Sobre violência e manifestações, um relato triste

Por Marina dos Anjos

Sempre tive posições políticas e ideológicas bastante claras. Nunca escondi o que eu penso em nenhum lugar: trabalho, escola, universidade, família. Não me lembro de, um dia, ter sido diferente. Tenho uma posição que costumo chamar de esquerda resignada, acredito que vivemos em uma política de coalizão, onde não vale sempre ter razão, às vezes se faz necessário entrar no jogo político e negociar com figurões assumidamente desonestos. Convenhamos: grandes empresas e grupos midiáticos que controlam esse país.

Sou jornalista e, apesar de não exercer a profissão na atuação mais óbvia, o título de jornalista pegou em mim de forma irreversível. Continuo curiosa, mas agora mais atenta a discursos, estratégias de comunicação, manipulação e argumentos. Se algo essa profissão me fez foi ampliar meu senso de justiça e de me fazer ouvir, sempre, ambos os lados.

Quem me conhece sabe: sou esquentada, amo política, mas nunca desrespeitei ninguém. Busco sempre uma argumentação mais qualitativa.  Basta fazer uma busca pelas minhas publicações recentes no Facebook, local onde compartilho minha opinião, que verá: nunca agredi ninguém.

Na noite de quarta, 16 de março, tive que fazer um caminho que normalmente não faço. Saí da Consolação em direção à Ana Rosa. A ideia era pegar metrô na estação Consolação, mas chegando ao local me deparei com alguns manifestantes (uma, sozinha, tentava fechar a Consolação agitando duas bandeiras do Brasil na faixa de pedestres), andando pela avenida sentido Vila Mariana. Consultei o relógio, eram 20h, e só iria encontrar minha mãe às 20h30. Tinha tempo e curiosidade. Decidi, então, caminhar um pouco mais e pegar o metrô na estação Trianon-Masp, aproveitar e ver o que pela TV, pouco tempo antes, já tinha visto: uma manifestação, convocada pelo Movimento Brasil Livre, estava acontecendo em frente ao Masp.

Ao longo do caminho fui percebendo mais e mais manifestantes se juntando, todos vestidos com as cores do Brasil. Alguns carros passavam, buzinavam. Uns veículos exibiam bandeiras do Brasil e outros o Pixuleco, o boneco inflável do Lula. Quando passavam, os manifestantes aplaudiam.

Leia também:  Como um mequetrefe no Ratinho, Moro negou tudo, por Armando Coelho Neto

Chegando no Masp, a calçada estava tomada de manifestantes e, para chegar à estação, eu teria que atravessar a multidão. Decidi, então, atravessar a avenida – nesse momento já fechada pela CET – em direção ao Parque Trianon. Antes de chegar no meio da pista, antes mesmo da ciclovia, um rapaz branco, cabelo preto, entre 35-40 anos, se aproximou. Carregava bandeiras do Brasil com algo escrito no local da faixa Ordem e Progresso. Não consegui ler. Ele gritava “Fora Lula” e sorria, me estendendo as bandeiras. Disse que “Não, obrigada. Não compactuo com golpe”, mostrei a palma da mão, como que negando o que ele me entregava.

Foi aí que o rosto dele mudou.

Me puxou pelo braço no momento em que eu já me virava para continuar atravessando a Paulista. Perguntou o que eu tinha dito. Repeti que não compactuo com golpe e virei novamente. Ele então me puxou mais uma vez, me chamou de puta, ordenou que eu pegasse as bandeiras e disse que eu deveria lutar por um Brasil melhor. Sorri, peguei as duas bandeiras, rasguei uma e me virei para continuar andando. Antes que conseguisse me virar totalmente, levei um murro na boca do estômago. Felizmente não machucou, não pegou direito, já estava praticamente virada. Minha única reação foi correr ao outro lado da avenida. Ouvi: “corre, comunista!”.

Ao chegar na calçada continuei andando, rápido. Passei por um bar de esquina, cheio de gente, e foi só aí que olhei para trás. Não o vi mais. Andei depressa para o metrô e embarquei imediatamente.

Fiquei mexida. Inconformada para ser honesta. Confesso que apesar de sentir essa onda de violência tomando forma, nunca imaginei que pudesse acontecer comigo.

Leia também:  Moro balança, mas não cai?, por Lincoln Barros

Desde as manifestações de junho de 2013 – que me recuso a chamar de Jornadas de Junho – comandadas pelo Movimento Passe Livre, venho sentindo que acordamos um monstro. Uma parcela da população que andava escondida, escondendo suas opiniões, reprimindo a raiva. Esse pessoal, apoiado pelos grandes veículos midiáticos que começaram a apoiar a causa, teve forças para ir às ruas, gritar pelo que quisessem. Eles foram. Aprenderam que a rua é local de manifestações. Que juntos têm poder. Em uma das últimas manifestações de 2013, assisti atônita aos manifestantes agredirem quem estava de vermelho. Lembro do caso de uma facada. Lembro de um amigo, envolvido em questões políticas, que pediu ajuda para conseguir uma camiseta de outra cor e sair do bar que estava sem ser agredido.

Nesse dia eu chorei. Prenunciei que algo pior estava por vir. Xinguei a mim e a toda essa geração revolucionária de ingênuos. Por cutucar quem estava quieto. Por achar que estava tudo bem marchar ao lado das primeiras faixas pedindo Fora PT e aos gritos de “Sem partido”. Lá achei que era o início de uma época bem difícil. Meus amigos me tranquilizaram, disseram que não era pra tanto.

Três anos depois, não fico feliz em perceber que talvez, já naquela época, o meu feeling estivesse certo.

Marina dos Anjos
Jornalista
25 anos

49 comentários

  1. E é a Globo quem está

    E é a Globo quem está estimulando a violência. Em qualquer país solidamente democrático o sinal dela já teria sido cortado e seus donos presos a bem da ordem pública!

  2. E eis o novo Reich. No

    E eis o novo Reich. No Brasil. Em pouco tempo quem tiver pensamentos “subversivos” será levado para prisão e irá desaparecer de lá. Vocês brasileiros não aprenderam a lição da última vez?

  3. Se tiver que ir à Delegacia

    Se tiver que ir à Delegacia pode até ser sequestrada e estuprada, afinal os militares de lá não brincam em serviço, e estão à serviço do Governador, conivente com roubos e assaltos até às merendas escolares. Se encontrar pela frente um delegado diferente, e o caso for para a Primeira Instância, pode se deparar com um juiz igual àqueles outros policiais. Não tem jeito. 

  4. Covardia demais, xingar já é

    Covardia demais, xingar já é um absurdo agora bater é demais, processa a Fiesp afinal né esta alimentando todo mundo, da lanche, janta…..

  5. Experiências do tipo devem

    Experiências do tipo devem existir aos montões. A tendência é que a violência cresça exponencialmente nesse final de semana tendo em vista as manifestações contra o golpe previstas para amanhã. 

    Em São Paulo, por exemplo, os golpistas truculentos que hoje ocupam a Av. Paulista dificilmente terão fair play para ceder a vez para opositores. O previsível é que tentem “melar” o movimento dos adversários. 

    Apesar de longe ainda do que ocorreu recentemente mundo afora, onde os conflitos atingiram o nível de guerra civil, as projeções mais otimistas ainda tem como certa desforras além dos simples xingamentos; na pior, feridos graves e até cadáveres. 

    Nunca torci tanto para estar errado nesse prognóstico. 
     

     

     

  6. força menina, vamos a luta

    Menina, no super bom sentido, força mulher, se preferir, vamos a luta!

    Tenho 50tão, sou um menino que vai prá rua lutar contra esses bichos.

    não podemos desistir, vamos enfrentar!

     

  7. Parabéns Marina dos Anjos, se

    Parabéns Marina dos Anjos, se o Brasil tivesse mais pessoas como você com essa coragem e essa lucidez não se deixando enganar por essa massa que é manobrada para um fim.

    Não sou petista me considerio da esquerda pois sou contra a os ricos dominando tudo, e acho que tem muita coisa errada nesse governo e miitos deveriam se presos, mas também acho que essa justiça esta agindo com parcialidade e protegendo grandes interesses de pessoas que querem voltar ao poder.

  8. Primeiro, sinto muito que

    Primeiro, sinto muito que você tenha passado por isso.Isso é o que me preocupa. A mediocridade nem sempre é ingênua, tende a virar parte de uma gangue no calor dos acontecimentos. Indivíduos com alto grau de frustração e inadequação social, alguns sem condições emocionais para superar seus limites, acabam perseguindo pessoas públicas que deles discordam, vizinhos, ex-amigos, só pelo prazer de se sentir parte de uma vingança, ou de uma moral de 5a. categoria. O  exemplo que está vindo do MPF, de parte dos juízes de todo escalão, é clarissimo quanto a isso. Aconteceu no nazismo, no fascismo, no racismo norte americano, no maccartismo e em outras situaçãos análogas. E, sejamos realistas, isso é um golpe. Que tem o aparelho repressor a seu lado, contra uma grande parte de brasileiros. Mesmo sem as forças armadas, tem o pior escalão do poder repressor: PF e PM. Pior, amparados por quem deveria zelar pelo equilíbrio da sociedade e da sua segurança. Quem tem uma justiça dessas, para quê justiça?  Não tenho a menor idéia no que isso vai dar, amanhã é um grande teste. O medo é o sentimento que querem nos impor, a subserviência eles percebem como consequência natural, embora possamos dizer que a cautela é necessária para que possamos saber como agir, com quem contar e a quem recorrer em casos extremos. Preparemo-nos, a estrada vai ser muito tortuosa.

  9. Amanhã o bicho pode pegar …

    Se vierem tirar um “chinfa” … hoje almoçando num quilo ouço 3 jovens vestidos de uniforme.. eram de uma concessionária. Um deles diz “se amanhã um coxa fdp me encher o saco vou arrebentar a boca dele com uma barrinha de ferro que já preparei. não é pra matar.. é pra arrebentar todos os dentes da frente, E já estou preparado para arrebentar vários dentes”. O outro diz: não preciso de ferro véio. amanhã se alguém folgar vou treinar ao vivo meus 4 anos na academia de box. vou dar porrada sem dó”. Já outro fala: “mas gente é isso que eles querem”… Um deles diz: “ó, podem querer, mas no movimento deles, no nosso não. Porra, domingo não saí de casa pra não ter problema. Mas se amanhã forem lá pra estragar nosso esquema vão levar porrada feia. vou tombar vários”… ´Pessoal: ânimos acirradíssimos. Vontade tive de entrar na conversa e dizer: “meus queridos, paz. Não vamos fazer o que eles fazem. Paz. O movimento amanhã é nosso. Não precisamos brigar”. Mas achei que não poderia me meter. E também, que coisa feia, eu estava ouvindo a conversa deles!

    • A Globo descaradamente instiga revoltas.

      E acho que infelizmente, hoje eles vão conseguir o que almejavam. Torço que não, mas me parece claríssimo que hoje vai haver sangue na avenida paulista, em Brasília e em outros lugares Brasil afora. Vai ser a oportunidade para criminalizarem mais ainda os petistas e os movimentos sociais. Vão dizer que nas manifestações deles era só paz.

      O golpe fascista está a pleno vapor. Tudo está programado, inclusive um provável banho de sangue.

      Peço a Deus que eu esteja errado.

  10. Toda cautela é pouca…

    Como eu disse, morar em SP é surreal. O meu conselho é:

    Em Roma faça como os romanos. Se precisar, finja que é tucano, ou pelo menos neutro. Não dói tanto assim, e evita confrontos que podem degenerar em tragédias, pois os fascistas são agressivos.

    Eu vivo em SP há 40  anos, tenho de finjir ser tucano todos os dias. É a psicologia de guerra, da intolerância. É o fascismo, não resolve bater de frente com esta mentalidade.

    Em Roma faça como os romanos.

    “A água é o elemento mais poderoso que existe, ela destrói até mesmo a rocha; ela não luta, ela flui ao redor do adversário.”

    “O Verdadeiro Artista Marcial não luta, ele dança ao ritmo da vida; o verdadeiro artista marcial é um dançarino.”

    • Ódio exacerbado.

      Concordo. No ambiente de trabalho também uso desta prática. Mas não é fácil aguentar tanto ódio junto.

  11. Mais uma testemunha de que as

    Mais uma testemunha de que as tais Jornadas de Junho foram um cavalo de tróia do tamanho do Maracanã.

    Com aplausos de muita gente da blogsfera progressista que comemorava aquela moçada boa nas ruas…

     

    20 centavos e talvez uns 50 anos de atraso.

    Parabéns MPL, parabéns Mídia Ninja, parabéns a todo e qualquer militante de esquerda que colaborou para desconstruir o legado do PT no governo.

    Parabéns, mas quem vai arrumar a bagunça dos facistas agora?

    Alguém quer sair de camiseta vermelha pedindo pra esta moçada boa ir pra casa?

  12. É aprendizado, menina. Serão

    É aprendizado, menina. Serão tempos duros e escuros, mas já vencemos outros e vamos vencer este também. Quer dizer, você vai vencer – já estou velho tenho só uns 10 anos de gás, se tanto. Continue lutando no movimento de mulheres (tenho enorme crença em vocês) e onde mais der. E, na próxima volta da História, lembre: não se negocia com inimigo de classe.

     

    Bj

  13. Não apoio o golpe.
    Nós escapamos por pouco da experiência Aécio presidente. O impedimento de Dilma trará o PSDB para o centro do governo. O PSDB que vem sendo rejeitado nas urnas desde 2002.

  14. Não apoio o golpe.
    Nós escapamos por pouco da experiência Aécio presidente. O impedimento de Dilma trará o PSDB para o centro do governo. O PSDB que vem sendo rejeitado nas urnas desde 2002.

  15. Isadora Schutte, agredida ontem pelos mesmos “homens de bem”

    https://www.facebook.com/IsaaSchutte/posts/931522663592928

    Bom dia,
    Gostaria de expressar o asco e decepção que eu senti na noite de ontem, e contar como as coisas realmente aconteceram.
    As 18p0 eu sai do meu trabalho próximo a rua da consolação como todos os dias e o Lucas, meu companheiro, foi me buscar de surpresa. Eu estava de bike e ele estava de skate. Quando nos aproximamos do masp vimos a via da ciclo-faixa congestionada de pessoas carregando bandeiras do brasil, e com cartazes contra a posse do Lula do ministério da casa civil, etc. Eu sou contra essas manifestações, acho realmente uma palhaçada, mas respeito o direito de opinião política de qualquer pessoa, esquerda, direita, ou o que seja. Quando nos aproximamos, eu gritei “Sai da frente, vocês estão congestionando a via”, ninguém se moveu, apenas olharam pra gente e começaram a gritar seus discursos de ódio ao PT. Um homem muito mal educado veio com um auto falante e gritou no meu ouvido “Lula ladrão”, enquanto eu insisti em pedir para descongestionar a via. 
    Nesse momento eu e o Lucas já éramos o centro da atenção dos “manifestantes”, antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, expressar qualquer opinião política ou simplesmente dar um jeito de passar por ali para voltar pra minha casa, já ouvíamos coisas do tipo “eles têm cara de comunista ladrão”, “a bicicleta é vermelha, vai pra cuba”, e um bando de gente ignorante, sem educação, sem noção de civilidade soltando merda pela boca, afinal eu não comprei uma bicicleta vermelha pra homenagear o pt. 
    Quando eu me dei conta do que estava ouvindo, fiquei nervosa, e as pessoas já estavam nos rodeando e xingando sem motivos. Eu mostrei o dedo do meio pra um babaca que tava gritando do meu lado e tentamos nos retirar dali quando um animal sem noção me empurrou da bicicleta e eu cai no chão, nesse momento as coisas já estavam fora de controle, muitas pessoas acertavam o cano das bandeiras na nossa cabeça, nos empurrava, puxavam minha bicicleta e gritavam com força discursos de ódio absurdos… Ouvi tantas coisas que nem consigo citar tudo mas me lembro bem de vários rostos e das vozes “putinha comunista”, “vadia”, “vai pra cuba filha da puta”, “petista ladrão”,” não vou deixar você destruir o meu brasil”.
    Eu não tenho medo de playboy ignorante, e de início não me dei conta que eles eram em muitos, as pessoas viam a confusão de longe e já colavam gritando e nos xingando sem nem saber o que estava acontecendo. Eu tentava me defender, segurava as bandeiras que eles estavam nos acertando e procurava um jeito de sair dali. O Lucas tentava me proteger dos vândalos, enquanto puxava minha bike de um lado que os animais estavam tentando roubar do outro lado. Nessa hora vi varias pessoas começando a gravar e fomos sendo empurrados para dentro do vão do Masp. 
    O Lucas estava preocupado, querendo sair logo dali e eu estava muito exaltada e desacreditada daquela situação toda, tentando exigir o meu direito de passar na rua, de ter uma bicicleta vermelha, de ter minha opinião política, e não ser linchada por isso. 
    De repente vi o Lucas olhando no olho de um idiota que agredia a gente com tapas na cabeça e falando “meu, para com isso, você ta batendo em uma mina, a gente só ta tentando voltar pra casa” e segundos depois o imbecil olhando no fundo dos olhos dele deu uma cabeçada nele. Não foi nenhum ferimento grave, mas na hora ele e estava com o rosto sangrando muito, e nesse momento eu fiquei apavorada, gritava pra alguém chamar a policia, afinal estávamos na frente de uma base policial…
    Nessa hora já tinham muitas e muitas pessoas nos ofendendo e tentando nos agredir e uns 3 homens que eu acredito que também eram manifestantes, porém civilizados, tentava barrar as agressões e falavam repetitivamente que a gente tinha que sair dali rápido, para pularmos do vão que estávamos para a rua de baixo.
    Foi assustador, um homem cuspiu no meu rosto, ouvíamos muitos xingamentos e eu não queria fugir dali e deixar esse bando de retardados impunes. Quando eu me dei conta que não tínhamos escolha, pulamos, e atravessamos a rua.
    Alguns repórteres foram falar com a gente, disseram que a gente tinha que fazer um boletim de ocorrência, falaram que havia tudo filmado e que nos mandariam o vídeo. Atravessamos a avenida até a base policial, eu ainda estava nervosa, tremendo, assustada com a situação inteira, e tentei explicar pro policial o que havia acontecido. 
    Ele nos disse “ Acho melhor vocês fazerem um B.O. on-line”. O Lucas estava sangrando e o agressor estava do outro lado da rua, e o policia militar me diz isso? Começamos a fazer um escândalo falei que isso era um absurdo, e que ele tinha que ir la com a gente pegar o cara porque a gente queria ir pra delegacia. Tinha um repórter com tudo gravado com a gente e ele mostrou o vídeo para o PM, que pediu que aguardássemos o superior dele chegar.
    Quando ele chegou fomos atrás do indivíduo da cabeçada acompanhados da policia militar, que pediu que não respondêssemos a provocações e apenas mostrasse quem a gente conseguia identificar como agressor. Encontramos ele e a policia pediu que ele nos acompanhasse porque ele foi acusado de agressão. O filho da **** teve a cara de pau de dizer que ele que queria me denunciar por roubar a bandeira dele, que por acaso era a bandeira que ele acertava na minha cabeça. 
    Seguimos para a delegacia, enquanto ele ria da nossa cara, mandava beijinhos, e espalhava seu veneno de coxa escroto.
    Na delegacia, depois de 2h, conseguimos ser ouvidos e dar o nosso depoimento. O animal de nome Marcelo, alegou que nós o agredimos, mostrou arranhões nos braços e nos acusou de agressores, o que fica claro no vídeo que é mentira, primeiro porque é muito obvio quem que ta sendo agredido, segundo porque o imbecil usava um casaco na hora da confusão que torna impossível que eu tenha arranhado ele nos braços. Depois de 3 horas, saímos os três, eu o Lucas, e o delinquente como “autores-vitimas” do caso, que vai ser julgado em tempo indeterminado. 
    Gostaria de expressar, que sim eu sou de esquerda, sim eu respeito a democracia e acredito que a Dilma tem que terminar o mandato dela a menos que tenham provas criminais contra ela, que no caso NÃO TEM. Sim, eu acho um absurdo o que a mídia golpista ta fazendo, acho um absurdo a forma com que tratam o Lula e não fazem o mesmo com outros políticos que tem acusações bem mais sérias, sim eu acho um absurdo pessoas pedindo o impecheament sendo que o vice é um imbecil que pertence ao partido mais corrupto do país, sim eu acho um absurdo a classe privilegiada querer destruir um partido que fez grandes avanços sociais apenas porque não querem dividir seus ambientes, sim eu acho ridículo playboy que sempre teve tudo na vida com cartazes contra o bolsa família, cotas fies e etc, sim eu acho o cumulo do absurdo a classe media branca e reaça pedindo intervenção militar depois do período assustador de 64. Também gostaria de dizer que eu não sou petista, e que eu jamais agrediria uma pessoa so por ter opinião politica diferente da minha, ainda que eu sinta vontade, eu nunca faria isso. 
    Eu fico triste pela situação que temos hoje no brasil em que eu não sei quem é mais doente, o governo, a oposição, ou a população. Fico triste pela ignorância das pessoas, pelo desconhecimento político das pessoas, pelos discursos falidos de quem nem sabe o que está fazendo ali, sinto muito pela ingenuidade deles em acreditar que uma pessoa é responsável por todo um sistema de corrupção que existe há anos, sinto muito pela intolerância, pelo ódio que nos divide, sinto muito em ver que essas manifestações da direita são mais uma festinha pra postar foto no instagram do que realmente a defesa de uma ideologia ou causa. Me sinto responsável e protagonista assim como todos que acharam um absurdo tal nível de violência, de combater isso. Devemos agradecer a democracia e preservá-la, independente do lado que estamos. 
    Agradeço de coração memo a todos que se solidarizaram, professores, amigos, familiares, e desconhecidos que alguns pró outros contra governo, acharam um absurdo tal nível violência, não vamos aceitar fascismo, agressão e intolerância política, afinal vivemos um país livre e democrático.
    E por último, eu sinceramente adoraria ir pra cuba.

  16. Tenho Cinquenta anos…

    Tenho cinqueta anos e um infarto.
    Por ter de enfrentar a realidade da vida de um cardíaco, resolvi praticar exercícios físicos resistidos e com isso ganhei massa muscular…
    Pois, dia desses um coxinha, novo, alto, achou por bem me insultar em via pública. Respondi com os punhos e para minha surpresa o sobrepujei com facilidade. Todavia, não me regogizei como manda o manual da testosterona, pois a consciência de uma pessoa na quinta década da vida avisava, sem parar, que algo de errado estava a pairar…

    Este ódio não é normal. Sei, agora, o clima vivenciado por aqueles que foram conteporâneos de 1964.

  17. Mais…

    Outro casal é agredido na Paulista e policiais não prendem os criminosos

     

    http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2016/03/17/por-que-a-pm-protege-e-nao-prende-os-agressores/

    Há pouco vi o de um menino de 17 ano que também foi agredido.

    Muita gente está sendo agredida na Avenida Paulista.

    E a turba que cerca e bate em transeuntes que não têm a cara típica dos coxinhas e que não gritam Fora Lula e Impeachment quando eles mandam, não são sequer repreendidos pelos policiais.

    As cenas de ódio, xingamentos e gritos de ameaças de alguns desses golpistas são realizados na frente dos agentes de segurança pública. Você pode conferir neste vídeo que divulgo.

    E o que eles fazem?

    Apenas retiram o agredido, colocam no camburão e bye bye.

    O amigo certamente já viu como a polícia lida com quem briga em campos de futebol.

    Também já deve ter visto como ela age com professores quando eles reivindicam salários.

    Ou mesmo como ela age nas periferias em festas funk ou de hip hop.

    Essa polícia agora ficou doce.

    Apenas retira o agredido. E deixa o agressor esperando a próxima vítima.

    E a OAB, não vai se manifestar?

    Vai assistir a isso sem pedir uma clara intervenção da Secretaria de Segurança Pública?

    A situação está sob descontrole total, mas não à toa.

    Há uma ação dirigida, inclusive, por governos.

    Um deles é o governo do estado de São Paulo.

    Alckmin está jogando álcool na fogueira.

    Amanhã não será um dia fácil, mas fica cada minuto mais claro que o ato de amanhã tem que ser imenso.

    Tem que ter muita, mas muita gente. Em todas as partes do país.

    Eles precisam saber que este país não é um quintal do ódio.

    E que não vai ter golpe. Que eles não passarão.

     

     

  18. Como a Marina foi agredida…

    Muitas outras pessoas estão também… física, verbal e psicologicamente… já vivemos o Estado policialesco.. o Estado de exceção …a tortura velada, chamada de prisão preventiva… a agressão nas ruas.. lembra os primeiros passos dos regimes fascistas… pagaremos um preço caro de formos às ruas amanhã.. quem se omitir não poderá reclamar…

  19. São as manifestações

    São as manifestações “democraticas e pacificas” que a mirdia querem incutir na cabeça de quem os assiste.

  20. Eh isso que comentei com um

    Eh isso que comentei com um amigo hoje. Junho 2013 se iniciou pela briga dos 20 centavos, aglomeraram-se pessoas… Mas cade elas quando estavam apanhando aqueles que queriam impedir o fechamento das escolas? Ou que estao lutando de novo contra o aumento da mensalidade? O mbl se formou la dentro e aproveitou os anti petistas  que ate entao nao eram tao raivozos. Logo transformaram os 0,20 em “fora dilma”. Logo iniciaram o processo de desinformaçao. O brasileiro que adora escrever pelos cotovelos no facebook, nao tem vontade de ler, apenas pega o meme q chegou e decora, decora frases prontas, informaçoes sobre golpe comunista em tramite, falsas fotos e montagens do lula, da riqueza do lula, dos filhos dele.

    tem volta?  Duvido. Serao anos para passar isso.

    mas uma coisa eh certa, as revistas e tvs que tanto venderam apontando a mira pro pt, criaram um monstro. E eles sofrerao com eles. Como a globo vai defender o psdb no poder, qd ele continuar pgando o bolsa familia (nao vao querer perder o eleitorado)? Ou quando nao reduzirem os impostos? Muitos irao se pergunta pq coisas q eram criticadas qdo eram os petistas, nao sao mais. E essa galerinha pode se revoltar.

     

    ou talvez nao. Talvez seja “otimista” nesse sentido. Conhecendo os coxinhas, tirando o pt do poder eles voltarao a coçar o saco em frente a tv e reclamar nos seus churrasquinhos de fim de semana. Alias, torço pra q eles se manifestem num governo tucano contra estes e verao como a policia vai os tratar

    • Já vi uns 4 ou 5 videos

      Já vi uns 4 ou 5 videos diferentes de situações bem revoltantes, até pior que essa, mas só são divulgados em meios  de esquerda. O proprio lider do revoltados online foi agredido e teve que ser escoltado.

  21. O medo é compreensível

    Afinal trata-se de um momento no qual a matilha foi açulada ao longo de vários anos e que, agora, se encontra com sede de sangue.

    O momento exige manter o sangue frio, não respondendo a provocações gratuitas. Evitar aproximar-se de grupos babando ódio pelas ventas e, caso alguém, participando das manifestações de amanhã esteja vestido de vermelho, melhor estar acompanhado por grupo numeroso. Na minha opinião dispensaria o vermelho, embora concorde que é ultrajante pautarmos nossa indumentária pela intolerância alheia. Lembremos que, mesmo em grupo numeroso, haverá um momento em que este será dispersado.

    Tenhamos a consciência de que haverá inúmeros agentes provocadores.

    Não precisamos de heróis espancados. E, acima de tudo, não dar pretextos, por menores que sejam, para fornecer manchetes aos telejornais. Estas sempre serão parciais.

    Além disso é bom ter em mente que a polícia não estará do nosso lado, nem sequer neutra.

    Filmes ou fotos, podem se mostrar cruciais para desmentir as distorções que certamente serão publicadas em casos de conflitos.

    O medo também é mais do que justificado pelo grande risco de perdermos as liberdades que nos custaram tantos sacrifícios para serem alcançadas.

    Quanto a familiares coxinhas, melhor não conversar sobre política, a não ser que estejamos dispostos a um rompimento de relações traumático. Espera-se igualmente o bom senso do lado oposto.

    Já em relação a amigo(a)s, companheiro(a)s, namorado(a)s, espero estar errado, mas vejo muito difícil a manutenção do antigo relacionamento nas mesmas bases.

     

     

  22. Pessoas que inspiram pessoas
    Gostei da definição de “esquerda resignada”. O fato de ver um político que apoiamos apertar a mão do Maluf é algo frustrante e põe nossas convicções em cheque, mas por outro lado mostra a capacidade de arguir-nos provando que ainda estamos vivos, caminhando e aprendendo.
    Lembrando: “Hay Que Endurecer, Pero Sin Perder La Ternura Jamás” – Ernesto Che Guevara

  23. Nesse cenário de violência de

    Nesse cenário de violência de tipo “esquadrista”, onde no lugar das tradicionais “camicie nere” usa-se o verde ouro, só nos falta ver o Bolsonaro pousar de Mussolini e fazer a sua marcha até Brasília para reivindicar o poder de fato.

  24. O que assusta é que nessa massa amorfa que tem se formado…

    O que assusta é que nessa massa amorfa que tem se formado nas manifestações o grupo mais coeso e com mais clareza de propósitos é justamente o dos brucutus que apoiam o Bolsonaro e pregam a violência e intolerância.  Aos poucos esses gorilas estão capturando o movimento e tirando sua mansidão. O desfecho dessas manifestações que prega a ruptura institucional talvez seja a desintegração do tecido social brasileiro.

    Além disso, a figura que aglutina esses manifestantes é o juiz moro. Essa criatura inescrupulosa e mal intencionada que compactua com os setores mais perversos da política e da mídia. A influência do juiz da lava jato sobre os manifestantes é muito grande e ele pode fazer o que bem entender com as mentes vazias dos que aderiram ao golpe por impulso. 

  25. O que me assusta de verdade é
    O que me assusta de verdade é uma jornalista adulta ter a CARA DE PAU de ficar contando mentira pra só ganhar uns likes por aí na internet Esse relato aí tá mais com cara de fanfic de jovem que quer aparecer, pois possui todos os atributos de uma:  1) As postagens anteriores todas são pró-governo e anti-manifestantes, o que por si só revela a o viés ideológico da mesma pra assumir uma postura. 2) A calma como ela inicia a história ”pra terminar essa belezinha de dia” logo após de sofrer uma agressão passível de cadeia para o agressor. 3) A caracterização estereotipada do agressor,(um cara com bandeirinha do Brasil no meio da manifestação gritando fora comunista) 4) Em nenhum momento do relato, a mesma fala sobre a abertura de um B.O na delegacia registrando o ocorrido, visto que a mesma é estudante de jornalismo, feminista e politizada, ela sabe sim dos seus direitos. 5) Mais uma vez, o desfecho final irônico ”segundo o Estadao, fui agredida por uma pessoa de bem”, salienta a calma e despreocupação da mesma no caso ocorrido, como se todo dia tomasse uma cuspada e um morro no estomago de desconhecidos na rua. 

     

    • Gosatria de destacar este

      Gosatria de destacar este ponto: “1) As postagens anteriores todas são pró-governo e anti-manifestantes, o que por si só revela a o viés ideológico da mesma pra assumir uma postura”

      Segundo este raciocício, o juiz CataPreta não podeira ter julgado o pedido de liminar pra barrar a nomeação do Lula como ministro.

       

      Obrigado!

    • O que assusta de verdade é…

       O que me assusta mesmo é a pessoa vir aqui acusar a outra de contar mentira sem ter nenhum fundamento, simplesmente porque a autora da história contou algo que o cidadão ali não achou legal, que ele não gostaria que tivesse acontecido.

       

      Se você quer dizer que alguém está contando mentira, prove a sua alegação. Não faça acusações gratuitas se não puder provar que elas são verdadeiras.

    • Hummmmm…… Será que você

      Hummmmm…… Será que você colocaria sua foto em seu comentário para a autora do texto ver se não é você o agressor, Everton? Porque está parecendo que é pelo menos amigo dele. Uns argumentos ilógicos e furadíssimos para virar a coisa contra a pessoa agredida… Quer dizer que ser uma pessoa calma é culpa, é a grande falta dela? Você vive pela lógica da guerra? De que “se não fez B.O. não pode dizer que ocorreu”? 

    • Fascista CARA DE PAU

      A mediocridade é a característica comum a todo fascista. Argumentação chula e completamente rebaixa. De que serviria prestar um BO após uma agressão após passar em uma manifestação coxinha? Processar o PSDB, o Aécio, a Globo. Exigir direito de resposta na Globo. Só um retardado mental que desconhece ou tem má fé sugeriria ir a polícia para reclamar de tal violência, sujeitando-se a vítima a ser novamente ofendida ou agredida pelos nossos amáveis policiais que rotineiramente culpam às vítimas pelos crimes que sofrem e nem precisa ser ofensa ou agressão de natureza política. E o imbecil ainda chama a agredida de CARA DE PAU, SEM NOÇÃO É ATÉ ELOGIO.

      • O sujeito é otário mesmo!

        Otário mesmo o sujeito ao querer negar o que está rolando, afinal estas atitudes cretinas estão em todo lugar são relatadas a toda hora. Estes babacas ficam na tal da paulista e gostam de tirar esta onda, mas são apenas covardes pois se escondem atrás da polícia do psdb, este partido de canalhas que ao não aceitarem o resultado das urnas tentam fomentar o “pior melhor”.

        Sou carioca, espero que se tentarem criar esta merda aqui no RJ tenham resposta imediata e a altura.

  26. Djijo

    A maior doença da humanidade é a ignorância. O ignorante acha que tem resposta pra tudo, e usa isso para forçar os outros a concordar com a ignorância dele. Os oligopólios da informação, políticos e religiosos usam de meios para que eles fiquem assim, são mais docilmente conduzidos. Nas ditaduras é importante silenciar os pensadores livres, os livros universais. Se tiver só a Bíblia será suficiente para o rebanho.

  27. Estive na manifestação em SP ontem

    Como comentei em outro post (http://jornalggn.com.br/noticia/uma-analise-das-passeatas-de-hoje-por-luis-nassif). Muita gente e muita paz.

    Estava bem perto do caminhão de som de onde Lula discursou e o percebi emocionado e feliz. Parecia estar pouco se importando com as chicanas jurídicas de Gilmares e Moros. Contou piadas, estava alegre. Pediu licença para discursar do outro lado do caminhão, depois voltou. E por fim recomendou que todos voltassem para casa em paz, sem responder a provocações.

    Estava voltado a pé pela av. Paulista até o metrô Paraíso, quando um menino, desequilibrado, começou a xingar alguns manifestantes e esmurrou um deles na face, bem na minha frente. Levamos o moleque sangrando até o grupo de policiais, que simplesmente nada fez. Muita gente filmou, alguma hora as imagens aparecerão por aí.

    Alguém mais exaltado gritou “Vamos trabalhar, polícia, nós pagamos seus salários”. Daí um oficial apareceu com uma garrafa de água e ajudou menino a limpar o sangue que escorria de seus olhos. E o pessoal se dispersou.

    Fiquei pensando que Lula pediu paz, mas ela veio de onde menos esperava, do gesto de um PM. Parece que ele entendeu antes de nós o que é que Lula estava pedindo.

  28. Brava Marina

     Apenas andar  ser livre 

    Passos dos anjos 

    Destes que nos trazem paz, beleza

    Que quebram a frieza do asfalto

    Que nos acalmam no fim do dia

    Que trazem um pouco de poesia

    Apenas por ve-la passar. 

    Apenas por ve-la livre  e bela.

     

    Mas surge esta figura desumana, 

    Ou miseravelmente humana 

    Em seu desvario de poder

    Seu delírio de dominação

    Não viu beleza nem poesia

    Exigiu subserviencia, submissão

    E saiu para um próximo linchamento

    Ou para um proximo estupro

    Afinal é apenas uma questão de poder.

     

     

     

     

  29. Não Marina, vocês não erraram em sair às ruas em 2013,

    Vocês fizeram o que era certo. Não se culpe pelo fato de o movimento haver sido capturado pelos buldogues e pitbulls da elite econômica  e sua imprensa golpista. No entanto, eu sinto saudades de vocês, que andam calados e isolados.   Venham lutar ao noso lado em defesa da democracia, e pelo respeito às normas constitucionais. Vamos juntos  defender o direito de vocês irem às ruas protestar contra o aumento das passagens de ônibus e do que mais quiserem, mesmo que eu não concorde.

    um grande beijo e abraço

  30. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome