Banco do Brasil responde ao Globo

Recebi esta nota pelo twitter do @BancodoBrasil:

Do Banco do Brasil

COMUNICADO À IMPRENSA

Sobre informações divulgadas hoje (03.09) no jornal “O Globo”, o Banco do Brasil reitera o zelo pela integridade e segurança dos dados de quem mantém relacionamento com o Banco. Até o momento, não foi identificado qualquer fato que indique violação de sigilo, nem que aponte nessa direção.

O Banco do Brasil lamenta ainda que a Instituição, que tem ações negociadas em Bolsa, seja exposta na cobertura jornalística, sem a apresentação de dados concretos.

O Banco recebeu Ofício da Justiça e vai se manifestar, adequadamente, na forma processual.

Brasília, 03 de setembro de 2010

Assessoria de Imprensa do Banco do Brasil

É ainda sobre o “assunto da semana”? 

Por Silvana

É sobre quebra de sigilo, mas a do EJ (via twitter do @Bob_Fernandes):

BB nega quebra de sigilo bancário de Eduardo Jorge

03 de setembro de 2010 • 14h09 • atualizado às 14h14

 

Laryssa BorgesDireto de Brasília

O Banco do Brasil negou nesta sexta-feira (3), que tenha havido quebra de sigilo na conta corrente do vice-presidente executivo do PSDB, Eduardo Jorge. Em nota à imprensa, a instituição informa que não identificou nenhum indício de que a conta do tucano tenha sido violada. Eduardo Jorge disse à Polícia Federal em agosto que houve uma violação em sua conta bancária no banco público.

“Até o momento, não foi identificado qualquer fato que indique violação de sigilo, nem que aponte nessa direção”, diz a nota da instituição.

Leia também:  Ombudsman da Folha critica jornal após discurso de Bolsonaro

A Polícia Federal já enviou pedido à Justiça para que o Banco do Brasil forneça informações sobre seu sistema de controle. O objetivo é esclarecer se houve a quebra de sigilo bancário do vice-presidente tucano na instituição. O tucano atribui o vazamento dos dados ao comitê da candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff.

Na Receita Federal, um levantamento no sistema apontou as senhas de quem acessou dados fiscais de pessoas ligadas ao PSDB e ao presidenciável do partido, José Serra. Os dados que a PF quer conseguir do Banco do Brasil também podem trazer informações para confirmar ou não as denúncias de Eduardo Jorge.

 

Na quinta-feira (2), o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, comunicou que a PF assumirá o comando das investigações sobre as violações de sigilo na Receita Federal. A determinação foi do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pediu urgência na apuração. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome