365 DNI E A GLAMOURIZAÇÃO DOS HOMENS ESCROTOS

Comecei a assistir esse filme agora. Achei tão escroto que deixei ele rolando enquanto escrevo.
Gosto de filmes com temas eróticos e assisto vários deles.
Mas filmes como esse são sobre educação sexual e de gênero, acredite!
E eles são totalmente padronizados, clichês.
Filmes como “50 tons de cinza”, “Nove semanas e meia de amor”, e até “Uma linda mulher”, de certo modo, seguem exatamente o mesmo script.
Mulheres com vida amorosa infeliz ou insatisfatória (alguém se indentificar aí? Talvez uns 80%, né? Rs), encontram um homem lindo e gostoso e se apaixonam. Até aí ok. Compreensível…
Mas eles são sempre MUITO RICOS, sempre ESCROTOS, sempre TRATAM MAL AS MULHERES, nesse 365, temos a glamourização de um mafioso, assassino, que a sequestra, e acredite: ela gosta! Sabe por que? Ele é lindo, gostoso e poderoso! O poder é excitante! Um homem com a arma, que pode matar quem quiser é algo sedutor. Homens assim, podem fazer o que quiser, tem carta branca! Inclusive contra a vontade da mulher.
Lembram de 50 tons em que uma garota sem graça se apaixona pelo jovem milionário, lindo, gostoso, escroto, etc. E no final, ela não gosta da escrotice e dele? É idêntico!
Até no tão glamourização “uma linda mulher” ele é escroto com ela em vários momentos e a trata mal. Milhões de mulheres tem esse filme como O seu filme!
Todos esses filmes são feitos para mulher! Para excitá-las e as excitam! Nossa erotização é educada socialmente.
Os filmes pornôs explícitos, nos educa (os homens) desde bem cedo. Aí, achamos que se virarmos entregadores de pizza, transarmos com as clientes.
Sabe o sonho do suburbano de virar PM, miliciano, traficante, etc. ou qualquer coisa ué tenha muito poder e use arma? Em parte tem intenção sexual. Ter acesso as mulheres. Ser desejado por todas! Esse é um dos mitos suburbanos cariocas. Entrar pra PM e pegar geral!
As mulheres são educadas por esses filmes e pela sociedade como um todo a gostarem dos escrotos, a se sentirem atraídas sexualmente por eles, por seu domínio.
Sabe o seu namorado, aquele cara normal, que trabalha num escritório e ganha pouco, não é violento com ninguém, trata você bem? Então… Ele é ruim de cama. Mole, devagar… Sem graça…
O bom de cama é o escroto, violento.
Não crítico aqui o sexo agressivo. Vale tudo com consentimento. Crítico a glamourização do estupro, dos homens escrotos e dos violentos.
Esses filmes educam as mulheres a desejarem ser submissas (na relação. Não só no sexo) e a se manterem, no mundo real buscando caras desse tipo, que não serão tão bonitos, nem ricos, mas igualmente escrotos e isso será excitante.
Acredite: esses filmes são um manual de educação sexual e de papéis de gênero, reprodutores da cultura machista.
E eu, um homem, que tô criticando esse filme, só posso ser naturalmente um recalcado, ruim de cama, invejoso, etc. Pois só invejosos criticaram um filme desses…

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora