Constitucionalidade da Ley de Medios é aprovada

Do Vermelho

Justiça argentina aprova constitucionalidade da Lei de Meios

O procurador da Câmara Federal da Argentina, José María Medrano, apoiou a decisão do juiz da primeira instância, Horacio Alfonso, sobre o julgamento federal, que em 14 de dezembro rechaçou a demanda doGrupo Clarín pela suposta inconstitucionalidade de dois artigos da norma aprovada há mais de três anos pelo Congresso.

O pedido da Câmara para Medrano havia sido o de emitir seu pronunciamento como prévia para que analisasse o expediente de quinze corpos que definirá a validade constitucional ou não da lei. Através de uma medida cautelar, o Grupo Clarín se opôs em novembro de 2009 – um mês depois de que o Congresso sancionasse a lei 26.522 – os artigos 45º e 161º, referidos para a multiplicidade de licenças admitidas e o prazo para realizar o desinvestimento dos meios, respectivamente. 

Desde então, os alcances de ambos artigos questionados estão suspensos para o Clarín, devido a aplicação de uma medida cautelar que a Suprema Corte de Justiça aprovou. 

Em dezembro, o juiz de primeira instância Horacio Alfonso decidiu a favor da constitucionalidade da lei. Mas o multimídia apelou e a Câmara admitiu estender a medida enquanto se resolve a questão de fundo. A  Câmara habilitou o recesso judicial de janeiro para que se tramite o expediente, mês que as partes apresentaram suas apelações e se responderam mutuamente. 

No entanto, a Suprema Corte rechaçou em dezembro um pedido do governo de per saltun para  defender que a causa seja tratada diretamente, sem que o faça a Câmara e, por sua vez, incitou a este tribunal “ que se emita o mais rápido possível”. 

De todas as maneiras – devido as esperáveis ações de uma e outra parte – será a Suprema Corte que deverá tratar de maneira definitiva, uma vez que a Câmara se pronuncie sobre a constitucionalidade da lei. 

Fonte: Página 12
Tradução da Redação do Vermelho

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome