No ABC, metalúrgicos paralisam atividades e fazem atos contra retirada de direitos

Jornal GGN – Funcionários de 22 empresas pararam suas atividades na manhã de hoje (22) para fazer parte de atos organizados pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em uma mobilização dentro do “Dia Nacional de Paralisação – Nenhum Direito a Menos”. Os atos aconteceram nas cidades de São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, e o dia de mobilização é organizada por centrais sindicais das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

No total, cerca de 8 mil trabalhadores participaram dos atos, de acordo com o sindicato. Na cidade de São Bernardo, estiveram na mobilização cinco mil metalúrgicos de 12 empresas. Outros 2,5 mil trabalhadores de oito fábrica fizeram parte do ato em Diadema.

Rafael Marques, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, afirma que o atual governo sinaliza com medidas que serão um enorme retrocesso para os direitos dos trabalhadores. “Vivemos um momento crucial da história. Está em curso um golpe que tem como foco uma mudança estrutural no País, que passa pela retirada e redução de direitos básicos como Previdência, jornada de trabalho, verbas para saúde e educação. Nossa mobilização será fundamental”, afirmou, dizendo também que “não vamos permitir que retirem o que nós e as gerações anteriores conquistaram com muita luta”.

Os trabalhadores também aprovaram o apoio para um proposta de greve geral, caso o govero Temer avance na retirada de direitos. “Se os direitos da classe trabalhadora continuarem em risco, os metalúrgicos do ABC estão prontos para a greve geral”, salientou o presidente do sindicato.

 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome