A venda do Le Monde

Empresas retiram oferta pelo “Le Monde”

DA EFE, EM PARIS PARA A FOLHA DE SAO PAULO

O grupo France Telecom e o semanário “Nouvel Observateur”, associados com o grupo espanhol Prisa, retiraram nesta segunda-feira sua oferta de compra do jornal “Le Monde”, anunciou hoje a empresa de telecomunicações.

A Orange (marca da France Telecom) e o “Nouvel Observateur” concordaram em retirar sua proposta, depois que a Sociedade de Redatores do jornal rejeitou a oferta na sexta-feira, informou a empresa em comunicado.

A France Telecom apresentou uma oferta pelo “Le Monde” junto com o proprietário do semanário político “Nouvel Observateur”, Claude Perdriel, e o grupo editorial espanhol Prisa, que controla 15% das ações do francês.

Com a retirada, a única oferta vigente é a do trio de empresários franceses formado pelo banqueiro e proprietário da revista “Inrockuptibles”, Matthieu Pigasse; o co-fundador da casa de moda Yves Saint Laurent Pierre Bergé; e o fundador da operadora de telefonia Free, Xavier Niel.

Na sexta-feira, a Sociedade de Redatores do “Le Monde”, principal acionista do grupo proprietário do jornal, rejeitou a oferta, e uma votação se mostrou favorável à apresentada pelos três empresários franceses. A proposta de Pigasse, Niel e Bergé conseguiu o apoio de mais de 90% dos redatores do jornal.

A previsão é de que o Conselho de Vigilância do “Le Monde” se pronuncie hoje de forma definitiva sobre o início das negociações 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora