Quem inspira os jovens liberais que protestam contra Dilma e a esquerda?

Jornal GGN – Quem inspira os meninos da ultra-direita brasileira que agitam protestos contra o PT e a presidente Dilma Rousseff? Segundo reportagem publicada ontem, dia 27, no Valor, os jovens são inspirados ideologicamente pela Atlas Network, uma empresa sediada em Washington (EUA), que prega o livre mercado, e que mantém parceria com instituições brasileiras, que recebem dinheiro para promover palestras, divulgar artigos, livros, etc.

“Esses institutos têm servido de fonte de informação e atraído a atenção de adolescentes e jovens na faixa dos 20 anos, muitos deles participantes dos protestos de março e de abril”, escreveu o jornal.

O presidente da Atlas, Alejandro Chafuen, argentino radicado nos Estados Unidos, o organismo não se envolve em “assustos de rua ou política em outros países”. Para ele, foi necessário, inclusive, se afastar de instituições ligadas ao Tea Party, uma ala conservadora do Partido Republicano.

No caso do Brasil, Chafuen enxerga a influência da Atlas sobre o pensamento dos jovens que protestam contra os governos do PT. “Obviamente há certa correlação entre as pessoas que passam por nossos programas e pelos institutos com que trabalhamos e o que está acontecendo aqui”, disse ao Valor.

No Brasil, a Atlas lista como parceiras o Centro Interdisciplinar de Ética e Economia Personalista, do Rio; Estudantes Pela Liberdade, de Belo Horizonte; o Instituto de Estados Empresariais, de Porto Alegre; o Instituto de Formação de Líderes, também de Belo Horizonte; o Instituto Liberal, do Rio; o Instituto Liberdade, de Porto Alegre; o Instituto Ludwig Von Mises, de São Paulo; o Instituto Milenium, também do Rio e o Ordem Livre, de Petrópolis.

Leia também:  Kataguiri admite pressão ruralista e de governo em substitutivo contra controle ambiental

O presidente do Mises Hélio Beltrão disse ao Valor que o foco em São Paulo são jovens universitários liberais que possam disseminar a mensagem do grupo nas instituições que, na visão dele, são doutrinadas pela esquerda.

O cientista político Fábio Ostermann, um dos fundados do Movimento Brasil Livre (MBL) – que marcha de São Paulo a Brasília cobrando o impeachment de Dilma – trabalhou por dois meses e meio para a entidade americana. Ele diz que ainda não houve doações para o MBL pela Atlas.

A Atlas distribuiu no Brasil cerca de 20 mil dólares por ano, segundo Chafuen. O grupo Estudantes pela Liberdade recebeu no ano passado cerca de 10 mil dólares. “O dinheiro que mantém as atividades da Atlas vem, em sua maioria, de fundações e cidadãos dos Estados Unidos. (…) Os doadores têm preferências distintas. Alguns são religiosos conservadores; outros, libertários.”

A Atlas possui hoje cerca de 450 instituições espalhadas pelo mundo, inclusive em países como Venezuela, China, Irã, Nepal.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

57 comentários

    • Alguém aqui está propondo a

      Alguém aqui está propondo a expulsão e criminalização do Atlas Network como vocês malucos da direita propõe em relação ao Foro de São Paulo?

    • Lógica do Hospício. Para você
      Lógica do Hospício. Para você a defesa da Petrobrás e do Pré-sal (PT) é igual à entrega de ambos aos gringos mediante um golpe de estado contra a soberania popular afirmada nas urnas. Mano, na boa… você já foi interditado ou é apenas candidato à interdição?

      • Xarázinho… onde vc leu que

        Xarázinho… onde vc leu que Foro de São Paulo defende Petrobrás e Pré-Sal????

        Estamos é entregando recursos (impostos pagos) via BNDES à paíse falidos tipo, Venezuela, Cuba e Argentina e vc não diz nada…. Deixa de fumar um pouco…

        • Primeiro: não sou seu

          Primeiro: não sou seu xarazinho. Sou bem mais velho que você e infelizmente você foi batizado com o mesmo nome que eu.

          Segundo: todo país faz política externa, o Brasil faz sua política externa há séculos.

          Terceiro: no cotexto atual da ONU (do qual o Brasil faz parte) todo país deve se relacionar bem com seus vizinhos, deve respeitar o regime político adotado pelos outros povos e evitar interferir violentamente em outro Estado para impor sua vontade (como os EUA ilegalmente fazem, por exemplo).

          Quarto: a competência para elaborar a política externa brasileira é do Itamaraty, não é nem sua nem de ninguém (é claro que todo cretino autoritário acredita que somente ele tem direito de dizer como e onde o país deve aplicar seus recursos).

          Quinto: Cuba, Venezuela, Argentina, etc… fazem parte da ONU. A Argentina é membro do Mercosul. A política externa brasileira não é submissa à política externa dos EUA (é claro que todo cretino doutrinado no patriotismo “azul e vermelho” acredita que o que é bom para os EUA é bom para o Brasil, muito embora neste caso a única coisa certa é que o Brasil entrará com a bunda e os EUA com a pica).

          Sexto: não perderei mais meu tempo com um moleque besta que acredita que traição é igual a patriotismo, que detesta a soberania popular, que acredita ser “superior” ao povo brasileiro, que desdenha a política externa do seu país elaborada pelo órgão público competente e que é candidato a morrer na guerra civil que pretende começar. Não conte com minha presença no seu enterro. A única coisa que direi quando você morrer é: Small loss!

        • Ué, não foi acompanhar o Kim

          Ué, não foi acompanhar o Kim “Pleisteicho” Kataguiri na caminhada à Brasília?

    • Na boa … eu sou até contra

      Na boa … eu sou até contra a venda e o abandono de animais … o autor desse texto é a favor da venda e abandono de crianças … só pode ser brincadeira.

  1. Caro Nassif e demais
    Sempre

    Caro Nassif e demais

    Sempre teremos os jovens inspirados pelas direita e pelas esquerdas, quando esse jovem é inspirado pelas direitas, ele se torna herói, protegido pela mídia, quando é pela esquerda ele é bandido, degenerado.

    Uma greve, como a dos caminhoneiros, contra a Dilma, é coisa de heróis, quando é contra o PSDB, como a do magistério em SP, é coisa de bandidos, de baderneiros.

    Então esses jovens de direita, estão tendo o seu momento JB, SM, logo a globo, e outras mídias irão dar a eles troféus, medalhas, empregos entre outras coisas.

    Saudações

     

    • Vc diria que 2 a 3% de

      Vc diria que 2 a 3% de professores parados é uma GREVE dos magistérios? Ou é só da Bebel “quebra-espinha”…

  2. No Brasil, a Atlas lista como

    No Brasil, a Atlas lista como parceiras o (…)  o Instituto Ludwig Von Mises, de São Paulo (…)

     

    Trecho de um e-book do Instituto  Ludwig Von Mises, “A ètica da Liberdade” 

    http://www.mises.org.br/EbookChapter.aspx?id=18

     

    “Agora se os pais podem possuir seu filho (dentro do sistema da não agressão e da liberdade de fugir), então eles podem também transferir esta posse para outra pessoa.  Eles podem entregar o filho para adoção ou podem vender os direitos sobre a criança em um contrato voluntário.  Em resumo, temos que nos defrontar com o fato de que a sociedade genuinamente livre terá um próspero livre mercado de crianças.” 

     

    “Aplicando nossa teoria ao relacionamento entre pais e filhos, o que já foi dito significa que os pais não têm o direito de agredir seus filhos, mas também que os pais não deveriam ter a obrigação legal de alimentar, de vestir ou de educar seus filhos, já que estas obrigações acarretariam em ações positivas compelidas aos pais, privando-os de seus direitos.  Os pais, portanto, não podem assassinar ou mutilar seu filho, e a lei adequadamente proíbe um pai de fazer isso. Mas os pais deveriam ter o direito legal de não alimentar o filho, i.e., de deixá-lo morrer.  A lei, portanto, não pode compelir justamente os pais a alimentar um filho ou a sustentar sua vida.”

     

    Esses pirralhos sabem onde estão se metendo?

    • Isto explica tudo. Eles foram
      Isto explica tudo. Eles foram adotados pelo Tio San em troca de afagos gringos e alguns dólares e acreditam que todos os brasileiros devem vender aos EUA o que pertence ao Brasil pelo menor preço de mercado.

    • São indivíduos aéticos, imorais e não humanistas.

      Edson.

      Depois da primeira referência ao livro que postasse há mais tempo me dediquei a olhar com maior cuidado a origem do pensamento liberal. Com esta leitura me deixou claro que a crítica ao pensamento liberal deve ser feita a suas bases filosóficas, estas são claramente aéticas, imorais e sem um pingo de espírito humanista.

      O que estou falando não é uma mera oposição a um plano econômico dentro de uma sociedade capitalista, é uma crítica a um posicionamento perante ao ser humano. Um liberal por princípio é alguém que coloca a propriedade como um valor que transcende tudo inclusive a vida. Este livro, A ética da liberdade, deveria ser lido por aqueles que não gostam do liberalismo sob o plano econômico pois renovará em muito a necessidade de extirpar este pensamento de qualquer sociedade que seja baseada em qualquer espírito humanista e inclusive religioso.

      A dita origem do pensamento liberal começa por uma verdadeira farsa, em que os mesmo se dizem herdeiros do pensamento dos Escolásticos Tardios, uma imensa farsa que mostra até que ponto chegam as pessoas na adoração do dinheiro e da propriedade como templo e como meta. Os escolásticos tinham como base do seu trabalho o chamado preço justo, que para Ludwig von Mises seria exatamente o contrário de toda a lógica do mercado.

      Ludwig von Mises,escreve inclusive do seu texto básico de economia, Ação Humana: Um Tratado de Economia, que:

      “Se a doutrina escolástica do preço justo tivesse vigorado, as condições econômicas do século XIII ainda prevaleceriam. A população seria bem menor do que é hoje e o nível de vida seria muito inferior.” 

       

      • Posse

        Para eles, tudo é baseado na POSSE de algo.

        Os filhos são PROPRIEDADE dos pais.

        A partir daí, ir para outros tipos de compra e venda de posses é um pulinho….

         

        Esses caras são tão radicais que nem os tubarões de Wall Sreet ligam para o que eles dizem.

         

        E uns babacas por aqui acham eles o máximo.

        • E povo é escroto. no dia do

          E povo é escroto. no dia do feriado de tIradentes,em comentários referente a charge de Laert.teve uma que postou um bestiologo nitidamente confeccionado para idiotas distribuir.no qual defendia que tiradentes era um coxinha,pois defendia ideías liberais..pois havia uma onda capitalista na Europa,questionei como ele irir implatar o capitalismo no Brasil se havia escravidão , a qual só foi abolida quase 100 anos depois da Inconfidencia?Olha a resposta:”os escravos seriam meio de produção igual a terra”. 

    • Como diz uma canção

      Como diz uma canção interpretada por Caetano Veloso:

      De repente vendi meus filhos

      pra uma família americana

      eles tem carro, eles tem grana

      eles tem casa e a grama é bacana

      só assim eles podem voltar

      e pagar um sol em Copacabana.

    • Pra quem acha inacreditável, assista: os imbecilizados existem.

      Eles defendem o extremo individualismo, para eles a sociedade não existe, o que existe são os indivíduos, portanto, não há nenhuma esfera pública de mediação, que não seja o ente chamado de mercado, todas as relações sociais, toda a vida deve ser mercantilizada. A propriedade e a liberdade individual devem ser absolutas, inquestionáveis, como um direito divino fundado na… razão. O egoismo deve ser exaltado como virtude e o altruismo condenado como vício. Veja os vídeos a seguir:

      “Eu apoio comércio de ógãos humanos, Pelo fim da proibição do comércio de órgãos humanos, incluindo sangue, tecidos etc”

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=lU-Q3D3sv5E%5D

      A defesa do comércio de crianças:

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=MhBrwOyg-H8%5D

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=Wn3_DdAGURg%5D

      A defesa do egoismo e a definição da sociedade como aberração (1:30)

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=mN4A9Dp1IF4%5D

      • Importante chamar a atenção que não é uma opinião, mas…

        Importante chamar a atenção que a opinião deste jovem e iberbe rapaz não se trata de uma opinião isolada dele, mas sim da opinião dos neoliberais baseada na sua teoria que bota no lixo séculos ou milênios da evolução social e cultural da humanidade.

        • Ele é um papagaio de uma ideologia chamada anarco-capitalismo.

          Trata-se de uma variante das ideias neo-liberais. Não é um “jovem e imberbe”, pelo menos não tanto assim, é apenas um filhinho de papai, com mais de trinta anos e ainda mora com os pais, sem uma vivência real no mundo adulto, que deixa transparecer nos ‘argumentos’ que usa para defender as ideias que propaga em seus vídeos. Fatura alguma coisa com anúncios em suas páginas e no canal no YouTube, que têm bastantes seguidores, não duviedm da capacidade deste sistema de criar imbecis alienados, talvez até descole mais algum patrocínio extra para prosseguir com sua atiidade na rede, mas é a condição familiar que lhe permite viver como eterno adolescente e ‘coerente’ com suas posições ideológicas; é um perfeito robô, serve de arquétipo para se ver como a ideologia se manifesta de maneira pura e sem mediação.

          A correntes neo-liberais não têm nada a ver com o liberalismo do passado, que era uma ideologia de classes médias em reação ao absolutismo; elas espelham a realidade da era moderna, em que as megacorporações ultrapassam os espaços dos estados nacionais. O neo-liberalismo é uma ideologia de (muito) ricos. Eles se apresentam como “libertários”, por contestarem o estado. Mas seria melhor diferenciá-los dos verdadeiros libertários, os anarquistas, que são anti-capitalistas, enuqanto eles se identificam com o capitalismo, daí a expressão anarco-capitalismo, de um capitalismo que se pretende viver fora e para além do estado, ou seja, uma ideologia adequada ao megacapitalismo atual, das corporações pertencentes aos super-hiper-ricos.

          No fundo, tratam-se de ideias anti-republicanas, eles negam qualquer legitimidade em delimitar no espaço público o extremo mercantilismo que eles reivindicam. Eles concebem a internet como espaço privado e não um espaço público, já que provedores e portais neles organizados, como os google, facebooks e outros, são organizações privadas e que, portanto, devem ser livrede interferências dos estados; mesmo quando se sabe que é um fato histórico que a internet teve origem em iniciativa do estado e dependem de infraestruturas controladas pelos estados para permanecer. Defendem que, uma vez que os estados não conseguem barrar tudo que é colocado na rede, então tudo deve ser permitido pela via da livre mercantilização. Voltamos ao “robozinho” ideológico no exemplo abaixo.

          Nestes vídeo defende que o estado erra quando combate a pedofilia, é inútil seu esforço, logo a pedofilia se torna legítima, já que os atos para combatê-las são ineficazes. Ele defende que o provedor do serviço não deve auxiliar o estado nos caso de crimes de pedofilia.

          [video:https://www.youtube.com/watch?v=2hjnmfbY-dE%5D

      • Este sujeito, no último

        Este sujeito, no último vídeo, é um completo imbecil.

        Não passa de um protótipo (ou seria “mula”?) de Olavo Carvalho.

    • Acho que sabem, não são só

      Acho que sabem, não são só ingenuos. Pensam que são da ‘elite’, que pertencem a ela. Só devem ser entendidos para serem firmemente combatidos e não para passar a mão na cabeça de camarão. Todos os neoliberais  que conheço acham que o pregam vale para os outros mas não para eles. Tá cheio dessas criaturas nefastas estudando nas Universades públicas pregando a privatização e a cobrança de mensalidades. Com o dinheiro dos outros é fácil, quero ver coçar o bolso para ir gramar em uma privada(com trocadilho).

  3. Discordo. Não são jovens

    Discordo. Não são jovens liberais nem neoliberais. São jovens débeis mentais que estão sendo doutrinados para entregar as riquezas do Brasi aos EUA em troca de afagos gringos e alguns dólares. Simples assim!

    • PREZADOS LEITORES; esses

      PREZADOS LEITORES; esses jovens mais se parecem com aqueles habitantes que aqui existiam na chegada dos primeiros Europeus (ler DARCY RIBEIRO); são brasileir5os que ainda se contentam em receber quinquilharias ao passo que estariam des-oferecendo oportunidades reais dentro de nosso grande território.

  4. Podemos ver o lado bom. Se

    Podemos ver o lado bom. Se formos recordar a quantidade de indivíduos que foram esquerdistas na juventude e depois de uma incerta idade penderam para a direita, pode ser que esses guris tenham um futuro melhorzinho, fazendo o caminho inverso.

    Ou não, sei lá, já me perdi nesse negócio todo de esquerda, direita, reacionário, progressista, depois de observar quanta gente é desmascarada pelo detalhe.Tipo dizer que até o garagista entende, ou 5 minutos após o tal panelaço sacar que deveria ser a classe média batendo panelas Le Creuset – ô conhecimento de panela que custa 1000 reais, sô.

    Às vezes bate nostalgia, e fico esperando ler um texto do Leandro Konder sobre esse quiproquó. Mas acho que ele nem perderia tempo com isso.

    • Querida Nira, os que eram

      Querida Nira, os que eram esquerdistas na juventude é porque leram Marx. Quando entederam Marx, já adultos, é viraram direitistas… Já outros continuaram adolescentes…

      • Ódio à gramática e à lógica

        alguns garraram ódio da gramática em tenra idade e nunca mais conseguiram fazer as pazes…

      • Acho que os esquerdistas que

        Acho que os esquerdistas que viraram direitstas quando adultos, nunca leram Marx. Recitavam os manuizinhos dos partidos. Quando viram que a URSS acabou e o comunismo não ia mais chegar ao poder, mudaram de lado. Nunca foram esquerdistas nem direitistas, sempre foram e continuaram sendo oportunistas. Conheço uma porção. E repare como seu comentário é incoerente com a matéria: a direita hoje é na sua maioria formada por…adolescentes!!!

  5. Pelo que este moleque fala (e

    Pelo que este moleque fala (e lemos o que ele diz a respeito de tudo), creio que o cérebro dele é incapaz de suportar alguma coisa mais complexa do uma história da Mônica e do cebolinha. E este camarada é um fantochão dos irmãos Koch (mas seu cérebro binário não foi capaz de perceber isso) 

  6. paranoia

    Esse Hélio Beltrão é filho daquele mesmo Hélio Beltrão, deputado financiado pelo IPES/IBAD e posteriormente ministro de Costa e Silva.

    É mal de família.

    Um livrinho que também faz sucesso entre esses pobres moços é o CAMINHO DA SERVIDÃO,  – obra paranoica de Hayek, que via ameaça totalitária e comunista na vitória eleitoral dos singelos trabalhistas de Clement Attlee sobre Churchill, já em 1945.

    E se por aqui a ameaça era o comunismo; hoje se chama “bolivarianismo”…

    O desconhecimento histórico dessa rapaziada “liberal” que se expressa nos canais youtubescos da vida é não somente lastimável, mas chega a dar medo.

    É a paranoia seguindo firme.

    • Pois é. São uns tolos que

      Pois é. São uns tolos que servem de massa de manobra para o reforço de privilégios, de ressentimentos e de um sem número de neuroses. Embarcam fácil fácil nesse bestialógico repleto de espantalhos. Quase nem dá pra chamar de ideologia, de tão tosco. Não é à toaa que defendem golpe militar, paraguaio, hondurenho; mandam cartinha pro Obama; defendem a abolição do sistema de três poderes e por aí vai.

      São, na quase totalidade dos casos, uns semianalfabetos com diploma. As Universidades estão cheias deles. Pessoas que chegam até a concluir um curso inteiro de graduação sem ler um livro sequer. Ficam só repetindo bordões simplórios.

      E a coisa está piorando, porque estão cada vez mais – além de ignorantes – mal educados, “valentes”…

      Perderam a modéstia.

      Em muitos casos não passam de antiesquerdistas movidos só por raivinha e rebeldia. Tá na moda.

      • Ainda Helio Beltrão:

        foi ‘ministro da desburocratização’ do Figueiredo (lembram?). E, salvo engano, Helio Beltrão é pai de Maria Beltrão, da… Globonews!!

        Tudo a ver…

  7. Só uma perguntinha; o que

    Só uma perguntinha; o que aconteceria se entidades de “paises falidos” financiassem entidades que promovessem vários protestos contra o presidente Obama? Inclusive com direito a impitim? O que aconteceria com essas entidades “livres” na “pátria da liberdade”?

  8. Quem formula e comanda as

    Quem formula e comanda as políticas educacionais tem boa dose de responsabilidade também. Deveriam exigir políticas de conscientização sobre os poderes constituídos e a quem esses poderes estão subservientes. A ponto de surgir uma vontade louca de andar ônibus circular por parte de quem não utiliza esse meio de transporte. Mas o que pegou mesmo foi sairmo de um PIB de 1,4 trilhões em 2002 para 5,5 trilhões em 2014 sob o comando de governos trabalhistas. Haja instituto para insuflar jovens que a mídia não consegue mais enganar.

  9. A primeira vez que li um

    A primeira vez que li um artigo sobre essa entidade,foi no site do PCO.

    Esses caras pregam  a extinção dos sindicatos dos trabalhadores.

    Não sei se foi por acaso essa tentativa de criminalização da CUT ,pelo Moro e a midia .

  10. Revolução de Veludo… na Sérvia

    “De importância vital foi o movimento estudantil chamado Otpor, que significa “resistência” , fundado em 1998 como sucessor mais radical dos protestos estudantis de 1996 e 1997. Um militante me disse que os membros da Otpor aprenderam em seminários planejados por organizações não governamentais financiadas pelo Ocidente, como campanhas por direitos e de desobediência civil haviam sido organizadas em outros lugares, de Martin Luther King ao último ano na Croácia. Eram estudantes que estavam se formando em Revolução Comparativa. Mas acrescentaram uma centena de variações criativas próprias. Por exemplo, apareciam nas longas filas de açúcar e óleo com camisetas onde estava escrito “Tudo na Sérvia está o.k.”. Portando sua inconfundível bandeira com o punho cerrado, enfrentaram a polícia uma, duas, muitas vezes. Mais de 1500 militantes da Otpor foram presos durante o ano que levou à revolução.

    Tal como os militantes da sociedade civil nas eleições eslovacas que derrubaram Vladimir Meciar em 1998, eles organizaram uma campanha para “sacudir o voto”. Concertos populares de rock foram combinados com a mensagem para sair e votar. Inventaram o slogan “Vreme je!” – “Esta na hora!” ou “Agora é a hora!” -, que era exatamente o que a multidão cantava em Praga em 1989. Depois, acharam um ainda melhor, “Gotov je!” – “Ele está acabado!” -, que se tornou o lema dessa revolução, colado em cartazes de Milosevic, escrito em bonés e faixas, pichado nos muros da cidade e gritado por 100 mil gargantas.

    Muitas outras pessoas desse mundo da atividade independente – o que na Eslováquia chamam de”terceiro setor” – contribuíram para a causa. Pesquisadores de opinião pública independentes, alguns com financiamento americano, faziam pesquisas periódicas que sugeriam que Kostunica estava ganhando. Havia incontáveis voluntários de campanha e fiscais independentes de eleição. Milhões de dólares ocidentais haviam sido desperdiçados em projetos da “sociedade civil” em toda a Europa pós-comunista, mas dessa vez, nesse lugar, certamente valeu a pena.

    […]

    É que muita gente que no passado tinha votado em Milosevic simplesmente decidiu que já bastava. O líder perdera o contato com a realidade. Por estar no poder havia tanto tempo, era culpado pelas dificuldades do presente. Era hora de mudar. Segundo Ognjen Pribicevic, velho crítico de Milosevic, foi como o que aconteceu com Margaret Thacher e Helmut Kohl, depois de seus onze e dezesseis anos no poder. A comparação com Thatcher ou Kohl pode parecer surpreendente, até insultuosa. Contudo, é um lembrete útil de que para muitos eleitores sérvios Milosevic não era um criminoso de guerra ou um tirano. Era apenas um líder nacional que fez algumas coisas boas e algumas ruins, mas que agora tinha de ir embora.

    […]

    A tomada da televisão estatal foi ela mesma outra imagem televisiva convincente: a “TV Bastilha” em chamas. Mas significou também que a oposição controlava agora o lugar que produzia as imagens. E isso, não o Exército ou a polícia, é o verdadeiro coração do poder na política moderna.

    […]

    Lembro do líder da oposição polonesa Jacek Kuron dizendo em Varsóvia, em 1989, que, se tivesse de escolher entre controlar a polícia secreta e a televisão, escolheria a tevê. Nossas democracias são democracias de televisão. 

    […]

    A ditadura de Milosevic era uma ditadura de televisão. E a televisão esteve igualmente no centro da revolução. Da teleditadura, via telerrevolução, para a teledemocracia.”

    OS FATOS SÃO SUBVERSIVOS, Timothy Garton Ash. Trad. Pedro Maia Soares. Companhia das Letras, 2011.

     

  11. pérolas de Von Mises o aristocrata que inspira os ‘liberais'(!)

    “Não se pode negar que o Fascismo e movimento similares visando o estabelecimento de ditaduras são repletos das melhores intenções e que suas intervenções têm salvo a civilização Européia até agora. O mérito que o Fascismo ganhou desse modo para si viverá eternamente na História.”(Liberalism, p. 51) “as massas carecem da capacidade de pensar logicamente”(Liberalism, p.157). “haverá sempre no topo da escada social pessoas ricas, politicamente importantes”(As seis Lições, p.34);”Nada é mais mal fundado do que a afirmação de uma alegada igualdade de todos os membros da raça humana. Os homens são desiguais.(…) Os homens não são iguais, e a demanda por igualdade diante da lei não pode ser fundamentada no argumentno de que se deve o tratamento igual aos iguais (Liberalism, p.28)

    Atenção nas citações a seguir não estou pregando o racismo mas fazendo uma denúncia: “A espécie humana é subdividida em grupos raciais com traços biológicos hereditários. A experiencia histórica não impede a suposição de que há membros de alguns grupos raciais mais bem dotados que outras raças para conceber ideiais mais precisas (theory and History, p.160-161)”A tese de que algumas raças tem sido mais bem sucedidas que outras nos esforços para desenvolver a civilização é uma afirmação irrefutável sobre a experiência histórica” (Theory and History, p.334)

    Opiniões de alguns liberais sobre Von Mises:“Reason:Você conheceu Mises pesoalmente. Você viu a intolerancia que você encontrou no seu método também no seu comportamento pessoal? Milton Friedman: sem dúvida nenhuma”

    “Professor Von Mises tem uma esplendiada mente analítica e uma admirável paixão pela liberdade; mas como estudioso da natureza humana é menos que nada e como debatedor está no nível do Hyde Park” The Economist, “Liberalism in Caricature”13 de Abril de 1957

     

  12. “Muy rico!”

    Vi um vídeo num post abaixo em que o autor defende que se possa vender o próprio sangue, os próprios órgãos, os filhos até… e um outro, em que um MC-alguma-coisa defende que a filha, aos oito anos, desfile egoísmos e auto-celebrações…

     

    Quando vejo essa gente dizendo que as únicas coisas importantes na vida são elas próprias e dinheiro, me ocorre: “Quanta pobreza!”, e admiro o idioma espanhol pela acepção que dá ao adjetivo “rico”.

     

    “Like a child who was always poor reaching out for more I could feel the hunger growing”

    Paul Williams – Faust (do filme “O Fantasma do Paraíso”)

     

    P.S.: Lembrei também do conselho de Mary Schmish no ensaio “Advide, like youth, probably just wasted on the young”, no Brasil popularizado como “Use filtro solar”:

    “Do not read beauty magazines. They will only make you feel ugly.” (“Não leia revistas de beleza. Elas só farão você sentir-se feia.”)

    Evite ler as versões das revistas Capricho ou Caras para liberais e executivos – Você S/A, Forbes etc. Elas só farão você sentir-se pobre.

  13. São todos olavetes!!

    Todos esses bobocas são seguidores do “filósofo” e embusteiro profissional Olavo de Carvalho…..

     

  14. Esse artigo é extremamente
    Esse artigo é extremamente revelador das origens das nefastas ideias plantadas na cabeça de boa parte de integrantes das classes média e alta da sociedade brasileira, principalmente nas regiões sudeste.

  15. Por oportuno: o

    Por oportuno: o neoliberalismo, pelo menos no Brasil, tem-se revelado um desastre total.

    A esperada competência do empresariado privado não surtiu efeito porque essa eficiência está intimamente associada com os objetivos próprios do empresário. Aqueles que gerem seus próprios negócios têm, como prioridade, o futuro sadio da empresa e investem em políticas que visam esse objetivo. Já os empresários que administram as grandes empresas privatizadas têm como objetivo prioritário gerar o máximo de lucro possível, para satisfazer os interesses dos verdadeiros donos, os acionistas.

    Pode-se citar diversos prejuízos advindos da administração privatizada. A Sabesp é exemplo cabal de todos eles.

    1- Mão de obra terceirizada, desqualificada, mal remunerada, com alta rotatividade e aquém do número necessário, visando a redução de custos, ainda que à custa da qualidade do serviço. Outrora, a crítica que se fazia era o suposto acomodamento da mão de obra devido à estabilidade. Esquecia-se que essa minoria acomodada era amplamente compensada pela grande maioria de funcionários experientes e comprometidos com a empresa.

    2- Os acionistas são empresas ou pessoas físicas de posses, boa parte residente no exterior, que por não serem usuários dos serviços não fazem qualquer pressão para cobrar eficiência na atividade exercida.

    3- O investimento em infraestrutura e melhorias é postergado o máximo possível, já que resulta em custos e consequente redução do lucro, o que a administração presente prefere deixar para as futuras. Antigamente, o investimento em infraestrutura dava ao país a possibilidade de geração de empregos em momentos de necessidade.

    4- A balança de pagamento do país sofre efeito negativo, já que lucros e dividendos podem e são remetidos ao exterior na hora que for mais conveniente aos acionistas.

    5- Caso a empresa passe a ter problemas em consequência da má administração, os acionistas saberão de antemão e se desfarão das ações com lucro, jogando nas costas do povo e do governo brasileiro os prejuízos.

    Esse tem sido o quadro apresentado em relação à grande maioria das empresas privatizadas, principalmente na geração de energia e água. A mínima participação estatal na economia do país, pregada pelo neoliberalismo, tem que ter limites. Relegar à iniciativa privada o controle sobre bens de primeira necessidade é tornar o país refém dos interesses da elite econômica mundial. 

    • O neoliberalismo nunca existiu no Brasil

      O neoliberalismo, termo já em desuso no resto do mundo, pertence ao contexto da Inglaterra de Thatcher e dos EUA de Reagan. Nunca existiu no Brasil nem em lugar nenhum da América Latina, pois por aqui o que se chama de neoliberalismo nada mais é do que o conjunto de medidas de austeridade absolutamente necessárias quando se está gastando mais do que se arrecada. Dilma está sendo “neoliberal” agora. Ela tem alternativa?

      Mas com uma coisa eu concordo: a esperada competência do empresário privado não surtiu efeito. Não surtiu efeito porque o empresário brasileiro, paradoxalmente, é menos liberal do que as esquerdas. A fórmula de sucesso do empresário brasileiro nunca foi o incremento da qualidade, o aumento da oferta nem a superação da concorrência. A fórmula de sucesso do empresário brasileiro sempre foi a boa relação com os círculos do poder político, visando ingressar no seleto clube dos amigos do rei, receber empréstimos do BNDES a juros subsidiados enquanto os outros penam sob os juros altíssimos dos bancos privados, ser pago por um petroleiro com soldas defeituosas o dobro do que cobra um estaleiro coreado por um petroleiro com soldas perfeitas. No fundo, o empresário brasileiro deseja mesmo é voltar para o tempo anterior à abertura dos portos, aquele mundo pré-capitalista onde vigorava o sistema econômico conhecido por mercantilismo, que desconhecia o livre empreendorismo e a livre concorrência, e toda atividade econômica só era possível com a licença e o apoio do rei, que concedia monopólios a seus protegidos. O pré-capitalismo se entende muito bem com o anti-capitalismo…

      Os argumentos exibidos para justificar a falta de competência do empresário privado foram tão preconceituosos e pueris que merecem uma abordagem mais atenta:

      O empresário é mau porque seu objetivo é gerar lucro para os acionistas? Mas o lucro nada mais é do que a geração de riquezas. Graças ao lucro o empresário pode fazer novos empreendimentos, gerar mais encomendas, mais empregos diretos e indiretos, mais impostos recolhidos, etc. Isso é mau?

      Os acionsitas são maus porque não são usuários dos serviços de suas empresas? Se fosse assim, um botequim só poderia ser bom se o dono comesse lá todo dia. Mas quem aguenta sanduíche de pernil e cachaça todo dia?

      O investimento em infraestrutura e melhoras é postergado o máximo possível? Não creio. O beneficiário desses investimentos é a própria empresa. Como você mesmo colocou, trata-se de investimento, e não de gasto.

      Os lucros podem e são remetidos ao exterior? Capital é como o vento, só entra onde tem saída. Se a aplicação no exterior é mais atrativa, então é preciso ver porque e imita-la. E depois, também o capital do Estado pode e é remetido ao exterior, quando o governo importa mais do que exporta.

      Se a empresa está mal, os acionistas vendem suas ações com lucro? Se fosse assim, nunca teriam havido crises como a de 1930 e 2008. Que mundo maravilhoso!

       

      • Respeito seus argumentos, até

        Respeito seus argumentos, até porque você certamente tem conhecimentos superiores ao meu, que sou uma leitora e analista amadora, que sequer concluiu algum curso universitário.

        Concordo com o conteúdo do segundo parágrafo, notadamente com a frase “A fórmula de sucesso do empresário brasileiro sempre foi a boa relação com os círculos do poder político!

        Entretanto, não concordo com os argumentos apresentados em contraponto aos meus, para justificar a falta de competência do empresariado privado.

        Compare cada um dos seus argumentos com a administração da Sabesp.

        – Que riqueza gerou o lucro da empresa? Que empreendimentos, encomendas e empregos diretos ou indiretos foram gerados?

        – Passo sem sanduiche de pernil e cachaça, mas não passo sem água e energia. Por isso eu disse que serviços de primeira necessidade não podem ficar à mercê da iniciativa privada, principalmente se esta iniciativa privada tem acesso a esses serviços em outros países.

        – Quanto à infraestrutura, por que as exigências previstas na Portaria 1213/2004 do DAE foram simplesmente ignoradas?

        – A Sabesp pagou altos dividendos aos seus acionistas e agora levanta empréstimos para obras de emergência. Os dividendos foram-se para o exterior com o vento. O empréstimo ficou para ser pago aqui. Há algo de podre nesse processo.

        – Os acionistas que vendem suas ações com lucro são justamente os da elite econômica, porque têm a informação de que a empresa está mal ANTES da informação chegar ao resto do mercado. (FRAUDE, é claro)

        Se você quiser chamar isso de outro nome que não neoliberalismo, pouco importa. Mas que está sendo um desastre para o Brasil, isto está.

        Usei a Sabesp como exemplo, mas na minha cidade estamos enfrentando problemas semelhantes com a concessionária de energia. E até onde tenho lido, São Paulo também tem problemas semelhantes nesta área.

        • Nada sei da Sabesp, mas…

          Nada sei da Sabesp, e talvez você tenha razão em suas críticas a esta empresa. Mas buscando em minha memória as antigas prestadoras de serviço estatais, não tenho boas recordações. Aqui no RJ eu me lembro da TELERJ, que apelidávamos de TELERDA. Obter uma linha de telefone levava anos. Como todas as estatais na época do regime militar, a TELERJ servia de cabide de emprego, e tínhamos a piada: a TELERJ não entregava os telefones porque tinha muito coronel e pouco cabo.

          Não conheço nenhum país rico que tenha o núcleo de sua economia formado por empresas estatais. Mesmo os conhecidos estados de bem-estar social, como os países escandinavos, sempre tiveram o núcelo de sua economia compostopor grandes empresas privadas.

          • Nada a criticar quanto ao

            Nada a criticar quanto ao núcleo econômico dos países serem formados por grandes empresas privadas, inclusive multinacionais.

            A questão são as prestadoras de serviços essenciais, como água e energia, nas mãos da iniciativa privada, SEM CONCORRÊNCIA.

            Exemplificando a questão da energia: antigamente, quando havia algum problema de energia, eu ligava para a companhia e em pouco tempo ela comparecia e resolvia o problema. Há pouco tempo atrás estourou um transformador em um poste que atende nove residências, por volta das 22 horas. Eu, minha vizinha e provavelmente os outros sete moradores ligamos pedindo o conserto. A companhia comprometeu-se a consertar até as dez horas do dia seguinte. Disse que consertos à noite só são feitos em casos em que a falta de luz atinge um número x (que nem me lembro quanto era) de residências. No dia seguinte, às dez horas, a luz não tinha voltado. Foi preciso o filho da vizinha ir à companhia e fazer um escândalo para providenciarem o conserto.

            Aí vem a grave questão: a empresa não tem concorrência. Portanto, ficamos reféns da companhia. E de seus acionistas. E se nos indispusermos com as terceirizadas que trabalham para essas companhias, reclamando de seus serviços, ainda corremos o risco de sofrer represálias. Sei de casos concretos.

            Também sou da época em que se ficava na fila para adquirir linha telefônica, que inclusive de tão valiosas eram um patrimônio registrado no imposto de renda. A telefonia se desenvolveu muito nas últimas décadas e, lembre-se, nesta área hoje tem concorrência. Se você for muito prejudicado por uma, você troca por outra. Isso faz TODA a diferença.   

          • O governo é o maior formador

            O governo é o maior formador de monopolio (energia, seguranca, jogo de azar…). A falta da concorrencia nos servicos que voce chama de essencias é devido ao monopolio gerado pelo governo, que detem o controle de tais servicos. Retrucando o que voce disse, o problema não é deixar servicos essencias nas mãos de empresas privadas, mas sim na mao de empresas privadas que tiveram a concessao dada pelo governo de formar monopolio de tal servico. A livre entrada de empresas privadas é sempre bem vinda, pois não nos deixa refem de um governo incapaz de fornecer bens de qualidade. 

  16. E por trás desses grupelhos

    E por trás desses grupelhos existe uma sigla sinistra: NED, órgão criado a partir da CIA que trava guerra de infromação permanente contra todos que se opõe aos interesses dos EUA e dissemina selvagemente a ideologia liberal. Ser chamado de ingênuo é pouco para esses bocós de universidade.

  17. A classe média está mudando de lado

    Conheço as páginas de alguns desses institutos citados, eles usam uma linguagem bem acadêmica, em geral não fazem ataques diretos contra políticos, governos ou partidos, e que eu saiba tampouco fazem proselitismo por outros meios que não a internet. Eu acredito que alguns desses jovens esteja mesmo influenciado por esses institutos, mas não é o caso da maioria.

    Minha teoria é outra: esse pessoal pertence a uma classe média que já foi petista no passado, mas que foi abandonada pelo PT a partir do instante em que esse partido obteve o apoio do eleitorado pobre – aquela massa de eleitores imediatistas que pratica o voto de clientela, que antes de pertencer ao PT já foi propriedade do PMDB de Sarney, da ARENA do regime militar e antes ainda dos coronéis do sertão.

    Sentindo-se abandonada, inclusive menosprezada e até atacada com palavras por alguns petistas históricos (vide Marilena Chauí) essa classe média composta em grande parte por jovens universitários procura defender-se com a única arma que tem à mão: o intelecto. Procura entender o que aconteceu, e nesse esforço descobre tardiamente intelectuais liberais e conservadores que são “macacos velhos” em todos os países de bom nível educacional. Pouco tempo atrás, esses meninos universitários nem sabiam quem eram esses sujeitos, e agora vejo-os citados até por um autor de esquerda, como o que escreveu esse blog. Os ventos estão mudando.

  18. E a esquerda não tem influencia externa?

    Antes de mais nada. Sou de esquerda. Sempre fui trotskista e hoje, apesar de não estar militando, me simpatizo pela ultra esquerda. 

    Dito isso, acho uma imensa besteira isso de diminuir as idéias do oponentes com o tipico argumento, tomado da direita diga-se de passagem,  de que ele “é influenciado pelo estrangeiro”. Primeiro que as idéias são universais. Tanto na esquerda como na direita houveram influencias externas (quem não se lembra do das acusações lançadas ao Partidão de receber o chamado ouro de Moscou?), muitos grupos de esquerda tem ligações internacionais. Então é bobagem. 

    A idéias são universais, sejam elas de direita ou de esquerda. Evidentemente a direita liberal está mais organizada e na ofensiva, não é de agora. Desde a decada de 70 eles estão nas universidades americanas. O estranho é que ela não domine ainda o mainstreaming universitário brasileiro (estão alojados mais na PUC Rio, FGV Rio, alguma coisa de FGV SP).

    Surpreende que só agora tenham surgidos no país jovens de declarados de direita, como esse rapaz. Pelo menos o debate agora é mais franco, mais claro. Antes todo mundo era de esquerda. E ai o debate era confuso pra chuchu. Eu me vi muitas vezes debatendo com “independentes” ou “militantes do MR8 e era uma loucura. Os tais independentes eram claramente ligados ao PSDB e ficavam pousando de…  independente.

    Sobre o rapaz acho que estão dando muito cartaz a ele (da mesma maneira que deram ao Lindenberg Farias no Fora Collor). Não é para tanto. Diga-se de passagem que o rapaz ai em questão é bem fraquinho. Pra mim só faz barulho e desqualifica. Mas de argumento é fraquinho, fraquinho.

     

  19. Falar em “esquerda” x

    Falar em “esquerda” x “direita” apenas disfarça a verdadeira disputa pelo poder político institucional que está ocorrendo não só no Brasil mas em todos os países ditos ocidentais, que é a luta de privatistas contra estatista. E nesse luta, privatistas não oferecem alternativa para a solução dos problemas sociais causados pelo capitalismo (e inclusive com a assunção dos próprios capitalistas como causadores desses problemas), apenas negam as soluções que o estatismo apresenta. E como apenas negam, acabam sendo apenas, ué… negativos, mesmo. Negativos, raivosos, irracionais e tudo isso com ar blasé, de quem bate panela das varandas de apartamentos de luxo para depois, como pura molecagem, comentarem entre si rindo.

     

    O que pretendem os privatistas é alcançar o poder político para desmontá-lo, senão totalmente, em qualquer iniciativa que vá além da segrança patrimonial. Pretendem, por exemplo, acabar com a saúde e a educação públicas para fortalecer o estabelecimento desses serviços pela iniciativa privada. A contradição é que privatistas tupiniquins parecem admirar sistemas de saúde e educação de países europeus.

     

    – “Não me incomodaria de pagar até mais impostos do que pago desde que tivéssemos saúde e educação públicas de primeiro mundo.”

     

    E aí, em vez de elegerem estatistas – que poderiam aperfeiçoar os serviços públicos – como representantes democráticos, elegem privatistas, que certamente sucatearão e privatizarão esses serviços.

     

    Tá faltando seriedade, profundidade, responsabilidade cidadã nesses nosso liberais, faltando, como dizia a Paula Toller, “tirar essa bermuda” e deixar de ser moleque.

     

    E finalmente, quem inspira essa molecada? Fácil: a própria mentalidade privatista e sua arma principal: a propaganda comercial. Sabemos que moleque compra por impulso. Então não só divulgamos que bom senso, maturidade e solidariedade são “caretas”, como que é imprescindível para estar na moda ser eternamente imaturo. Acho que alguém já vem falando isso há um tempo, da dificuldade que causa a gente levar para as relações de afeto a ideologia do consumo, não? Algo perto de “relações liquidas” é isso?

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome