Em um mês, sete profissionais da imprensa foram agredidos em manifestações

 
Jornal GGN – Em menos de um mês, sete profissionais da imprensa já sofreram agressões em protestos, em São Paulo. Na última quinta-feira (29), o fotógrafo Gustavo Gerchmann, da Futura Press, foi atacado por manifestantes após o fim do ato contra o aumento de passagens.
 
Enquanto registrava a ação de black blocks, na praça Estillac Leal, onde localiza-se o Monumento às Bandeiras, sua câmera fotográfica foi golpeada e destruída. Também foi relatado que outros profissionais da imprensa foram agredidos com chutes desses manifestantes, que picharam a escultura de Victor Brecheret.
 
Dos sete ataques a profissionais da imprensa em 2015, esse foi o primeiro que partiu de um manifestante. 
 
Os outros seis agredidos foram os fotógrafos José Francisco Diório, do Estadão, e o freelancer Matheus José Maria, o repórter Thomas Dreux Miranda, do Xadrez Verbal, o fotógrafo Felipe Larozza, da Vice, o repórter Edgar Macial, do Estadão, e o repórter Fernando Otto, da TV Estadão.
 
A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) emitiu nota, lamentando a situação. “A Abraji condena todos os atos de violência e lamenta que a imprensa siga sendo alvo tanto de manifestantes quanto de agentes do Estado”, manifestou. “Tentar cercear o trabalho da imprensa é um atentado ao direito à informação e um risco para a democracia”, completou a nota oficial.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

9 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anna Dutra

- 2015-02-03 01:33:23

Quem anda com porcos, farelo

Quem anda com porcos, farelo come!  Ou “Que lobo você alimenta?”...

Infelizmente, em junho de 2013, foi aberta uma porteira desastrosa:  foram alimentados, ganharam visibilidade e voz, grupelhos insípidos, vazios em busca de uma vida fácil que os mantivesse em atividade.  Muita gente que não contribui para a elevação da nação nem sua prosperidade; mas que ao receber atenção indevida fez ressurgir o que temos de mais nefasto em nossa cultura e que nos acompanha desde o Descobrimento.

Álvaro Noites

- 2015-02-03 01:23:08

Quem semeia vento colhe
Quem semeia vento colhe tempestade.

José Carlos Fix

- 2015-02-03 01:08:32

Colateral!

É a explicação para a campanha auto depreciativa da mídia: antes - há bem pouco tempo, aliás - era o "4º Poder" nas manifestações anti Collor. Naquela época, bem "discreta", convencia corações e mentes - a do ora missivista inclusive - de que sua luta era a "boa luta".

Atualmente, não consegue mais enganar sequer o iludido missivista. E os atuais corações e mentes estão mais, digamos, herméticos, com tanta informação e talvez poucas explicações... Batem onde quer que seja! Inclusive na mídia que por vezes é o que os mantém...

 

altamiro souza

- 2015-02-02 21:54:45

um redator de veja diria que

um redator de veja diria que o repórter é um ser rastaquera e merce levar porrada,

é o último ser da mídia do esgoto, segundo a prória imprensa do esgoto.

criam monstros e depois mandam o baixo clero levar porrada na rua.

e ficam rindo de tudo na redação, esses calhordas do aquário....

Alan Souza

- 2015-02-02 20:44:36

Quem pariu Mateus que o embale...

A imprensa foi a maior mobilizadora/divulgadora/louvadora das manifestações. Que aguente agora os trancos do monstro que criou.

morallis

- 2015-02-02 20:21:15

Enviado por Leo V.

Enviado por Leo V.

Ivan de Union

- 2015-02-02 19:28:10

Estao TODOS nas redacoes,

Estao TODOS nas redacoes, especificamente na chefia das redacoes.  Reporter aa pe?  Baixo clero, e sabe disso -eh historico, alias.  Pouquissimos reporteres de rua fizeram sucesso sem sangue alheio nas maos pra mostrar -lembra dos nomes de alguns?

Nao eh as reportagens.  Eh as edicoes.  Alias, eh so ver quais palavras a media coloca na boca de Dilma ou Alckmin pra ver aa manipulacoes grosseiras.

(Eu cansei da maioria dos assuntos favelados do Estado brasileiros, Fabio:  outro aspecto da teoria da favelizacao que eu nao discuti ainda eh a tecnica das feridas vivas que nunca se saram porque o Estado nao deixa -onde "Estado", em sua maior parte, eh o judiciario.)

Fábio de Oliveira Ribeiro

- 2015-02-02 19:02:22

Mano, na boa... não ficarei
Mano, na boa... não ficarei surpreso ou triste quando o povão encher de porrada os jornalistas que esconderam a crise hídrica em 2014 para beneficiar eleitoralmente Geraldo Alckmin. Estes canalhas mentirosos precisam ser responsabilizados de alguma maneira.

Ivan de Union

- 2015-02-02 18:49:17

"Dos sete ataques a

"Dos sete ataques a profissionais da imprensa em 2015, esse foi o primeiro que partiu de um manifestante":

Et tu, Cintia?!?!

A unica agressao de "manifestante" eh a unica especificada?!?!?!  Quer que eu te conte de onde as outras sairam?

Da PM.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador