Xeque, nossa agência de combate aos fake news

Xeque será novo serviço de checagem de fake news

Não se limitará a analisar fatos, mas também as narrativas escondidas em cada reportagem checada, partindo do pressuposto que pôde-se contar uma mentira com dois fatos verdadeiros.

Por exemplo, no nosso Xeque de estreia:

  1. O STF autorizou a prisão de Lula.

  2. O STF aceitou a denúncia contra Aécio.

  3. Logo, o STF é isento.

Há, obviamente, uma manipulação da narrativa, na medida em que não se analisam as implicações de cada condenação no jogo político. De um lado, o candidato favorito à presidência da República nas próximas eleições; de outro, um candidato que possui menos de 1% das intenções de voto para governador em Minas.

O termo Xeque foi tomado do xadrez. É quando o rei adversário (no caso, a notícia) é ameaçado.

Pretendemos alimentar o Xeque com contribuições de vocês, leitores e assinantes. Os temas preferenciais são:

  1. Fake news jurídicos.

  2. Fake news econômicos.

  3. Fake news políticos.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Greenwald: Globo não faz jornalismo, mas propaganda da Lava Jato

2 comentários

  1. justiça nua

    Se a expressão Fake news se restringe apenas a noticiário, notícia, jornalismo e afins, como deveria ser classificada  uma possível trama planejada e executada, com objetivos políticos de comover e confundir a população com o objetivo único de prejudicar alguém, em favorecimento de outro? Asistimos recentemente, praticamente às vésperas de julgamentos de recursos de Lula e José Dirceu pelo TR4, que acontenceu a prisão de 148 pessoas, em um imóvel residencial no bairro de Bangu, que foram acusadas de serem milicianos. Com grande divulgação na mídia, a operação recebeu a aprovação da população devido a apreensão de muitos fuzis e pela prisão de criminosos de peso. Contudo, passada a propaganda descobriram que a quase totalidae de presos não tinham nenhuma passagem pela polícia. Na ocasião houve a preocupação de que todos poderiam ser liberados, caso o TRF4 votasse em favor da defesa de Lula, no recurso final em segunda instância. Pelo que se deduz, em muito pouco tempo, quase todos os presos na operação deverão receber a liberdade porque, talvez, isso não venha mais ao caso.  Ponto para a Casa Grande/ mídia vendijustiçanuada/ justiça menor/ intervenção militar e o capital estrangeiro.

  2. justiça nua

    Se a expressão Fake news se restringe apenas a noticiário, notícia, jornalismo e afins, como deveria ser classificada  uma possível trama planejada e executada, com objetivos políticos de comover e confundir a população com o objetivo único de prejudicar alguém, em favorecimento de outro? Asistimos recentemente, praticamente às vésperas de julgamentos de recursos de Lula e José Dirceu pelo TR4, que acontenceu a prisão de 148 pessoas, em um imóvel residencial no bairro de Bangu, que foram acusadas de serem milicianos. Com grande divulgação na mídia, a operação recebeu a aprovação da população devido a apreensão de muitos fuzis e pela prisão de criminosos de peso. Contudo, passada a propaganda descobriram que a quase totalidae de presos não tinham nenhuma passagem pela polícia. Na ocasião houve a preocupação de que todos poderiam ser liberados, caso o TRF4 votasse em favor da defesa de Lula, no recurso final em segunda instância. Pelo que se deduz, em muito pouco tempo, quase todos os presos na operação deverão receber a liberdade porque, talvez, isso não venha mais ao caso.  Ponto para a Casa Grande/ mídia vendijustiçanuada/ justiça menor/ intervenção militar e o capital estrangeiro.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome