Data Popular: brasileiro médio não entende narrativa do golpe

Classes C e D se veem fora da disputa política; para elas impeachment é briga da elite
Classes C e D se veem fora da disputa política; para elas impeachment é briga da elite - Créditos da Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
 
Jornal GGN – Enquanto aumenta o número de matérias no exterior com denúncias sobre o golpe em curso no Brasil, parcela significativa do brasileiro médio não compreende a crise política e, menos ainda, a narrativa do golpe. 
 
Segundo levantamento realizado pelo Instituto Data Popular, para  ¾ da população – sobretudo das camadas C e D – o atual embate é fruto de uma briga de poderes das elites.
 
Em entrevista ao programa Brasilianas.org, o presidente do instituto, Renato Meirelles, destacou que “a narrativa do golpe é algo que fala muito bem para os formadores de opinião e tem um certo apelo na intelectualidade, mas fala muito pouco pra dona Maria e pro seu João”. 
 
Portanto, as manifestações que tomam as ruas nos dois lados da disputa política – a favor ou contra o impeachment – apesar de serem significativas não correspondem a visão da população geral sobre o momento político. Ainda, segundo pesquisa do Data Popular realizada no início do ano, para 71% dos brasileiros os políticos opositores ao governo Dilma agem por interesses próprios. 
 
“Quando a população foi perguntada se os políticos envolvidos na discussão do impeachment querem a saída de Dilma para melhorar a vida das pessoas ou para tomar o lugar da presidente, a resposta para ¾ dos entrevistados foi para tomar o lugar de Dilma”, acrescentou.  
 
“Se pegarmos o perfil dos manifestantes pró e contra o governo nas passeatas todas, veremos que é um perfil claramente mais rico que a média da população brasileira”, completu o pesquisador, destacando em seguida que entre os grupos a favor da saída de Dilma há um conjunto maior de empresários, já nos grupos pró governo, uma classe formada por funcionários públicos, professores e intelectuais. 
 
"A narrativa do golpe fala muito pouco pra dona Maria e pro seu João”, Renato MeirellesUm levantamento feito por outro instituto, o Datafolha, confirma as ponderações de Meirelles, revelando que o perfil escolar dos manifestantes dos grupos contra e a favor do impeachment é praticamente homogêneo. Segundo a pesquisa, que comparou o público do dia 13 de março (pró impeachment) com o público do dia 18 de março (a favor de Dilma), 77% dos manifestantes contra o governo disseram ter nível superior de escolaridade, e 78% dos manifestantes contra o impeachment também. Dos dois lados, 18% afirmaram ter o ensino médio completo, e 4% e 5%, respectivamente, o ensino fundamental. 
 
A média educacional dos manifestantes é significativamente distinta da média educacional do país. Dados do IBGE de 2015 apontam que apenas 14% dos brasileiros tem formação universitária e 36% ensino médio completo ou incompleto. 
 
Ponte para o quê?
 
Não saber dialogar com o eleitorado é um grande problema para o governo e explica porque não conseguiu mais adesão às manifestações contra o impeachment e, com isso, fazer pressão sobre o Congresso para evitar a aprovação do processo. A classe C compõe 54% do eleitorado.
 
Mas Meirelles analisa que a perda de capacidade de diálogo com a população se estende a classe política como um todo. “É como se os políticos fossem analógicos para o novo eleitorado que é digital, que quer se sentir participante”. 
 
O presidente do Data Popular ressalta que a população média desconhece o plano de governo desenhado pelo vice-presidente, e um dos articuladores do impeachment, Michel Temer, chamado Uma Ponte para o Futuro, com propostas de baixíssima popularidade como a desobrigação do empregador pagar o salário mínimo para o funcionário (desindexação do salário mínimo), e a possível redução de investimentos em saúde e educação.
 
Durante votação do impeachment de Dilma na Câmara dos Deputados - Créditos da foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilO erro dos governistas, portanto, foi não abrir essa discussão de forma clara e participativa para as classes C e D aderirem a mensagem que queriam passar.
 
“A narrativa do golpe, por mais justa que o governo considere que seja feita, sem absolutamente entrar no mérito se é ou não golpe, é uma narrativa que fala pra muito menos gente do que uma discussão de projeto de país, e esse projeto de país que elegeu o presidente Lula duas vezes e elegeu e reelegeu Dilma”, pontua Meirelles.
 
Queremos estado mínimo? Nada disso. 
 
O presidente do Data Popular aponta que a maior insatisfação hoje para o brasileiro é a economia ruim. A população deseja um Estado que, “claramente, faz parte do dia a dia e promove condições para que o brasileiro tenha oportunidades que não teria sem a presença do Estado”. 
 
A visão das classes C e D sobre o ideal de Estado é contrária às visões idealizadas pelas camadas políticas que disputam o poder, ou seja, de um lado a defesa do Estado mínimo, “dirigido por um CEO, e não por um presidente”, ironiza Meirelles, e de outro lado a defesa de um Estado robusto, com peso sobre a economia.
 
Conceitualmente, o nome do tipo de Estado que a população geral deseja é Estado Vigoroso. “É um Estado que oferece sim vagas nas universidades, mas que pode ser feito como é feito o Prouni, através da iniciativa privada operando as vagas que são dadas”, explica.
 
“O brasileiro gostaria muito que existisse um código de defesa do cidadão, nos moldes em que existe o código de defesa do consumidor. Por exemplo, hoje quando passa três horas numa fila de banco ele sabe para quem reclamar, mas quando passa três horas esperando na fila do SUS não sabe para quem ligar reclamando”, completa. 
 
 
https://www.youtube.com/watch?v=SiSrluVl3qQ width:700

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Moraes pauta impeachment de Witzel no plenário do STF

54 comentários

  1. “Midia técnica”,

    “Midia técnica”, “Republicano” e “Controle remoto”. O primeiro que voltar a falar nisso tem que levar porrada!

  2. Simplificação que nada contribui

    Prezados leitores,

    Em entrevista, já vi Renato Meirelles proferir esses lugares-comuns, que nada contribuem para o esclarecimento e compreensão do que vem ocorrendo no Brasil.

    A simplificação mais deletéria que le faz é com relação ao fato de os manifestantes (sejam os pró-golpe sejam os pró-democracia) term cursado faculdade (acima de 70% nos dois grupos). Ora, ora, ora!? O fato de ter cursado uma faculdade faz com que alguém automaticamente pertenca à elite plutocrata e oligárquica ou à classe média ‘tradicional’? 

    Ao fazer simplificações desse tipo, Renato Meirelles comete os mesmos erros daqueles que classificam os indivíduos apenas pela renda. Se Renato Meirelles ler e compreender as obras de Jesé Souza, talvez ele deixe de lado essas simplificações que só prejudicam o entendimento do que ocorre no País e de quais são as verdadeiros interesses que defendem os grupos que hoje se manifestam nas ruas: uns defendendo a democracia, outros querendo sufocá-la e chegar ao poder a qualquer custo.

     

  3. Vão entender rápido

    Estes …, vão entender rápidinho, fiquem tranquilos, ai eles é que reclamem com seus pastores ou com a Globo

    Se não aprendem pelo “amor”, vai aprender pela dor.

    Simples assim.

     

  4. Talvez o “erro” dos

    Talvez o “erro” dos governistas em não abrir a discussão de forma clara e participativa para as classes C e D seja a melhor alternativa neste momento.

    Faltam dois passos para os golpistas serem enforcados:

    – o primeiro passo é o impeachment ser aprovado ou não pelo Senado. Mas esse primeiro passo não vai ter influência no segundo passo;

    – o segundo passo, independentemente de qual tenha sido a decisão do Senado, será a convocação de novas eleições.

    Considerando que as pesquisas indicam que 62% são a favor de novas eleições e 25% são contra a saída de Dilma, se o Senado aprovar o golpe, imediatamente serão 87% a favor de novas eleições. Caso contrário, ainda serão 62% a favor de novas eleições.

    Mesmo se o Senado não aprovar o golpe, possivelmente Dilma vai convocar novas eleições, porque sabe que não conseguirá governar apropriadamente sem o apoio do Congresso e da maioria da população.

    Na nova eleição presidencial, o candidato com maior chance de vencer é Lula. Mas mesmo que ele não vença, ou mesmo que não possa concorrer, as maiores chances são de outro candidato progressista vencer, por exemplo Ciro Gomes ou até mesmo o candidato que representar o PT.

    Já as chances de algum candidato da direita conservadora e neoliberal vencer é pequena. Mesmo Marina não goza da simpatia da maioria da população e dificilmente seria eleita.

      • A matéria voltou, das Couves,

        A matéria voltou, das Couves, e só agora vi seu comentário. Mantenho o meu. Temer não chega até o final do governo. Novas eleições acabarão sendo feitas. Já se perguntou porque até hoje não foram divulgadas pesquisas sobre o que o povo quer? O novo democrático e nada autoritário governo interino está segurando as pesquisas, pois sabe que a divulgação do resultado seria péssima para ele. Mas cedo ou tarde isso virá à tona. E cedo ou tarde o povo vai acordar.

        • Seu comentário tem uma

          Seu comentário tem uma questão interessante, por que afinal ainda não apareceram pesquisas sobre a conjuntura e o governo Temer? A nosso ver, como o golpismo age de forma integrada e os institutos principais são golpistas, estão dando um tempo para que a Globo e as revistinhas possam agir, no sentido de tentar fazer a opinião pública engolir a situação e seus protagonistas. Está um pouco difícil, sobretudo quando ações se sucedem que dificultam mais ainda a deglutição, como a recente nomeação do líder do governo na Câmara. Tem razão o golpista Renan quando se revolta contra essa nomeação. Assim não há golpe que aguente.

  5. O que o povo quer, de fato,

    O que o povo quer, de fato, pouca gente percebe: um Estado forte, que funcione como uma empresa.

    Do ponto de vista prático, ele precisa dos serviços estatais, porque não pode recorrer à iniciativa privada (se fosse possível, ele o faria, como comprova o progresso dos dr. Consulta e serviços que “substituem” o SUS). Entretanto, ele tem a visão consumerista da classe média, e pergunta-se porque o serviço dele é ruim, e o do rico não é.

  6. A farça da democracia capitalista

    A democracia capitalista é de exclusivo interesse das elites dominantes, tendo em conta que:

    Os governantes são escolhidos pelo voto do povo, quase que sempre, mantido longe da educação, cultura e politização. Totalmente despreparado para tamanha responsabilidade;

     

    Na seleção pelo voto popular, a grande maioria dos governantes bem como dos legisladores eleitos (senadores, deputados e vereadores), são despreparados para a função por indevida experiência, vocação, educação, questões morais e mentais;

     

    As elites dominantes precisam do voto do povo, por isso mesmo, tomam todo o cuidado para manter as massas ignorantes e despolitizadas. Mas, manter as massas longe da cultura e da educação, no médio e no longo prazo, constitui verdadeira tragédia para o próprio povo e para toda a nação;

     

    Passa para o povo a falsa e desonesta imagem de ter liberdade de escolha. Liberdade essa, cristalizada no voto, inculto e despolitizado, sempre elegendo, um bando de políticos verdadeiros, marginais e incompetentes, ou, elegendo políticos, de exclusivos interesses das elites entreguistas e desonestas, nada a ver com as reais necessidades do povo e da nação;

     

    Somente um povo ignorante e despolitizado, por si só, não é garantia de atender os objetivos e projetos das elites dominantes, internas e externas. Para que não haja riscos das coisas saírem erradas, é sempre bom conformar a cabeça do povo no sentido e direção pretendida. Para isso, nada melhor que a grande mídia livre, que de livre, nada tem, nunca teve, pois sempre esteve a serviços das elites, pouco ou nada haver com os reais interesses do povo e da nação;

     

    A democracia capitalista é tão incompatível para com o progresso e desenvolvimento, que nenhuma fábrica ou empresa do mundo, jamais pensou usar eleições livres e democráticas para selecionar os seus diversos competentes profissionais, por obvias razões. Precisa explicar?

     

    Aqui no Brasil como em toda democracia, a tragédia continua a mesma. Coube ao nosso povo, despreparado e despolitizado, eleger os nossos representantes no Congresso. O resultado dessa loucura não poderia ser outra: novamente elegemos um bando de corruptos, incompetentes e entreguistas. Verdadeiros marginais.

    O pior de tudo, é que em poucos dias, contando com elementos dessa espécie, o Senado aprovará o golpe, ou não. Se aprovarem o golpe depondo Dilma/PT, causarão incalculáveis e terríveis consequências econômicas e sociais para todo o Brasil, por conta das grandes privatizações a caminho, notadamente, da bilionária e cobiçada área do petróleo, Petrobras e Pré Sal, fazendo milhares e milhares de desempregados e de falências por todos os lados. Inclusive, com profundos reflexos negativos para toda a América Latina e em outras economias.

    Assim mesmo, aos trancos e barrancos, prossegue as democracias capitalistas em todo o mundo. Enquanto isso, a poderosa China de hoje, que em 1949 estava no zero absoluto, em apenas 60 anos se tornou a 2ª potência do mundo. Em mais alguns anos será a primeira. Esse milagre foi por conta de um sistema econômico diferenciado, que os impede de ficar patinando, sem sair do lugar. Claro.

  7. ““Quando a população foi

    ““Quando a população foi perguntada se os políticos envolvidos na discussão do impeachment querem a saída de Dilma para melhorar a vida das pessoas ou para tomar o lugar da presidente, a resposta para ¾ dos entrevistados foi para tomar o lugar de Dilma”

    Como assim não entenderam? Nem precisava soprar!

  8. O povo, o POVÃO, não tem

    O povo, o POVÃO, não tem mesmo qualquer idéia do que está acontecendo.

    Digo isto pq trabalho com pessoas dos mais diferentes graus de instrução e classe social.

    A partir da “classe média baixa”, a opinião deles é algo como “isto é briga de cachorro grande”, “é coisa de política”…

    Não há qualquer noção do impacto que o GOLPE vai causar.

    São pessoas que, como o próprio Nassif já colocou, acham que os avanços sociais dos governos do PT são “DADOS”, são “a priori”… não acham nem cogitam a possibilidade de tudo se esvair pelo ralo de um governo Temer/Cunha.

    É triste sair nas ruas, brigar, me stressar, por pessoas que não tem noção do que está acontecendo… é um “trabalho a fundo perdido”.

    Como classe média-média, minha vida pouco mudará… já a do povo, principalmente nas regiões mais pobres, putz… 

    Temo voltar a ver pessoas pedindo comida nas estradas, quando eu for visitar meus pais no Ceará… era uma visão diária até o governo Lula… parece que vai voltar :/

  9. Estão certos eles.

    O pessoal que se acha muito “politizado” fica imaginando que há uma grande luta político-civilizatória com viés geopolítico internacional em curso no país entre duas forças antagônicas, quando na verdade são apenas dois grupos políticos de centro que servem aos mesmos senhores.

  10. Impedimento da Presidenta
    Sra. Presidenta bom dia ,meu nome é Francisco Affonso ,tenho 69 anos ,sou engenheiro eletricista e sou e serei sempre seu eleitor.Entretanto tenho algumas críticas a lhe fazer.Governar para os pobres, não é apenas : Minha Casa Minha Vida,Bolsa Família,Pronatec,Agricultura Familiar,Respeito aos Direitos Humanos,Aumento Real do Salário Mínimo etc,etc.É também proteger esta massa humano que saiu da miséria pelo seu trabalho e do Lula,contra estes golpistas que querem tirá-la do poder.Ontem numa entrevista na Band um pilantra que exerce também a função de deputado,um tal de Heinze do PP,disse que não existe duas agriculturas,existe agricultura,este malandro já está de olho nos recursos da agricultura familiar,e os atuais agricultores desta atividade como ficarão com sua saída ? Ontem entregastes casas populares na Bahia,como ficarão suas prestações após sua saída ?Poderia citar vários exemplos,mas citei apenas dois para ilustrar os problemas que virão.Na eleição para presidência da Câmara o Cafajeste do eduardo cunha foi eleito com 367 votos,267 dele e 100 do julio delgado que na época pertencia à quadrilha e o Arlindo Chinaglia teve 136 votos.Estes números são bem parecidos com aqueles da sessão que aprovou a admissibilidade de seu impedimento.Tais dado mostram claramente que o golpe teve início nesta data.A Sra. nunca pode governar, pautas inoportunas,bombas,denúncias sem fundamentos.Armou-se um conluio do qual participam :globo,band,veja,época,estadão,folha,STF,Ministérios Públicos Federal e Estadual,Polícia Federal,Câmara , Senado,PSDB,PMDB,PPS,DEM,PRB,PSD e outros menores.Até a estátua do Cristo Redentor sabe que não cometestes nenhum crime,mas veja que incoerência és julgada por um crime não cometido,por um tribunal presidido por um cafajeste da mais alta periculosidade ,o mérito da denúncia é nulo,e o que faz o STF,lava as mãos e diz que isto é competência dos deputados.Naquela sessão havia pelo menos 100 pilantras com indiciamento,com pedidos de providências ao STF,nem poderiam estar presentes ,quanto mais votar.Os defensores do golpe dirão,nenhum deles tem sentença transitada em julgado,então podem votar,mas a presidente não cometeu crime ,mas pode ser julgada e afastada .Com menos 100 votos pelo SIM e mais 100 votos pelo NÃO o problema estava encerrado,mas eles sabiam deste detalhe e o STF silenciou,porque silenciou? Por causa da PEC da Bengala ou alguém acha que o cafajeste estava interessado em prolongar a carreira destes sábios srs . pelos seus conhecimentos que seriam usados à favor do povo ?Não pense que seu impedimento só será nefasto para a democracia,será nefasto para todos os 55 milhões de eleitores que lhe deram o segundo mandato e é neste ponto que eu a critico.A Sra. não está agindo para nos defender,a Sra. é a presidenta do Brasil,quem manda por delegação da maioria do povo é a Sra.,não é a globo ,band,deputados ,senadores,STF,sergio moro, etc,honres a delegação que o povo lhe deu.Dizem que 65% da população quer sua saída,que o mercado quer sua saída,muito bem ,convoque uma consulta popular e pergunte se o povo quer sua saída,tenho certeza que a resposta será negativa.Aí então comece a governar sem pilantras ,traidores ,ladrões ao seu lado.Chame os Bancos e repactue a dívida e aí chame os estados e faça o mesmo com eles .Nesta nova fase que virá CRIE EMPREGOS.Finalizando não consigo entender como 55 milhões de pessoas podem ser substituídas por 370.O mercado gosta de governos fortes que mantenham o combinado,se é de direita,esquerda ,centro,não importa,ele quer segurança,ele gosta de ganhar dinheiro.

  11. Assim como o Mano Brown eu

    Assim como o Mano Brown eu também já lavei as mãos. Minha vida pouco vai mudar. Se o povão só acredita na Globo, e se satisfaz lambuzando-se com futebol, carnaval e novela e não se interessa pelo próprio destino, porque eu vou me descabelar por ele? Se acha que a briga política não vai lhe afetar porque eu devo ter um colapso nervoso por causa de um povo que escolheu enfiar a cabeça num buraco? Esse mesmo povo que se lasque e sofra pagando o preço de uma conta cujo valor não se preocupou em descobrir. Que se dane-se. Mais do que certo estava o Simon Bolívar: “um povo ignorante é o instrumento cego de sua própria destruição”.

    • “Azelites” sem máscara nenhuma

      Há muitas diferenças no seio das elites, mas uma coisa que campeia largamente entre todas elas é a propotência com que tratam aqueles que não respondem às suas verdades.

      O ideal para essa gente sempre foi viver em um país… sem povo. O único problema dessa visão de mundo, é que essa gente também não tolera viver sem suas empregadas domésticas.

      • Pera lá rapaz. Sou casado há

        Pera lá rapaz. Sou casado há 24 anos e nunca tivemos empregada em nossa casa. Eu e minha esposa sempre dividimos as tarefas de casa. Não meça os outros pela sua régua.

        • Eu entendo

          Eu entendo que o personalismo seja um tique cultural ibérico de grande profundidade na mente das pessoas, mas não se trata de obervação pessoal, meu caro.

          Já ouviu falar de “curva normal” e “desvio padrão”?

          • Se considerarmos as respostas

            Se considerarmos as respostas a este comentário seu, então estou na curva normal. Agora, na sua imaginação, sou o desvio mesmo.

    • Cidadania

      Marcos

      Você viu a série da TV Brasil sobre D.Pedro Casaldaliga? Foi ótima. o filme mostra que ele se tornou um líder da comunidade porque se doou a comunidade, lutava por ela, enfrentava os latifundiários. Todo grupamento humano precisa e elege um líder. Isto se chama política. mas tem gente que diz não crer na política e que tem horror da política. Como? Se vota para síndico do seu prédio?Está fazendo política. Toda vez que se delega poderes a alguem,isto é política. Logo, o que faltou foi esclarecimento ao povo. Na minha opinião, o povo está alienado, porque não está entendendo nada e ninguém explica.

    • Nenhum comentário

      Wu não sou Nassif. Mas apesar de reconhecer a qualidade técnica de Henrique Meirelles fico muito desapontada ao ver que ele dá idoneidade a um governo inidôneo pois o impeachment da Dilma foi forjado.

       

      Este governo provisório é uma invenção de Eduardo Cunha, Temer, PSDB, DEM e todos que tentam derrubar a presidenta eleita por 54 milhões de votos.

       

      Então é incompreensível que um homem como Henrique Meirelles empreste seu nome à esta aventura histórica.

       

      É decepcionante.

    • Nenhum comentário

      Wu não sou Nassif. Mas apesar de reconhecer a qualidade técnica de Henrique Meirelles fico muito desapontada ao ver que ele dá idoneidade a um governo inidôneo pois o impeachment da Dilma foi forjado.

       

      Este governo provisório é uma invenção de Eduardo Cunha, Temer, PSDB, DEM e todos que tentam derrubar a presidenta eleita por 54 milhões de votos.

       

      Então é incompreensível que um homem como Henrique Meirelles empreste seu nome à esta aventura histórica.

       

      É decepcionante.

          • Engraçada a lógica dos fanáticos petistas

            Tudo que contraria minimamente suas verdades só pode ser “do PIG”!

            Incrível isso!

            Isso é realmente tão incrível que eu não sei nem se se dessem ao trabalho de procurar saber o que é o Data Popular seriam capazes de dizer menos sandices.

            Vocês estão realmente ficando muito caricatos!

            Hellooooo! Petistas, ali na esquina tem um buraco prontinho pra vocês enfiarem a cabeça. Bom proveito!

  12. Nas próximas eleições

    Nas próximas eleições ficaremos sabendo, se nas últimas eleições, o PMDB elegeu seus candidatos por mérito próprio ou se foi porque eram vistos como aliados do PT. Principalmente, nas regiões norte e nordeste.

  13. Pré-antropológica

    Não sei a razão do Meirelles para reduzir sua pesquisa a um sensacionalismo sumário. Não sei se ele quer ganhar clientes com a oportunidade dos holofotes…, mas enfim…

    Uma coisa é dizer que as classes mais pobres não entendem a “narrativa do golpe”. Ok. Isso não quer dizer que elas não tenham entendimento nenhum sobre nada.

    O primeiro “entendimento” que parece se insinuar do pouco que o Meirelles anunciou sobre os resultados dessa pesquisa é que a cidadania não é algo que o “povão” considere como sua seara, mesmo que gostasse que fosse.

    A cidadania parece ser percebida como algo alheio, algo do qual se foi excluído. É como se o que estivesse sendo enunciado por linhas tortas fosse: “não queiram vocês, pesquisadores, que nós (que estamos respondendo) participemos de algo do qual fomos excluídos”.

    As pesquisas com qualquer tipo de informantes não são feitas em um regime abstrato de proposições formais. Não é esse o regime epistemológico de interação nem com as camadas populares nem com ninguém. As pesquisas sempre são condicionadas pelo contexto e pelas expectativas em torno da interação imediata que foi posta.

    Não era à toa que Bourdieu dizia que a “opinião pública” simplesmente não existe. Ela “não existe” como “naturalidade”. Ela é sempre fabricada; fabricada pelas pesquisas.

    O segundo entendimento do “povão”  que parece se insinuar nessa matéria é de que a Dilma está sendo destituída. Ponto. Pouco importa o nome que isso tenha. E o conteúdo secundário desse reconhecimento (e aí é que vem a parte mais interessante) parece ser: “mas, bom, a Dilma pouco importa”. Esse “pouco importa” fica bastante mais evidente quando se sonda a opinião sobre a presidente e se descobre que ela não tem mais que 9% de aprovação do eleitorado, e que esse índice é constante em todas as classes sociais.

    O que a pesquisa do Data Popular não fez, ao se bastar com a sua “descoberta” mobilizada de forma sensacionalista, foi dizer o que é que realmente o povão entende a respeito do mundo da política a partir de um caso como esse, o do impeachment. Qual é a cosmologia “política” desse povão?

    Os antropólogos sempre desconfiamos que os nativos de outras culturas não são meros boçais primitivos. Nós sempre buscamos a positividade complexa do que eles entendem como sentido, que é construído de modos muito diversos dos nossos.

    É curioso ver agora a pesquisa do Data Popular reduzir o povão a essa condição, a de… “primitivos”: a imagem permanentemente construída como a negatividade daquilo que nós somos e, implicitamente, das nossas “virtudes” (Estado, escrita, racionalidade etc etc etc).

     

    • o povo não é bobo!

      Eu li de outra forma. Não há nada de primitivo no povão, pelo contrário, Tem plena consciencia de seus interesses e de que os interesses dos que estão na politica institucionalizada nao atende os interesses deles, Boba é a classe média que acha que palavras, principios e discursos dizem alguma coisa para quem tem que lutar o dia inteiro para encher a barriga, ter saude, educação, transporte e moradia. Quanto ao golpe, não diz nada para o povão por que para eles Estado Democratico de Direito é só uma palavara, na prática nunca tiveram.

      Eles não precisam ler “Bordieu” para saber o que realmente lhes interessa e quem atende os seus interesses,

  14. É muita ilusão achar que as classes C e D estivessem nas ruas…

    É muita ilusão achar que as classes C e D estivessem nas ruas uma ou duas semanas após o golpe ou mesmo antes.

    É de um primarismo fantástico achar que antes do início do golpe e logo após este as pessoas mais desfavorecidas estariam nas ruas lutando contra o golpe.

    Alguém que trabalha 8 horas por dia gasta mais 6 em locomoção não pode no momento inicial do golpe ter uma análise completa do que é a Ponte para o Futuro e os reais interesses dos golpístas, porém com a vascularização da informação as coisas já estão mudando, agora não espere que pessoas com dificuldade de locomoção, com o cansaço do trabalho venha a participar de manifestações salvo que o golpismo os atinja fortemente

    Porém tenho observado pessoalmente que operários mais qualificados estão começando a criar uma noção quase que perfeita do golpe.

    Um assunto como a edição da Ponte para o Futuro, passa batido por 95% da população brasileira, porém quando se fala que o Minha Casa Minha Vida, dobrou o valor da mensalidade, quando se fala que as escolas técnicas serão alteradas para simplesmente dar uma formação superficial, quando se fala que o desemprego tenderá a aumentar e outras coisas se trata de assuntos reais e que dizem respeito direto as classes menos favorecidas, estas começam a processar a informação e entender muito bem o que está ocorrendo.

    É surpreendente que pessoas que se dizem inteligentes achassem que a reação popular seria imediata, porém o que não se dão conta os golpistas é que não é necessário uma franca maioria da população para que as ações se tornem efetivas.

    Sempre coloco este dado, nas regiões metropolitanas brasileiras com aglomeração acima de um milhão de habitantes são 90 milhões de pessoas, ou seja, se 20% destes 90 milhões apresentarem uma ação mais ativa já são 18 milhões o que já é uma massa enorme. E isto representa que dentro deste universo a existência de 20% com um nível mínimo de informação já é o suficiente.

    Há uma fantasia que o povo como um todo vá se levantar contra o governo, isto não ocorrerá pois antes que isto ocorra, o governo cai.

  15. É a economia que derruba os governos de esquerda

    É a economia, e não o jornal ou a TV que derruba os governos de esquerda. De resto, um Estado benevolente e cheio de bolsas e programas com nomes altissonantes é tudo o que agrada a um povo acostumado a ver no Estado um papel paternal.

    O povão não lê editorial e pensa que a ponte para o futuro é uma ponte nova que vai ser construída em algum lugar, mas entende muito bem de preço de supermercado, valor de contracheque e fila em hospital. O povão não está nas ruas para defender Dilma, primeiro porque a crise fez cessar as benesses do Estado, e segundo porque a crise não é grave o suficiente para suscitar atos de desespero como saques e quebra-quebra.

    A esquerda pode recuperar o poder em dois casos: primeiro, se o governo Temer for um desastre total e a situação piorar a ponto de levar o povo às ruas, e segundo, paradoxalmente, se o governo Temer for bom a ponto de materializar recursos que permitam aos candidatos de esquerda prometer novos benefícios, reproduzindo o cenário de 2002. O mais provável, porém, é que não aconteça nem o primeiro nem o segundo caso. Acredito que a crise já chegou a seu ponto máximo, e se piorar, será só mais um pouco, mas não se deve esperar tão cedo um novo céu de brigadeiro igual ao queLula teve em seu primeiro mandato. O futuro é totalmente incerto.

    • Primeiro: essa dicotomia

      Primeiro: essa dicotomia entre esquerda e direita, como se uma fosse o bandido e outra o mocinho, é coisa de ignorante político. Uma democracia moderna, saudável, tem que ter representantes de todas as vertentes políticas, para chegar ao equilíbrio e assim contribuir para a evolução da sociedade, aproveitando o melhor de cada ideologia.

      Segundo: o problema da economia não é o Estado benevolente, mas a ganância do empresariado. O poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente. Os empresários acabaram acumulando muito poder e muito dinheiro, perderam os limites e querem cada vez mais. Criam crises para reduzir salários e direitos, e consequentemente aumentar seus lucros, muito facilmente: basta reduzir a produção e demitir funcionários. Especulam na bolsa e em todos os mercados, pintam e bordam de acordo com suas conveniências. Por isso a concentração de renda no mundo atingiu índices nunca dantes imaginado.

      Não, o povão não entende o aumento dos preços do supermercado. Nem o povão, nem as demais classes sociais. Se entendessem, se perguntariam porque os preços da maioria dos produtos sobem ao longo dos anos, com índices muito superiores aos índices da inflação geral, bem como dos índices específicos. E a resposta que encontrariam seria simples: aumento da margem de lucro dos empresários e comerciantes. Não acredita? Acesse o programa “Mais Você” de 15 de julho de 2014, da apresentadora Ana Maria Braga (link: http://gshow.globo.com/programas/mais-voce/O-programa/noticia/2014/07/fique-atenta-com-a-inflacao-veja-os-alimentos-que-mais-subiram-de-preco.html). Ela localizou uma dona de casa que guardava todas as notas de supermercado. Escolheram uma nota de quatro antes e refizeram a compra dos mesmos produtos, no mesmo supermercado. O total da conta foi 80% superior à compra anterior. A inflação oficial do INPC no mesmo período foi de 26,68%. Todos os itens comuns à mesa dos brasileiros sofreram reajustes elevados: farinha de trigo (186,06%); creme de leite (134,23%); atum ralado (108,43%) molho de tomate (99,20%); arroz (85,26%), ovos, óleo, alho, cebola, etc. Isso acontece até hoje: o aumento dos preços de quase todos os produtos INDISPENSÁVEIS são muito mais elevados do que a inflação. Só acompanham a inflação, ou até abaixam de preço, os produtos supérfluos. Essa é a grande competência da iniciativa privada, tão alardeada pelo neoliberalismo.  

      Por fim, a grande maioria do povo brasileiro, de todas as classes sociais, é SIM massa de manobra dos poderosos, por intermédio da grande mídia oligopolizada. Em países de primeiro mundo, o abuso dos empresários citado no parágrafo anterior não acontece, pois a mídia os desmascara rapidinho. Por isso todos os livros de política falam claramente que O NEOLIBERALISMO SÓ FUNCIONA BEM EM PAÍSES DESENVOLVIDOS. Se tivéssemos uma mídia cidadã, democrática, o povo brasileiro seria muito mais politizado e o Brasil já teria alcançado um nível de desenvolvimento muito superior ao atual.

       

      • Não é da bondade, mas da ganância…

        Não é da bondade, mas da vontade de lucrar do empresário que devemos a prateleira cheia do supermercado com todos os ítens de que necessitamos, já dizia Adam Smith, compreendendo que a ganância, considerada em um indivíduo, pode ser um defeito de caráter, mas a soma de todas as ganâncias de todos os empresários cria um equilíbrio ideal que mantém cheias as prateleiras das mercearias e supre os consumidores de todas as suas necessidades. Chama-se isso a mão invisível do mercado.

        Mas essa discussão é ociosa. Não importa se o empresário é ganancioso ou não, pois trata-se de um atributo meramente individual, que pode ocorrer a qualquer um, até ao trabalhador, que dentro de suas possibilidades pode ser tão ou mais ganancioso que seu patrão. Julgamentos morais e julgamentos econômicos não se misturam. Não é o empresário que decide quanto ele vai lucrar, ou mesmo se vai lucrar, é a soma de numerosos fatores do mercado que determina o lucro. Tampouco o empresário tem o poder de produzir crises, que igualmente são produzidas pela soma de muitos fatores imponderáveis, muito menos seu lucro aumenta em épocas de crise!

        Os preços são determinados por seus mercados específicos, levando em conta a lei da oferta e da procura. Se um ítem sobe mais do que os outros, isso pode ser devido a fatores tão variáveis quanto uma estiagem que prejudicou colheitas ou o corte de um subsídio que vinha mantendo artificialmente baixo aquele preço. O mais é teoria da conspiração.

        O povão não lê editorial de jornal, e pode não entender o mecanismo de formação dos preços, mas por certo sente as consequências dos aumentos quando vai ao supermercado e não tem dinheiro para comprar o que necessita. Isso o povão entende.

        • O problema é o excesso de

          O problema é o excesso de poder nas mãos de um segmento.O neoliberalismo era bom quando os empresários administravam suas próprias empresas, visando o futuro delas antes do lucro. Com o tempo o neoliberalismo eliminou esse tipo de empresário. Hoje quem domina o mundo é um número cada vez menor de grandes grupos econômicos, comandados por CEOs sem escrúpulos, cuja meritocracia se resume a crescer e a obter o maior lucro possível, sem qualquer preocupação com a sociedade. Não é à toa que a riqueza do mundo está concentrada nas mãos de um número cada vez menor de pessoas. À propósito, assista esse vídeo sobre meritocracia. Não gosto do cara, mas ele fala várias verdades: https://www.youtube.com/watch?v=kJu5BWsa1_0. Ele esculhamba com a maior “divindade” moderna, o MERCADO.

          Quanto aos aumentos dos produtos no Brasil, uma análise superficial mostra claramente que se trata de aumento de margem de lucro e não da lei da oferta e da procura, tampouco de fatores sazonais. Infelizmente, expressiva parte dos aumentos (que acabam interferindo na inflação) são fruto da esperteza da parte gananciosa do empresariado brasileiro, e passa batido porque não temos uma mídia honesta, empenhada em mostrar essas falcatruas. Em países desenvolvidos, isso não acontece porque a mídia desmascara e o povo, mais politizado, percebe. Assista o programa da Ana Maria, você vai ver como os aumentos da maioria dos produtos que ela cita não se justificam pelos motivos que você menciona.     

    • Voce precisa aprender a ler…

      Acho que voce não sabe ler. Segundo a pesquisa o povão não quer o seu Estado minimo, nem um Estado como o que foi o do governo do PT que deu acesso a Universidade privada. O povão que Estado de Bem Estar com serviços publicos universais e gratuitos. Volte para a alfabetização.

  16. Neste governo de golpistas,

    Neste governo de golpistas cada pessoa está sendo considerada como um mimo da oligarquia financeira, já que a própria especulação financeira permite o aumento da sua fortuna até dois quíntuplos da criação das propriedades (divida da sociedade e do governo), pelos cuidados que elas exigiram nos projetos de desenvolvimento contraímos a nossa existência para preencher o uso de alguma coisa, ao vigor do mercado.

    O absurdo que se estabelece agora é interditar as relações da autoria ideológica, quando se estabelece tal comunidade da elite de particulares que fazem o dinheiro com o crescimento, e não reconhecem os números dos criadores de quantidade que lhes deram o valor de uns sobre os outros, pensando estes que eram a fonte de verossimilhança da grandeza nacional.

    Nada mais inspira uma unidade absoluta ligada às propriedades comuns na proporção do interesse social, designando, do outro lado, cada individuo particular, por fato de todos os cidadãos.

    Em meio a este novo governo de oligarquias admite-se uma constituição econômica de maior número de formas de quinhões desiguais, em que neles se multiplicam a consequência de uniões estéreis do desenvolvimento; mas se nos repassarem cada uma dessas condições diluídas no tempo, a liberdade seguirá a miséria.

  17. Pois eu duvido que a maioria

    Pois eu duvido que a maioria esmagadora das classes A e B tampouco compreendam uma vírgula do que está acontecendo. Aliás, duvido e faço pouco. Entendo que apenas uma minúscala casta da classe A saiba o que realmente ocorre, enquanto o grosso da classe média prefere viver mergulhada na sua proverbial estupidez, mesquinhez e preconceito. Aliás, a classe média só quer saber quanto sai o pacote pra Disney,  quanto custa a prestação do carro novo, se Lula vai ser preso e se pobre vai continuar recebendo o Bolsa Família, que, para eles, é o responsável pelo rombo do orçamento.

  18. Ó, podem espernear, mas é isso!!! na lata. o Data tá certo

    Hoje no lava rápido vi/ouvi uns caras falando enquanto enxugavam o carro,  que assistiram ontem no JN … que esse “ministro que foi no fantástico parece que é  bão” … O outro diz: “é mas os cara roubaram muito.. não vai ser fácil arrumar”. Pessoal, bem assim…   Agua mole em pedra dura tanto bate quanto fura! 

    Verdade é que o governo petista, nos seus 13 anos de aministração, deixou o povão na mão da Globo, do porra do Jornal da Noite (Band) com aquele Sr estranho apresentando .. Com as rádios, que a grande massa ouve, como a Tupi, Nativa etc por exemplo. Ha anos dão pau no PT o dia todo.. De dar dó. Não tô falando de CBN, JP, BandNews.. AlphaFM. Tá?

    É a verdade. Eles –  a mídia PIG –  sabem sim deglutir a notícia pro povão. Aprenderam.  E os globais do JN já descobriram que falar de impeachment e golpe pro povão é a mesma bosta… Não tá funcionando. 

    Então vão falar o que o povo quer ouvir … Que o golpista é o salvador da pátria. Agora o restinho de notícia boa que a TV Brasil e NBR dava.. vão desarmar. Tá atrapalhado. Tanto que vão tirar o Ricardo de lá custe o que custar. 

    Outra coisa: parem de falar mal do Data Popular. O PT nesses últimos anos se mirou muito nas pesquisas deles. Se essa é boa ou ruim, é outra coisa. Mas agora não adianta falar que o trampo dos caras é uma merda, né? Antes foi fonte. 

    No mais, torcer pro Golpista e sua Trupe fazer muita cagada. Muita. Aí, mesmo com ajuda da proba mídia não vai ter jeito. Aí o povo vai entender que só está sobrando grana pro ovo, o arroz, o feijão e o óleo. Leite, açucar e café, necas. Ai vão ficar putos. Muito revoltados. E assim começa o quebra quebra. Mandarão a mídia PIG pra puta que los pariles. 

  19. 99% não entende

    Quem realmente entende o que está acontecendo, são os Barões da mídia, e os leitores dos blogs de esquerda, fora isto a grande maioria não sabe o que aconte. Os coxinhas se deixam levar pelas mentiras da mídia, que semeia um ódio cego contra Lula.

    Provavelmente, nem os jornalistas da midia, não sabem da verdade. E quase todos da elite, ignoram também a verdade, para eles o que a midia escrever é a mais inatacável verdade.

  20. Faz sentido…

    Essa conspiração que culminou no GOLPE, tinha dado mostras de vigor na última eleição principalmente em São Paulo onde o PT não atingiu o mínimo histórico!

    Esta foi uma das senhas do poder de contaminação do PIG!

    Dilma investiu TRILHÕES E AS PESSOAS NÃO ASSOCIARAM OBRAS A GOVERNOS COMO SUAS PRÁTICAS enquanto a mídia para maioria das classes C e D é de ONDE VEM A FORMAÇÃO DE SUA OPINIÃO SOBRE AS COISAS!

    É espantoso verificar dezenas de videos na internet falando em Fórum de São Paulo, que é um meio usado pelas ELITES de se prevenirem da possibilidade de haver um CONTRA-GOLPE PARA O GOLPE QUE APLICARIAM…

    Você encontra DEZENAS DE PESSOAS EXTREMAMENTE POBRES COM MEDO DO COMUNISMO! Mandando você para CUBA!

    Alem disto contaram com o trabalho de padres e pastores em sua luta contra o comunismo…

    Interessante que no fins do século passado e início dos anos 2.000, COM UM VOLUME IMENSO DE MISERÁVEIS E COM A FOME DIZIMANDO MILHARES CRIANÇAS, só ai a maioria religiosa teve uma parceria com as esquerdas!

    Com o êxito do Bolsa família, essa parceria DESAPARECEU e surgiu novamente o medo ou aproveitamento em causa própria do medo do comunismo…

    E os FORMADORES DE OPINIÃO, parece uma palavra inteligente, mas dentro deste bojo estão programas de baixo nível de TV e rádio – E TAMBÉM COM PASTORES E RELIGIOSOS onde a crítica FEROZ AO GOVERNO deram o tom que resultou neste “NÃO SEI AO CERTO O QUE ESTÁ ACONTECENDO”…

    Levou pouco mais de 20 anos para que, o esgotamento do modelo econômico da ditadura de 64 acentuou a necessidade de uma nova forma de governar…

    Neste momento em 2016 as condições de informação são superiores e abrem a POSSIBILIDADE DE UMA MAIOR EXPOSIÇÃO DAS FIGURAS GOLPISTAS!

    Hoje você pode acompanhar ao vivo, os argumentos de um cunha e receber VÁRIOS TIPOS DE FILTROS DE OPINIÕES, que antes, além de não saber o que faziam os políticos, sua única informação era o PIG e que fez famosa a frase do roberto marinho –  Que ele se tornou o que era, mais devido às noticias QUE NÃO DEU DO QUE ÀS NOTÍCIAS QUE DEU! É essa diferença que temos hoje, que ter acesso as NOTÍCIAS QUE O PIG NÃO DÁ!

    Com os blogs sujos e uma crescente aversão ao golpe NACIONAL E INTERNACIONAL há a possibilidade de que golpe dure bem menos que o último…

    Então prepare-se: Eles vão raspar o tacho o mais rápido possível!

  21. Convivo com esse grupo

    Convivo com esse grupo social, e a esmagadora maioria não tem noção do que está acontecedo.

    Converso com alugumas pessoas, explico o que está ocorrendo, mas eles ão tem interesse pelo assunto.

    Só vai cair a ficha para esse grupo social que o país está sofrendo um golpe, quanto forem atingidos nos seus benefício.

    Ai sim, acredito, que a grande resistência ao golpe ao virá desse povo. 

    Por isso torço pera a equipe do Temer implementar logo o saco de maldade para despertar a ira desse povo.

    Mas acredito que o Temer só fará isso depois da decisão final do impeachment.

    • “Us and them…And after

      “Us and them…

      And after all

      we’re only ordinary men…”

      Exceto os amigos do rei, Gilson, todos nós sofremos sob governos liberais. Sofre quem é empregado, sofre quem é patrão – exceto, é claro, patrões do tamanho dos Marinho -, sofre quem é autônomo e profissional liberal, o mercado interno encolhe… os poderes econômico e político ficam concentrados. O PIB pode até aumentar mas prosperidade fica para poucos, só para eles…

       

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=s_Yayz5o-l0%5D

  22. Conciliando o inconciliável

    Lembrei da Marilena Chauí dançando funk ostentação no TUCA, em Março, aplaudindo candidatos à “classe média”  enquanto clamavam por correntes de ouro no pescoço e um carro “tunado”… Quem tomou cacetada do Erasmo Dias naquele mesmo lugar, em Setembro de ’77, não esquece.

    Há quem diga que o PT deu um tiro no próprio pé quando transformou “pobre” em “classe média” (seja lá o que essas duas palavras signifiquem): é que pobre vota no PT mas classe média não.

    É, fico pensando, tá faltando educação política a alguém…

  23. crítica

    Com todo o respeito, discordo totalmente do teor da matéria. O título assevera que a cidadã e o cidadão médios no país não entendem o que está acontecendo no país.

    Entretanto, a matéria afirma que “para 71% dos brasileiros os políticos opositores ao governo Dilma agem por interesses próprios”.

    Ora, não é isso o que ocorre por definição na política: disputa por interesses? A imensa maiorira da população considera que a disputa  “é golpe” ou “não é golpe” é resultado do embate entre diferentes elites no poder. Por acaso, isso não é verdade?

    A pesquisa sugere, a meu ver, que o eleitor médio tem um senso de realismo político, ainda que não sofisticado, reiterando estudos de comportamento eleitoral, como o do cientista político Marcus Figueiredo, “A decisão do voto”.

    Ao que parece, a autora da matéria avalia negativamente a população brasileira, pois ela não concorda com seu próprio ponto de vista. Qual é então a sua conclusão? Que o eleitor brasileiro não entende patavinas do que está acontecendo..

    Mas o próprio pesquisador do Data Popular sugere conclusão diversa da autora: 

    “A narrativa do golpe, por mais justa que o governo considere que seja feita, sem absolutamente entrar no mérito se é ou não golpe, é uma narrativa que fala pra muito menos gente do que uma discussão de projeto de país, e esse projeto de país que elegeu o presidente Lula duas vezes e elegeu e reelegeu Dilma”.

    Ou seja, não se trata de afirmar que o eleitor médio está errado, mas que ele não compreende a política tal como fazem setores minoritários da população brasileira, isto é, universitários de esquerda.

    O curioso, ao cabo, é como grupos da esquerda brasileira – supostamente defensores do povo – frequentemente se colocam contra ele.

  24. As duas pesquisas do

    As duas pesquisas do Datafolha utilizaram métodos de amostragem por conveniência, o que não permite essas extrapolações que foram feitas no 7º parágrafo do texto.

  25. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome