Fotógrafo associado ao GGN é agredido em protestos no Chile

Pablo Ubilla portava a credencial de imprensa do Jornal GGN, o que mesmo assim não impediu os ataques com gás de pimenta e golpes de policiais durante a manifestação desta quinta (21)

Protestos no Chile - Foto: Pablo Ubilla

Jornal GGN – O fotógrafo chileno Pablo Ubilla, associado ao GGN, foi agredido pela polícia do país em meio à atuação profissional nos protestos em Santiago, no Chile, na noite desta quinta-feira (21). O fotógrafo portava a credencial de imprensa do Jornal GGN, o que não impediu as agressões das tropas policiais.

Por volta das 22h, quando os manifestantes já haviam sido dispersados pelos tanques de água e gases tóxicos, ao redor da Plaza Baquedano e Italia, região central da capital, Ubilla relatou que um policial se aproximou e atirou gás de pimenta em seu rosto, enquanto outro o agrediu com o escudo. Pablo alcançou a tirar foto da identificação de um dos policiais agressores: Cabo 1o. H. Videla V.

 

Colaborador do GGN, o fotógrafo portava a credencial de imprensa brasileira e afirmou que se não fosse a identificação, “poderia não estar aqui contando esta história”. Logo após ser agredido em sua atuação profissional, Ubilla disse que recebeu atenção de observadores de direitos humanos, presentes no local, a quem ele apresentou a denúncia.

 

Abaixo, algumas das fotografias produzidas pelo fotógrafo nestes mais de 30 dias de manifestações:

 

Outras fotografias podem ser vistas na plataforma Behance:

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Performance "um violador no seu caminho" por milhares de mulheres acima de 40 anos no Chile

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome