Sociedade civil repudia escancarada compra de absolvição de Temer


Foto: Lula Marques/Agência PT
 
Jornal GGN – Os deputados governistas não negam ou sequer empenham respostas para as acusações de votos comprados em nome do enterro da denúncia contra Michel Temer na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (02). As transmissões ao vivo de diversos jornais, incluindo a própria EBC (Empresa Brasil de Comunicação), informavam as articulações dentro da própria sessão que se estendeu pela noite para o presidente somar, voto a voto, a sua salvação.
 
Antes disso, noticiários contabilizavam o preço que o país estava pagando para se chegar ao resultado de 263 votos a favor de Michel Temer, arquivando o processo e impedindo que a denúncia seja sequer investigada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Pelo menos R$ 17 bilhões, previu o jornalista Jean-Philip Struck, do Deutsche Welle (DW) Brasil.
 
O montante foi “investido” na liberação de emendas parlamentares a aliados, criação de cargos comissionados e nomeações, em pleno cenário de crise econômica brasileira, contradição evidente na rigidez com que o mesmo mandatário conduz o país, com as reformas, contingências em educação, saúde, órgãos de investigação, e o aumento de impostos para a população, como o dos combustíveis.
 
A reação não veio dos parlamentares aliados, que sequer dedicaram a se justificar. Mas da oposição, que duramente criticou o governo e as negociações do presidente para a compra de aliados, e de representantes da sociedade civil. “O dinheiro, na visão desses deputados, conta mais do que a opinião pública para o seu regresso à Câmara dos Deputados no ano que vem”, manifestou um dos autores da Lei da Filha Limpa, Márlon Reis.
 
Assine
 
Em entrevista ao UOL, o advogado expôs a lógica feita pelos parlamentares: “Os deputados pesaram duas situações, considerando qual seria a mais importante para a sua reeleição no ano que vem: De um lado, estava a grande impopularidade de votar na manutenção do presidente Temer na Presidência. De outro, o lado que preponderou, leva em conta a importância das emendas parlamentares, do dinheiro deslocado pelos deputados para suas bases para a reeleição.”
 
E o resultado, como se pode verificar, foi o segundo: “Diante dessa dúvida, eles consideraram que era mais efetivo receber as emendas, o dinheiro”, completou. E a popularidade, tanto de Temer, quanto desses deputados, realmente estava em jogo.
 
De acordo com pesquisa feita pelo Ibope, na última segunda-feira (31), 81% da população ouvida era a favor da abertura do processo por corrupção passiva contra Michel Temer no Supremo. E para 79% dos consultados, “o deputado que votar contra a denúncia é cúmplice de corrupção”. Outros significantes 73% também analisaram que este parlamentar que enterrasse a denúncia não merecia ser reeleito em 2018.
 
Por isso, foi necessário um grande esforço empenhado por Temer e por sua cúpula de governo para garantir a conclusão de seu mandato. O governo chegou a preparar cartilhas, que foram distribuídas durante a sessão, com sugestões de justificativas e discursos dos deputados que o apoiassem. As frases miravam, basicamente, no teor de que manter Temer era manter as reformas que o país necessitaria.
 
Da mesma forma, a ONG Transparência Internacional criticou e escancarou o esquema montado pelo presidente para o resultado desta quarta-feira. “Foi um ataque frontal à Lava Jato e a tudo o que ela representa, que é nada menos do que a esperança do povo brasileiro de que finalmente a gente estava virando a página, começando a mudar a nossa história de impunidade absoluta de crimes de corrupção”, defendeu o representante da ONG, Bruno Brandão.
 
“O resultado da votação na Câmara revela que não existe horizonte para a luta contra a corrupção no longo prazo. Ela não vai perseverar, não vai prosperar enquanto não houver uma profunda reforma do nosso sistema político. Isso ficou muito claro”, continuou o economista, à reportagem do Uol.
 
 

5 comentários

  1. Bruno Brandão, pela ONG

    Bruno Brandão, pela ONG “Transparência Internacional”:

    “Foi um ataque frontal à Lava Jato e a tudo o que ela representa, que é nada menos do que a esperança do povo brasileiro de que finalmente a gente estava virando a página, começando a mudar a nossa história de impunidade absoluta de crimes de corrupção.”

    Ah, vá, Sr. Bruno. E desde quando a Lava Jato é para acabar com a corrupção? Temer, Serra e Aécio, além de Geraldo Alckmin, são companhias de convescote de Sérgio Moro, lembra? Dallagnol é especulador de imóveis de programa popular de habitação, feito para atender quem tem baixa renda. Isso sem falar de Gilmar Mendes que, se não é diretamente da Lava Jato, é um de seus defensores caso o réu seja de partido de base popular. Mas não se furta a atacar a Lava Jato quanto aos réus do PSDB.

    A Lava Jato, caro Sr. Bruno – e aqui lamento se essa informação lhe causa algum desconforto – é a executora desse golpe que as elites estão dando contra o povo, é a forma de subtrair soberania, independência, democracia e prosperidade geral de nosso país para favorecimento de não menos corruptas e “opacas” (em contraposição a “transparentes”) iniciativa privadas estrageiras. Pode ver: o que e quem está sendo punido pela dupla dinâmica “Dallagnol e Moro”?

    E essa mesma Lava Jato não é nada transparente, vive de sigilos e vazamentos, de ilegalidades flagrantes. Quanto transparentes são, por exemplo, os acordos entre Moro e o governo de país estrangeiro, os EUA? Quanto transparentes são os ganhos de Dallagnol com especulação imobiliária ou em palestras e shows para o seleto grupo da elite “é bom termos esse rapaz por perto”?

    Pelamordedeus, hein?

    A Lava Jato e a rejeição da denúncia a Temer pelo Legislativo são exatamente a mesma coisa. Legislativo, Executivo e Judiciário aos pés do dólar e de costas para nosso país.

    Quer acabar com a corrupção? Olha que não é para ontem, hein? É algo que só se consegue a médio / longo prazo. Mesmo assim quer acabar com a corrupção? Comece por trabalhar que ela é um fenômeno cultural brasileiro, e que é um “faz parte” de qualquer sociedade em que o poder econômico se sobreponha ao político. Quanto mais influência tiver o capital privado sobre o que é público, mais corrupta tende a ser a sociedade. De outra forma, quando o dinheiro é mais importante que as leis, aí há corrupção.

    Comece por pensar, convido, em espalhar educação – educação, hein? Não treino para operário-padrão da Rede Globo -, educação para a cidadania. Não corromper nem corromper-se é característica de cidadania, não é? Siga oferecendo saúde, moradia, dignidade por pelo menos duas três gerações seguidas, sem esmorecer nem um segundo. Tenha, também, uma Justiça realmente justa – não essas bobagens midiáticas como Lava Jato. Tudo isso por 50, 70 anos pelo menos. Tenho certeza de que há muita gente muito mais habilitada do que eu para outras sugestões, mas essas, que aqui me atrevo a colocar, são o mínimo.

    • Esse pessoal sacralizando

      Esse pessoal sacralizando essa farsa que é a Lava Jato tb, já encheu o saco. Um bando gente trambiqueira, no judiciário e MP posando de éticos pra cima da sociedade com ajuda de uma emissora que dá trambiques homéricos no país há décadas! Que se dane LavaJato. Não tem ninguém ali melhor que os investigados, denunciados e condenados.

      Qdo aparecer um jurista defendendo essa operação a gente COMEÇA a TENTAR levar essa palhaçada à sério. Até lá, se tá defendendo a farsa é pq é picareta, tb.

    • Ataque frontal à Lava Jato

      Nem só as excrescências parlamentares levam o seu por fora.

      Sem insultos à nossa razoável inteligência, sr Bruno. A paciência também agradece.

  2. SOCIEDADE CIVIL REPUDIA

    Ela repudia? Será que ela repudiou em tempos passados? Repudiar é suficiente. A sociedade deveria observaro um pouco as reações de outras sociedades. 

  3. REPUDIA NADA… SOMENTE

    REPUDIA NADA… SOMENTE ALGUNS SETORES PROGRESSISTAS ATUAM..

    QUAL SOCIEDADE? DA CLASSE MÉDIA? DA CLASSE POBRE? DA GLOBO? DO PSDB? DO FHC?

    TODOS FORAM E SÃO CONIVENTES COM ESSE ESTADO DE COISAS QUE  ACONTECE NO PAÍS.

    SE REPUDIAM MESMO, PORQUE NÃO VÃO AS RUAS EXPLODIR O GOVERNO E OS ÓRGÃOS DE JUSTIÇA QUE NÃO OBEDECEM A CONSTITUIÇÃO?

    O BRASILEIRO É UMA FARSA COMO POVO.. E POR SER FARSA SEGUE A DIRETRIZ IMPOSTA PELA GLOBO..

    SE ESSA SOCIEDADE CIVIL TIVESSE UM POUQUINHO DE RAÇA E FIBRA DAS COCALEIRAS BOLIVIANAS, IRIAM AS RUAS PARA BOTAR O TEMER E O STF PARA CORRER…

    TUDO NÃO PASSA DE UMA NOVELA DA GLOBO

     

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome