Os 11 princípios de Goebbels e o caso brasileiro

Enviado por ocator

Comentário ao post “Por um PGR que respeite o Ministério Público

Conhece Joseph Goebbels, o violento ministro de propaganda de Hitler? Estes são os 11 princípios que levaram o povo alemão a tentar exterminar à humanidade:

1.- Principio da simplificação e do inimigo único.

Simplifique não diversifique, escolha um inimigo por vez. Ignore o que os outros fazem concentre-se em um até acabar com ele.

2.-Princípio do contágio

Divulgue a capacidade de contágio que este inimigo tem.  Colocar um antes perfeito e mostrar como o presente e o futuro estão sendo contaminados por este inimigo.

3.-Princípio da Transposição

Transladar todos os males sociais a este inimigo.

4.-Princípio da Exageração e desfiguração

Exagerar as más noticias até desfigurá-las transformando um delito em mil delitos criando assim um clima de profunda insegurança e temor. “O que nos acontecerá?”

5.-Princípio da Vulgarização

Transforma tudo numa coisa torpe e de má índole. As ações do inimigo são vulgares, ordinárias, fáceis de descobrir.

6.-Princípio da Orquestração

Fazer ressonar os boatos até se transformarem em noticias sendo estas replicadas pela “imprensa  oficial’.

7.-Principio da Renovação

Sempre há que bombardear com novas notícias (sobre o inimigo escolhido) para que o receptor não tenha tempo de pensar, pois está sufocado por elas.

8.-Princípio do Verossímil

Discutir a informação com diversas interpretações de especialistas, mas todas em contra do inimigo escolhido. O objetivo deste debate é que o receptor, não perceba que o assunto interpretado não é verdadeiro.

Leia também:  Censura e intimidação: Damares denuncia revista que divulga dados públicos sobre aborto

9.-Principio do Silêncio.

Ocultar toda a informação que não seja conveniente.

10.-Principio da Transferência

Potencializar um fato presente com um fato passado. Sempre que se noticia um fato se acresce com um fato que tenha acontecido antes

11.-Princípio de Unanimidade

Busca convergência em assuntos de interesse geral  apoderando-se do sentimento  produzido por estes e colocá-los em contra do inimigo escolhido.

Qualquer semelhança com as práticas do PIG é pura coincidência….

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. Tomei conhecimento dos onze

    Tomei conhecimento dos onze “mandamentos” de Goebbels há algum tempo e venho tentando divulgar também. Mórbida semelhança com o que anda acontecendo atualmente no Brasil e até mesmo em outros lugares, como a Venezuela, por exemplo.

  2. FHC sabe bem os efeitos

    FHC sabe bem os efeitos desses princípios nesses últimos 12 anos de ataques. Afinal, a “regra de ouro” continua sendo: acusar no adversário nossas “estratégias”…

  3. Sim
    Sinuca!
    O pior que o PT e nem LULA acreditam.
    A pobre da Dilma ainda foi ate a folha estender a mao, hoje esta assim. Acreditem esta eh a realudade do PIG.
    Do Judiciario e o MPF. E o congresso passou a tocar na banda e fazendo canto.
    As culpas nao sao da historia brasileira, da casa grande, mais da senzala que tem o poder. A economia tem que ser terra devastada. Pobre tem que ser pobre.
    Nao pode e este eh o inimigo numero um. PT e Lula.
    PT, Lula e Dilma com desigualdade e sem educacao pode.

  4. Joseph Goebbels frente aos

    Joseph Goebbels frente aos “princípios” que norteiam as quatro “grandes irmãs” seria considerado um simplório. 

    Na redação da VEJA, por exemplo, talvez conseguisse uma vaga de estagiário. Ou seja, teria que suar muito a camisa para chegar ao nível dos demais. 

    E não devemos esquecer de fazer uma importante diferenciação: Goebbels servia a uma ditadura sanguinária e genocida que enfeixava toda a informação. Não existia imprensa livre nem liberdade de expressão. Fazia valer essa condição para destruir a reputação de inimigos políticos, judeus e minorias. Ou seja, o contexto era de absoluta excepcionalidade. 

    O que temos aqui é bem diferente: uma democracia plena, com liberdade de expressão e imprensa inquestionável, mas em compensação com uma mídia oligopolizada e totalmente aética que se vale do seu poder para impor seus interesses políticos-ideológicos-econômicos. 

  5. Não é preciso ir à Alemanha

    Não é preciso ir à Alemanha de Goebbels para encontrar estes princípios, muitos deles  foram extraídos da História do Império Romano e chegaram ao Brasil com os colonos portugueses:

    1.- Principio da simplificação e do inimigo único.

    Os romanos chamavam de “bárbaros” todos os povos que viviam nas “terras incógnitas” (além das fronteiras). Eles eram desprezados e, desde Políbio, deveriam ser civilizados, romanizados por Roma. 

    Cá chegaram uns colonos portugueses que descendiam de tribos lusitanas reduzidas à submissão por Roma que foram se misturando aos soldados romanos enviados para a Lusitânia. Eles tratavam centenas de povos por “índios”, muito embora não estivessem na Índia. Os costumes destes povos eram desprezados, as diferenças entre eles eram irrelevantes. Como os “bárbaros” europeus 15 séculos antes, os “índios” deveriam ser submetidos, civilizados ou exterminados.

    2.-Princípio do contágio

    Os romanos temiam o contato com os “bárbaros” e só se sentiam seguros quando eles eram romanizados. Os colonos portugueses detestavam os “índios” e muitos dos seus descendentes, que tem ancestrais indígenas, seguem odiando o “índio” que não aceita a civilização brasílica.

    3.-Princípio da Transposição

    Transladar todos os males sociais a este inimigo. O mal não estava no fato de Roma matar e escravizar os “bárbaros” e sim no fato deles colocarem em risco a civilização romana. O mal não estava na colonização ou nos colonos portugueses e sim nos habitantes originais de Pindorama.

    4.-Princípio da Exageração e desfiguração

    Se um bárbaro matava um romano isto era um genocídio que justificava genocídios. Se um índio matava um colono toda a tribo merecia ser exterminada. Foi o que ocorreu com os Caetés que devoraram Dom Pero Fernandes Sardinha. 

    5.-Princípio da Vulgarização

    É perceptível a forma diferente como Tito Lívio trata os romanos e seus contrários. Os cartagineses, por exemplo, são descritos como “pérfidos”, “incivilizados”, “sedentos por sangue e ouro”, ao passo que os romanos defendem os direitos de Roma e propagam a civilização romana e foram injustamente combatidos. A guerra foi declarada por Cartago e não por Roma, muito embora Sagunto (cidade cuja disputa acarretou a II Guerra Púnica) estivesse em território cartaginês e não romano.

    O mesmo padrão pode ser visto nas crônicas antigas. Os pobres colonos são descritos como vítimas de índios bravios que montavam emboscadas, utilizavam flechas envenenadas e queimavam pimenta para envenenar o ar que os civilizados respiravam antes de atacar.  

    6.-Princípio da Orquestração

    Os romanos eram especialistas em divulgar boatos para justificar o recrutamento de exércitos entre os plebeus. Os portugueses que cá chegaram faziam o mesmo para recrutar tropas auxiliares entre os índios.

    7.-Principio da Renovação

    Julio Cesar sempre usou despachar correios para Roma a fim de que seus feitos na Gália e na Espanha fossem conhecidos e louvados. Os comunicados sempre davam conta da magnanimidade de César e das dificuldades que ele encontrava para submeter a Gália e a Espanha à Roma. Os portugueses também tinham seus correios e intensificavam as notícias sobre índios bravios e negros fugidos para justificar expedições punitivas a fim de conquistar territórios desejados.

    8.-Princípio do Verossímil

    Os pares perfeitos de opostos são uma constante do processo de civilização de matriz romana que cá chegou com os colonos portugueses:

    Romano = civilização = verdade // Bárbaro = incivilização = perfídia/falsificação

    Colono = civilização = verdade // Índio = incivilização = perfídia/falsificação

    9.-Principio do Silêncio.

    Ocultar toda a informação que não seja conveniente. Roma ocultava os males do vinho quando introduzia o produto nas tribos que desejavam viciar e submeter. Os colonos ocultavam os males da cachaça que distribuíam fartamente entre os índios e os negros para mantê-los cativos ou dependentes.

    10.-Principio da Transferência

    Potencializar um fato presente com um fato passado. Sempre que se noticia um fato se acresce com um fato que tenha acontecido antes. As agressões sofridas por Roma sempre justificaram as novas guerras romanas. As agressões sofridas pelos colonos sempre justificavam as novas agressões contra novos índios.

    11.-Princípio de Unanimidade

    Este é o único princípio moderno que pode ser atribuído a Goebbels, pois para Roma e para Portugal a unanimidade diante do “bárbaro” e do “índio” só podia ser conseguida mediante a submissão ou extermínio. 

     

     

    O PIG não é um produto tardio importado da Alemanha Nazista. Ele foi construído a partir das referências culturais entranhadas na própria História do Brasil. Ignorar sua origem brasílica é parte do problema, pois não se pode destruir algo que não é reconhecido como próprio da nossa identidade cultural. 

  6. goebbelianas

    Fala sério, ocator!

    Zé Goebbels é ídolo inconfessável de gregos e baianos.

    De frente, de costas ou de ladinho, a mentira é prática ampla, geral e irrestrita.

    Dou exemplo: mesmo quando a Operação Tufão – tentativa de conquistar Moscou – e a Batalha de Stalingrado iam de mal a pior, vira e mexe, Zezinho soltava um Sondermeldungen auspicioso pra alimentar o front interno. Nesse sentido, convenhamos que a campanha eleitoral de Dilma “171” Rousseff foi, por assim dizer, plenamente goebbeliana.

    Recentemente, Lula até cobrou de Dilma uns Sondermeldungen tipo Goebbels pra engambelar a galera e ver se dá pra empurrar com a barriga até 2018.

    Pois é.

    Já cantava Sérgio Sampaio:

    “o que eles falam não se deve nem ouvir

    verbo mentir

    menino é bom ficar de olho aí”

  7. Sou simplório..

    e pra mim o Casoy, o Waak, Catanhêde, Datena, Alexandre Garcia, Luciano Huck e o Bonner têm cara e trejeitos de nazistas… da óia não dá nem pra falr mais, é mais nazi-fascista que qualquer coisa.

    Desde 1989, quando levaram o primeiro susto e tiveram que melar a eleição pra evitar o Lula no Planalto, eles do PIG usam e abusam desses princípios, a prova cabal disso é o verdadeiro exército de zumbis que conseguiram seduzir e convencer; de 2003 pra cá essa cartilha nazista de manipulação e recrutamento faz parte de todos os manuais de redação desde o PROJAC até o post-script desses senhores e senhoras.

  8. semelhanças

    Globo e Goebbels: a semelhança, evidentemente, não é mera coincidência. A Globo é a cara e a alma de Goebbels. 

  9. Por coincidência, comecei a ler h

    Apoiando Hitler. – conhecimento e coerção da Alemanha nazista do  excelente prof.Robert Gellately, lembra bem a manipulação consistente e persistente da mídia  brasileira, incitando dia a dia o ódio no povo não politizado contra o PT 

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome