Entidades sindicais e empresariais fazem manifesto para o desenvolvimento

Jornal GGN – Entidades sindicais e empresarias entregaram para a presidente Dilma Rousseff um documento que aponta ações para retomada do crescimento e do desenvolvimento econômico e social.

Intitulado de “Compromisso pelo Desenvolvimento”, o documento foi elaborado em discussões, encontros e debates entre diversos segmentos, e coloca medidas para superar entraves nos investimentos em infraestrutura, aumentar a produtividade e a geração de emprego e reorientar a política econômica para o crescimento.

Através de nota, o Sindicato dos Metarlúrgicos do ABC diz que é necessário juntar forças e superar divergências para contribuir para o país. O sindicato também critica a Federação das Indústria do Estado de São Paulo, a Fiesp, que se posicionou a favor do impeachment da presidente, afirma que Paulo Skaf, presidente da Fiesp, tem “claras motivações político-partidárias”.

Do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Nota do Sindicato – Compromisso com o País

Nesta terça-feira, entidades sindicais e empresariais comprometidas com o nosso País entregaram à presidenta Dilma o manifesto “Compromisso pelo Desenvolvimento”.
 
O documento foi elaborado a partir de uma série de discussões, encontros e debates entre os diversos segmentos, que superaram divergências existentes num esforço em direção a um entendimento propositivo que viabilize a construção de uma rápida transição para a retomada do crescimento e do desenvolvimento econômico e social.

E nesse esforço coletivo o empenho do movimento sindical foi fundamental. Só foi possível construir essa unidade a partir da luta, da ação aguerrida do movimento sindical, que unificou suas forças chegando a um documento que traduz o sentimento a respeito do Brasil que queremos.
 
Juntas, as entidades apontam ações que visam superar os atuais entraves aos investimentos em infraestrutura, destravar a capacidade do Estado para exercer suas funções, incrementar a produtividade, gerar empregos, garantir educação de qualidade, fortalecer as instituições democrática, corrigir e reorientar a política econômica e para o crescimento.
 
E nós, Metalúrgicos do ABC, que participamos dessa construção e apoiamos esse manifesto, estamos certos de que este é o caminho. É preciso juntar forças, superar divergências, apontar soluções, dialogar, pressionar. Esse é um exemplo de iniciativas que contribuem para o País.
 
É o contrário de posicionamentos como o adotado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), que, por meio de um presidente com claras motivações político-partidárias, posiciona-se a favor do impedimento de uma presidenta da República eleita pelo voto popular, apostando num processo sem base jurídica, que paralisa o País.  
 
Essa é uma postura perigosa, que não contribuiu em nada para a relação entre capital e trabalho. Uma postura de quem não tem compromisso com o Brasil.

3 comentários

  1. esse movimento em favor do

    esse movimento em favor do melhor para  o país deveria impregnar a todos…

    só não impregna, porque a turma do quanto pior melhor, vem

    atiçando os animos contra as melhorias desde 2003

  2. Realmente, a Fiesp traiu o

    Realmente, a Fiesp traiu o país. Simplesmente deu voz a um golpe armado por corruptos que não tem responsabilidade para com a nação brasileira e pensam somente nos próprios narizes.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome