O cabelo do padre

Por Marco Antonio

Caro Nassif:

Ouvi o Pe. Fábio de Melo dizer sobre o que certa imprensa anda fazendo com ele, dizendo que em seus shows só vão mulheres histéricas que ficam gritando todo o tempo “gostoso”, e coisas do gênero. Mas uma coisa me chamou a atenção: falou que um veículo de comunicação fez luzes (com photoshop é claro) no cabelo dele, coisa que nunca fez na vida. É um instrumento para desqualificar uma pessoa, principalmente um padre.

Conhecendo a Veja fui no site. Não deu outra. A reportagem sobre “musica da fé”, que abre com ele, tá lá ele com o cabelo de “luzes”.

Cantar com fé

O padre Fábio de Melo, que exibe um vistoso relógio Diesel no pulso, não gosta de ser fotografado com as mãos em posição de prece. “É piegas”, diz. Vindo de uma congregação liberal, a Sagrado Coração de Jesus, Melo manifesta sem medo um dos pecados capitais – a vaidade. Usa calças justas, tem sobrancelhas delineadas e, ainda que não admita em público, já se submeteu a picadas de Botox para remover rugas da testa e dos olhos. Seus cabelos, provavelmente por inspiração do Espírito Santo, emitem reflexos dourados. Apesar disso, rechaça a imagem de padre galã. “Quando as fãs vêm com histeria, logo corto. Não vou acender fogueiras que não posso apagar”, diz

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora