A política e as circunstâncias

Mudou totalmente a cobertura da crise pelo Jornal Nacional.Agora, estão à caça dos setores que estão superando a crise. Ontem foram até Santa Rita do Sapucaí, cujas indústrias estão contratando para substituir os importados.

É evidente que a casa percebeu que o uso da crise como arma política era um tiro no pé: aprofundava o pessimismo, irritava os telespectadores e, consequentemente, afetava a publicidade privada.

Em janeiro e fevereiro, se não fossem as diversas campanhas do governo de São Paulo, as emissoras abertas teriam ficado no mato sem cachorro.

Ontem, até a Nossa Caixa, que já foi vendida, estava com campanha na Globo. O curioso é que nos últimos dez ou doze anos, Nossa Caixa praticamente desapareceu no mercado bancário. Poderia ter desempenhado um papel relevante, como agente do governo do estado no estímulo à atividade privada ou nas ações municipais. Mas conformou-se em ser pagadora do funcionalismo público.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Agora é possível apoiar o canal do GGN no YouTube por meio do site Catarse

43 comentários

  1. Comentei num tópico do blog
    Comentei num tópico do blog de ontem,sobre esta atuação dos nossos meios de comunicação,de “dar tiro no próprio pé”e priorizar primeiro o que é ou está ruim,e esquecer de dar enfase para o que está dando certo. ARede Globo,parece que viu que este estilo Kameliano de fazer jornalismo,era contraproducente,e sinaliza uma mudança(tímida porem perceptível)em suas últimas edições noticiosas. Pode ser que tenha sido uma recomendação do dpto coml.desta emissora,como tambem pode ser a análise de que seus telespectadores já não aceitam mais o velho chavão do Rícúpero ao contrário”O que é ruim a gente mostra,o que é bom a gente omite” Não é sem tempo !

  2. Nossa Nassif agora você virou
    Nossa Nassif agora você virou um paranormal: sabe até o que se passa na cabeça dos jornalistas da Rede Globo. Jornalismo objetivo é isso aí!!
    Fernão Carlos – SP

    Uma das formas de conhecimento é o método dedutivo. Esta conclusão é tão óbvia que está ao alcance de qualquer pessoa com um mínimo de discernimento e inteligência.

  3. Radiobrás: principais
    Radiobrás: principais notícias
    do Jornal do Brasil

    DEMITIDOS POR ENGANO

    Agência Nordeste – Setores de vestuário e calçados admitem que exageraram na dose e anunciam recontratações – Empresários brasileiros de setores de vestuário e calçados deram-se conta de que cortaram mais vagas do que precisavam. Agora planejam voltar a contratar para repor os estoques perdidos com as demissões. Intensivos em mão-de-obra, os segmentos admitiram que exageraram na dose por temor da crise econômica, que se tornou mais psicológica do que real nos dois setores. Ambos foram os principais responsáveis pela queda do emprego na indústria, segundo informou ontem o IBGE: o emprego caiu 1,8% em dezembro – cerca de 110 mil vagas entre 6 milhões de trabalhadores, o maior recuo desde que o instituto começou a fazer a pesquisa, em 2001. (pág. 1 e Economia, pág. A16). Setores de vestuário e calçados admitem que exageraram na dose e anunciam recontratações

  4. Tenho a leve impressão e um
    Tenho a leve impressão e um pouco de torcida, de que a crise está passando no Brasil. Ouvi hoje na CBN que na primeira semana do mês de Fevereiro teve 11% de aumento no número de emplacamentos de veículos em relação a mesma semana de Janeiro. e que esse número já está no mesmo patamar de antes da quebra do Lemman.

  5. Tenho a leve impressão e um
    Tenho a leve impressão e um pouco de torcida, de que a recuperação começou e que a crise está indo embora aqui do Brasil. Ouvi hoje na CBN que na primeira semana do mês de Fevereiro teve 11% de aumento no número de emplacamentos de veículos em relação a mesma semana de Janeiro. e que esse número já está no mesmo patamar de antes da quebra do Lemman.

  6. Mudando de assunto,
    Mudando de assunto, assistindo o último Fantástico, senti falta do bom jornalismo. Será que no Brasil os graves problemas sociais já foram resolvidos pelas nossas autoridades? O pior é que eles investem no humor chatinho, e não dão espaço para o grande mestre Chico Anísio, que poderia com certeza, com criatividade finalizar o programa, com algum dos antigos personagem comentando o fato (notícia) que marcou a semana. Essa idéia é de graça, pois gosto do mestre do humor e gênio não pode ficar engarrafado.

  7. quanto ao jornal nacional,
    quanto ao jornal nacional, me parece que o casal está mais à vontade sem ter que fazer proselitismo!

  8. Olá Nassif, não lembro a
    Olá Nassif, não lembro a data, mas foi lá por novembro acredito. Postei aqui comentário me perguntando porque o sistema econômico permitia que a mídia em geral se esbaldasse em mostrar a face mais cruel da cirse, atingindo em cheio o otimismo da população e conseqüentemente sua clientela.
    Ora, os sustentadores do sistema de mídia são os anunciantes. Como não ver que assustar o freguês estraga toda a cadeia.
    Alguém tinha que puxar as rédeas.
    Pelo jeito foi feito.

    O Sr. Crise deu o puxão de orelhas.

  9. Mas a tática do corta e
    Mas a tática do corta e depois assopra já é antiga nos meios de comunicação. Vejam só, no mesmo período em que os índices de popularidade do presidente batem recordes seguidos e em que a candidata da situação sobre um pouco nas pesquisas, alguns meios de comunicação começam a mudar suas coberturas. E o medo de que com o agravamento da crise, o governo alega que precisa cortar as verbas publicitárias (que na verdade seria desculpa para retaliação à mídia).

  10. Nassif

    A mídia oposicionista
    Nassif

    A mídia oposicionista precisa de melhores ideólogos…

    Para piorar, correm o risco de afetar a popularidade dos governadores…

    Sinceramente…

  11. Do
    Do G1
    http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL998204-9356,00-ALTA+DO+DOLAR+AQUECE+TURISMO+BRASILEIRO+NO+COMECO+DE+APONTA+PESQUISA.html

    12/02/09 – 01p6 – Atualizado em 12/02/09 – 01p6 Do G1, com informações do Jornal da Globo
    Alta do dólar aquece turismo brasileiro no começo de 2009, aponta pesquisa
    Movimento nos hotéis cresceu quase 23%, segundo pesquisa.
    Ocupação em voos nacionais também aumentou.
    O dólar caro tem suas vantagens: garantiu à indústria do turismo brasileira um excelente começo de 2009. Destinos nacionais prevalecem sobre as viagens ao exterior, e a ocupação nos hotéis do país aumentou consideravelmente………………….

    ……….Nas companhias aéreas o número de passageiros nos voos domésticos subiu quase 10%, em relação a janeiro de 2008, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil. Já nas linhas internacionais, operadas por empresas brasileiras, a queda foi de quase 8%………………….

  12. A máxima de garrotear os
    A máxima de garrotear os Estados para não fazerem política desenvolvimentista, coisa que o Banespa o foi, um dia, afora os desmandos que deveriam/devem ser punidos; mesmo que eleitoralmente (que o digam os DEM/tucanos), não podia ser desmentida!

  13. Bastava uma simples
    Bastava uma simples comparação com o Jornal da Record, para constatar a discrepância entre as linhas editoriais . Salutar para um país acostumado com uma forma única de pensamento imposta sempre de cima para baixo.
    Eles estão mesmo é preocupado com a real possibilidade de transferência de votos do presidente para a ministra Dilma. Não á toa, FHC e a ninhada, querem logo emplacar o Serra ( toc, toc, toc, ), na psiquê do povo. Como disse recentemente o governador do Paraná, Roberto Requião : Choque de Gestão não devería ser a paralisação de investimentos . Austeridade com o bolso alheio é refresco de groselha. Por quê não cortam no próprio salário ? Esse povo é anti-desenvolvimentista até a medula .

  14. Creio que primeiro a
    Creio que primeiro a constatação que foi um tiro no pé, afinal crise é crise e sobra para todo mundo.

    O segunfo foi mais o grave erro da oposição que não tem mais jeito, ao apostar na crise e no desemprego para vencer a eleições de 2010, abriu espaço para a derrubada do juros da Selic, e permitir que o governo consiga realizar o ajuste nos juros e completar o processo de estabilização da inflação no Brasil.

    Creio que o erro foi cometido por não perceberem a deflação dos ativos e dos preços das commodiities no mercado internacional permitiria uma correção cambial com pouco ou nenhum impacto na inflação com nunca antes neste país e como foi várias vezes foi apontado pelo BLOG LUIS NASSIF ONLINE.

    Na verdade a oposição deveria ter ficado escondida e deixado a marolinha, mas agora já é tarde.

    Por questão de sobrevivênvia todos irão precisar da queda dos juros e dos aumentos dos investimentos públicos e com superávit nominal na veia.

    Nesta crise não há como recorrer ao mercado externo, ou será o mercado interno ou não será.

  15. Nassif,

    Veja essa da
    Nassif,

    Veja essa da Fecomercio, no G1:

    “A proporção de famílias endividadas no município de São Paulo registrou em janeiro o menor nível desde 2004, segundo pesquisa da Fecomercio divulgada nesta quinta-feira (12).
    A taxa de endividamento recuou de 45% em janeiro para 38% em fevereiro, a menor desde que a pesquisa começou a ser realizada.”
    (…)
    “Do total de famílias paulistanas, 12% estão com contas em atraso, o que representa uma diminuição de 2 pontos percentuais ante o mês anterior.
    Sobre igual período de 2008, o indicador apontou queda de 3 pontos percentuais.”
    (http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL998769-9356,00-ENDIVIDAMENTO+DOS+PAULISTANOS+TEM+MINIMA+RECORDE+DIZ+FECOMERCIO.html)

  16. perderam o rumo porque a
    perderam o rumo porque a popularidade do Lula não caiu sob tal noticiário hiper pessimista. quem caiu foi o índice de voto no Serra, até o Roberto Jefferson deu conselhos para o homem, alertando que nada está ganho ainda.
    A mídia ainda não entendeu que a sociedade já criou anticorpos contra o agente patogênico da manipulação barata.

  17. Desde semana passada quando
    Desde semana passada quando saiu a pesquisa dando 84% pro Lula. Podem ter todos os defeitos mas não são burros de brigar com a realidade.

  18. essa mudança não tem a ver
    essa mudança não tem a ver com os 84% de aprovação que o presidente Lula tem? – quanto mais falam mal do governo mais ele cresce em aprovação.

  19. Nassif, a Globo não mudou de
    Nassif, a Globo não mudou de lado! Eu postei aqui há alguns dias dados da Previdência revelando que o InfoGlobo, holding que reúne a TV Globo, é um dos grandes devedores da Previdência, com mais de 17 milhões de reais em dívidas ainda não pagas. E sabe-se lá quando o será. Para tentar amaciar a cobrança federal, a Globo se faz de amiguinha, de que mudou de lado. A GLOBO JAMAIS MUDA DE LADO. Está sempre ao lado de seus interesses.

  20. O próprio Bonner já falou que
    O próprio Bonner já falou que o público do JN é o tipico “Hommer Simpson”.
    Se for , ele faz parte dos 70% que estão a favor de Lula e quer ver noticias que vão de encontro a isso.
    Além disso não penso que queiram ouvir insistentemente que seu emprego está a perigo.
    E mais; Que Empresa quer patrocinar o pessimismo ?
    Pânico=Medo de gastar=Poucas vendas=Empresa que não tem dinheiro para pagar publicidade=Caixa baixo em empresas de mídia
    Se quisesse, o governo teria essas empresas na palma da mão. Publicidade só para quem for a favor.
    Não é esse o jogo?

  21. Hoje de manhã, o Luiz Carlos
    Hoje de manhã, o Luiz Carlos Mendonça de Barros falava na queda de vendas de automóveis prevista para 2009, em relação à 2008. Falou que seriam vendidos 250 mil carros a menos este ano. Mas Mendonção exagerou no terrorismo e falou em uma quebra de 25%. Ora, como em 2008 as vendas passaram de 2,8 milhões de unidades, a queda de venda será inferior a 10%… Um erro craso, ou maldade mesmo?

  22. Pesquisa
    FGV: Classe alta é a
    Pesquisa
    FGV: Classe alta é a mais atingida pela crise mundial
    11/02/2009 às 16p6

    A classe AB, a mais alta da pirâmide social brasileira, perdeu espaço em termos de ascensão social desde o agravamento da crise financeira internacional em setembro, caindo 0,65% no período compreendido até dezembro.

    A constatação é da Fundação Getulio Vargas, que divulgou nesta quarta-feira (11), no Rio de Janeiro, estudo sobre a mobilidade social no país com a crise.

    No mesmo período dos dois anos anteriores 2007 e 2006 a classe AB subiu 3% na pirâmide. O autor da pesquisa, Marcelo Néri, explicou que, se antes, de cada 100 pessoas que estavam na classe AB 20 caíam a cada ano, hoje, essa relação chega a 25. É aí que os sinais da crise são mais visíveis, constatou.

    Dessas 25 pessoas, quatro caíram diretamente para a classe E. Néri explica que é provável que sejam pessoas que perderam o emprego ou faliram por conta da crise.

    […]O levantamento da FGV aponta, no entanto, que a crise não afetou tanto a classe C, onde o movimento de ascensão não foi interrompido. A classe média emergente continua crescendo nas seis principais metrópoles do País (Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre).

    Intitulado Crônicas de uma Crise Anunciada: Choques Externos e a Nova Classe Média, o estudo mostra que, em dezembro de 2008, a classe média (classe C) passou a representar 53,8% da população.

    No mesmo período de 2007, esse percentual era de 51,8%. As classes D e E também continuaram encolhendo comparado aos anos anteriores, de acordo com a FGV. Enquanto 6,79% da classe D migrou para classes mais altas, na classe E esse percentual chegou a 8%.

    http://jc.uol.com.br/cbnrecife/2009/02/11/not_109358.php

  23. Como graças a Deus eu estou
    Como graças a Deus eu estou “limpo” a alguns meses e não me degenero com as drogas puiguianas, recomendo :
    VEJAM A TV BRASIL E SE DELICIEM COM A NOSSA CULTURA (SEGUNDA FEIRA TEM VIOLA CAIPIRA E TERÇA FEIRA TEM SAMBA DE QUALIDADE ) .
    NÃO PERCAM !

    Sds

  24. A crise que não é
    A crise que não é crise

    Apesar de ainda dar maior destaque a alguns números negativos que brotam do desempenho da economia nas estatísticas de dezembro e janeiro, a imprensa brasileira começa a abandonar o tom de apocalipse que marcou a cobertura da crise financeira nas últimas semanas.

    Alguns analistas conservadores admitem que estamos saindo do fundo do poço. Outros, como o professor Stephen Kanitz, colunista da revista Veja, entendem que o Brasil nem chegou a entrar em crise. Consultoria citada pela Folha de S.Paulo publica um estudo de perspectivas econômicas apostando que o Produto Interno Bruto do Brasil voltará a crescer ainda neste trimestre.

    Para os especialistas, de modo geral, o Brasil não chegou a entrar em recessão. Para alguns deles, os números indicam que a economia brasileira sofreu dificuldades pontuais, que não devem persistir por um trimestre inteiro.

    http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=524IMQ009

  25. É a Globo a reboque do Sílvio
    É a Globo a reboque do Sílvio Santos. Ontem vi uma faixa imensa numa revendedora de veículos, com os dizeres: “Aqui não tem crise, nós acreditamos no Brasil”. E eu acredito no povo brasileiro que com os 84 %, deu seu recado para os sabotadores. PS: Foi o governo de São Paulo que não deixou a mídia ficar no prejuízo ? Porque será, mesmo?

  26. Nassif,

    É por essas e outras
    Nassif,

    É por essas e outras que, na Espanha, a internet já superou a TV como fonte de informação. Veja:

    “Internet supera TV na Espanha
    Tecnologia – Tecnologia
    Escrito por Paula Pereira
    Sábado, 13 Dezembro 2008 14:26
    A Internet superou a televisão como o meio de comunicação mais consumido na Espanha em 2008, afirma levantamento divulgado nesta sexta-feira pela empresa de pesquisa Mediascope.

    O estudo afirma que na Europa 60 por cento da população se conectam à Internet por uma média de 12 horas por semana e que na Espanha o tempo de acesso aumentou em 16 por cento desde 2007. Segundo a pesquisa, o internauta espanhol fica conectado por uma média semanal de 12,1 horas, enquanto o tempo em que passa diante da televisão é de 11,7 horas.

    O tempo em que a população espanhola fica na frente de um computador aumento em 20 por cento desde 2004 e a quantidade de internautas que se conecta diariamente à Web, cerca de 56 por cento, cresceu cinco por cento desde o ano passado.

    A atividade que os espanhóis mais fazem na Internet é envio de emails, seguida por buscas e redes sociais. Enquanto isso, na Europa, as buscas ocupam o primeiro lugar, seguidas por email e sites de conteúdo gerado pelos próprios internautas.

    O levantamento, porém, afirma que existe um consumo simultâneo de mídias, já que cerca de 23 por cento dos internautas vê televisão enquanto está navegando pela Web e cerca de 21 por cento faz isso enquanto ouve rádio. Em relação aos dispositivos, cerca de 32 por cento dos espanhóis utiliza o celular para se comunicar via mensagens curtas (SMS), email ou redes sociais, sem necessariamente recorrer a uma conversa.

    Fonte: Reuters”

  27. Nassif,

    Só vou acreditar que
    Nassif,

    Só vou acreditar que a Globo mudou alguma situação quando entre seus diversos “especialistas” estiverem inclusos aqueles cujas opinões não forem os oriundos somente da residencias das Garças….
    Reunir no Globo News Painel e outros somente a opinão tucana não tem sido demonstração de mudança.
    A Globo tem potencial para algo mais. Não faz porque não quer, ou melhor, faz o que quer. Se quiser continuar no mercado precisa mudar e muito. Alias, já lhe convidaram para participar de algum dos programas?
    O que a gente vê são professores uspianos ou getuliovarguianos numa postura sempre desfavoravel ao governo atual com embasamentos destituidos de solidez, de discussão profunda, trata-se apenas de de uma tentativa de colocar a opinão pública contra o governo.
    É preciso democratizar o debate, mais gente da Unicamp, mais gente neutra. Pensadores, não estes de sempre.

    Ela não mudou em relação ao governo. Mudou em relação à crise para não ganhar a fama de urubu.

  28. Nassif,

    você poderia
    Nassif,

    você poderia qualificar melhor este “conformou-se” o comportamento da NC no mercado. Nos útimos dez dose anos quem governou o estado de são paulo e deu a linha politica e econômica da nossa caixa foi o alckimin e o serra. Por quê você omitiu esta relação direta de causa e efeito?

    saudações
    Wagner Moraes

    Porque meus leitores são bem informados e não necessitam de informações redundantes.

  29. Da série “Morro de rir mas
    Da série “Morro de rir mas não acho graça”. No Péssimo Dia hoje da Rede Globo a Miriam Leitão quebrou seu próprio recorde: ao ser solicitada para opiniar sobre a dilatação do prazo de amparo do seguro-desemprego( de 5 para 7 dias) a danada sapecou: “O benefício é apenas parcial. Não atinge os desempregados do setor INFORMAL.”
    Ué, quer dizer então que o setor informal é auto-empregador agora? Imagino um camelô na fila de desemprego da Delegacia do Trabalho à busca do auxílio: “É….acabei de ME demitir. Motivo: crise!.”
    O que não se faz para evitar um elogio,ou, tudo vale para criticar. Até recorrer ao surrealismo.

    Hehehehehehehehehehe

  30. Da série “Leia com atenção
    Da série “Leia com atenção antes de enviar.” Prazo do seguro desemprego passou de 5 para 7 meses, e não dias.

  31. Caro Nassif, seria muito bom
    Caro Nassif, seria muito bom para todos que tal mudança de postura indicasse o início de uma preocupação da empresa em prestar um serviço verdadeiramente útil ao país, mas ao que tudo indica parece ser muito mais um “desvio de rota” já que os anunciantes estavam dando no pé… Se assim for, mostra o verdadeiro nível e caráter da empresa.

  32. Propaganda da Nossa Caixa
    Propaganda da Nossa Caixa feita pelo Governo de São Paulo.

    Pergunto:

    A Nossa Caixa foi recomprada do Banco do Brasil pelo governo paulista?

    Alguém de vocês pagaria propaganda de uma empresa já vendida?

    Que mau-cheiro!!!!

  33. Nassif,
    Há um outro motivo:
    Nassif,
    Há um outro motivo: na última pesquisa de sondagem sobre 2010, o Serra caiu 4 pontos, enquanto a DIlma subiu na mesma proporção.
    Caiu a ficha tb de que a maior parte das demissões ocorreram e ocorrerão em SP, atingindo no peito José serra.

  34. Acho que a crise é tão grande
    Acho que a crise é tão grande e profunda que o governo Lula podia fazer umas economias deixando de fazer propaganda na rede crise globo esta verba podia sim ajudar muita gente .

  35. Nassif, permita-me um pouco
    Nassif, permita-me um pouco de bairrismo.

    Indústria do Rio dá sinais de reação à crise

    A indústria do Rio de Janeiro começa a dar os primeiros sinais de reação à crise econômica, com 58,5% das empresas declarando que seu ritmo de produção não foi afetado, e 67,4% apostando em manutenção ou alta das vendas no 1º trimestre. Os dados são da Pesquisa de Nível de Atividade das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (arquivo PDF – 452 Kb), apresentada nesta quinta-feira, dia 12 de fevereiro, pelo presidente em exercício do Sistema FIRJAN, Carlos Mariani Bittencourt.

    Participaram da pesquisa 178 empresas, que juntas têm 53.634 trabalhadores, representando todos os setores da indústria. As entrevistas foram realizadas na primeira semana de fevereiro. Os efeitos da crise internacional foram significativos, reduzindo vendas de 54,2% dos entrevistados.

    Os dados recentes são menos negativos: metade da amostra percebe desaceleração da demanda em janeiro de 2009, mas 20% apresentam desempenho superior. “Os dados mostram que janeiro não foi tão ruim e que o impacto foi diferenciado entre os setores”, afirma a diretora de Desenvolvimento Econômico da FIRJAN, Luciana de Sá, destacando Gráfica, Alimentos e Bebidas e Vestuário e Calçados como setores que não foram afetados.

    O aumento do percentual de empresas que concederam férias coletivas não foi explosivo: de cerca de 25% em 2008 para 35,4% em 2009. O principal motivo foi a sazonalidade dos pedidos, comum nesta época, seguido pela regularidade da concessão de férias. O cancelamento de pedidos (14,5%) e estoques elevados (8,1%) foram motivos menores.

    Uma explicação para a manutenção do ritmo de produção é o nível de estoques, que não está alto: das empresas que trabalham com estoques, 73% apresentam estabilidade ou queda sobre 2008, e o mesmo se aplica aos estoques de matérias-primas. Grande parte das empresas entrevistadas não buscam crédito, possivelmente considerando as dificuldades como elevado custo e redução da oferta. Das que tentam obter financiamento, 44% encontram problemas.

    As expectativas para o 1º trimestre deste ano refletem incerteza e impactos diferenciados entre os setores. No dado de emprego, 68% das empresas pretendem manter ou aumentar o quadro de pessoal, enquanto 25,8% pretendem reduzir.

    No comércio exterior, 37% das empresas que exportam já reduziram suas vendas externas por conta da crise, com perspectiva de aumento deste percentual. Mas 25% delas vislumbram oportunidades. Nas importações, o encarecimento do dólar e redução da demanda interna provocará reduções.

    O crédito deve continuar um problema em 2009, afetando negativamente 38% das empresas com expectativas de buscar financiamentos. Mas as perspectivas para os investimentos não são de todo negativas, sobretudo no médio prazo. Apesar da desaceleração, cinco em cada 10 entrevistados permanecem otimistas quanto à evolução da economia brasileira em 2009. A alta carga tributária permanece como a principal preocupação dos empresários, seguida do custo do crédito. Queda de vendas e produção aflige pouco mais de 1/3 dos entrevistados.

  36. Legal o comentário. O Gov. de
    Legal o comentário. O Gov. de SP financiando as TV´s para elas serem pessimistas e afundarem ainda mais a economia… Isso parece mais do mesmo jogo do Serra, na crise do “medo” em 2002.

  37. a nossa caixa quando era
    a nossa caixa quando era deles jamais iria competir com os banqueiros – patrões e financiadores da tucanidade

  38. Eu dei entrada no meu seguro
    Eu dei entrada no meu seguro desemprego á tres meses e não consegui receber nenhuma parcela pq segundo o ministério do trabalho foi bloqueado segundo oq eles me disseram consta que eu sou acessor de um deputado estadual.Olha o absurdo e eu estou desesperado pq não consigo arrumar emprego e não recebo meu seguro desemprego oq eu devo fazer pois o desespero já esta chegando desda de já obrgadu

  39. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome