Instituto Lula responde à revista Época

do Instituto Lula

Resposta à revista Época sobre as viagens do ex-presidente Lula

Recebemos hoje (26), às 9h55, um e-mail da reportagem da revista Época com questionamentos a respeito das viagens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  Faz quase dois meses que a Época tem essa prática de mandar e-mails perto do fechamento em vez de fazer entrevistas cara a cara sobre as atividades do Instituto. É a última vez que perderemos tempo com a Época, que agora receberá o mesmo tratamento reservado à Veja pela assessoria de imprensa, após reiteiradas práticas de parcialidade e falta de isenção jornalística. Mediante os questionamentos da publicação, fazemos os seguinte esclarecimentos a respeito das viagens realizadas pelo ex-presidente:

Sim, o Instituto Lula tem como política divulgar as viagens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao exterior.

Desde abril de 2011, quando se constituiu a assessoria de imprensa do então Instituto Cidadania, hoje Instituto Lula, todas as viagens do ex-presidente foram divulgadas à imprensa por e-mail, e desde o segundo semestre de 2011, quando o Instituto Lula criou seu site, também por esse canal. E desde 2012 também por Facebook. E também por Twitter. Embora o ex-presidente não ocupe cargo público e, por isso, não tenha nenhuma obrigação de divulgar viagens para o exterior, elas foram divulgadas.

As viagens anteriores a abril de 2011 também foram registradas no site do Instituto Lula. Bastaria aos jornalistas da revista pesquisarem no site para encontrar a relação de viagens.

As viagens do ex-presidente Lula ao exterior não foram a turismo ou passeio. Foram para dar palestras, falando bem do Brasil no exterior para investidores e autoridades estrangeiras, estimulando a participação de jovens na política e divulgando políticas sociais de combate à fome em eventos na África, América Latina, Estados Unidos, Europa e Ásia.

Os principais destinos do ex-presidente ao exterior não foram, como já publicou erroneamente Época, Cuba, República Dominicana e Gana. Como o Instituto já respondeu para a revista, no texto “As sete mentiras da capa de Época sobre Lula” (http://www.institutolula.org/as-sete-mentiras-da-capa-de-epoca-sobre-lula/), os principais destinos foram os Estados Unidos, com 6 viagens, e depois México e Espanha, cada um com 5 viagens.

Como já também foi respondido para a Época, quase dois meses atrás. “No caso de atividades profissionais, palestras promovidas por empresas nacionais ou estrangeiras, o ex-presidente é remunerado, como outros ex-presidentes que fazem palestras. O ex-presidente já fez palestras para empresas nacionais e estrangeiras dos mais diversos setores – tecnologia, financeiro, autopeças, consumo, comunicações – e de diversos países como Estados Unidos, México, Suécia, Coreia do Sul, Argentina, Espanha e Itália, entre outros. Como é de praxe, as entidades promotoras se responsabilizam pelos custos de deslocamento e hospedagem.”

Ao contrário do que já publicou Época, e já foi rebatido pelo Instituto Lula, a maioria das viagens do ex-presidente ao exterior não foram pagas pela Odebrecht, que contratou palestras para empresários e convidados em países onde a empresa já atua. Uma pergunta da revista contém um equívoco porque a LILS não recebe doações. A LILS é uma empresa de palestras. Ela recebe pagamentos por serviços prestados. O Instituto Lula é uma entidade sem fins lucrativos que recebe doações para a manutenção das suas atividades. O ex-presidente não recebe pagamentos do Instituto Lula. Dezenas de empresas, de diferentes setores, doaram para o Instituto Lula. Os institutos de ex-presidentes, não só o do ex-presidente Lula, vivem de doações privadas. Sobre esse assunto de doações e contratações, como já foi respondido para a Época semana passada:

“O Instituto é uma entidade sem fins lucrativos, e as doações de indivíduos, fundações e empresas privadas de vários setores, entre elas a Odebrecht, assim como as parcerias com organismos multilaterais são para a manutenção do Instituto e realização das suas atividades.

A Odebrecht já falou sobre o seu apoio às atividades do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e também de outros ex-presidentes, entre outras notas e declarações para a imprensa, no artigo ‘Viaje Mais, presidente’, de Marcelo Odebrecht, em 7 de abril de 2013, na Folha de S. Paulo. Ou seja, mais de dois anos atrás.

Todas as doações ao instituto estão contabilizadas e foram pagos todos os impostos correspondentes. Nem o apoio feito ao Instituto pela Odebrecht, nem as palestras profissionais do ex-presidente contratadas pela empresa são objetos de sigilo. O Instituto Lula nunca negou ter recebido doações da Odebrecht e a empresa nunca negou ter concedido este apoio. Aliás, como o próprio artigo de Marcelo Odebrecht mencionado acima deixa explícito.”

Temos em nosso site uma lista respondendo a dúvidas frequentes sobre o Instituto. http://www.institutolula.org/duvidas-frequentes-a-respeito-do-instituto-lula.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

24 comentários

  1. O  instituto Lula  devia  

    O  instituto Lula  devia   pedir o direito de  resposta na  revista  é um direito  do instituto  pois  ela  vem defamando  tanto o Lula como o Instituto Lula  e nesse  caso tem direito  a  resposta  e  alcançar  o publico  se pe  que  alguem perde  tempo de comprar  essa  revisteca de merda. 

    • E essa resposta…

      Descontextualizar convence quem, einh?

      O dia que o FHC estiver sob a mira do PIG e do anarquista, o bonitão não poderá reclamar da vida mais.

      Por enquanto, anarquista bonitinho, pare de pensar que é mais esperto do que eu!

  2. A revista ÉPOCA já foi mais

    A revista ÉPOCA já foi mais séria, ou menos vagabunda. Escolham o que se aplica. Hoje se tornou um VEJA do B. 

    Isso não é jornalismo: é provocação barata. A tática é deixar no ar a impressão que há irregularidades com essa instituição fundada para gerir a vida pública do ex-presidente Lula. 

    Alguém se lembra de alguma reportagem questionando as contas do seu similar Instituto FHC? 

    • ”Alguém se lembra de alguma

      ”Alguém se lembra de alguma reportagem questionando as contas do seu similar Instituto FHC? ”

       Se vc ler o blog do Paulo Henrique Amorim , é um massacre TODO santo dia contra F H C  e ”Cerra”.

          É da vida,bonitão.

      • Não tergiversa, “feião”.

        Não tergiversa, “feião”. Estou me reportando ao hipócritas da imprensa que se diz “séria” e “imparcial”.

        Entendeu agora?

  3. DILMA, CARIOCAS SÃO EXPERTOS

    DILMA, CARIOCAS SÃO EXPERTOS OU DE COMO A VIAGEM DE DILMA SE PARECE COM A VIAGEM DE GOULART A CHINA

     

    Há um clima de Titanic no ar. Na medida que passam os dias, as notícias, que eram ruins, parecem ficar piores. Essa doença do Levy, por exemplo, não me convence. Isso  parece  armação,  espécie de atestado médico de araque para abonar  um dia de trabalho que não vale a pena ser trabalhado.  Sabe, aqueles atestados médicos que são vendidos em qualquer esquina das capitais brasileiras e que aqui no RJ é malandramente apelidado de Bombril.

    Bem Srs. é só uma suspeita. Levy é um cara “experto”, pois embora tenha sido educado – em parte – nos EUA é um típico rapaz carioca com todas as mumunhas do povo que nasce por aqui. 

    Mais estranho ainda é que de acordo com o boletim médico divulgado pela assessoria do ministro, foi diagnosticada uma “suspeita de embolia pulmonar”. Embolia pulmonar é uma doença grave. Ora, qualquer pessoa com o mínimo de conhecimento médico sabe que passageiros com  embolia correm sério risco de morte em viagens de avião, sobretudo as longas, como essa que o ministro fará aos EUA.

    Abrir mão do avião presidencial que dispõe de médico, home care, leitos mais confortáveis, etc., etc., etc.,  para ir em avião de carreira como reles mortal, cheira a armação… e das GRANDES. 

    Lembrem-se que o diretor global Marcos Paulo morreu depois que um coágulo (embolia) se formou em seu pulmão, depois de uma viagem para Manaus. A pressurização dos aviões é mortal para pessoas com problemas circulatórios. Não acredito que o patriotismo de Levy seja suicida, mas creio que ele tem preferido enfrentar a morte ao mal humor de Dilma.

    Confirmada a não participação de Mercadante nesta viagem depois do vazamento seletivo da PF, a “doença” de Levy soa ainda mais suspeita. Se bobear só embarcam nessa canoa, digo, voo furado, Dilma e a tripulação do Air-Force One Tupiniquim. 

    Lembrem-se que essa é a primeira viagem importante que Dilma faz aos EUA depois da espionagem a Petrobrás, aquela que deu início à operação Lava Jato e que promete afundar com Dilma, Lula, PT e nossas esperanças.

    Salve-se quem puder!

     

     

  4. Eu acho que a revista vai

    Eu acho que a revista vai continuar não entendendo. Acho que o Instituto Lula  deveria DESENHAR, talvez assim, os repórteres(???) da revista entendessem. Mesmo assim duvido muito, acho que para eles (repórteres???) seria preciso muuuuuuuuita massa cinzenta, o que com certeza eles e a maioria da mér, digo, mídia NÃO TEM.

  5. Não se dá satisfações a

    Não se dá satisfações a panfletosde oposição!

    NÃO SE DÁ SATISFAÇÕES A PANFLETOS DE QUINTA, DE OPOSIÇÃO!

    Isso é só para a imprensa. Como fazia o Brizola: chamava o Le Monde, El País, The New York Times, Washington Post… jornalismo! PANFLETO, NÃO!

  6. Época, IstoÉ O Globo…

    descobriram que há uma espécie de conforto em piorar cada vez mais

    e passaram a ser a “autocondenação” da Veja

    também, pudera, porque com a nossa justiça a confirmar que mentir funciona como uma bênção para FHC,

    não poderia ser diferente

    • bonito, para Época, deve ser o humilhante esplendor do outro

      FHC

      ou que é alcançado desta forma,  diminuindo os outros com mentiras

      decadentes fdps é o que são

  7. Há um clima de Titanic no ar.

    Há um clima de Titanic no ar.

    Na medida que  os dias passam, as notícias, que eram ruins, parecem ficar piores. Essa doença do Levy, por exemplo, não me convence. Isso  parece  armação: tipo aqueles  atestados médicos de araque apresentados por funcionário para abonar  um dia de trabalho que não vale a pena ser trabalhado.  Sabe, aqueles atestados  que são vendidos em qualquer esquina das capitais brasileiras e que aqui no RJ é malandramente apelidado de Bombril. Bem Srs. é só uma suspeita. Levy é um cara “experto”, pois embora tenha sido educado – em parte – nos EUA é um típico rapaz carioca com todas as mumunhas do povo que nasce nessas paragens. 

    Mais estranho ainda é que de acordo com o boletim médico divulgado pela assessoria do ministro foi diagnosticada uma “suspeita de embolia pulmonar”. Embolia pulmonar é uma doença grave.

    Ora, qualquer pessoa com o mínimo de conhecimento médico sabe que passageiros com trombose, espécie de embolia, correm sério risco de morte em viagens de avião, sobretudo as longas, como essa que o ministro fará aos EUA.  Abrir mão do avião presidencial que dispõe de médico, home care, leitos mais confortáveis, etc., etc., etc.,  para ir em avião de carreira como reles mortal cheira a armação e das GRANDES. 

    Lembrem-se que o diretor global Marcos Paulo morreu depois que um coágulo (embolia) se formou em seu pulmão, após uma viagem para Manaus. A pressurização dos aviões é mortal para pessoas com problemas circulatórios. Não acredito que o patriotismo de Levy seja suicida ao insistir nessa viagem, mas creio que ele tem preferido enfrentar a morte ao mal humor de Dilma no mesmo avião.

    Confirmada a não participação de Mercadante nesta viagem depois do vazamento seletivo da PF, a “doença” de Levy soa ainda mais suspeita. Se bobear só embarcam nessa canoa, digo, voo furado, Dilma e a tripulação do Air-Force One Tupiniquim. 

    Lembrem-se que essa é a primeira viagem importante que Dilma faz aos EUA depois da espionagem a Petrobrás, aquela que deu munição à operação Lava Jato e que promete afundar com Dilma, Lula, PT e nossas esperanças.

    Salve-se quem puder pois a capitã já abandonou o navio.

  8. Até Quando Defender-se e Não Atacar?

    Sabendo qual o objetivo dessas reporcagens, por que a insistência em apenas esclarecer e não ataca-los ao responder as provocações sistemáticas perpetradas? Ao responder que o instituto recolhe seus impostos, o correto seria, Ao contrário da principal empresa do grupo Globo, que edita essa revista, que estranhamente deixou de pagar impostos em 2002, relativos a Copa do Mundo, o Instituto Lula não apenas os recolhe, como dá publicidade aos mesmos em seus canais de comunicação, não se envolvendo em sumiços de processos na Receita e não deixando de dar satisfação em detalhes a sociedade, pois sabe que a mídia, monopólio confesso de oposição, busca diuturnamente pêlo em ovo quando se trata de nossos assuntos. Passar bem! 

  9. Há algum tempo soube que um

    Há algum tempo soube que um ex-presidente tem direito, por lei, de viajar o mundo e até mesmo com vários seguranças e a família, tudo pago pelo Estado. 

    Fico pensando que Sarney, que também tem lá seu instituto, e ladino como sempre foi, jamais foi perseguido pela imprensa para dar satisfação dos seus gastos ou pagamentos de impostos. Nem FHC. 

    A perseguição a Lula não tem limites. A cada dia teremos que ver e ouvir coisas a respeito dele, contra ele, sempre com o intuito de levá-lo à prisão, pois somente assim a desmoralização será total. Depois de Dirceu, que foi enlameado sem ter nada que provasse contra ele, admitindo que até os oposicionistas mais obtusos entenderam isso, a chance de acontecer algo parecido com Lula existe, sim. Dirceu era um braço direito de Lula, por isso teria que ser perseguido. Atingir Lula, então, era somente o que faltava. 

  10. Os fins e os meios, ou o fim dos meios?

    Várias vezes eu me pergunto, tanto como militante, tanto como eleitor (eleitor-militante ou militante-eleitor), por que o governo e o PT não partem para o ataque, não começam a divulgar as mentiras da mídia, e não disputam cada palmo de espaço político na arena da comunicação de massas?

    E pelo que leio aqui, inclusive da lavra do publisher do blog, este é um questionamento comum, trazendo à baila até críticas específicas sobre a atuação dos titulares da pasta de comunicação social e divulgação do governo (e também do PT). Algumas destas críticas, como é natural, trazem ressentimentos pessoais e frustrações mal resolvidas, mas tudo bem, é o jogo.

    Como palpiteiro generalista de blog, sabemos um pouco de tudo, que no fim, significa saber quase nada de qualquer coisa.

    Mas arrisco.

    Partidos e governos têm limites tênues e estranhos para atuar na Democracia.

    Fica claro para qualquer um com mais de dois neurônios que a guerra entre veículos de comunicação, partidos e governos é totalmente assimétrica.

    Governos e partidos têm eleitores, e veículos de mídia têm leitores. Parece um trocadilho ruim (e é), mas é muito mais que isso.

    As disputas discursivas dos partidos, governos e da mídia são diferentes, embora partidos e governos tenham  cedido espaço para a mídia misturar tudo e nos fazer crer que são a mesma coisa, neste processo maluco de industrialização/partidarização midiática da ação política, associada a uma espetacularização jurídica e criminalizada sem precedentes.

    É o clássico confronto entre poderes (estatais ou não, mídia e judiciário) não eleitos e o poder eleito.

    As legitimidades são distintas, no entanto, parece tudo muito parecido, e isso também é uma jogada política dos que detêm o poder econômico e lutam para retomar a agenda política, ou ao menos, retomar o pedacinho conquistado por PT e aliados (há algum que mereça esse nome?).

    O deslocamento do eixo da luta política para centros burocráticos e midiáticos é comum (historicamente falando) quando a direita está alijada do processo eleitoral por longos períodos.

    De certa forma, se considerarmos a ação petista quando estava na oposição (óbvio, com dimensões e alcances muito diferentes) foi parecida.

    O PT amava o MP.

    O PT era a UDN de macacão, como dizia o Brizola.

    Não é essa a discussão, mas esta ressalva tinha que ser feita.

    Fica evidente nossa fragilidade conceitual quando buscamos questionar as estratégias de governo e partidos em relação a mídia, e o fazemos dando mais munição a esse processo promíscuo, desejando que o PT e Dilma ajam como lavadeiras batendo boca com porcalistas e habitantes das pocilgas editoriais.

    Lógico que há falhas graves na comunicação governamental e do seu principal partido, o PT.

    Mas o que fazer sem incorrer em gestos autoritários, justamente a justificativa final para a deflagração da máquina golpista?

    Ou pior, como fazer a luta da comunicação sem igualar os desiguais, sem nivelar mandatos com…com o que mesmo? Contra-cheques e uma bancada alimentada por jogadas de popularidade e “ibope”?

    Sufocar economicamente? Besteira, já sabemos que há conglomerados internacionais dispostos a gastar uma boa grana supostando a ação política da oposição, sem preocupação alguma com a normalidade democrática, se é que me entendem.

    Entender que se o capital e seus reservoir dogs (oposição e porcalistas) são capazes de morder e destroçar as mãos dos empreiteiros que alimentarm-nos por anos, apenas para derrotar o PT e Dilma/Lula, é entender que são capazes de perder dinheiro apostando na deposição (até forçada) do PT/Dilma/Lula, até porque, há nesta lógica um horizonte de restituição predatória dessas perdas.

    Debater o controle social da mídia, impedir propriedades cruzadas, etc? Ok, mas debater isso com quem? Com duas dúzias de aguerridos guerrilheiros virtuais? Qual o interesse da população, ou do grosso dela, em discutir o tema? Qual é a correlação de forças disponíveis, e melhor, há chance de reverter o quadro e acumular capital político rumo ao debate do tema? Temos fôlego para colocar este debate nas ruas?

    Vamos para a vanguarda?

    Passar do desmentido para ações positivas, ocupando espaços, financiando veículos independentes, criando um esquema próprio de comunicação? Como fazer isso sem tornar-se pior que seus opositores? Temos estômago para aceitarmos o fato de que precisamos de uma mídia descaradamente pró-governo e pró-PT? E qual seria a linha predominante, se considerarmos que nem governos, nem partidos (ao menos o PT, que eu conheço) são caixas herméticas de consenso político.

    Vamos transferir e criar outra esfera de luta política, com potencial ainda mais explosivo, considerando o material que manipularemos? vale o risco?.

    Eu, ingenuamente, sem os arroubos de ser a eminência parda do governo (como alguns publishers de blogs chamados progressistas)imagino que esse seja um dos motivos de hesitação do governo e do PT.

    Rebaixar-se a mídia é ruim, porque ela te ganha no nível mais baixo por experiência.

    Brigar com ela (mídia) é como bater em padre. Padres representam uma instituição autoritária, alguns molestam crianças, mas se imagine espancando um deles em público…

     

    Usando uma linguagem mais chula e parafraseando com exagero: Jornalista bom é jornalista morto (ou calado)?

    Quais são os princípios que temos, e quais deles abriremos mão para derrotar a mídia? Até onde vamos?

    Eu, pessoalmente, não tenho problemas nem pudores em flertar com medidas de força…mas e aí, quem topa?

  11. Lula rebate ‘estranha mania

    Lula rebate ‘estranha mania de invenção’ da Folha

    Em nota, ex-presidente rebate reportagem publicada neste domingo que afirma que o petista teria conversado com membros do TCU e “estimulado pessoalmente” o responsável pela análise das contas do governo Dilma no tribunal, o ministro José Múcio Monteiro, a “contestar as chamadas ‘pedaladas fiscais'”; Instituto Lula contesta a “estranha mania” da Folha de, “sem nenhuma procuração ou comprovação, atribuir declarações ao ex-presidente a partir de fontes anônimas”; a entidade enviou na sexta-feira resposta ao jornal negando o fato, mas não foi publicada; hoje mesmo a ombudsman da Folha apontou erro grave do jornal em relação a Lula esta semana, no caso relacionado ao habeas corpus

    28 de Junho de 2015 às 11:48

     

     

    247 – O Instituto Lula divulgou uma nota neste domingo 28 rebatendo reportagem da Folha de S. Paulo que informa que o ex-presidente teria conversado com membros do Tribunal de Contas da União (TCU) e “estimulado pessoalmente o responsável pela análise das contas do governo Dilma Rousseff a contestar as chamadas ‘pedaladas fiscais'”.

    A publicação se referia ao ministro José Múcio Monteiro, de quem Lula seria “próximo”, de acordo com o jornal. A nota divulgada pela assessoria de imprensa do instituto critica a “estranha mania” do jornal de, “sem nenhuma procuração ou comprovação, atribuir declarações ao ex-presidente a partir de fontes anônimas”.

    O texto informa ter respondido à solicitação da reportagem na última sexta-feira em relação ao asunto, mas que esta não foi publicada junto à matéria. O jornal teria insistido na “invenção”, acrescenta o comunicado. Hoje mesmo, a ombudsman da Folha, Vera Guimarães Martins, apontou erro grave do jornal em relação a Lula esta semana, no caso relacionado ao habeas corpus.

    Leia abaixo a íntegra da nota do Instituto Lula:

    NOTA À IMPRENSA
    “Se Lula quisesse falar com a Folha de S. Paulo, falaria com a Folha de S. Paulo”

    São Paulo, 28 de junho de 2015,

    Assim como algumas pessoas são maníacas por impetrar Habeas Corpus à revelia e contra a vontade das pessoas, a Folha de S.Paulo tem a estranha mania de sem nenhuma procuração ou comprovação, atribuir declarações ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a partir de fontes anônimas.

    O jornal nos procurou na sexta-feira (26) com uma informação incorreta. Respondemos que se tratava de invenção e de que “o ex-presidente repudia e lamenta a reiterada prática do jornal Folha de S. Paulo de lhe atribuir afirmações a partir de supostas fontes anônimas, dando guarida e publicidade a todo o tipo de especulação”. Mesmo assim a matéria foi publicada com destaque na capa.

    Na matéria a Folha não coloca a nossa resposta de que se trata de uma invenção, logo, publicamos aqui a troca de e-mails entre a assessoria de imprensa do Instituto Lula e o jornal.

    Assessoria de Imprensa do Instituto Lula

    Abaixo resposta para a Folha de S.Paulo:

    Cara,
    Segue nossa resposta:
    Parece que todo o sábado o jornal Folha de S. Paulo reserva espaço para atribuir alguma fala ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Semana passada fizeram isso. Fazem novamente esta semana. O ex-presidente repudia e lamenta a reiterada prática do jornal Folha de S. Paulo de lhe atribuir afirmações a partir de supostas fontes anônimas, dando guarida e publicidade a todo o tipo de especulação. Se o ex-presidente quisesse falar com a Folha de S. Paulo, falaria com a Folha de S. Paulo. Esta afirmação é uma invencionice do jornal ou da sua fonte anônima.

    Abaixo o email enviado pela Folha de S.Paulo:

    Caros,
    Estamos fazendo uma matéria sobre uma conversa do ex-presidente Lula com o ministro do TCU José Múcio Monteiro, em que o ministro falou da possibilidade de o órgão rejeitar as contas de 2014 do governo Dilma. Segundo relatos, Lula disse achar razoável o órgão pedir explicações sobre as chamadas “pedaladas fiscais” e disse que isso “daria um susto” na presidente.
    Gostaria de saber se o Instituto Lula quer se posicionar sobre o assunto.

     

  12. Jornalismo é feito por jornalistas

    O que não significa que seja exercido de acordo com um código de ética. Se há jornalismo ruim, tendencioso, inclinado à perversão, subversão e omissão, é porque há quem se comporte como um dócil cão de caça, sempre pronto a perseguir o alvo dos tiros de seu venal proprietário e trazer-lhe o cadáver. Mas que seria da Casa Grande sem esses instrumentos de mediocrização midiática? A guilhotina não funciona sem o carrasco, assim como o pai-de-santo não dá voz à entidade se não se presta a cavalo. Individualidade? Era como Aristoteles chamava realisticamente a alma. No caso, perdida pelo arrivismo obsceno de um eunuco político que estraga os próprios testiculos, de bandeja,  num contrato fáustico.

    [video:https://m.youtube.com/watch?v=IymuQSWgQ6o%5D

    • À falta de virilidade jornalística….

      …hoje, segunda feira, o Globo entrega a cabeça de Dilma. Haja inspiração à platinada salomé ressentida…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome