Gleise acusa governo Sortori de violência e abuso policial

Em nome da presidência do PT, senadora denuncia brutalidade na reintegração de prédio público da ocupação Lanceiros Negros

BM usa força para desocupar prédio no Centro de Porto Alegre
Foto: MARIANA CARLESSO/JC – Jornal do Comércio

Jornal GGN – Uma ação de reintegração de posse realizada no centro de Porto Alegre, de um prédio habitado por 35 famílias, a pedido do próprio Estado do Rio Grande do Sul, alegando ser o proprietário, terminou com a detenção do deputado estadual petista Jeferson Fernandes que foi algemado e preso, junto com outros ativistas da luta pelos direitos humanos e sociais, soltos algumas horas depois.

Quem acolheu o pedido do Estado de Porto Alegre foi a juíza Aline Santos Guaranha, da 7ª Vara da Fazenda Pública, na segunda-feira, permitindo que a reintegração fosse cumprida a qualquer momento. A ordem foi executada pela Brigada Militar, nessa quarta-feira (14) às vésperas do feriado. A tropa de choque utilizou gás lacrimogêneo, spray de pimenta e bombas de efeito moral para conseguir desmobilizar a resistência dos moradores da ocupação Lanceiros Negros.

Segundo informações do jornal Zero Horas, a ação policial começou por volta das 19h, enquanto ocorria uma audiência pública sobre a ocupação no plenarinho da Assembleia Legislativa. Em noda de repúdio contra a reintegração e a violência policial, a presidente do PT e senadora, Gleise Hoffman, destacou que as 35 famílias ocupavam o prédio desde 2015, denunciando entre os graves abusos, além da própria truculência da tropa de choque, o despejo de crianças e a falta de diálogo do governador Ivo Sartori, não abrindo negociação com a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa. Leia a seguir a nota na íntegra.

Gleise Hoffman: NOTA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

Leia também:  FENAJ: Mesmo com revogação, MP 927 ataca os direitos dos trabalhadores

GOVERNO DO RS AUTORIZA VIOLÊNCIA E ABUSO POLICIAL

A Presidência Nacional do Partido dos Trabalhadores vem a público denunciar a extrema violência contra homens, mulheres e crianças que aconteceu hoje (14 de junho), no início da noite, na reintegração de posse de um prédio público em Porto Alegre (RS). Demonstrando falta de humanidade, soldados da Brigada Militar, sob ordens do governador Ivo Sartori, usaram força bruta para jogar na rua cerca de 35 famílias que ocupavam um prédio desde 2015.
Essa desocupação truculenta está cercada de eventos gravíssimos, só ocorridos porque o Brasil vive hoje, efetivamente, sob medidas de Exceção, regime de arbítrio.
A sucessão de abusos gravíssimos começou na decisão do poder Judiciário estadual, que autorizou a execução da reintegração de posse a qualquer hora do dia ou da noite.
O governo Sartori, do PMDB, mesmo partido do presidente ilegítimo Michel Temer, mandou a tropa de choque executar a ordem de reintegração na véspera de um feriado, enquanto a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa ainda buscava a negociação. Importante denunciar que crianças entre 1 e 6 meses de idade foram desalojados da ocupação e detidas com seus jovens e pobres pais.
Tentando preservar os direitos das famílias, o deputado estadual petista Jeferson Fernandes foi algemado e preso, junto com outros ativistas da luta pelos direitos humanos e sociais.
A escalada autoritária é uma realidade no Brasil. O que ocorreu hoje em Porto Alegre é a expressão do momento grave que vive nosso país. O Partido dos Trabalhadores não se cala diante de mais essa afronta aos direitos humanos. Lutaremos de forma radical em defesa da democracia e dos interesses do povo brasileiro.

Leia também:  Partidos de oposição entram com ação no STF contra MP de Bolsonaro

Senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. É inconcebível que os

    É inconcebível que os magistrados não reconheçam o direito a um teto a todos os indivíduos! É inaceitável que governos ajam do modo como agiu o governo do Rio Grande do Sul, jogando famílias ao desabrigo durante a noite e fazendo pouco caso dos parlamentos, legítimos representantes do povo, prendendo e algemando um deputado! Sem dúvida a juíza é o governador estavam ao abrigo de suas casas confortáveis enquanto cidadãos de sua cidade eram despejados, postos no olho do abandono.

    • Se a casa não é minha…..dane-se….sou socialista

      É claro que todo magistrado (e qualquer cidadão de bem) reconhece que os indivíduos têm direito a um teto. Mas a lei impede a invasão de tetos alheios, sejam  privados ou publicos. O cara tem que comprar, construir, alugar ou consegui-lo legalmente junto aos orgão de assistência social. Bem não é direitismo fascista. Se não for assim vira zona. Esquerdistas de araque adoram arrumar encargos sociais para o Estado. Mudariam de opinião de o imovel invadido fosse um pedaço da sua casa ou do seu quintal. Chamariam a policia ou dariam uns pescoções nos invasores. Bem, não iriam atras do Guilherme Boulos ou do João Pedro Stedili. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome