro trimestre, que terá um mix de benefícios e malefícios da depreciação do real. Na visão da equipe de análise da corretora Concórdia, “outubro tem elementos para ser mais um período agitado em bolsa, regado ainda pela aprovação do orçamento norte-americano, por dados menos animadores da atividade chinesa e o “X” da questão”.

Leia também:  O capital é masculino (parte I), por Wilton Moreira

Por conta do quadro de incertezas, a recomendação dos investidores está pautada na exposição dos investidores em uma carteira diversificada, mas concentrada em empresas sólidas em seus segmentos. “Acreditamos que o cenário externo ainda demanda cautela”, dizem os analistas da corretora Socopa, ressaltando que a questão fiscal dos EUA e a necessidade de consenso entre republicanos e democratas para aumentar o limite da dívida do país deve entrar no radar dos investidores, adicionando mais volatilidade aos mercados. No cenário doméstico, o panorama continua o mesmo, com a combinação de fraco crescimento e inflação sob pressão”, dizem.

Veja as recomendações do mercado

Diante de um quadro de instabilidade decorrente do quadro fiscal norte-americano, e o impacto que o andamento vai causar no mercado brasileiro (já caracterizado pelo fraco crescimento e uma taxa de inflação sob pressão), os analistas tem indicado o investimento em ações de empresas com forte presença de mercado e solidez em seus fundamentos.

Confira abaixo as recomendações de algumas corretoras para o mês de outubro. Contudo, antes de fechar sua estratégia de investimento, entre em contato com seu banco ou sua corretora de valores para traçar um plano de acordo com o seu perfil.

Concórdia: Copasa (CSMG3), Banco do Brasil ON (BBAS3), CPFL Energia ON (CPFE3), Gerdau Metalurgica PN (GOAU4), Telefonica Brasil PN (VIVT4), América Latina Logística ON(ALLL3), Pão de Açúcar PN (PCAR4), Duratex ON (DTEX3), Alpargatas PN (ALPA4), Oi PN (OIBR4), Ambev PN(AMBV4), Petrobras PN(PETR4), ItauUnibanco PN (ITUB4), BRF ON (BRFS3) e Vale PNA(VALE5).

Leia também:  FBI investiga corrupção no Brasil de Johnson & Johnson, Siemens, GE e Philips

Ativa: Anhanguera ON (AEDU3), ItauUnibanco PN (ITUB4), Vale PNA (VALE5), Petrobras PN (PETR4), Equatorial ON (EQTL3), Tractebel ON (TBLE3), Duratex ON (DTEX3), Autometal ON (AUTM3), BMFBovespa ON (BVMF3), Hering ON (HGTX3), Pão de Açúcar (PCAR4), Suzano Papel PNA (SUZB5), Telefonica PN (VIVT4) e CCR ON (CCRO3)

Socopa: Banco do Brasil ON (BBAS3), Grendene ON (GRDN3), Vale PNA (VALE5), Gerdau PN (GGBR4), Oi PN (OIBR4).

SLW (perfil moderado): ItauUnibanco PN, Cemig PN (CMIG4), AES Tietê PN (GETI4), Coelce PNA (COCE5), Tractebel ON (TBLE3), CPFL ON (CPFE3), Telef. Brasil PN(VIVT4), Eternit ON (ETER3) e Cielo ON (CIEL3).

1 comentário

  1. Outras opções

    Bolsa de valores assusta, poupança perde para a inflação e os CDBs transferen  seu dinheiro para os bancos.

     

    A nova opção, pouco conhecida, sãos fos fundos imobiliários, que estão 20% mais baixos que há um ano, com retorno de 10% ao ao e isentos de imposto de renda mais correção monetária do alugue.

     

    É a grande pedida e 2013

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome