No reino do Fake News, da Duquesa de Alba ao fim da recessão, por André Araújo

aa_060317.jpg
 
Por André Araújo
 
Cayetana Fitz James Stuart, a lendária Duquesa de Alba, morreu em novembro de 2014, um personagem único na vida social de Espanha. Casou três vezes, a última com um homem que poderia ser seu filho, usava biquíni aos 80 anos, dançava flamenco nas ruas de Sevilha. Tinha 46 títulos de nobreza e era a maior proprietária de terras da Espanha, mais nobre que a Familia Real dos Bourbons espanhóis, dinastia muito mais nova que a dela. 
 
A Duquesa tinha dois Palácios fabulosos, o de Leiria no centro de Madrid e o de Las Duenas em Sevilha, este era sua residência preferida.
 
O governo andalus sempre a pressionou para abrir o Las Duenas para visitação pública, mas a Duquesa enquanto lá morava não aceitou, não queria ser perturbada. Com sua morte a família, através da Fundación Alba, fez um acordo com o governo e recebeu isenção de impostos ao transformar o Palácio em museu. 
 
O Las Duenas está na família Alba desde o ano de 1.484, mas a construção remonta ao Século XIII, é um Palácio em estilo gótico-mouro com grandes pátios e magníficos salões.

 
A coleção de obra de artes e antiguidades é impressionante, são 1.425 peças em quadros, tapeçarias, móveis, estatuaria, armaduras, prataria, a coleção pela Lei espanhola NÃO pode ser vendida e nem desmembrada, tem que se manter una como conjunto. 
 
Portanto, a notícia da venda do Palácio com a coleção de arte em “porteira fechada”, assim saiu na notícia do blog de Hildegard Angel, não só é falsa como é inverossímil, o Palácio não só nunca esteve a venda como não pode ser vendido em “porteira fechada”, transação feita por um corretor português, segundo a  “notícia”  que saiu em muitos blogs, reproduzindo o blog da Hildegard Angel, o que mostra a facilidade de disseminação de fake news.
 
Outro “fake news” é a notícia bombardeada em certos canais de mídia sobre o “fim da recessão” e a retomada do crescimento. Não há o mais remoto sinal dessa ocorrência porque:
 
1.O fim de um ciclo recessivo se dá por sinais FIRMES E CONTINUADOS, mesmo que modestos, de recuperação da atividade econômica, não é apenas algum sinalzinho de um mês para outro.
 
2.A taxa de juros REAL E NOMINAL na ponta da pessoa física e das empresas NÃO CAIU, apesar da queda da Selic.
 
3.O primeiro GRANDE SINAL de aumento da atividade econômica é a ALTA DA INFLAÇÃO por maior demanda de bens e serviços e NÃO A BAIXA DA INFLAÇÃO, esta que está ocorrendo e é CAUSADA PELA FALTA DE PODER DE COMPRA.
 
A alta da inflação é o grande indicador que os bancos centrais apuram como sinal de crescimento e incremento da atividade.
 
4. O investimento estrangeiro que entra e faz subir a bolsa é para compra de ações que estão muito baratas por causa da recessão, é um sinal de ativos e empresas no Brasil estão sendo comprados porque estão em liquidação, na bacia das almas, xepa de feira. Não está entrando investimento estrangeiro para NOVOS PROJETOS E EMPREENDIMENTOS, só para compra de de bens já existentes e isso não gera emprego algum.
 
5.Finalmente, não há sinal algum, nem mínimo, de diminuição do desemprego.
 
“Fim da recessão” de um mês para outro, mas em que manual de economia isso existe?
 
Fake news são notícias inventadas e postas em circulação para criar “verdades virtuais” em pessoas sem capacidade de compreensão de fatos reais, suas causas e circunstâncias. Parece que é uma nova tendência de nossa neo civilização.
 
0gif-tarja-mensagens.jpg
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora