Agência Lupa aguarda fumaça sair da chaminé da Capela Sistina: se for branca, Papa mandou rosário a Lula, mas se for preta, é fake news

 
Jornal GGN – A Agência Lupa emitiu nota na tarde desta quarta (13) prestando “esclarecimento” sobre a checagem do terço de Lula. A “primeira agência de fact-checking do Brasil” parece estar decidida a esperar uma fumaça sair da chaminé da Capela Sistina: se for branca, o Papa Francisco enviou mesmo um rosário a Lula. Se for preta, é fake news e não se fala mais nisso.
 
A Lupa não admite a explicação prestada pelo argentino Juan Grabois, que teve de expôr o conteúdo de conversa privada que teve com o Papa Francisco, em maio passado, por causa da repercussão que teve a história do terço nas redes sociais. Lupa só quer confirmação diretamente do Vaticano. Se puder ter fumaça e um “habemus fake news”, melhor ainda.
 
Ironias à parte, no informe divulgado às 17h26, Lupa transcreveu que Grabois, “consultor do Pontífice”, explicou em carta pública que pediu pessoalmente ao líder máximo da Igreja Católica para abençoar um terço que já tinha destino certo: Lula. Grabois disse ainda que no encontro com o Papa, além de pedir a benção ao terço de Lula, falou da situação política do Brasil.
 
Junto com o rosário abençoado pelo Papa, Grabois trouxe a Lula as “palavras do Papa”. Mas Lupa e outras agências de fact-checking querem saber se o Papa abriu a boca para mandar um recado especialmente a Lula ou se as “palavras do Papa” querem dizer algo mais abstrato. Porque não basta Grabois ter estado com o Papa e conversado sobre enviar um terço abençoado a Lula. Extensão da grande mídia, a Lupa espera algo mais.
 
Grabois esteve na segunda (11) em Curitiba para tentar visitar o ex-presidente, mas foi impedido de entrar no local onde o petista está preso. Deixou o rosário e uma carta.
 
Horas depois, as páginas oficiais do PT e Lula manchetaram que o Papa enviou um rosário a Lula. Quem ousou reproduzir as notas, mesmo com as cabíveis ressalvas e contextualização, foi acusado de difundir fake news pela Lupa, que usou para isso uma nota (equivocada) do Vatican News que posteriormente foi deletada e substituída por uma nova, sem os erros de informação. 
 
Somente nesta quarta (13), depois de ter sido acionada pelos sites ofendidos pela tarja de “fake news”, Lupa decidiu alterar a etiqueda de “falso” para “de olho”. “(…) esta passa a ser a classificação da Lupa até que o Vaticano faça um esclarecimento oficial e definitivo sobre o desejo do Pontífice em dar um terço ao ex-presidente.”
 
Mesmo tendo usado uma nota cheia de erros para atacar os concorrentes, a Agência Lupa, ligada à Piauí, não deu o braço a torcer. Longe de esboçar qualquer tentativa de se retratar por acusar terceiros de fake news quando também usou nota com informações erradas, Lupa segue apegada ao detalhe de que o Papa “apenas” abençoou o rosário de Lula, mas não sabe se ele “enviou” o objeto ao petista. 
 
O curioso é que, no mérito, Lupa usou a nota falsa do Vatican News da mesma maneira que sites independentes e outros portais (inclusive UOL e Folha) usaram as notas oficiais da equipe de Lula e do PT. Só um lado, contudo, foi acusado de disseminar fake news e denunciado ao Facebook, correndo o risco de ser suspenso da rede social.
 
Por enquanto, essas classificações negativas feitas junto ao Facebook foram suspendidas pela Lupa. Podem voltar à baila se a fumaça que sair da Capela Sistina vier a ser preta.
 
Enquanto o Vatican News não responde, fica registrado que, até aqui, a polêmica em torno do rosário de Lula serviu para mostrar que sobra risco de fact-checking ser usado para censura e falta auto-crítica por parte das agências – e não só Lupa, como se vê aqui – que também cometem erros na apuração, mas não reparam danos com a mesma facilidade.

8 comentários

  1. Uma aberração metodológica

    Uma aberração metodológica uma entidade de aferição com rabo preso ao mesmo sistema. Quem será a Lupa da Lupa? 

    Se querem mesmo moralizar tem  que com gente de fora. Se continuar assim “adios” imprensa alternativa. 

  2. Vejamos…..

    A lupa faz parte do grupo “revista Piaui” que pertence ao nobre João Moreira Salles filho do falecido Walther Moreira Salles, dono do Unibanco “fusionado” com o Itauuuuuuuuuu……….não carece de desenho……..  

  3. Já tenho minha própria forma

    Já tenho minha própria forma de averiguar o que é fake news ou não, chama-se “Brisola”. Sim, o velho caudilho sabiamente já tinha ensinado que se a Globo diz uma coisa, fatalmente o inverso é verdadeiro… Então… 

     

  4. Caro Marcos K.; Tenho 

    Caro Marcos K.; Tenho  certeza que o seu critério é um dos mais infaliveis. Para aperfeiçoá-lo sugiro incluir “o estadinho”, revista época e veja.

  5. Um comentário sobre o tema e a blogosfera progressista

    Como disse o Renato Rovai ontem, estamos diante de uma situação nova, onde o nosso adversário Ideológico se torna a Agência de Checagem de todos nós, na veracidade ou não das notícias veiculadas nas redes sociais e Internet.

    O certo, penso eu, é termos uma coletividade, representando tanto a velha mídia como a mídia independente e outras mídias que tenham um distanciamento das duas, porém, realizando um trabalho de Jornalismo sério.

    Se você tem o Poder de dizer o que é Fake News e de censurar você pode, se não existir correção na conduta do checador, ter a escolha Ideológica como filtro de dizer se é notícia Fake e até de censurar ou não, de fazer vistas grossas para o seu lado e de fazer um escarcéu pra quem tem uma Ideologia diversa da Agência de Checagem, que deve ser neutra e tem de ter um ombudsman e um checador externo a ela. 

    Imaginemos no período eleitoral, numa disputa acirrada entre dois candidatos e vem uma Agência de Checagem com lado político-ideológico e faz o seguinte: diz que o candidato da Ideologia dela foi vítima de Fake News, que o adversário Ideológico, meu, seu candidato, fez uma Fake News e censura o site de campanha do meu, seu candidato, coloca tarja de “mentiroso”, impede dele fazer campanha. Viraria a Capa da Veja em 2014, o debate da Globo de 1989, agora, via Internet. 

    Teriam o Poder da censura televisiva, do rádio, da maioria dos veículos de mídia impressa e, agora, até da Internet e redes sociais do meu, seu candidato, ali esquecido ou só noticiado de maneira a desmerece-lo como pessoa e político e administrador público. Em um clima acirrado de disputa eivado de um ódio social, de uma divisão radical e inconciliável de ideias e comportamento, como hoje no Brasil, isto torna-se antidemocrático e um risco para qualquer lisura eleitoral. Lembrando do fato de que ainda temos uma Justiça agindo, em diferentes instâncias, parcialmente, em prol dos “poderosos” e seus candidatos.

    Este episódio do Terço abençoado e enviado pelo Papa por um Emissário seu, que veio e foi impedido de fazer uma visita a Lula na PF de Curitiba em nome dos Movimentos Sociais mostra que a velha mídia teve um desejo ávido pela notícia só porque a primeira nota do site Vaticano News daria a entender que era Fake News. E, então, desesperadamente, saíram a noticiar que o Terço não tinha sido envidado pelo Papa, que o Emissário não era Emissário, que não vinha em nome do Papa, que vinha em nome Pessoal. 

    Quando o Vaticano News retificou a nota, por intermédio da ação do próprio Julio Gabrois conversando com gente do próprio Vaticano com a interferência positiva do Rovai, da Fórum, portanto, da mídia independente, que o entrevistou antes de ontem, passou-se a diminuir o interesse pela notícia na velha mídia, porque o interesse era que a Fake News fosse verdade e a verdade fosse Fake News e que pairasse no ar a Fake News e não a verdade da notícia. 

    E se você olhar os comentários nas postagens do Tema, uma parcela significativa só sabe dizer que é Fake News, que era o intento da velha mídia, porque só tem como base a nota apagada da Vaticano News. E sabemos que não é Fake News. 

    A velha mídia deve deixar no ar a notícia falsa, sem retificação visual na proporção da Fake News, porque para ela o que interessa é não dar nenhum cartaz da notícia do Papa Francisco enviar um Terço abençoado para o Lula na prisão e desqualificar a mídia alternativa, carimbando na testa dela: Fake News! 

    Uma coisa é certa, precisamos confiar nos nossos companheiros: Nassif, Rovai, Kiko Nogueira, Joaquim Carvalho, Mauro Lopes, Leonardo Attuch, Paulo Moreira Leite, Alex Solnik, Fernando Brito, Azenha, Conceição Lemes, etc. que se dedicaram a notícia com responsabilidade e de maneira imparcial, relatando o ocorrido.

    Tínhamos a notícia na página do Facebook Oficial de Lula. Esta disse que Papa enviou um Terço para Lula e depois retificou que Terço abençoado pelo Papa é entregue a Lula. Aconteceu os dois fatos. A equipe de comunicação de Lula não iria inventar notícia, não precisa e não age desta maneira.

    Porém, um inusitado fato aconteceu, ao invés, de parte da blogosfera progressista se fiar no que disse, o mais abalizado comentarista do tema na mídia progressista, o Mauro Lopes, seguiu-se a primeira nota do Vaticano News corroborando com a notícia mal escrita e mal traduzida e não condizente com a verdade e ouvíamos: – Puxa vida! Assim a gente queima o filme, comprando essa história do envio do Terço abençoado pelo Papa para Lula. E quem, parte de nós, estávamos colocando como nossa balizadora para a veracidade de que é Fake News? Links do Uol e da Veja, ávidos em firmar a ideia de que é Fake News. E o Mauro Lopes nos alertando que seria a repetição do caso Mariele e que era a notícia apagada (a primeira notícia do Vaticano News), com grandes chances, feita por representante de ala conservadora Igreja Católica, pontuando até sobre brigas entre bispos conservadores e progressistas pelos caminhos que a Igreja Católica segue com o Papa Francisco, que era uma informação extraoficial.

    E com a sabedoria do Mauro Lopes e acrescento do meu irmão, outro profundo conhecedor do tema Igreja Católica e seus bastidores, com mais de 45 anos dedicado ao tema, sabia, desde o começo, que jamais uma pessoa chegaria até Lula falando em nome do Papa sem que fosse verdade o que ele disse. 

    Então pude até escrever um texto onde procurei entender o porquê de a velha mídia não noticiar em seus telejornais, de segunda à noite, a notícia do envio do terço abençoado pelo Papa a Lula, e de barrarem o Emissor dele na PF de Curitiba.

    Juan Gabrois que confirma em carta endereçada a Lula a notícia do link inicial de Lula no Facebook dizendo que ele esteve em maio no Vaticano, que conversou com o Papa, falaram da situação dos movimentos sociais que Gabrois tem papel importante na Santa-Sé como intermediário entre ideias das partes (Papa e movimentos sociais) e articulador de encontros deles com o Sumo Pontífice, e surgiu a ideia do Gabrois de pedir ao Papa que abençoasse um Terço para enviar a Lula, Gabrois iria encontra-lo numa das segundas-feiras, dia agendado para visitas espirituais, de religiosos. O Papa abençoou e Gabrois veio com o Terço para entregá-lo a Lula e trazia consigo, ainda uma palavra do Papa e uma cartinha. 

    Pena que as vezes escolhemos dar trela ao noticiário da velha mídia e não se ater a quem merece nossa atenção.

    Temos que ficar atentos as artimanhas da velha mídia, observar seus interesses antagônicos, em muitas situações, à mídia independente, de quem a velha mídia tem medo, porque compete no mercado de notícia e tem sua credibilidade em crescente, por nossos méritos e por estarmos na trincheira certa de denúncia do Golpe, bem antes dele acontecer, e da destruição econômico-social por ele impetrada no Brasil.

    Somos fortes, por mais que não nos demos conta, vencemos a batalha da narrativa com a velha mídia do É GOLPE e o mundo sabe hoje que é Golpe muito em função da mídia progressista, não é pouca coisa, incomoda sobremaneira os donos do Capital e suas mídias aliadas.

    Fiquemos com nossos parceiros de Luta, a velha mídia já tem seus patrocinadores e leitores próprios, não precisamos agir contra nós mesmos acreditando de prontidão em fato mal apurado da Agência Lupa, que, infelizmente, não foi sequer até a fonte principal da notícia: o Juan Gabrois para entrevista-lo e sonha que o Papa Francisco diga bem assim: – Olha! Por iniciativa própria eu peguei um Terço meu, o abençoei, entreguei ao Gabrois em uma conversa com ele aqui no Vaticano e pedi para ele entregar nas mãos de Lula em sua visita agendada na prisão em Curitiba para, então, dizer, talvez, com a cara amarrada: – Não é Fake News!

    É demais, não é verdade?

     

  6. O Papa é chefe de estado e,

    O Papa é chefe de estado e, contrariamente ao que faz nosso governo golpista, não se imiscui em assuntos internos de outros países. Por isto, ele não mandaria um cardeal entregar o terço e nem emitiria nenhuma nota oficial a respeito. De qualquer forma, o caso do terço é bem coerente com a pontificado de Francisco e com suas recentes declarações sobre como se destruir um líder  político. Last but not least, o Grabois seria um perfito idiota se encenasse uma situação que seria desmentida em questão de minutos ou horas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome