Pepe Escobar: Míssil de Putin?

Enviado por Adriano S. Ribeiro

Pepe Escobar: Míssil de Putin?

Eis o veredicto da boataria de guerra: a mais recente tragédia da Malaysian Airlines  (a segunda em quatro meses) é “terrorismo” perpetrado por “separatistas pró-Rússia” armados pela Rússia, e Putin é o principal culpado. Acabou-se a história. Quem tenha ideia diferente dessa, que cale a boca.

Por quê? Porque sim. Porque a CIA disse. Porque a Hilária “Nós viemos, nós vimos, ele morreu” Clinton disse. Porque a doida Samantha ‘Responsabilidade de Bombardear para Proteger’  Power disse – trovejando na ONU, tudo devidamente impresso[1] pelo Washington Post infestado de neoconservadores. 

Porque a empresa-imprensa anglo-americana – da CNN à Fox (que tentou comprar a Time Warner, que pertence à CNN) – disse. Porque o Presidente dos EUA (PEUA) disse. E principalmente, sobretudo, porque Kiev vociferou, em primeiro lugar. 

E lá estavam todos eles, em fila – as resmas de invariavelmente histéricos ‘especialistas’ da ‘comunidade de inteligência dos EUA’ literalmente espumando pela boca contra a maléfica Rússia, o ainda mais maléfico Putin; os ‘especialistas’ de inteligência, aqueles, que não viram um comboio de coruscantes picapes Toyota brancas atravessando o deserto iraquiano para tomar Mosul. Esses, aliás, já sentenciaram: ninguém mais precisa examinar prova alguma. Nada e nada. O mistério do voo MH17 está resolvido. 

Pouco importa que o presidente Putin tenha dito que a tragédia do MH17 ainda tem de ser investigada objetivamente. E “objetivamente”, é claro, não inclui aquela “comunidade internacional” ficcional que Washington concebeu – aquela congregação de vassalos/sabujos curváveis. 

E sobre Carlos?! 
Pesquisa rápida[2] já mostra que o voo MH17 estava deslocado, 200km para o norte, distante da rota habitual da Malaysian Airlinesnos dias anteriores – dirigido bem para o centro de uma zona de guerra. Por quê? Que tipo de comunicação o MH17 recebeu da torre de controle aéreo de Kiev? 

Kiev não disse uma palavra sobre isso. Mas a resposta seria simples, se Kiev tivesse distribuído as gravações dos contatos entre a torre e o voo MH17; a Malaysia distribuiu exatamente essas gravações, depois que o voo MH370 desapareceu para sempre. 

Essas gravações nunca aparecerão. O serviço secreto da Ucrânia (SBU) confiscou essas gravações. Sem elas, não há como saber por que o voo MH17 estava fora da rota e o que os pilotos disseram antes da explosão. 

O ministro da Defesa da Rússia, por sua vez, confirmou que  havia uma bateria Buk antiaérea controlada por Kiev e operacional, próxima da área onde caiu o MH17. Kiev havia distribuído vários sistemas de mísseis Buk terra-ar, com pelo menos 27 lançadores; todos perfeitamente capazes de derrubar jatos a 33 mil pés de altura. 

Militares russos detectaram radiação de um radar Kupol, como parte de uma bateria Buk-M1 perto de Styla [vila ao sul, a cerca de 30 km de Donetsk]. Segundo o ministério, o radar poderia estar transmitindo informações de rastreamento para outra bateria que estava a distância de tiro da rota do voo MH17. 

O radar de um sistema Buk rastreia um máximo de 80km. O MH17voava à velocidade de 500mph. Assim, assumindo-se que os ‘rebeldes’ teriam um Buk operacional e o usaram, não teriam mais de cinco minutos para rastrear todo o céu acima deles, todas as altitudes possíveis, e fazer a mira. Naquele momento, saberiam que nenhum cargueiro poderia voar naquela altitude. 

Em http://slavyangrad.wordpress.com/2014/07/18/breaking-part-ii-evidence-continues-to-emerge-mh17-is-a-false-flag-operation/ encontram-se muitas evidências que apoiam a hipótese de que tenha sido atentado forjado sob falsa bandeira. 

E há também a história, mais estranha a cada minuto que passa, deCarlos, espanhol, controlador de tráfego aéreo de serviço na torre de Kiev, que estava acompanhando o voo MH17 em tempo real. Para muitos, Carlos é personagem real e autêntico, não é forjado; para outros, nunca nem trabalhou na Ucrânia. Fato é que tuitou feito doido. Sua conta na empresa Tweeter foi apagada – não por acaso –, e ele sumiu. Seus amigos estão agora desesperadamente à sua procura. Ainda consegui ler todos os tuítos dele, em espanhol, enquanto a conta ainda estava ativa. Agora, já se encontram cópias das mensagens que distribuiu e traduções para o inglês. 

Aqui, reproduzo alguns dos tuítos mais importantes: 

B777 estava escoltado por dois jatos ucranianos de combate minutos antes de desaparecer do radar (5.48pm)” 

Se as autoridades em Kiev querem admitir a verdade, dois jatos de combate voavam muito perto minutos antes do incidente, mas não derrubaram a aeronave (5.54)” 

Imediatamente depois de o B777 da Malaysia Airlines desaparecer, autoridades militares de Kiev nos informaram sobre o avião derrubado. Como sabiam? (6.00)” 

Tudo foi gravado no radar. Para os que não acreditem: foi derrubado por Kiev; nós sabemos aqui [na torre de controle] e o controle militar do tráfego aéreo também sabe (7.14)” 

O Ministério do Interior sabia que havia aviões de combate na área, mas o Ministério da Defesa não (7.15)” 

Os militares confirmaram que foi a Ucrânia, mas não se sabe de onde veio a ordem (7.31)” 

A avaliação de Carlos (lê-se compilação parcial de seus tuítos emhttp://slavyangrad.wordpress.com/2014/07/18/spanish-air-controller-kiev-borispol-airport-ukraine-military-shot-down-boeing-mh17/) é bem clara: o míssil foi lançado por militares ucranianos por ordem do ministério do Interior – NÃO do Ministério da Defesa. Assuntos de segurança, no ministério do Interior estão sob comando de Andrey Paruby, que trabalhava bem perto dos neoconservadores dos EUA e dos neonazistas do Banderastão na praça Maidan. 

Assumindo-se que Carlos exista e seja quem diz ser, sua avaliação faz perfeito sentido,. Os militares ucranianos estão divididos entre o rei do chocolate [presidente Petro] Poroshenko – que quer uma détentecom a Rússia, essencialmente para promover os interesses sombrios dos próprios negócios – e Santa Yulia Tymoshenko, que é bem conhecida por pregar o genocício dos russos étnicos no leste da Ucrânia. 

Neoconservadores e ‘conselheiros militares’ dos EUA em campo na Ucrânia, como já se sabe, estão subindo as apostas, apoiando simultaneamente os grupos de Poroshenko e de Tymoshenko. 

Assim sendo… a quem interessa?[3] 

A questão chave permanece, é claro: cui bono? Só descerebrados terminais acreditariam que derrubar um avião de passageiros beneficiaria os federalistas no leste da Ucrânia, para nem pensar no Kremlin, que absolutamente nada teria a ganhar. 

Quanto a Kiev, teriam os meios, o motivo e a janela de oportunidade – especialmente depois que os neofascistas de Kiev foram efetivamente derrotados  e já estavam em retirada no Donbass. E isso depois que Kiev insistiu em bombardear a população do leste da Ucrânia, mesmo de longe e de cima. Não surpreende que os federalistas tivessem de se defender. 

E há também o timing, muito muito suspeito. A tragédia do MH17acontece dois dias depois de os BRICS anunciarem o antídoto contra o FMI e o Banco Mundial, deixando ao largo, longe, o dólar norte-americano. E exatamente quando Israel avança ‘cautelosamente’ em sua nova invasão/limpeza étnica em câmera lenta, em Gaza. A Malásia, por falar nisso, é sede da Comissão de Crimes de GuerraKuala Lumpur – comissão que condenou Israel por crimes contra a humanidade. 

Washington, é claro, sim, se beneficia. O que o Império do Caos consegue, nesse caso, é um cessar-fogo (e as gangues neonazistas de Kiev, que estão sendo fragorosamente derrotadas, poderão ser reabastecidas); ganham novo alento para a campanha de demonizar os ucranianos do leste como ‘terroristas’ (como Kiev, ao estilo Dick Cheney, sempre quis); e passam a lançar quantidades ilimitadas de lama sobre a Rússia e, especialmente, sobre Putin, até se acabar o mundo. Não é pouco ganho, para servicinho de minutos. Quanto à OTAN… É Natal em julho. 

Daqui em diante, tudo depende da inteligência russa. Já estavam vigiando e rastreando tudo que acontecia na Ucrânia, 24 horas por dia, sete dias por semana. Nas próximas 72 horas, depois de examinar os muitos dados de rastreamento, com telemetria, radar e rastreamento por satélite, os russos saberão exatamente que tipo de míssil foi lançado, de onde, e terão também as comunicações da bateria que lançou o míssil. E terão acesso a todas as provas recolhidas na cena do crime. 

Diferente de Washington – que sempre já sabe tudo antes, mesmo sem investigar nada (lembram-se do 11/9?) – Moscou precisa de tempo para obter os fatos jornalísticos básicos (o quê, onde, quem?) e começar a trabalhar para provar a verdade e/ou desmentir a boataria distribuída por Washington. 

Os registros históricos mostram que Washington simplesmente ocultará todas as informações, se comprovarem que seus vassalos em Kiev lançaram um míssil contra avião de passageiros. Os dados de realidade podem apontar para bomba plantada no MH17, ou falha mecânica – embora pareça hoje explicação improvável. Se foi erro terrível cometido pelos rebeldes da Novorrússia, Moscou terá de admitir, relutantemente, que seja. Se foi Kiev, Moscou divulgará e comprovará imediatamente. Aconteça o que acontecer, só há, de garantida, a resposta ocidental histérica de sempre. Foi a Rússia. A culpa é da Rússia. 

Putin está mais que certo ao dizer que essa tragédia não teria acontecido se Poroshenko tivesse aceito uma extensão do cessar-fogo, como Merkel, Hollande e Putin tentaram convencê-lo a aceitar, no final de junho. No mínimo, para começar, Kiev já é culpada pelas mortes, porque o governo de Kiev é responsável pela segurança dos voos no espaço aéreo sob seu (teórico, que seja) controle. 

Mas tudo se vai esquecendo nas brumas da guerra, tragédia e boataria. Sobre as declarações histéricas de Washington, e sua autoproclamada credibilidade, deixo aqui apenas um número: Iran Air 655.[4]

[1] http://www.washingtonpost.com/world/missile-downs-malaysia-airlines-plane-over-ukraine-killing-298-kiev-blames-rebels/2014/07/18/d30205c8-0e4a-11e4-8c9a-923ecc0c7d23_story.html

[2] http://pt.flightaware.com/live/flight/MAS17/history/20140717/1000Z/EHAM/WMKK

[3] Sobre ‘quem ganha’, leitura imperdível é: “Sobre perspectivas políticas da Novorússia”, Blog colonelcassad.eng (orig. russo, trad. do ing. emhttp://redecastorphoto.blogspot.com.br/2014/07/sobre-perspectivas-politicas-da.html [NTs])

[4] Iran Air 655. O dia em que os EUA mataram 290 civis inocentes. 2/7/2012, Samy Adghirni, Folha de S.Paulo: “Um dos mais polêmicos ataques americanos contra civis inocentes ocorreu há exatos 24 anos, no calor da guerra entre o Irã do então aiatolá Khomeini e o Iraque do ditador Saddam Hussein, aliado de Washington. Na manhã de 3/7/1988, um navio de guerra dos EUA disparou dois mísseis contra um Airbus A300 da Iran Air, matando na hora as 290 pessoas a bordo, incluindo 66 crianças. Entre as vítimas havia cidadãos de Irã, Índia e Itália, dentre outros países (mais emhttp://samyadghirni.blogfolha.uol.com.br/2012/07/02/o-dia-em-que-os-eua-mataram-290-civis-iranianos/ [NTs]).

19/7/2014, Pepe Escobar, RT
http://rt.com/op-edge/174088-was-it-putin-missile/#.U8qi9BK_j6E.facebook

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

36 comentários

  1. Não duvido que tenham sido os

    Não duvido que tenham sido os aliados de Moscou, como também não duvido que tenham sido os aliados de Washington. Ninguém ali é santo. E as respectivas “comunidades de informações” estão pulando de alegria com essa reedição fake da Guerra Fria.

    Em todo caso, é muito cedo para responsabilizar esse ou aquele, mas é claro que todo mundo quer se aproveitar da tragédia para obter dividendos políticos.

  2. Interessante que uma

    Interessante que uma investigação de um acidente aéreo “normal” pode levar meses. Imagine um caso como esse então, onde existe a grande possibilidade do avião ter sido derrubado e com tantos interesses conflitantes em jogo.

    Mesmo assim, poucos dias depois, a Veja já sabe que a culpa é de Putin. Qualquer semelhança com o caso da TAM é mera coincidência.

  3. A VEJA é patética. Se não

    A VEJA é patética. Se não fosse as assinaturas patrocinadas pelos governos tucanos há tempos teria fechado as portas. Se fosse um humano, estaria naquele estágio de confinamento numa Cela e jogando excrementos nas paredes.

  4. O Putin vai montar uma

    O Putin vai montar uma comissão com chineses, cubanos e populares da Criméia para investigar a queda do avião e declarar os EUA oficialmente culpado…

  5. Os russos, para desgosto dos

    Os russos, para desgosto dos americanos, terão todo acesso às provas desta tragédia. Se vierem com fatos incontestáveis e técnicos, (porque se não forem a mídia vai tratar de desprezar tudo), os nazi-ucrano-americanos poderão ser flagrados nus e com o dedo no gatilho mais uma vez. Ainda que a imprensa “mainstream” jamais assuma isso.  Excessão, é claro, se ficar provado a culpa dos rebeldes pró-Russia.

    Respondendo ao famoso “quem ganha com isso?”. Não resta dúvida até agora que foram os Ucranianos Pró-Europa e seus comparsas Nazis e o governo de Israel.  Ou por oportunismo ou por planejamento.

    Agora é aguardar os próximos capitulos.

     

  6. Veja Cia

    O livro – Legado de Cinzas, Tim Weiner  – Record – apresenta a história da CIA (EUA) com farta documentação, entrevistas de diretores e agentes,  enumerando as centenas de golpes que a agência patrocinou e executou atendendo os interesses das empresas daquele país nas várias nações do mundo todo nos últimos 50 anos. Tem o capitulo Brasil, claro.

    Os golpes patrocinados, assassinatos de líderes, são assuntos recorrentes…  O autor, jornalista, acompanhou a história da agência desde seu início.

    Em praticamente todos estes países, um dos esteios dessa organização são canais de TV, revistas e jornais que influencia ou que controla diretamente através de seus testas de ferro nacionais.      

    É leitura imperdível para quem quer saber dos “bastidores” de quase toda a história da segunda metade do séc. XX em diante. É massacrante, tem que ter “estômago”.

  7. Engraçado ?

    QUE ENGRAÇADO !

     

    Às vezes vejo aqui no blog algumas afirmações estranhas sendo sustentadas. Mais ou menos assim:

    1 –  devemos acreditar mais na mídia, pois ela tem “controles” e é “fiscalizada”;

    2 – na blogosfera tem muitos aventureiros;

    3 – Putin é o demônio encarnado;

    4 – a Junta de Kiev e o “Rei do Chocolate” não são fascistas;

    5 – o Setor Direita é uma agremiação de recreação;

    6 – não, nunca, jamais, não, os norte-americanos não têm responsabilidade alguma pela situação atual na Ucrânia, mesmo depois de Nuland ter reconhecido que os EUA despejaram US$ 5 bi em agremiações de recreação, do tipo Setor Direita, pois, afinal, são só agremiações de recreação;

    7 – não, o fato de as ditas agremiações estarem se divertindo no leste da Ucrânia não deve mesmo ser retratado pela mídia e nós não devemos lamentar, tanto essa omissão (que bom que somos protegidos de certas cenas, não?) quanto o destino dos “subhumanos” (a classificação, diz-se, é cortesia de Yats, mas corre que é muito comum na boca do pessoal do Setor Direita) que estão sofrendo a diversão, com vídeos e fotos circulando, pois o que interessa mesmo é que já foi feito um acordo entre os Oligarcas e Putin para preservar a economia, que é o que interessa…. 

    8 – não, nunca os EUA pretenderiam afastar UE da Rússia, pois eles sabem que a produção econômica da UE depende do gás russo;

    9 – não, nunca os EUA teriam interesse em afastar a UE da Rússia, pois isso atingiria a produção da UE e, por conseguinte, o euro, afinal de contas os EUA sempre foram muito responsáveis e com certeza não precisam dessa ajuda para lidar com os problemas do dólar;

    10 – não, o fundo de contingência e o Banco dos BRICS não são nada e não agravam as preocupações americanas quanto ao concorrente euro e seu combalido dólar;

    11 – não, os EUA não teriam interesse nessa nova cortina de ferro, mesmo que ela facilitasse aquele outro tratado que está sendo negociado secretamente (o povo jamais deveria saber de uma coisa dessas, que pouco lhe interessa), para o comércio interatlântico, que muito beneficiaria as grandes corporações norte-americanas;

    12 – não, nunca, os EUA nunca pretenderiam ver instalada uma nova cortina de ferro, mesmo que ela ajudasse a afastar a união da Alemanha (por extensão a europa ocidental, com exceção da ilha), da Rússia (leia-se, união eurasiana) e da China, num pesadelo à la Mackinder; 

    Então, nessa história toda de avião sendo derrubado, cui bono ?

    14 – com CERTEZA aos “terroristas”  e separatistas (não, eles não são legalistas por defenderem aquele govenro que foi eleito), que são objeto de uma ação “antiterrorista” de Kiev e, claro, também o Putin e a Rússia são culpados;

    Mas por qual motivo ?

    15 – Ah, os separatistas se beneficariam de uma propaganda FAVORÁVEL da mídia de massa, muito responsável, porque (lembram?) ela é fiscalizada, viu ?;

    16 – A Rússia ? Não o Putin é o demônio e ele faria isso mesmo se a consequência contrariasse todos os interesses da Rússia.

    17 – mas melhor mesmo é ficar acompanhado o (excelente) desempenho econômico do México depois que passou a ser um Estado responsável e adotou os ditames neoliberais, tendo alcançado um avanço tremendo com o NAFTA e a também ótima Aliança do Pacífico;

    18 – sem nos esquecermos de tratar de um assunto politicamente muito relevante, mesmo sendo ele predominantemente da esfera privada. Sabe como é, a gente precisa de diversão e controvérsia.

    Vem cá ? O Aécio não defende a volta das negociações da ALCA ?

     

  8. A cada dia que passa a Abril

    A cada dia que passa a Abril -entende-se revista “Veja –

    vai se afundando.Esse alinhamento irrestrito aos   EUA

    da bem a ideia do porque da seletividade de informações

    e manipulação da mesma.”Veja naõ tem compromisso com

    a verdade, seus leitores por vezes não acreditam, mas

    aceitam.

    • Revista Veja.

      A gente pensa que não mas, sempre tem alguem que acredita.

      A nossa sorte que é uma minoria.

      A midia esqueceu que, agora, a informação tem dois lados.

      Tem o ponto de vista deles tem nosso que tambem se espalha.

      Eles ainda não acordaram para isso.

      Algumas revistas ja fecharam por isso.

      Se tirar a verba oficial eles fecham.

      Deixa eles la, quanto mais eles fofocam, pior para eles

      e o povo aprende a ficar esperto.

  9. Estariam tentando desviar o foco ?

    Circulam rumores entre os correspondentes internacionais que estão cobrindo o acontecimento, em Amsterdã, de que o míssil que derrubou e vitimou quase 300 civís inocentes no mar da Ucrânia, na verdade, tinha outro objetivo: Derrubar a aeronave que transportava de volta para Moscou, o Pres. Putin, de sua visita ao Brasil, aonde desobedecendo às liturgias neo-liberais dos países ocidentais, ele assinara diversos acôrdos comenrciais, financeiros e de cooperação, com os demais países do bloco BRICS, e isso seria uma guinada de 180 graus, na já combalida economis norte-americana e de seus aliados, daí a tentativa de eliminar um dos mais destemidos líderes mundiais, que está revolucionando a ordem economica mundial, ao lado de outras nações, ora em processo de “libertação” do jugo yanque.

    Só que o tiro atingiu os pés dos atiradores, e agora restam-lhes, espalhar “merda” no ventilador.

  10. E é nessa merda de imprensa

    E é nessa merda de imprensa que os vira-latas votam! Eles defendem o USA com unhas e muita grana enviada a eles pelo país que está falindo, USA, e de olho nas nossas riquezas atuais. Não olho, faz mtempo, nenhum jornal televisivo, mas o waack deve ser mesmo o informante dos estados unidos da américa.. É um traidor “moderno”, porque não precisa de disfarce para trair o seu país em favor do USA. ´E ser muito vagabundo mesmo.

  11. Palestinos

    Sinceramente, os americnaos derramam láginas pelos 298 civis mortos na Ucrania mas fecham os olhos para os milhares de palestinos mortos pelo genocídio israelita em Gaza.

    Sei que Israel está lá porque os ameriocanos fornecem armamento de dólares, mas estará a população norte americana tão entorpecida assm, como estavam os alemães nos anos 1942, que não conseguem sopesar essas duas tragédias: muita crítica para uma e eterna omissão pela outra?

     

  12. Em primeiro lugar, o errar é

    Em primeiro lugar, o errar é humano.

    Em seguno lugar, houve o erro da emprsa Malaysia Airlines saber e assumir o risco de, por economia de combustível, atravessar território estrangeiro que está em conflito militar, inclusive na defesa da soberania aérea.

    Em lugar nenhum, porém, se pode julgar o erro alheio de lutar pelo vinculo da soberania.

     

  13. Oportuno porque encobre o

    Oportuno porque encobre o genocídio na Palestina,deixa livre as mãos  dos verdugos  judeus livres para ampliarem

    o score à la Alemanha(de Hitler….).

     

  14. AO COMBATE!…

    No Brasil, para o PIG, o ônus da prova cabe ao acusado e não existe a presunção da inocência. Vale a máxima: “Você é culpado até provar o contrário”. Sendo que nessa hipótese, isto é, da prova ao  contrário, o PIG se reserva o direito, cínico, de não pedir desculpas. Na verdade, aquele modo operandis dos EUA, por meio da CIA, revelado no Livro QUEM PAGOU A CONTA?, de Francis Stoner S., contínua atuando para destruir reputações e construir representações ideológicas no interesse do campo político e econômico que eles defendem.  Para os que contestam esse posicionamento, o desafio é combate-los permanentemente. 

    • Se a causa é um míssil, a culpada com certeza é a guerra.

      A primeira pergunta para se apurar responsabilidade é: quem colocou um avião civil em rota, sobre um território em conflito, com histórico recente de fogo anti-aéreo e derubada de naves militares?

      Imagina-se que deveria haver restrições das autoridades em aviação, tanto as internacionais quanto as nacionais ucranianas, parece que as russas emitiram ordens de evitar toda Ucrânia desde o começo do conflito,  para se evitar expor aviões civis a erros que acontecem, mesmo com as mais preparadas forças militares – o que está longe de ser o caso das ucranianas e não se deve esperar de uma milícia de voluntários.

      Jabuti não sobe em árvore, alguém deve explicar por que um “jabuti” daquele tamanho voava naquela região.
       

  15.  a veja  como sempre como


     a veja  como sempre como seus especialistas e profetas em acidentes aéreos já cravou no título apenas alguns dias após a oocorrencia: é o putin, o primeiro  inimigo preferencial – eles têm tantos que semana dessas  ninguém mais lerá o o que publicam -, o que dmonstra a velha tese: danem-se os fatos, o que importa é a versão (aversão à verdade é o que a veja sempre enxerga e não os fatos)…desse jeito o jornalismo de esgoto entupirá todos os meandros e saídas democráticas….a não ser somente que a editora inteira junto com a rde globo entrem pelo cano e e aos poucos percam o que lhes resta de fôlego nesse lamaçal putrefato.

    esse esquemão foxtrotemos juntos e seu siames ciatucanático joga no lixo,além da dignidade, a teoria das probabilidades, isto é,  ciencia, no lixo….

     

  16. saiu na Veja…

    é confissão do que se pretendia, antes mesmo do acontecido…………………….

    se quem fez e como fez é o que menos interessa, poderia ter feito qualquer outra coisa e repercussão não se alteraria em nada

     

    Veja atua como um padre de plantão em redações internacionais

  17. A SALA DE TORTURA DO CONSULTÓRIO MÉDICO

    O título é proposital.

    Nada tem a ver com os médicos, que os procuro por serem competentes, ótimos e atenciosos. Gosto deles todos.

    Porém, quando entramos e sentamos na sala de espera, lá está a TV ligada na Rede Globo.

    Busco uma revista na mesa de centro, lá estão, um montão delas, revistas Veja.

    Aí a única saída,  para não ser torturado, é nada ler, por os dedos nos ouvidos, fechar os olhos, e pensar que logo logo você será chamado.

    Que ditadura!

     

  18. Pepe Escobar viajou nesse texto “porra-louca”

    Parece até piada. Ele citar os tweets de uma pessoa que ninguém sabe quem é, como evidência de alguma coisa, é brincadeira rsrs. Que o cara suspeite sobre quem realmente derrubou o avião, tudo bem (apesar de quase ninguém lúcido duvidar de que tenham sido os aloprados pró-Rússia do leste da Ucrânia). Mas que se baseie, a sério, em tweets de uma pessoa chamada Carlos, que seria um espanhol trabalhando como “controlador de tráfego aéreo (…) na torre de Kiev”, é simplesmente patético.

    De resto, o texto é porra-louca porque não é sério, atira para todos os lados. Isso não é jornalismo. Isso é palpite amalucado travestido de teoria da conspiração. Nem teoria da cospiração é, propriamente, porque até mesmo considerar uma bomba no avião ele considera, apesar de dizer “improvável” hehehe.

    Diferentemente do que sensacionaliza Pepe Escobar, não há mistério no vôo MH 17 nenhum. Ele foi derrubado e 283 pessoas, civis, perderam a vida sem nada ter a ver com os problemas na Ucrânia e os malucos de plantão que tocam o terror por lá.

    E também diferentemente do que ele disse, os EUA exigiram uma investigação séria sobre o acidente e ninguém considera elucidado nos detalhes, porque, ao menos, já se sabe de onde o míssil partiu.

    Ao contrário do que pepe Escobar tenta vender como verdade, o auto-proclamado ‘ministro da Defesa’ da República Popular de Donetsk colocou na internet uma mensagem ostentando o derrubamento do avião e depois o retirou. Isso é fato público, mas Pepe Escobar prefere se mirar em tweets de supostos espanhóis, imaginados e inventado rsrs.

    Pior mesmo foi citar o caso do vôo Iran Air 655 para livrar a cara dos “garotos” do Putine, aqueles cossacos e “russos do ocidente” bem nutridos, fortes e atléticos,  por meio dos quais ele um dia sonha em acabar com os dias solitários de sua vida reclusa rsrs.

    Eu queria saber em quê a derrubada de um avião civil, com 283 pessoa a bordo, entre elas, alguns dos maiores especialistas em AIDS do mundo, é motivo de orgulho para Putine e seus puxa-sacos. Só mostra que a Rússia se alia a aloprados.

    Ah, não, me lembrei: eles estão tentando negar hehehe.

    • O que se sabe com certeza é

      O que se sabe com certeza é que não dá pra derrubar um Boeing 777 voando a 10 mil metros com mísseis terra-ar lançados de equipamentos portáteis.

      Os armamentos que podem fazer isso são grandes, trasnportados em caminhões ou blindados e precisam de unidades de radar para funcionarem.

      Tenho certeza que tanto americanos quanto russos tem seus satélites de olho o tempo todo naquela região, então não deve ser difícil comprovar se esses rebeldes tem mesmo esse tipo de equipamento.

    • “quase ninguém lúcido

      “quase ninguém lúcido duvida”

      “texto é porra-louca porque não é sério”

      “palpite amalucado travestido de teoria da conspiração”

      “não há mistério no vôo MH 17 nenhum”

      “os EUA exigiram uma investigação séria”

      Belíssimos argumentos.

      Esse seu post está muito bom para guardar e comparar com os fatos reais, quando e se forem elucidados.

  19. Míssil ‘de Putin’ ou ‘Para Putin’ ?

    Embora o texto não mencione, há analistas do caso que enumeram evidências de que o avião presendencial da Rússia passou pelo mesmo corredor aéreo, em horário muito próximo à tragédia. Por isso, nada descarta a hipótese de que o atentado destinava-se ao avião de Putin; que conforme estes mesmos analistas detalham, era semalhante ao Boeing 777, inclusive nas cores, o que pode ter confundido os ‘operadores’ ucranianos, na sua ânsia em retaliar diretamente o mandário russo. De todas as especulações que tenho encontrado por aí, essa me pareceu a mais coerente. Até porque derrubar por derrubar – se esta tenha sido a versão verdadeira do ocorrido, acho que não se sustenta – afinal, o que tem haver a Malásia com a détente entre Rússia e Ucrânia ?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome