Movimentos sociais querem democratização da mídia

Jornal GGN – Movimentos sociais brasileiros discutiram os temas que serão levados para o Fórum Mundial de Mídia Livre, que acontece na Tunísia, em março de 2015. A democratização militantes da área de comunicação vão colocar em consulta pública um documento que será levado para o encontro.

Movimentos sociais querem articulação internacional por democratização da mídia

Por Daniel Mello

Da Agência Brasil

Movimentos sociais discutiram hoje (7) os temas que devem ser levados para o Fórum Mundial de Mídia Livre na Tunísia, em março de 2015. Nesse sentido, a democratização dos meios de comunicação foi apresentada como uma pauta que precisa ser internacionalizada. “Organizar mais coletivamente a nossa participação em um processo internacional, que tende a devolver ao Brasil a pressão pela democratização da mídia”, disse a jornalista e ativista da Ciranda Internacional da Comunicação Compartilhada, Rita Freire.

O encontro de mídia livre ocorre junto com o Fórum Social Mundial. Até o fim do ano, os militantes da área de comunicação pretendem colocar em consulta pública um documento que será finalizado no fórum do próximo ano. Para isso, estão sendo feitas reuniões preparatórias como a de hoje. O grupo reúne-se novamente amanhã (8), quando haverá comunicação por videoconferência com ativistas da Tunísia e da Faixa de Gaza.

Para a militante do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Renata Mielli, a democratização dos meios de comunicação é um processo que fica incompleto se for feito isoladamente apenas no Brasil. “Se nós não tivermos ações políticas internacionais, buscando a garantia de espaços democráticos de comunicação, nós vamos continuar tendo dificuldades internas. Porque o fluxo de informações que chega ao Brasil sobre o mundo é muito desequilibrado”, avaliou.

Na opinião de Renata, o cidadão brasileiro tem dificuldade em ter acesso a informações fidedignas sobre o que se passa em outros países devido aos “filtros ideológicos” dos grandes veículos de comunicação. “O que a gente recebe de informação que vem da Venezuela, do que acontece na Argentina, no Uruguai, no Equador. Isso para falar no continente que nós estamos, mas fora do continente é pior ainda”, disse ao citar ainda a cobertura jornalística da epidemia de ébola.

Rita Freire criticou ainda a cobertura nacional sobre as atividades dos movimentos sociais. “As agendas do movimento social não são tratadas pela nossa mídia. Quando são tratadas, são distorcidas, os movimentos são criminalizados e aquilo que nós estamos dizendo não é ouvido”, reclamou.

Por isso, Rita defendeu uma articulação conjunta para pressionar o poder público no sentido de implementar políticas que garantam uma comunicação mais plural. “Amanhã nós temos reunião com organizações do Fórum Social Mundial, para que organizações que não são da comunicação assumam essa pauta”, disse.

 

7 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adma Andrade Viegas

- 2014-11-08 19:23:13

A mídia do poder econômico - 

A mídia do poder econômico -  você defende essa com unhas e dentes.

leonidas

- 2014-11-08 18:08:54

Não me diga...rs Todo mundo

Não me diga...rs

Todo mundo sabe que esses " movimentos sociais " nao passam de testa de ferro da esquerda.

composto por desocupados que por nao ter carga horaria de trabalho à exemplo do verdadeiro trabalhador,  tem tempo para ficar exercendo sua condiçao de pelego.

Na verdade 95% deviam ser processados por falsidade ideologica, pois nao tem compromisso algum com o povo e sim com suas ideias totalitarias .

O povão é Fachada ...rs

El Bartho

- 2014-11-08 14:40:47

Concordo com vocês...

Na minha opinião o governo tem de desacreditar a mídia tradicional. Porque se depender do congresso não haverá qualquer regulação da mídia. Cortando a publicidade, que por sinal é inútil, aplicando os valores em obras tangíveis à população (hospital, creche etc.) e principalmente anunciando claramente em cadeia de rádio e tv a realocação dos recursos.  

altamiro souza

- 2014-11-08 13:32:49

pluralidade. da

pluralidade. da informação.

como conseguir, depende desses moovimentos sociais, sempre demonizados pela grande mídia.

isso caracteriza a luta de classes.

a hegemonia  é dos grandes meios - esses ditos golpistas.

a internet tenta equilibrar a disputa.

mas a disputa depende tb das instituições como o judiciário e

o congresso, pois o que se deseja  - o míinimo -

é o cumprimento da consitituição, segundo ]á

disse o ex-ministro franklin martins.

essa inserção na esfera internacional ajuda a essa luta.

espero que haja repercussão pelo menos na internet!!!

josé adailton

- 2014-11-08 13:13:27

Democratização

Democratização da mídia, nos moldes que os mais exaltados pretendem implantar no Brasil, faz lembrar a antiga Alemanha do leste(República Democrática da Alemanha). Atualmente temos a imprensa democrática do poder econômico .Mudaremos para imprensa democrática do poder político.Tudo de bom para o alto comissariado.

hilario muylaert da silva lima

- 2014-11-08 12:53:53

Mídia

Falou tudo, Jane.

Dilma, comece o ajuste fiscal ( pequeno ), diminuindo a verba de publicidade destinada aos barões da mídia. Simples.

A partir daí, a relação mudará.

A quantidade estimada de 260 parlamentares federais detentores de concessões de rádio e TV dificultará muito aprovação da regulação econômica da mídia.

Outra via: acelerar a implantação do PNBL ( banda larga ), com consequências diretas no faturamento da mídia tradicional.

E quanto à Veja......corta logo uns 90% da verba publicitária, e processo em cima ..........

 

 

 

Jane Pita de Souza

- 2014-11-08 12:36:41

MÍDIA

Acordem, minha gente !
Ganhamos a eleição POR UM TRIZ !
Foi por pouco, muito pouco !
Procurem imaginar o que estaria acontecendo com os petistas, com a imagem do PT, com a imagem de Dilma e Lula, se ELES tivessem ganho as eleições.
Imaginem a quantidade de piadas, de ridicularização, de desmoralização que esses entes estariam sofrendo e sofreriam nos próximos 4 anos.
Imaginem o que esses caras estariam aprontando com os programas humorísticos prá cima de nós.
Imaginem a campanha de desmoralização que seria desencadeada contra tudo que fosse ligado ao governo do PT
Arrisco a dizer que a campanha seria tão grande que até petistas se convenceriam de que "PT NUNCA MAIS " seria a coisa mais natural.
O partido iria desaparecer !
Lula e Dilma estariam em apuros seríssimos, correndo risco de prisão e total desmoralização.
Os PT e aliados teem que rever seus modos de lidar com essa gente.
Estamos lidando com um MONSTRO PODEROSÍSSIMO, SORRATEIRO, PACIENTE E TRAIÇOEIRO.
Menos ingenuidade, pelo amor de Deus !
Eles não são de brincadeira !
Eles trabalham com anos de antecedência e o PT tem de agir assim tambem.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador