Ampliação do horário do metrô atende aos interesses da Globo

Enviado por Assis Ribeiro

Do Brasil de Fato

Ampliação do horário do Metrô de SP só pelo futebol interessa à TV Globo

Para militante do Passe Livre e especialista em mobilidade urbana, medida do governo de Geraldo Alckmin ocorre paralelamente à elitização do futebol e atende a interesses privados
 
A ampliação do horário de funcionamento do Metrô de São Paulo, das 0h às 0h30 às quartas-feiras em que forem realizados jogos de futebol na capital paulista mostra que as medidas para melhoria dos serviços de transporte obedecem a critérios seletivos e elitizados e, neste caso, para favorecer interesses privados –em especial da TV Globo. A opinião é do Movimento Passe Livre (MPL). A medida foi anunciada na terça-feira (29), após reunião entre dirigentes do Corinthians e representantes do governo paulista, e vale para dias de partidas nos estádios Allianz Parque (o novo estádio do Palmeiras), Pacaembu, Morumbi e Canindé.

 
“A posição do movimento é de que essa medida do governo só reafirma que resolver os problemas do transporte público depende mais de vontade política do que de questões técnicas”, diz Monique Félix, militante do MPL. “E fica claro que a vontade do governo do estado nesse caso está do lado dos poderosos, tanto da Rede Globo como da população rica que passa a frequentar os estádios com a elitização do futebol, como ficou bastante claro na Copa do Mundo”.
 
Ela lembra que a demanda por expansão dos serviços de transporte não é recente. “Por muito tempo a população mais pobre da cidade colocou a demanda por mais transporte durante a madrugada, nos finais de semana, e ampliação dos serviços de transporte público, e isso é negado para a população periférica. Mas agora, pontualmente, é dado para outra parte da população”.
 
A constatação é de que a ampliação em meia-hora do funcionamento do metrô paulistano é positiva, mas só se deu por pressão de setores mais abastados e para evitar mexer com os interesses da Rede Globo, que considera intocável o horário de sua novela das 21h, que termina pouco antes das partidas em dias de semana. “A medida (do governo Alckmin) em si não achamos ruim, mas fica claro que tipo de reivindicação e de que setor social o governo vai atender, que não é da população pobre e periférica”, explica a militante do MPL. A TV Globo tem dois horários tradicionais de transmissão de futebol: quartas às 22h e domingos a partir das 16h ou 17h.
 
Na opinião de Monique, a elitização do futebol está em curso, embora o torcedor que hoje vai aos jogos do Corinthians na Arena Corinthians seja menos abastado que o torcedor da Copa. “O estádio do Corinthians tem ingressos caríssimos para qualquer competição. O público ainda não é tão elitizado, mas está num processo de elitização evidente, isso está bastante expresso”, aponta.
 
O ingresso mais “popular” da Arena Corinthians é de R$ 50 (atrás do gol, similar à antiga geral, setor que ocupa apenas 15% do estádio), passando por arquibancadas a R$ 80 e setores “Leste Inferior” a R$ 180, “Oeste Inferior” a R$ 250 e vip a R$ 400.
 
“A medida do governo, feita para se fazer uma concessão ao capricho de uma emissora de TV, coloca o serviço público a mercê de um ente privado”, afirma o jornalista Marcos Souza, editor do Mobilize Brasil, portal de conteúdo sobre mobilidade urbana sustentável que tem entre seus objetivos “pressionar governos para implantarem políticas públicas efetivas de mobilidade”.
 
“A ampliação do horário é um misto das duas coisas: tanto do interesse da Rede Globo (por não querer fazer modificação do horário da novela em sua grade) quanto do governo estadual, que mostra que atende à população mais rica, que tem poder de barganha junto ao governo do estado para pressionar pela mudança”, avalia Monique Félix.
 
Para o deputado Luiz Claudio Marcolino (PT), autor de um projeto de lei na Assembleia Legislativa que propõe a expansão gradual dos serviços do metrô em São Paulo, a medida do governo paulista é paliativa e, se houvesse de fato intenção de expandir o horário, o Palácio dos Bandeirantes apoiaria o Projeto de Lei 621/2011. “Podia-se aproveitar o PL que já tramita na Assembleia, previsto para ser votado agora em agosto, porque está trancando a pauta”, lembra Marcolino.
 
Segundo ele, a proposta não é de que o metrô comece a funcionar 24 horas todos os dias de imediato, mas que haja uma transição para que as necessidades da cidade sejam cada vez mais atendidas, gradativamente. “Poderia começar a funcionar nos finais de semana 24 horas, quando não tem manutenção, já que a desculpa do governo é de que não pode funcionar 24 horas por causa da manutenção”, propõe o parlamentar.
 
O controlador de tráfego e presidente da Federação Nacional dos Metroviários (Fenametro), Paulo Pasin, confirma em parte a informação sobre a manutenção do metrô nos fins de semana. “É feita manutenção de sexta para sábado e de domingo para segunda, mas não de sábado para domingo”, diz.
 
Ele explica que durante essa madrugada do fim de semana a via fica inclusive energizada e há treinamento de operador de trem, treinamento de resgate para atropelamento e outros, e também testes com trens reformados, por exemplo. “Nada impede que o metrô funcione na madrugada de sábado para domingo. Mas teria que transferir os treinamentos para outros dias e horários e, além disso, seria preciso contratar mais funcionários”, avalia Pasin.
 
A RBA procurou a assessoria de Comunicação do Metrô, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem.

15 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Athos

- 2014-08-05 16:28:03

Concordo mas só porque ônibus
Concordo mas só porque ônibus jamais precisa de manutenção.

Ozzy

- 2014-08-05 03:58:09

Vocês estão de sacanagem
A cidade ganha um novo estádio com metrô na porta e vcs reclamam que o governador ampliou o horário do metrô em dias de jogo? Qualquer cidade minimamente racional faria o mesmo! Aliás, podiam fazer isso aqui no Rio qdo tem show na Apoteose. Maior perrengue voltar pra casa srm metrô.

Julião

- 2014-08-04 19:33:19

Complementando

Um dos pontos que o MPL desejava era o aumento dos horários dos metros e trens, para atender a quem trabalha ou tem que deslocar-se por qualquer razão pelas madrugadas paulistanas. Não são só o farristas e boêmios, há pessoas que trabalham , que tem que ir a hospitais e/ou qualquer outro deslocamento necessários e não possuem carros. Como fazer nesta cidade gigantesca? Pegar um taxi, com as tarifas entre as mais caras do mundo, ainda por cima morando distante de qualquer lugar?

Esta estória de dizer que tudo é esquerda ou direita é simplista e burra.

Qual é a proposta que vc têm? 

aliancaliberal

- 2014-08-04 18:38:08

Adolpho deve se aumentar o

Adolpho deve se aumentar o sofrimento do Lumpemproletáriado para que este tome conciência de classe e se torne um revolucionário.

O estado de bem estar foi a ação dos governos burgueses para que o Lumpemproletáriado não se revoltasse contra a sua situação de miséria, diminui se a miséria para perpetuar o sistema opressor.

E esse o pensamento da esquerda. 

morallis

- 2014-08-04 18:07:43

Vamos lá MPL!!   Globo pode? 

Vamos lá MPL!!

 

Globo pode? 

adolpho

- 2014-08-04 18:00:55

Num tô intendeindo... uma

Num tô intendeindo... uma facilidade é extendida ao público e a turma vem aqui reclamar? Pára, pára o metrô que eu quero descer...

altamiro souza

- 2014-08-04 17:28:27

é esse governo que sempre

é esse governo que sempre pensa em beneficiar a iniciativa privada em detrimento do restantre da população que tb deixou de planejar o sistema de abastecimento de água, beneficiando somente os acionistas da sabesp....

Maria Luisa

- 2014-08-04 16:20:33

Três coisas.

Que se institua que o metrô funcionara de segunda à domingo até a meia-noite e meia, esse é um ponto.

Outra, que historia é essa de a Rede Globo, em 2014, ainda dar as ordens no terreiro ? Jogo de futebol que começa depois das 21 horas, em plena semana de trabalho ? So conheço no Brasil. 

Por ultimo, mais uma vez podemos dizer que vemos ai a parceria imprensa, no caso o grupo Globo e PSDB. 

J. Alberto

- 2014-08-04 16:17:48

Metrô de madrugada é inútil, inviável e caro

Metrô de madrugada é inútil porque os ônibus podem perfeitamente transportar a demanda das madrugadas. O intervalo entre carros é maior mas as viagens são rápidas e com o bilhete único o risco de assaltos é baixo.

É inviável porque o metrô tem que parar pra fazer manutenção. Se antes dessa ampliação de meia hora o sistema já deu todos os problemas que deu, imagine com essa meia hora a menos, umas 3p0 a menos no mês...

E é caro porque estender a operação de 3 linhas de metrô por meia hora gasta uma baita energia pra levar 15, 20 mil pessoas pra casa, quando em horário comercial isso entra no sistema em um minuto.

Juliano Santos

- 2014-08-04 15:49:11

E como agradecimento o

E como agradecimento o Fantástico ontem fez uma grande matéria sobre a fala d'água em Sampa. Só falou de raspão no Cantareira e uma unica vez citou o nome Alkmin e PSDB. quatro segundos talvez, bem mais curto que a nota do governador "explicando" a situação.

Mais tempo eles dedicaram à prefeituras administradas pelo PT, PDT e PSB, onde falta água. Nesses municípios, mostraram as pessoas penando. Passou a impressão que a seca paulista nada tem a ver com a má administração do governo Alkimin em relação ao Cantareira. Ficou parecendo um fenômeno biblíco, sei lá. Tipo as sete maldições do Egito.

Alkimin e Aécio, claro, tem a maior e mais competente assessoria de imprensa do mundo, o sistemo Globo. O preço? Estende o horário de metrô aqui, compra umas assinaturas acolá, sem contar um terreninho de lambuja. Tranquilo

Athos

- 2014-08-04 15:48:11

E daí.É ótimo que o serviço
E daí. É ótimo que o serviço publico se acostume a fornecer serviço quando ele.for necessário. O nome disso é trabalho. Horário de jogo é outro assunto. E não vai ser horário de trem que vai fazer a Globo mudar seu horário. Tem que ser muito mongol para insistir neste assunto.

Derli

- 2014-08-04 15:15:16

O que aconteceria?

Se os torcedores não fossem aos estádios nesses horários esdrúxulos da globo (minúscula)?

Morreriam? Entrariam em depressão?

A globo faz isso porque os torcedores são vira-latas. Simples assim.

Mauricio Salles

- 2014-08-04 14:48:28

Quem paga?

Quem vai pagar as devidas horas-extras aos trabalhadores do metrô? A Globo sonegadora e recebedora de verbas do governo federal?Hahaha! E o Alckmin em primeiro nas pesquisas... São Paulo é surreal. Ei, Dilma! Manda o Paulo Bernardo abrir o bolso dele e bancar a Globo pra ver se ele gosta. E mais: Paulo Bernardo será mantido no segundo governo Dilma?

Zanchetta

- 2014-08-04 14:16:48

Não é nada disso... A

Não é nada disso... A extensão do horário do metrô foi só para beneficiar o Curintiá...

O Morumbi e o Pacaembú tinham jogos no horário e ninguém falava nada. Agora, o Itaquerão não pode...

Iara G

- 2014-08-04 12:56:34

Qual será a contrapartida?

Nunca falar do metrogate? Ou mais ainda,proteger o PSDB e culpar o PT?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador