Dunga e o acordo Ricardo Teixeira-TV Globo

Olha o motivo da encrenca, a Globuloide acha que pode tudo!

Do UOL

Globo negociou entrevistas com Ricardo Teixeira, mas Dunga vetou

Mauricio Stycer
Em Durban (África do Sul)

Por trás do incidente entre Dunga e o jornalista Alex Escobar, da Rede Globo, durante a entrevista coletiva no Soccer City, logo depois da vitória do Brasil sobre a Costa do Marfim, esconde-se uma história que revela o alcance do poder do técnico da seleção brasileira.

O UOL Esporte apurou que a Globo negociou diretamente com Ricardo Teixeira, presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), entrevistas exclusivas com três jogadores da seleção, entre os quais Luis Fabiano. As entrevistas iriam ser exibidas durante o programa “Fantástico”, no domingo, horas depois da partida contra Costa do Marfim, vencida pelo Brasil por 3 a 1. Dunga vetou o acerto.

O incidente entre Dunga e Alex Escobar ocorreu quando o jornalista conversava ao telefone com o apresentador Tadeu Schmidt exatamente sobre este assunto. O técnico percebeu o que ocorria e perguntou: “Algum problema?” Escobar respondeu: “Nem estou olhando para você, Dunga”. O técnico replicou em voz baixa, o suficiente para ser captado pelo microfone à sua frente: “Besta, burro, cagão!”

Diversos jornalistas na sala de entrevistas ouviram Escobar desabafar: “Insuportável, bicho, insuportável. O Rodrigo (Paiva) foi revoltado lá falar comigo, cara. O Dunga não deixou. Ninguém. Caraca, nem o Luís Fabiano. Infelizmente. Valeu, Tadeuzão”.

Muitos também notaram que Rodrigo Paiva, diretor de comunicação da CBF, fez o gesto de quem soca a parede a certa altura da entrevista coletiva. Paiva tem tentado se equilibrar entre o atendimento à imprensa e o respeito às exigências de Dunga. NoD cargo há nove anos, gentil com todos os jornalistas, o assessor dá sinais cada vez mais evidentes de reprovação à política de clausura imposta pelo técnico.

Horas depois do incidente, durante o “Fantástico”, Schmidt falou: “O técnico Dunga não apresenta nas entrevistas comportamento compatível de alguém tão vitorioso no esporte. Com frequência, usa frases grosseiras e irônicas”. O jornalista da Globo não mencionou, no entanto, o motivo do atrito, ou seja, a recusa do técnico em aceitar um acordo feito entre o presidente da CBF e a emissora.

http://copadomundo.uol.com.br/2010/ultimas-noticias/2010/06/22/globo-negociou-entrevistas-com-ricardo-teixeira-mas-dunga-vetou.jhtm

É pimenta no dos outros é refresco! 

Da ESPN

Do Blog do PVC

Acordo CBF-Globo evidencia crise do jornalismo, mas não isenta Dunga de sua falta de educação

por Paulo Vinicius Coelho, Johanesburgo (África do Sul), para o ESPN.com.br 

O portal UOL, com matéria de Maurício Stycer, divulga que o xingamento de Dunga a Alex Escobar veio na sequência de sua negativa em atender a acordo firmado pela TV Globo e Ricardo Teixeira, que permitiria entrevistas exclusivas à emissora carioca. Isso não significa que o técnico da Seleção tenha o direito de xingar o jornalista, como fez. Um erro não justifica o outro.

Mas o acordo da principal emissora de TV do país com a maior esfera de poder do futebol brasileiro evidencia a falência do jornalismo. Incrível como as pessoas perdem a noção da responsabilidade de dar informação. Ela não pode estar vinculada a acordos, trocas, favores. Jornalista não tem amigo, nem inimigo. Tem fonte. Se for diferente, a troca de favores indica a um dos lados a ideia de que terá alguma coisa em troca, a omissão de uma informação comprometedora ou a divulgação de um fato favorável.
Não pode ser assim.

Nos veículos sérios, as notícias são dadas de acordo com sua relevância editorial. A indicação de um acordo entre a cúpula de uma emissora ou jornal com uma esfera de poder, qualquer uma, tira a credibilidade de qualquer outra informação veiculada por esse meio de comunicação.

Isso não significa que o técnico da Seleção tenha o direito de xingar um comentarista do canal deva ser xingado. A postura de Dunga, em se negar a atender compromisso entre a TV e a presidência da CBF revela sua dignidade. Mas chamar o jornalista de “merda e bundão” índica apenas sua falta de educação.

Alex Escobar não faz parte da cúpula da TV Globo. É funcionário da emissora. Não foi ele quem negociou com Ricardo Teixeira, levando em conta a correção da informação do UOL. Culpada é a política da emissora.

O erro de Alex Escobar no episódio é atender ao celular dentro da sala de entrevistas coletivas. Por fazer isso, poderia receber um pedido “Você pode falar ao celular fora da sala, por favor.”

Por favor, muito obrigado… Esse é o vocabulário de qualquer pessoa que tenha o mínimo de boa educação. O máximo, também, que se pode dizer ao agendar uma entrevista. Triste que gente, dentro e fora da profissão, não tenha exata noção do papel do jornalista. 

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador