Quem deve crescer, os jornalistas ou Neymar?, por Francy Lisboa

Foto O Dia

Quem deve crescer, os jornalistas ou Neymar?, por Francy Lisboa

Redoma, bolha, intocável, dissimulado, marketeiro, cai-cai, imaturo, mau-caráter. Essas são as palavras e adjetivos mais utilizados pelos ponderados jornalistas esportivos brasileiros quando o assunto é Neymar Junior, o principal nome da seleção brasileira na Copa do Mundo.

Há a necessidade de primeiro gostar da pessoa para depois desenhar linha da crítica que a ela será dirigida. Com o Neymar e a midia não é diferente. Um dia desses um dos programos debatendo a veracidade lacrimante do camisa dez canarinho disse que “Neymar é um ídolo não gostável”. Que raios isso quer dizer?

As misérias da futilidade humana atribuidas à Neymar se fazem presentes em pessoas que julgam pela bilis tentando porém, a todo momento, passar um ar de imparcialidade e trabalho jornalístico sério. Não é a toa que entre as marteladas e adjetivações extremamente rudes que o atacante do PSG toma diariamente há sempre o assopro de que ele é craque, gênio da bola entre outras compensações.

Tais compensações são típicas do mundo futebolístico que mimetiza mais do que ninguém a hipocrisia humana e o mundo fluido que nos encontramos. A rapidez com que criticas ácidas e até desrespeitosas se transformam em loas é caracteristica do dinamismo de uma partida de futebol, cheia de altos e baixos.

Esse jogo de morde e assopra com Neymar é o certo temor de que o rapaz faça novamente essa hipocrisia jornalistica ser exposta como no primeiro ouro olímpico da seleção brasileira. Sim, nem Romário, Ronaldo, R. Gaucho e tantos outros que sempre foram poupados, conseguiram isso. Jornalista detesta o “vocês vão ter que me engolir” por razões óbvias. A moeda da credibilidade tem seu valor associado às previsões.

Eles, os “abutres”, assim definidos pelo pai de Neymar, precisam de um ídolo gostável para se manteram estritamente profissionais e não adentrarem no campo da psicanálise ou mesmo do jornalismo “Contigo” capaz de justifcar a bateção com posts de redes sociais de um rapaz de 26 anos de idade.

Neymar é mídia? Não há dúvida disso. Mas não tentemos enganar a audiência com os ares de seriedade. Todos, de uma forma ou de outra, se aproveitam da mídia Neymar para arrebanhar seguidores e se manterem competitivos nesses tempos de pulverização da informação e das fontes, e é isso que retroalimenta essa caça ao Neymar.

Os imprompérios destinados a ele nada mais são do que o famoso mix de emoções que cobre e dirige toda a existência carnal. Essa dependência de um ser que eles odeiam está expondo a face mais mesquinha e hipócrita do jornalismo esportivo, que agora parece tomado por psicanalistas de redes socias e juízes do verdadeiro sofrimento. E não adianta dizer que “isso não me interessa” que “o que me interessa é que ele resolva no campo” porque se assim o fosse não haveria tanta irritação com o jeito com que o rapaz se relaciona com os “parças” ou com suas fotos durante a recuperação nas redes sociais.

Quem deve crescer, os jornalistas ou o Neymar? Resposta óbvia, não?

19 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Francy Lisboa

- 2018-06-27 10:28:14

Rapaz vocẽ acha que não

Rapaz vocẽ acha que não milhares de fãs do Neymar mundo a fora?

Só porque estas na corrente dos que o odeiam não significa que há partido a favor.

 

Abs

Francy Lisboa

- 2018-06-27 10:25:01

  Por que os erros do Neymar

 

Por que os erros do Neymar como pessoa tiram pessoas do rumo da civilidade e descambam para o ódio?

Alguém já se perguntou se o Neymar liga para os que os outros que não o seu círculo de amizades pensa?

Nós somos criticados e muitas vezes vivemos em pé de guerra mesmo dentro da familia devido à juízos comportamentais.

E olha que estou falando de nossos próprios círculos.

As pessoas falam como se conhecessem o Neymar, a intimidade dele e como ele se relaciona com que ele gosta.

Assumem que ele passa por cima sendo que a unica fonte que temos sobre o Neymar são as redes sociais e a artilharia da midia contra ele.

A pergunta que me faço é: é o bastante para me tornar juíz?

E esse negócio de achar que o Neymar não joga pela seleção e não ganhou nada. Como assim? Só conta Copa do Mundo?

Po meu caro, a implicância com o Neymar abre diversos flancos para nós sejamos pegos na contradição.

Neymar, assim como o pessoal de 82 e 86 não ganhou a Copa, mas ganhou o primeiro ouro olimpico pro Brasil. Isso é pouco? Vai do julgamento de cada um.

Para finalizar, não me estresso com Neymar e torço por ele como jogador da seleção para que o Brasil vença, eu não o conheço, não sei de sua vida íntima, etc. Não consigo mais guiar meus julgamentos pelo simples efeito manada.

Enfim, que atire a primeira pedra...

 

Abs

Renato Lazzari

- 2018-06-26 16:06:40

Como mencionou nosso colega

Como mencionou nosso colega hugo1, abaixo, talvez seja a hora da gente começar a questionar se os fins realmente justificam os meios. Vale tudo e qualquer coisa para ficar rico? Vale a "lei de Gérson"? Olha que se a gente disser que sim, estará apoiando diversos regimes de força, inclusive os que forçaram o pessoal da África a trabalhar sem remuneração em tempos não tão remotos assim.

Quanto à questão, caro Francy, acho que deve crescer nem um nem outro e sim a verdade, a ética, a civilidade, nunca a selvageria ainda que bem vestida.

A mim parece que defender a atuação de Neymar como futebolista dizendo que ele é o preto que ficou rico é o mesmo que criticá-lo unicamente por ter ficado rico: foge da questão. E a questão principal me parece ser se é bacana que um jogador de futebol aja em campo como tem agido.

Rui Ribeiro

- 2018-06-25 11:11:44

Argentina e Brasil são as duas melhores seleções da Copa

A Argentina perdeu uma batalha mas a guerra ainda não acabou. O título de campeão mundial pode, facilmente, ficar com um país da América do Sul. Os melhores atletas da competição são, de longe, os Argentinos e os Brasileiros. Esses Atletas têm arte de mãos cheias e garra mas como eles pirorizam o dinheiro, o talento desses Atletas acaba ofuscado pela busca desenfreada de dinheiro. É claro que Brasileiros e Argentinos devem necessariamente ganhar dinheiro a fim de viver e jogar mas eles não deveriam, sob qualquer circunstância, viver e jogar unicamente a fim de ganhar dinheiro.

O dinheiro deveria ser a consequencia da genialidade futebolística.

Se eles se libertarem da pressão dos Magnatas da grana, certamente deixarão o mundo maravilhado com suas talentosas artes. Mas se eles se submeterem aos ditames do dinheiro, continuarão arrogantes e sairão da copa de crista caída.

hugo1

- 2018-06-24 20:52:30

Desculpe, mas todo jogador

Desculpe, mas todo jogador sofre críticas por seu desempenho em campo, independente de ser branco ou negro. 

Cobra-se mais o Neymar  por que espera-se mais dele, natural.

Renato Gaucho foi expulso da seleção de 86 pq ele fugiu da concentração pra sair com mulheres, foi criticado, como insidsciplinado. Romário, idem  quase não vai pra copa de 94 pq o Parreira e o Zagalo não gostavam do comportemanto dele. So convocaram no último jogo das eliminatórias pq o Brasil  poderia não se classificar pra copa. a diferença desses dois com pro Neymar é que eles não ficavam se fazendo de vítima.

O Pelé já foi muito criticado, por não se envolver com questões raciais.

As críticas ao Neymar são totalmente pertinentes ao meu ver.

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Lucinei

- 2018-06-24 20:10:02

Tambem concordo, com um
Tambem concordo, com um detalhe: esse "bom mocismo" é o que cobram dele (e dos jogadores de um modo geral, quanto mais são bem sucedidos). Se parassem - coisa que eu duvido - com esse negocio de que jogador de futebol tem que ser exemplo de moral e virtude, acho até que o futebol melhoraria.

Lucinei

- 2018-06-24 18:23:01

O argumento é que, quando a
O argumento é que, quando a critica é futebolistica, ou seja, que ele se joga demais, e que parte pro drible quando deveria tocar, é uma coisa; procedem e nao sao exageradas mesmo, nao. Porém, quando partem pra "justificar" a tal critica a partir de elementos pessoais, psicologicos, morais, aí tem, sim, outros ingredientes, que ao estão presentes, por exemplo, quando um Kaka ou um Rogerio Ceni jogam mal. Contudo, como voce bem lembrou, a origem de 99% dos jogadores é pobre. E a maioria permanace pobre. Daí que a regra parece "natural".

[email protected]

- 2018-06-24 18:03:56

Uma Farsa, Diria Tom Jobim...

À luz dos fatos, 'não restam dúvidas' que Neymar é uma tremenda enganação, não jogou no Barcelona, que irritado mandou-o embora para o PSG, e quando joga na seleção brasileira a performance da mesma não é melhor, conforme os resultados apresentam e, pior, nunca foi campeão olímpico de futebol e, se fizer mais doze gols na seleção, aos 26 anos, não ultrapassará Zico e Ronaldo, ficando apenas atrás de Pelé, como o segundo maior artilheiro da seleção brasileira em toda sua história.

Uma farsa, diria Tom Jobim, abraçado a essa, sensata, compreensiva e nada invejosa, torcida para com os que fazem sucesso no Brasil. 

 

hugo1

- 2018-06-24 17:22:22

Desculpe, mas esse argumento

Desculpe, mas esse argumento de criticar o Neymar porque era negro e pobre, deculpe, mas não tem qualquer razão de ser.

99% dos jogadores de futebol do mundo eram pobres na infância e maiorica continua pobre quando se torna profissionais. Uma minioria ínfima  fica rico jogando futebol.

As críticas a ele não são nem um pouco exageradas, assim como as críticas ao Messi, que na seleção Argentina não joga 10% do que joga no Barcelona.

hugo1

- 2018-06-24 16:52:53

A qualidade do futebol do

A qualidade do futebol do Neymar é inquestionável, mas da mesma forma que há os críticos há também os que superprotegem o ainda chamado de "menino", mesmo com 26 anos.

O problema do Neymar é a pose de bom moço que pretende vender enquanto pratica atitudes nada desportivas. Briga com torcedores, briga com colegas de equipe dentro de campo, agride outros jogadores e depois quer aparecer como vítima.

Pra mim, muito melhor jogadores "bandidos" mas autêncticos dentro e fora de campo como Romário, Casagrande, Eric Cantoná, Socrates, Maradona do que um cara que finge ser o que não é pra conseguir simpatia  da torcida e mais alguns contratos de publicidade.

Aliás, engraçado que Pelé,  que foi o jogador mais caçado da história, nunca saiu com meias rasgadas  de campo, já o Neymar  em dois jogos seguidos conseguiu essa proeza. Nenhuma entrada que ele sofreu no dois jogos  justificaria duas meias rasgadas em dois jogos seguidos.

O melhor comentário sobre o tal "choro"  foi do Mauro Cezar, Neymar expôs a sua recuperação da cirurgia que sofreu participando de um monte de festas, e publicadas por ele próprio no seu Instagram. pra depois se ajoelhar no meio do gramado gramado com as mãos no rosto para demonstrar "sofrimento" com seu retorno. Pelo jeito a "Lei de Gerson" já pode mudar de nome.

 

[video:https://www.youtube.com/watch?v=5OlD-gNl6YM]

Lucinei

- 2018-06-24 15:21:35

...fala-se...
...fala-se...

Lucinei

- 2018-06-24 15:09:27

Por outro lado, quebrando o
Por outro lado, quebrando o corporativismo do futebol, o Rene Simoes há oito anos já falava. https://youtu.be/6crp9HC8DdI

Marcos Carvalho

- 2018-06-24 14:57:12

A pergunta é: Quem está caindo mais, o Jornalismo ou o Neymar?

Lucinei

- 2018-06-24 14:34:27

Eu estou "convenfido" que o
Eu estou "convenfido" que o caso é de inveja. Um pretinho pobre que fica rico SEMPRE é alvo desse patrulhamento: ou ele dá provas e mais provas de que tem "alma branca", ou caem em cima dele. Expressões do tipo "a cabeça do jogador", "o estado emocional", etc, sao evidencias clarissimas do trabalho de controle da subjetividade. No fundo e no raso tudo isso pode ser resumido de um modo simples: "com essa grana toda eu faria assim e assado, seria assim e assado". Outra coisa é a critica futebolistica: tem que parar de se jogar; tem que ir para o drible quando não tiver companheiro melhor posicionado. O futebol (jogo) nao mudou tanto assim. O que mudou foi o peso relativo da propaganda. Essa transformaçao estrutural fez com que o antigo "craque" hoje seja o "idolo". Em outras palavras: quando o futebol era pra "home", falavasse da jogada; hoje, na epoca do idolo falasse de quanto ele ganha, quem ele está namorando, onde ele jantou, que roupa esta usando, etc. Futebol, hoje, é pra mulher e criança.

Humberto Pereira

- 2018-06-24 14:28:02

Todos devemos crescer

como dissse noutro dia, há tempos que o modelo de concentração canina foi abandonado pelos times europeus. Argumanta-se que, pra brasileiros (geralmente de classes "inferiores"), se deixá-los livres,sem regrinhas do pode isso, não pode aquillo, senão elee cairiam na gandaia, não se concentrariam, etc etc. Ora, eles ganham, é trabalho deles, não é time do Brasil, é da empresa privada CBF e da FIFA,ambas impolutas e disciplinadíssimas. Resultado:os jogadores saem da jaula como cães  e "feras" (sugestivo apelido usado):ao primeiro gol que tomam ficam perturbados, e quando estão ganhando vibram como uma luta de vida ou morte.Somos feras por nunca tocarmos neste ponto. Salve Ronaldinho Gaúcho que desobedeceu e mandou....

Nelsonz

- 2018-06-24 14:02:35

O texto me parece um mea

O texto me parece um mea culpa. A imprensa é hipócrita? Ok. Mas isto faz de Neymar vítima? Ou, pior, justifica Neymar? Dois erros não fazem um acerto. Você ao menos leu um depoimento do Lukaku no Conversaafiada? Você sabe que Lukaku no jogo com a Tunísia, antes de complicar a arbitragem e o jogo, após cair na área se levantou e falou que não foi penalti. Consegue fazer uma ligação com a abjeta atuação de Neymar? Esse sujeito se locupletou no jogo de lavagem de dinheiro internacional, sonegou imposto de renda aqui e acolá, mas por ser rico, aqui foi perdoado, e lá vai somente pagar multa. Você se atem ao jogador Neymar, que pra virar gênio terá de ganhar copa sozinho, pra virar gênio terá de ter o profissionalismo de PELÉ, e também sua himildade de inclusve ficar no banco. Neymar não é genuino em nenhuma acepção da palavra. Não é louro genuino, não é negro genuino, não é crestão genuino. Ou 100% Jesus manda alguém tomar naquele lugar? Neymar somente representa hoje o perfil ostentação que a classe média e a pobreza editam no FACEBOOK. Eu acho que quem tem de crescer é seu texto!!!

Marcos batista

- 2018-06-24 13:22:16

Sério que li isso? Vc tem
Sério que li isso? Vc tem ideia de quantos passes o Brasil trocou no último jogo? Vc tem ideia que equipes a Inglaterra está enfrentando? O Brasil trocou mais de 700 passes na partida contra a Costa Rica, que em pese não estar fazendo uma boa copa é a mesma equipe que chegou nas quartas em 2014! Chegou às quartas eliminando na primeira fase gigantes como a Inglaterra e a Itália!

Não é o Saldanha

- 2018-06-24 13:11:54

Chapa-branca

Neymar xinga o jogador do próprio time pois entregou a bola ao adversário. Ao tratar deste exemplo, coloca-se à luz o tipo de jogador que está dentro de campo, sua consideração em torno do adversário e do próprio time.

Neymar está longe de ser um bad boy. Não chega perto das polêmicas de conduta de Serginho Chulapa, do Neto e de outros que, bem ou mal, foram ídolos em campo e não foram fenômenos midiáticos. 

Neymar é um negócio. Aliás, futebol deste modo é espetáculo e, portanto, negócio. 

Mas se trata de mais um exemplo em que os negócios nem sempre combinam com ética. 

Fábio de Oliveira Ribeiro

- 2018-06-24 12:51:55

Um bom toque de bola no meio

Um bom toque de bola no meio de campo, muita movimentaçao sem bola no ataque, passes curtos, infiltraçao e um tiro preciso. A Inglaterra esta jogando hoje como a antiga seleçao brasileira de 1982. E o Brasil dependente de Neymar, coitado, jogando como a Inglaterra do passado: bola alta na area do adversário com a esperança de um erro ou de um gol feito de cabeça.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador