Uruguai nega asilo político para manifestantes do Rio de Janeiro

Jornal GGN – A advogada Eloisa Samy (foto), David Paixão e Camila Nascimento tiveram pedido de asilo político negado pelo governo do Uruguai. Eles procuraram o Consulado do Uruguai no Rio de Janeiro na manhã da segunda-feira (21), alegando perseguição do Estado brasileiro na Operação Firewall, da Polícia Federal. A corporação decretou a prisão de 23 manifestantes que ganharam a mídia após junho de 2013. Eles são acusados de prática de atos violentos e formação de quadrilha armada. Cerca de 18 são considerados foragidos pela Justiça.

Informe divulgado pelo blog do jornalista Fernando Rodrigues, na manhã desta terça (22), afirma que o Ministério das Relações Exteriores do Uruguai se posicionou negando acolhimento aos ativistas. “A posição oficial da chancelaria do Uruguai, enviada ao blog, é a seguinte: ‘O [Brasil] é um Estado de Direito, não persegue ninguém por razões políticas, e o Uruguai não interfere em decisões judiciais'”, argumentaram.

Os ativistas recorreram ao Consulado do Uruguai embora o destino correto deveria ter sido a Embaixada, que fica em Brasília. Mas mesmo que tivessem acertado o órgão, prevalece, na avaliação das autoridades uruguaias, a boa realação entre o presidente José Mujica (foto) e Dilma Rousseff. 

Desde que o Consulado do Uruguai negou o pedido de asilo, Eloisa está foragida, juntamente com David, de 18 anos, filho adotivo da advogada, e Camila, namorada dele. Informações do Estadão dão conta de que a deputada Janira Rocha, do PSOL, ajudou na fuga. “Ela (a deputada) deu uma carona até o bairro de São Conrado e não sabe o que eles fizeram depois”, disse o assessor de imprensa de Janira, Ricardo Villa Verde, ao jornal.

O Estadão ainda garante que conversou com a advogada no momento em que ela estava no Consulado. Na ocasião, Eloisa teria dito que embora o Uruguai considere o governo brasileiro democrático, “o problema não é o Brasil, o problema é o Estado do Rio, a Justiça, que está agindo como um verdadeiro Estado de exceção, contando com a cumplicidade e o silêncio do governo federal. Não vi outra solução a não ser o asilo político”, afirmou.

Leia também:  Pastor Marcio Poncio recebe ordem de penhora por dívida de R$ 429 milhões, diz site

A advogada nega as acusações feitas pela Polícia Civilno inquérito de 2013. Na denúncia, o promotor Luís Otávio Figueira Lopes afirma que Eloisa “inicialmente juntou-se aos demais no exercício de sua atividade, tendo, após, desvirtuado sua conduta e passado a participar ativamente dos atos violentos, passando instruções aos ocasionais participantes, tendo sido vista ordenando o início de atos de violência”. “Além disso, escudando-se em um suposto exercício da atividade profissional, presta apoio logístico, cedendo sua residência para reuniões”.

“Jamais cometi qualquer ato que infringisse a lei, mas estou sendo vítima das forças coercivas do Estado exatamente por defender pessoas que se ergueram e foram às ruas para protestar contra as ilegalidades cometidas por ele próprio. Quem atua na ilegalidade é o Estado”, afirma Eloísa em vídeo divulgado nesta segunda pela Mídia Independente Coletiva (MIC). 

https://www.youtube.com/watch?v=9HcHcCGT_nI width:700 height:394

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

85 comentários

  1. o pedido de asilo era uma

    o pedido de asilo era uma estrategia para se apresentar como perseguida politica!  o uruguai que não é um Brasil, não caiu na esparrela,  a advogada pensa que pode fazer o que bem entender sem ter que se responsabilizar por seus atos, coisa tipica de politico brasileiro, em breve a veremos candidata a algum cargo!

    • MUJICA, que não nasceu ontem,

      MUJICA, que não nasceu ontem, sabe como os “irmãos(?) do norte” agem e percebeu que se fossem pro Uruguai, logo os “asilados brasileiro” estariam formando ali “células primaveris” como as que “DEMOCRATIZARAM” a Líbia, o Egito e tentam a todo custo “democratizar” a Síria. E, como ele pretende manter o seu Uruguai como esse quase paraízo latino americano que é, decidiu: Aqui não jacaroa! Muito sábio o velinho! Não mete mesmo a mão em combuca. Se essa “doutora” tivesse lido ou assistido ao discurso do velho Mujica na ONU, teria buscado asilo na embaixada do Panamá, não do Uruguai.

  2. Bem acabamos de descobrir que

    Bem acabamos de descobrir que os ativistas brasileiros sao bem mais perigosos que os envolvidos com a Al Qaeda presos em Guantanamo por terem recebido treinamento para insurgencia ou manipulação com explosivos mas  que o dito pais humanista aceitara de braços abertos…

     

  3. Pensou que o Uruguai…

    Pensou que o Uruguai ia servir de quintal para seus aprontos funestos?

    Enganam-se se acham que todos aqui lhes vêem como santos ou que são suicidas pra ficar na mira de suas ideias…

    E que vão ruminar suas traquinices no lugar certo que não preciso dizer, já sabem onde é.

  4. Confesso que fiquei

    Confesso que fiquei decepcionado com a postura do presidente Jose Mujica neste episódio. Revelou um traço conservador ao negar asilo à advogada brasilera que vem sendo alvo de perseguição política pela polícia carioca e pelo PIG. Mujica perdeu uma excelente oportunidade de se afirmar como uma pujante liderança democrática nestes tempos de incerteza com o retorno do fascismo tucano no Brasil.

  5. Confesso que fiquei

    Confesso que fiquei decepcionado com a postura do presidente Jose Mujica neste episódio. Revelou um traço conservador ao negar asilo à advogada brasilera que vem sendo alvo de perseguição política pela polícia carioca e pelo PIG. Mujica perdeu uma excelente oportunidade de se afirmar como uma pujante liderança democrática nestes tempos de incerteza com o retorno do fascismo tucano no Brasil.

    • mujica

      Paulo :

      para  que  o asilo fosse  concedido o Uruguai consideraria  o Brasil  como ‘ não  democratico ‘.

      Não depende da vontade  do presidente.

      Há leis e regulameantos  internacionais.

      Desculpe, mas  ignorancia  fede  mal.

      • Lineu, são as legítimas

        Lineu, são as legítimas interpretações de um governante que o colocam na História como um estadista. Apesar do Brasil ser, em tese, uma democracia, as perseguições políticas trazem à luz um arcabouço jurídico comparável às mais sangrentas ditaduras. Caberia ao presindente Mujica o gesto de grandeza em conceder o asilo político e deixar para os organismos internacionais o julgamento deste quadro autoritário de cerceamento ao pensamento livre e soberano.

        • Concordo, o Judiciário

          Concordo, o Judiciário brasileiro é a instituição que mais resiste ao processo de redemocratização, na verdade, para compensar os efeitos do aprofundamento da Democracia nos demais poderes, tornou-se, nos últimos anos, ainda mais autoritário e arbitrário, sendo o ministro Joaquim Barbosa emblemático desse processo.

          A partidarização desses casos é lamentável, e não escolhe lados. Pessoas alinhadas ao PT defendem o arbítrio porque entendem ser mais favorável a seu partido, e vice-versa. Importante notar que o Judiciário se aproveita desse partidarismo para avançar sobre as demais instituições, quase sempre de forma autoritária. Parece que uma definição vaga e imprecisa do que seja “formação de quadrilha” está sendo utilizada para justificar muitos arbítrios.

           

      • A concessão de asilo é ato

        A concessão de asilo é ato discricionário do Estado, o presidente uruguaio poderia ter concedido asilo se quisesse, seria uma manifestação política com efeitos jurídicos.

        Entendo a posição política do Mujica, mas discordo da justificativa de que o Uruguai “não interfere em decisões judiciais”. A perseguição política não é exclusiva do Executivo e do Legislativo, na verdade, o Judiciário é frequentemente o maior responsável por arbitrariedades. Na minha opinião, um presidente estrangeiro ou um tribunal internacional reconhecer a ilegalidade de decisões do Judiciário brasileiro não significa reconhecer a ilegalidade deste ou daquele governo, pois o Judiciário é independente do Executivo.

        O Zé Dirceu e outras vítimas do processo arbitrário da AP 470 recorreram à Corte de Costa Rica, se esta entender que houve abusos e ilegalidades na condução do processo pelo STF, qual a culpa do governo Lula e Dilma nisso?

        Nenhuma.

        É claro que, em último caso, o responsável é o Estado brasileiro, o que engloba os 3 poderes.

      • Nada a ver.

        Assange teve pedido de asilo aceito pelo Equador, que considera a Inglaterra, Suécia e EUA, três países interessados na sua cabeça, plenamente democráticos. O mesmo foi feito pela Rússia em relação a Snowden.

        Aceitação de um pedido de asilo não significa condenação do país de onde vem o asilado. O Brasil já recebeu inúmeros asilados mantendo boas relações com os países de onde vieram; de Portugal recebemos exilados de esquerda que se refugiavam de uma ditadura de cunho fascista, depois recebemos refugiados da direita fascista que se exilavam da restauração da democracia; nada disso causou estragos nas relações do Brasil com Portugal.

  6. Gostaria de saber que

    Gostaria de saber que ingerência tem a presidenta na Polícia Cívil do Rio e no MP carioca. Alías não foi uma das bandeiras das “jornadas de Julho”, a derrubada da PEC 37, para dar maior poder ao MP? Olha aí o resultado.

    Quanto às prisões serem justas ou não, é uma discussão para os acusadores e os advogados. Agora, não tem essa de “presos políticos”. Não existe crime “de opinião” nesse caso. Depredar, incendiar onibus, incendiar lixeiras na vias públicas, e matar o cinegrafista, não é “opinião política”.

    Incentivados pelo pig, para criar uma situação de “primavera árabe” no Brasil, desgastando o governo, acharam que tinham licença para “tocar o terror geral”. Agora, a mídia e a direita os abandona. Num gesta patético pedem ajuda ao Mujica, o simpático velhinho esquerdista. Pode? 

     

    • bem lembrado

      Perfeito Juliano. Voce lembrou bem. A queda PEC 37, inserida de maneira oportunista nos protestos,  como chantagem descarada tipo “ou cai ou quebro tudo” …

    • Pois é e, até onde eu li aqui

      Pois é e, até onde eu li aqui na rede, não houve enquadramento com base na tal teoria do domínio do fato, não. Entraram mesmo por formação de quadrilha armada. Mujica, numa entrevista a Bandnews já havia se manifestado acerca dessas manifestações, só que na Venezuela, se os ativistas tivessem assistido, não teriam tentado asilo no Uruguai. De burro, Pepe Mujica, não tem nada. Resta perguntar aos ativistas qual seria, na opinião deles, a forma correta para lidar com esse tipo de situação.  Num primeiro momento, acusaram a polícia de ser violenta; depois de omitir-se deixando os manifestantes soltos para quebrarem tudo para queimar a imagem do movimento; mais a frente, qdo a polícia resolveu cercá-los e, apenas imobilizá-los mas tb não podia; diziam que a polícia tinha que ter um setor de inteligência para agir de forma mais efeitiva; aí qdo agem, preventivamente, tb não pode… Enfim, qual a solução que os ativistas dariam para esse situação? 

  7. Ora, o sr. Mujica percebeu


    Ora, o sr. Mujica percebeu que não passam de traidores da nação brasileira, na busca da derrubada de um governo popular. Os bobões, sinto muito, pensaram que iriam surfar na onda que a mídia criou e sair “bem na foto” por isso, mas não se deram conta, ingênuos(?), que a mídia nunca está ao lado deles, senão para usá-los e descrtá-los. Aprenderam? Acho que nunca vão aprender, sempre tentarão desestabilizar governos do povo.

  8. asilo – cade a OAB

    Solicito á OAB que  casse  a carteira da ordem dessa pseudo-advogada.

    Ignorancia é pior que a verdade.

  9. Estão pedindo no lugar errado….

    O procedimento correto é o seguinte:

     

    1-  Recorrer primeiramente à fonte pagadora dos R$ 150,00 por dia que os caras ganhavam pra sair quebrando tudo.

    2-  Falar com a Marina da Rede, inspiradora das manifestações, … para que ele intermedie asilo político em território americano.

    3-  Pedir ao banco Itaú que abra uma conta de contribuição para que os exilados possam se sustentar fora do país… o nome da conta poderia ser Molotov solidário.

     

    fui….

  10. Perguntinha…

    Agora de manhã vi a globonews e eles falaram sobre essas prisões.

    Colocaram o áudio de conversas gravadas pela polícia.

    Falaram de dois jovens que estariam preparando atentados, cujos nomes estavam no processo, masi que não iriam duvulgar os nomes porque um deles era menor.

    E outras coisas mais…

     

    Pergunta: como a Globo teve acesso a esses documentos? A defesa dos acusados diz que não teve acesso a todo o processo.

     O estilo midiático do Barbosão está fazendo escola?

    • A defesa dos acusados…

      A defesa dos acusados diz que eles são presos políticos. A defesa dos acusados acha que eles são inocentes. A defesa dos acusados acha que eles tem o direito de derrubar um governo eleito democraticamente, de promover quebra-quebra e jogar molotov e bomba em quem discordar deles.

      A defesa dos acusados, portanto, vai continuar dizendo que está tudo errado, que seus clientes são mais inocentes do que Jesus, mais éticos do que o Dalai Lama e mais pacíficos do que Gandhi…

        • “Isso não muda em nada a

          “Isso não muda em nada a minha pergunta: porque a Globo teve acesso ao processo?”:

          Provavel que seja pra jogar a primeira bomba contra o Sindipetro.

          • Sem esquecer os perigosos

            Sem esquecer os perigosos sindicalistas do SEPE, que representam os professores do município e do estado do Rio de Janeiro.

            E pra não dizer que não falei das flores, por uma greve declarada ilegal pelo excelentíssimo senhor ministro Luiz Fux, o prefeitim Eduardo Paes zerou contracheques de va’rios professores, demitiu outros tantos , e a imprensa se irmana aos blogs no silêncio dos inocentes. Puxa, zerar contracheque nem a elite branca de olhos azuis que chefia o Ministério da Cultura teve coragem de fazer com os grevistas da área. Está descontando em prestações…

            Fecho o parênteses do fora do tópico, ou rapidinho algum especialista vai me chamar de troll, aquele monstro que muda de assunto.

          • “o prefeitim Eduardo Paes

            “o prefeitim Eduardo Paes zerou contracheques de va’rios professores”:

            ?????????

            Salario de empregados nos EUA eh sa gra do.  Ele estaria na prisao se tentasse um truque desses aqui…

          • Pois é. Tudo bem que uma

            Pois é. Tudo bem que uma greve envolve riscos, inclusive o de desconto em folha de pagamento ( afinal, até líderes populares dizem que greve não é igual a férias , certo ?). Mas zerar o pagamento, incluindo até a parcela do 13 salário, é negar o mínimo necessário para viver com dignidade. Felizmente o sindicato usou o fundo de greve para pagar 200 merrecas como auxílio sobrevivência a quem levasse o contracheque zerado.

            Aliás a peça também retirou o plano de saúde que era subsidiado aos servidores aposentados e aos pensionistas da prefeitura com a alegação de que estava muito dispendioso  – eles são velhos e se recusam a morrer, as pestes. E sem qualquer aviso prévio. Você viu isso na imprensa ? Só em cartas de leitores …

            Enfim, esse Dudu é blindado, e esse ano não há eleições para prefeito, então o bicho pega, enquanto o candidato a governador Pezão encaminha à Assembléia um pacote de bondades para os servidores estaduais.

            Ê nóis !

      • Este blog também criticou a

        Este blog também criticou a polícia do RJ, acusando-a de “prever crimes”, que Sininho e Cia. Ltda. eram perseguidos. Pois é. Havia uma investigação séria.

        Mais uma bola…

         

        Enquanto isso, “se divirto” com os comentários.

  11. A decisão uruguaia é correta

    CORRETA A DECISÃO URUGUAIA – José Mujica, atual presidente da República Oriental do Uruguai, é um ex guerrilheiro que integrou o Movimento de Libertação Nacional-Tupamaros nos anos 60 e 70 do século – e do milênio – passado.

    Foi baleado 06 vezes em confrontos com as forças de segurança uruguaias e foi preso por 04 vezes em função destes confrontos.

    No total, passou 15 anos da sua vida preso, além de sofrer várias torturas no cárcere. O último e maior período foi de 13 anos de encarceramento, entre 1972 e 1985. Destes 13 anos, 11 foram de solitária. E destes 11 anos de solitária, 02 anos foram de confinamento ainda pior, no fundo de um poço, praticamente enterrado vivo.

    Quer dizer então que os fantasiados, que se dizem indignados com o ‘Estado de Exceção’ supostamente existente no Brasil, estão bravos com o Presidente Pepe Mujica porque o mesmo negou asilo político para uma das pessoas que foram bater na porta do Consulado Uruguaio? Hum…

    Não seria de se perguntar o quê o Brasil atual tem a ver com o Brasil do tempo do regime militar? Não seria de se perguntar o quê o Brasil atual tem a ver com o Uruguai do tempo onde Mujica foi baleado, torturado e preso durante mais de uma década?

    Vejamos o caso de Nelson Mandela, também ex guerrilheiro que ficou preso durante 27 longos anos na África do Sul, acusado pelo regime racista do apartheid de praticar atos de sabotagem e de terrorismo.

    Não seria de se perguntar o quê o Brasil atual tem a ver com o regime legalmente racista do apartheid, e que justificaria uma possível aceitação de um pedido de asilo político?

    Enfim, me parece algo até lógico, que dispensaria maiores explicações, o fato do Uruguai ter negado asilo para a advogada ‘ativista’. Ainda mais por se tratar de uma querela que nada tem a ver com a República Federativa do Brasil, mas sim com o governo do estado do Rio de Janeiro, bem como com o Poder Judiciário e o Ministério Público deste estado já citado.

    As prisões preventivas atuais, decretadas pelo juiz da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, são, a meu juízo, abusivas e deveriam ser relaxadas em caráter liminar, mediante a impetração de Habeas Corpus, pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Ponto.

    E mais uma vez é preciso repetir, o Brasil atual não é um ‘Estado de Exceção’. Ao contrário do que os fantasiados querem fazer crer, erroneamente, o Brasil atual vive o seu mais longo e duradouro período de democracia política existente em toda a sua história.

    Não há supressão de nenhum direito ou garantia fundamental previstos na Carta de 88, tampouco há essa supressão na legislação ordinária. O que há é uma interpretação conservadora de leis que estão vigentes há muito tempo.

    E esta interpretação conservadora (direito penal do inimigo, responsabilidade penal objetiva, domínio do fato, etc) tem como o seu principal artificie o sr. Joaquim Barbosa, responsável pela patranha da AP 470. Patranha esta que, curiosamente, foi aplaudida de forma desbragada e frenética por vários dos fantasiados atuais.

    O governo Dilma, sempre acusado de ser ‘autoritário’, flexibilizou a lei da prisão preventiva em 2011! E o fez mediante a Lei 12.403.

    Esta lei criou dispositivos alternativos à prisão preventiva, como a fiança e várias outras medidas cautelares, entre elas o comparecimento periódico em juízo, a proibição de frequentar certos lugares ou o uso de monitoração eletrônica.

    Antes da edição deste benéfica lei feita pelo governo de Dilma Rousseff, o juiz podia decretar de ofício a prisão preventiva das pessoas para a investigação ou a instrução criminal. Hoje não pode mais e só pode fazê-lo mediante requerimento da autoridade policial ou do Ministério Público.

    Se os fantasiados, que não entendem absolutamente nada de política, de ditadura ou de democracia, querem continuar a brincar de ‘Estado de Exceção’, é um problema exclusivamente deles.

    Mas deveriam no mínimo parar de mentir a respeito do governo Dilma, pois a verdade incontestável dos fatos os desmentem de forma cabal.

    Eles deveriam, isto sim, reclamar e protestar contra as autoridades policiais, do Ministério Público e da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, não com Dilma e o PT que aprovaram a Lei 12.403!

    Legislação esta que, repito, flexibilizou a lei da prisão preventiva, oferecendo várias alternativas para evitar o seu uso abusivo pelas autoridades judiciárias.

    • Perfeito, Diogo!

       a prisão preventiva no meu modo de ver está embasada sim. O setor da policia civil do RJ que investigou é especialista em crimes cibernéticos e agiu com respaldo jurídico. As prisões foram amparadas em escutas telefônicas com autorização da justiça.. e havia sim conteúdo suficiente para deter preventivamente.

      É visível também a estratégia de colar no governo a pecha de autoritário… Novo crime contra o estado democrático.

       

    • Sabe uma coisa que eu não

      Sabe uma coisa que eu não entendo, Diogo, é a insistência de parte da miltância do PT em atacar todo mundo que condena as arbitrariedades que estão sendo cometidas no Rio de Janeiro em nome da defesa do governo Dilma. Ou seja, vocês estão colocando o governo na fogueira. Veja que você, assim como outros, aceita as acusações formuladas pelo Ministério Público contra os indiciados. Você, no seu texto, os trata como “fantasiados”, “advogada ‘ativista'” (assim mesmo entre aspas), e outras expressões depreciativas. Diz que o caminho é o habeas corpus. Mas não nos esqueçamos que um juiz, Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal do Rio, já o concedeu e o mesmo foi derrubado na sequência.

      Eu não vi, até o momento, nada que diga que estas pessoas cometeram atos de violência. Elas foram presas pela suposição de que cometeriam protestos violentos no final da Copa do Mundo. Isto é o quê, se não a prisão preventiva dos tempos da ditadura?

      Eu não acho que a responsabilidade seja da presidenta Dilma. Eu penso que a arbitrariedade é de uma banda, infelizmente majoritária, do nosso judiciário. Uma banda que no Rio de Janeiro está a serviço de um  dos governos mais asquerosos de todos aqueles do PMDB.

      Quando militantes e simpatizantes petistas, no afã de defender o governo Dilma, condenam acriticamente os opositores hoje presos e indiciados, só estão jogando contra o partido e o governo. Os petistas deveriam ser os primeiros a condenar as arbitrariedades e não se alinhar automaticamente a este judiciário apodrecido. Não nos esqueçamos que foi exatamente isto que nos indignou quando das condenações de José Dirceu, Genoino, João Paulo e demais.

      Eu penso que por trás da condenação sumária destas pessoas esconde-se um vício entranhado na esquerda. Ainda no final dos anos 1920, quando se começou e ver para onde ia a União Soviética, era um verdadeiro pecado criticar a então burocracia emergente. Qualquer crítica era tida como uma crítica ao socialismo. Deu no que deu, um regime autoritário e assassino.

      Não digo que o atual governo tenha tais características. Trata-se de um governo democrático e que busca incentivar a justiça social, mas não é infalível, pelo contrário. É um governo de coalizão que, estranhamente, reúne o campo progressita ao que existe de pior no campo conservador. Apenas a pressão dos movimentos sociais pode fortalecer o campo progressista. E cadeia para quem protesta e reivindica não é a resposta. A não ser para aqueles que forem flagrados em atos violentos. O maior erro da esquerda é jogar sobre as costas das Sininhos a pecha de black blocs e vândalos, quando não “coxinhas”.

      • Analfabetismo político e funcional

        Vamos lá:

         

        1- Em nenhuma parte do texto que fiz eu endosso as teses da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, do Ministério Público daquele estado ou do juiz da 27ª Criminal do Rio de Janeiro. Ao contrário. Digo com todas as letras que as prisões preventivas são, a meu juízo, abusivas e que deveriam ser relaxadas.

         

        2- O caro colega cita o Desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, e diz que o Habeas Corpus que ele deu anteriormente foi derrubado. Isto é uma rotunda e grotesca falsidade. Uma inverdade deslavada que só pode ser fruto de ignorância pura e simples… O Desembargador Siro Darlan concedeu Habeas Corpus, PARA TODOS os envolvidos no caso, no que tange aos pedidos de prisão TEMPORÁRIA que haviam anteriormente. Ou seja, as prisões temporárias foram relaxadas com base nos Habeas Corpus antes impetrados. 

         

        A situação atual em absolutamente nada tem a ver com prisões temporárias, que já foram relaxadas, mas sim com os novos pedidos do Juiz da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, referentes às prisões PREVENTIVAS solicitadas pelo mesmo. Já foram impetrados Habeas Corpus para relaxar estas prisões preventivas e o juiz Siro Darlan, salvo melhor engano, irá analisar o caso entre hoje e amanhã. E sempre lembrando, obviamente, que a lei das prisões preventivas foi aperfeiçoada e melhorada justamente pelo governo da Presidenta Dilma Rousseff.

         

        3- No mais, reitero o que já disse aqui e em outras redes sociais, várias vezes. As prisões atuais, baseadas em pedidos de prisão preventiva, são abusivas e devem ser relaxadas o quanto antes. O que estamos vendo agora não caracteriza o Brasil como sendo um ‘Estado de Exceção’. É apenas um desdobramento ou recrudescimento da interpretação da legislação penal já existente, visto que não há nenhuma supressão de direitos e garantias fundamentais que tenha sido implementada neste país.

         

        E tudo isto não me impede de continuar criticando, como faço desde junho do ano passado, a ‘tática’ Black Bloc. ‘Tática’ esta que, ao fim e ao cabo, só interessa aos ditames da direita. Aliás, cai mesmo como uma luva no discurso daqueles que pretendem endurecer a legislação penal ou mesmo interpretar de forma draconiana a legislação penal já existente.

        • Truculento e mal educado

          Concordo, você não encampa no seu texto as acusações da Polícia Civil e do Ministério Público. Você realmente diz que as prisões preventivas são abusivas e deveriam ser relaxadas. Da mesma maneira em nenhum momento eu digo que existe um “estado de exceção” no Brasil. Pelo contrário.

          Você não quis entender, já que tem as condições para tal, uma vez que não é nenhum analfabeto político ou funcional, que o essencial da minha crítica estava exatamente na forma como você busca desqualificar os presos e indiciados. Sobram epítetos: fantasiados, quando não há nenhuma prova de serem black blocs, ou advogada “ativista”, para quem comprovadamente apenas exercia seu papel, até prova em contrário. Aliás, devo reconhecer, adjetivações até amenas perto das esgrimidas por outros comentaristas deste espaço.

          Por outro lado, minhas palavras, que você não quis entender, já que não é nenhum analfabeto funcional e político, foram no sentido de apontar o acriticismo daqueles que reagem a qualquer situação com uma defesa desproporcional do governo quando ele sequer é atacado. Isto denota a intolerância ao debate e às ideias contrárias, ainda que estas não sejam assim tão contrárias, numa demonstração de truculência e falta de educação. O que fazer, não é? Nossa democracia é jovem, podemos aprender.

           

      • Ronaldo, sem conhecer a

        Ronaldo, sem conhecer a íntegra do Processo contra esses acusados (você conhece?), não te parece leviano dizer que o Ministério Público e/ou o Tribunal de Justiça do RJ não têm razão para processar e (talvez) condená-los pelos seus atos? No caso da AP 470, após conhecer grande parte dos autos, publicados por blogs ‘sujos’, especialmente os lementos ocultados no Processo 8424, deu pra formar juízo quanto ás armações do Gurgel e do Joaquim Barbosa. No caso atual, só temos os “vazamentos” da SONEGADORA GLOBAL e nela eu não acredito, mas não se pode ainda dizer que os promotes e desembargadores cariocas estejam perseguindo injustamento esse pessoal que agiu como arruaceiros.

        • Talvez eu não tenha me feito entender

          Edmar, eu não disse que o MP “não tem razão para processar e (talvez) condená-los pelos seus atos”. Repito minha frase a este respeito:

          “Eu não vi, até o momento, nada que diga que estas pessoas cometeram atos de violência. Elas foram presas pela suposição de que cometeriam protestos violentos no final da Copa do Mundo. Isto é o quê, se não a prisão preventiva dos tempos da ditadura?”

          Você mesmo reconhece que só temos os vazamentos daquela que nenhuma confiança inspira. E mesmo que tais vazamentos correspondam aos dados do inquérito do MP e da Polícia Civil, não quer dizer que sejam fidedignos. Assim como não o eram aqueles usados pelo PGR na denúncia da AP 470.

          A princípio não acredito no inquérito. Posso ser convencido. Mas jamais serei convencido de que é correto o pré-julgamento e, o pior, a pré-condenação imposta por boa parte da blogosfera.

  12. Tá bom !
    Foram pedir asilo

    Tá bom !

    Foram pedir asilo logo a quem, ao Mujica ?

    Ele “é assim” com o Lula, duvido que iria dá asilo por motivos politicos.

    De politica o Mujica endente muito bem, e não vai cair nessa.

    Se pelo menos alguém nesse grupo tivesse o perfil de um Brizola.

  13. A advogada ‘perseguida’ e seu

    A advogada ‘perseguida’ e seu grupo político foram os mesmos que comemoraram efusivamente as condenações de José Dirceu, Genuino e outros pelo STF sem nenhum prova sequer.

     

  14. enfim, o fim e o resumo…

    que de agora em diante procurem entender e aceitar, sem precisar se adaptar, que no mundo dos sonhos e ilusões o pesadelo nunca deixou de ser a realidade que temos, completamente diferente da que procuramos criar para justificar falsos desejos de mudanças…………………..

     

    ideal seria que se adaptassem, passassem a se defender com toda a liberdade que o Estado de Direito lhes oferece, de igual para igual, mas acredito que nem assim aceitarão

      • Um pouco de sensatez

        Ótimo, Edson. Nada como matar a cobra e mostrar o pau. Aliás, uma breve busca no Google vai mostrar que a advogada tem escritório constituído. Nunca pensei que assistiria a cenas tão horripilantes e atentatórias à liberdade de expressão. Aliás, apenas comentando sobre Rosa Luxemburgo, não podemos nos esquecer que as Freikorps arrancaram-na da cadeia e fuzilaram-na com a aquiescência dos seus antigos companheiros do partido social democrata alemão, então participante do “governo democrático”. Se é verdade que a injustiça contra os presos no Rio de Janeiro não pode ser imputada à presidenta Dilma Roussef, também é verdade que o silêncio do governo o torna cúmplice. O governo Dilma, na pessoa do seu ministro da justiça, precisa se posicionar acerca das arbitrariedades, assim como o fez a direção do PT. O governo do PT só poderá avançar para um Brasil mais justo e democrático se encontrar respaldo naqueles que militam pela liberdade e igualdade. A atitude acrítica não ajuda, apenas reforça as posições mais conservadoras da aliança que governa o país.

  15. “O [Brasil] é um Estado de

    “O [Brasil] é um Estado de Direito, não persegue ninguém por razões políticas”

    A não ser, é claro, do Zé Dirceu e do Genoíno…

  16. O problema no Brasil é falta

    O problema no Brasil é falta de caráter, falta memória, canalhice e hipocrisia.

    Hoje, os mesmos canalhas que incentivaram esses garotos para que fossem às ruas, para que detonassem o governo Dilma o PT, os condenam, querem vê-los presos atrás das grades. 

    Quem não lembra dos criminosos da imprensa-partido? As manchetes, a torcida para que tudo pegasse fogo? 

    Quem não lembra da Globo News, com  Leilane Neubarth  e seus “lindinhos”, transmitindo horas e horas de criticas ao governo Dilma? E Vibrando!!!

    Quem não lembra dos “comentaristas” programados pela Globo, para elogiar o “novo brasil”, e os que eram “contra tudo que estava aí”?

    Essa canalha nunca valeu NADA! E não seria em 2013 que negariam a própria história. 

    Depois de “chuparem a laranja”, esses garotos não serve mais, o objetivo na época – usa-los para desgastar o governo –  foi alcançado.

    Hoje são bagaços, descartáveis,  irão para o lixo.

     

    EU TENHO NOJO DESSA CANALHA DA DIREITA.

     

    • Não são apenas estes

      Tai a questão. Foram estimulados por boa parta da midia, por partidos, por sindicatos, por politicos e agora todo mundo desapareceu e a policia pegou apenas os bagrinhos. Não teria também uma pouco de vingança ai, da cupula do ex-governador, Sérgio Cabral ?

    • Muito bem colocado, Iza!

      Quem se presta ao papel de lavador das privadas da Direita acaba assim. Vide a Heloisa Helena, reduzida de 3ª colocada na eleição presidencial de 2006 para a vereança em Maceió, tentando retornar ao Senado Federal. E agora o Randolfe, que até posar pra fotos com os cabeças do DEM e PSDB posou, e foi alijado pelo próprio partido da disputa à presidência.

      Os lambaios da Direita acabam sempre assim. Me admira é que não tenham ainda percebido isso, com tantos exemplos nos últimos anos!

      • Alan, melhor a gente esquecer

        Alan, melhor a gente esquecer esse negócio de posar para fotos, ou me vem à cabeça a cara constrangida do coitado do Padilha tendo que posar com o Maluf, para no dia seguinte ser rejeitado pelo partido malufiano.

        Infelizmente, em nossa política as fotos vêm no pacote. É bom não dar muita importância.

  17. Essas pessoas não protestaram

    Essas pessoas não protestaram contra as prisões de José Genoino, José Dirceu e Delúbio Soares. Portanto, consideram que vivemos em um estado de direito onde a justiça funciona. Se é assim, não há problema que se submetam a processo e julgamento.

  18. Por que ela envolveu o

    Por que ela envolveu o proprio filho e a namorada do menino nessa aventura perigosa e despropositada? Um garoto de 18 anos, foragido da Justiça, começando a vida nessa situação, vivendo cladestinamete como bandido. Essa senhora não percebe que, a unica saida é enfrentar a acusação e as consequencias de seus atos. A prisão é temporária, existe, instrumentos como habeascorpus e outras garantias que podem ser utilizadas.  Pregar que o Brasil é  uma ditadura, é atestado de ignorancia sem limites, porralouquice …

    • Inconsequência

      Ela achou que a Globo iria apoiá-la nos planos tresloucados de derrubar o governo na base de molotov e bomba caseira. Quando o povo ficou contra o quebra-quebra nas manifestações, a Globo a descartou. Inconsequência, irresponsabilidade e delírio destrutivo. Simples assim.

  19. Uma comparação pertinente, o

    Uma comparação pertinente, o governo brasileiro concedeu asilo àquele senador boliviano, acusado de assassinatos pelo governo de seu país.

     

  20. Federalização da Polícia Fluminense

    Na minha opinião o Uruguai foi correto na decisão e a ação de marketing da advogada saiu pela culatra.

    Esse caso serviu para debitar nas “costas da Dilma” uma questão estadual de truculência e ilegalidade fluminenses.

    “Dilma falou com o Mujica? Houve “manobra” para que a manifestante fosse presa? Aliás ela se manifestava contra o “governo”, não é?” diria aquela pulga que vive atrás das orelhas.

    Aos fatos: Ninguém pode ser preso por crime que ainda não cometeu.

    Manifestar-se não é crime.

    “Grupo” não é réu.

    Policia Fluminense tem jurisdição no RS?

    E quem pode acreditar nas “provas” apresentadas? São dignas de Sgto Garcia!!

    Não são criminosos que após terem agido frequentemente no mesmo “ramo” são investigados com a intenção de serem presos.

     

    • Vou explicar:

      Não devia, já que não vai adiantar muito, mas vou perder meu tempo explicando:

      “Ninguém pode ser preso por crime que ainda não cometeu.”

      Fato: tentativa também é crime, caso da tentativa de incendiar a Câmara do Rio, que só não se concretizou porque outros manifestantes impediram Sininho. E existem crimes ditos de perigo, nos quais não se exige nenhuma ação concreta, basta o mero risco para qualificá-los. Fabricação de explosivo é um deles;

      “Policia Fluminense tem jurisdição no RS?”

      Fato: leia os artigos 289, 289-A e 290 do Código de Processo Penal, e pare de repetir besteiras.

      “E quem pode acreditar nas “provas” apresentadas? São dignas de Sgto Garcia!!”

      Fato: existem escutas telefônicas e depoimentos de outros manifestantes como testemunhas. Vai dizer que o sargento Garcia obrigou a Sininho a dizer o que disse nas escutas, pra se auto-incriminar?

    • Federalização nacional, na

      Federalização nacional, na segurança e na educação, se for um sem o outro não dá em nada. Também em São Paulo que sempre viveu de ser exceção e não deixa ninguém crescer meritocraticamente.

  21. ué,mas essa ativista, como


    ué,mas essa ativista, como advogada que é, sabe que vive num estado de direito,concorde ou não como sistema. agora qwue la viu que de vez em quando a justiça age como num estado de exceção – como no julgmento da ap 470? reclamou disto? pelo que eu saiba,não…

    a atitude do mujica é de estadista porque conforme a resposta do governo uruguaio a questão está sob decisãoj udicial, e acrwcento: de  uma província, do estado do rio de janeiro.

  22. Tô dizendo que essa coisa é

    Tô dizendo que essa coisa é complicada. Há mais ou menos 20 horas, milhares de pessoas, maioria petistas foram adicionadas a um grupo do Anonymous no FB. Até eu fui… Todo mundo adiconado, ontem, por uma mesma pessoa. Aí não dá; viramos Anonymous do dia para a noite, com foto e nome completo. 

    • Denuncie o grupo no Facebook

      Denuncie o grupo no facebook, oriente pessoas na mesma situação a fazê-lo. Não pode dar mole pra essa bandidagem!

  23. Pois eu acho que os nobres

    Pois eu acho que os nobres advogados que defendem os ativistas presos deveriam recorrer (e rápido) ao STF. Em especial ao ministro Joaquim Barbosa. Este, do alto de sua imparcialidade e sabedoria, saberá proferir o veredicto mais adequado à questão. Não percam mais tempo!

  24. Alguns “perseguidos políticos” são “mais iguais” que os “outros”

    O amadorismo de uma certa esquerda brasileira aloprada é de dar pena, tamanho o constrangimento que ela se auto-impõe. Parece que falta escola, falta estudo, faltam neurônios necessários para o mínimo discernimento por parte dessa esquerda aloprada brasileira. Nêgo não sabe juntar lé com cré, não domina lógica básica. Aí é déficit intelectual.

    Uma advogada deveria saber, por dever de ofício, que eventual ilegalidade na decretação de uma prisão preventiva não ampara, por si só, um pedido de asilo político. Isso é óbvio, é básico, é elementar. Qualquer pessoa com dois neurônios é capaz de entender isso.

    Para chegar a fundamentar corretamente um asilo político a partir de um decreto prisional preventivo, seria necessário envolver na trama da ilegalidade não só o Executivo, inclusive por meio do ministério público, mas também o Judiciário, já que são os juízes que, a partir de um texto de lei, analisam a existência, no caso concreto, dos requisitos e pressupostos para que a prisão preventiva seja validamente decretada.

    Então, primeiro ponto, no Brasil existem direitos previstos em lei que impedem arbítrios, apesar disso acontecer, mesmo com a legislação vigente que busca proteger os direitos fundamentais. Só que, quando isso ocorre, não é porque estamos na presença, necessariamente, de um estado de exceção, mas sim porque houve um entendimento errado, incorreto, da lei ou dos fatos. Caberá buscar os meios judiciais que permitem cassar a coação ilegal e garantir os direitos fundamentais de quem se encontre preso abusiva ou ilegalmente, sendo o habeas corpus o remédio jurídico mais apropriado no caso do direito de ir e vir livremente encontrar-se prejudicado.

    O que me chama a atenção, neste caso, são os argumentos dos “ativistas”, que se consideram “vítimas políticas” de um suposto “estado de exceção” existente no Brasil. Eles dizem que estão sendo presos por simplesmente “defenderem o direito de se manifestar” hehehe. A polícia, por sua vez, acusa-os de planejar e praticar atos de violência nos referidos protestos e/ou manifestações, tais como depredação de patrimônios público e privado, dentre outros crimes, com a agravante disso ser tudo ser cometido em associação criminosa. De um lado, é certo que ninguém pode ser preso por simplesmente defender o direito de se manifestar. Mas também não é menos certo que o direito de se manifestar não pode extrapolar e se tornar desculpa para a atuação de verdadeiras hordas paramilitares, como foi o que efetivamente aconteceu em muitos casos no Brasil nos últimos tempos, inclusive ocasionando a morte brutal do jornalista-cinegrafista Santiago Andrade, que teve a cabeça explodida em plena praça pública depois de ser atingido por um artefato explosivo acendido por dois dos tais “manifestantes”.

    Portanto, existe uma controvérsia. E essa controvérsia tem que ser dirimida no Poder Judiciário, que deve agir com imparcialidade, tanto quanto possível, a partir de um devido processo legal em que sejam observadas as garantias e os direitos ao contraditório e à ampla defesa. Se você não aceita se submeter a essas regras do Estado Democrático de Direito, alegando estado de exceção ou direcionamento político das acusações e das prisões preventivas, é porque você colocou todo mundo no mesmo barco da ilegalidade e do estado de exceção.

    O que eu percebo, neste caso do post, é a tentativa ridícula e sumamente comprometedora dos ativistas que tiveram as suas prisões preventivas decretadas de quererem barrar, de antemão, a atuação do Poder Judiciário com base na alegação de que se trata de perseguição política. Ou seja, querem se subtrair da obrigação de terem que se defender num processo judicial onde lhes são dadas todas as garantias de defesa. Isso é o mesmo que simplesmente interditar a atuação do Poder Judiciário, desautorizando inclusive a sua existência. É a desculpa perfeita que todo criminoso gostaria de ter: uma vez acusado, bastaria dizer: “não é nada disso que eles estão dizendo. Eu sou um perseguido político e vou pedir asilo porque o Brasil é um estado de exceção e eu estou sendo vítima da ditadura do governo brasleiro blá blá blá”. E pronto. Ninguém apurava nada e todo mundo sairia impune.

    Aliás, é curioso constatar que aqueles que defenderam esse discurso na AP 470 sintam agora na pele o quão nefasta é essa linha de defesa. Ela age, na maioria esmagadora dos casos, para desautorizar qualquer investigação, qualquer processo criminal, qualquer decisão judicial, muitas e muitas vezes de forma leviana. Basta alegar que é “perseguido político”.

    Pelo visto, existem alguns “perseguidos políticos” que são “mais iguais” que os “outros”.

    • Parabéns, mais claro imposível

      Concordo em gênero, número e grau, mais claro impossível.

      Faltam realmente neurônios nessa esquerda aloprada, diria porra-louca, brasileira que absurdamente considera “ditatorial” (faz-me rir) a coibição ou punição de promotores de atos ou tentativas de destruição de prédios públicos ou privados, incêndios e apedrejamento de meios de transporte, depredação de equipamentos públicos, atentados a agentes do estado, etc.

      Como estúpidos que efetivamente são, fizeram o jogo da direita, aquela que após um rápido momento de perplexidade, os apoiou quando percebeu que significavam desgaste ao governo federal trazendo os índices de apoio à Dilma ladeira abaixo em meados de 2013.

      Para a direita agora já não interessa mais os apoiar,  inclusive face o inegável e internacionalmente reconhecido sucesso da copa, pois nessa altura do campeonato, digo corrida eleitoral, desgastaria os governos estaduais sob domínio do arco de apoio ao candidato da direita, Aécio, e não significaria um desgaste suplementar à candidatura Dilma.

      A única “obra” final dessa esquerda aloprada será, infelizmente talvez, ter conseguido atender aos anseios da direita financista neoliberal provocando um segundo turno na eleição presidencial, com  risco de perda de grande parte dos ganhos populares do período petista, desde a melhoria de vida de milhões de famílias ao estabelecimento do conceito de nação independente, uma vez que hoje o Brasil, em vez de pires na mão à cata de esmolas (na verdade mais dívidas) do FMI, Clube de Paris ou FED e atrelamento automático a interesses do chamado primeiro mundo, se alia e compõe com parceiros estratégicos como os demais membros do BRICS ou o Mercosul.

      Esses porra loucas  vão agora apanhar de todos os lados.

      Merecem, bem feito.

    • Alessandre, tem um ponto que

      Alessandre, tem um ponto que eu ainda não entendi; as defesas alegam que não tiveram acesso a nada do que a Mídia veiculou. Dão a entender que estão liberando, apenas o que interessa para que se forme uma opinião contra os ativistas. Uma pessoa pode ser presa sem que a defesa tenha acesso a íntegra da acusação?

      • Pode, mas o acesso tem que ser franqueado posteriormente

        O que acontece é o seguinte: essas investigações baseadas em interceptação telefônica correm em sigilo (segredo de justiça). As ordens judiciais são obtidas em sigilo etc. Aí a polícia passa a investigar por meio da realização das interceptações. Depois de reunidas as provas, são feitos os requerimentos de prisões cautelares cabíveis (prisões temporária e preventiva), o que só acontece depois que a interceptação confirma as suspeitas. O caminho normal é, primeiro, a polícia dar seguimento à interceptação, obter as provas, juntar no processo e depois o delegado finaliza o inquérito e manda para a justiça o relatório (os autos da interceptação correm em apenso aos autos do inquérito) com os cabíveis requerimentos de prisões cautelares. O juiz intima o MP e este oferta a denúncia. Isso quando já não oferta logo de primeira, caso acompanhe de perto as investigações, o que o MP está autorizado por lei a fazer. Somente depois, quando as prisões são feitas, é que a defesa terá acesso à íntegra do inquérito e da interceptação. Simplesmente porque até as prisões serem efetivadas, a investigação corria em sigilo. Não se tinha como saber. No entanto, depois de realizadas as prisões, não se pode negar o acesso da defesa aos autos, sob pena de cerceamento de defesa.

  25. Não foi por falta de aviso

    Essas pessoas estão complicadas com a justiça porque acharam que estavam certas e podiam tudo. Não foi por falta de aviso. Vejam o caso da tal Sininho: estava na cara que, mais cedo ou mais tarde, ela iria entrar numa dessa. O amadorismo dela, produto, dentre outras coisas, de um panfletarismo romântico de gente egocêntrica e mimada, é gritante. Falta para pessoas como Sininho, além de bagagem política e intelectual, a cultura das ruas. Deu nisso aí.

    Eu mesmo já tinha escrito isso aqui quando comentei a atuação dela na época do homicídio praticado contra o jornalista da BAND Santiago Andrade. Está lá, em meus comentários na época. Quem quiser, pode conferir. Eu não me surpreendo com nada que está acontecendo agora. Era uma certeza matemática essa.

    • Nem na ditadura advgados era

      Nem na ditadura advgados era criminalizados por defenderem que quer que seja.

      Cara, vc é mais reacionário que o Médice, tenha consciência disso.

      Aqui no Brasil, o dia que o liberalismo chegar até na cabeça de pessoas que se acham de esquerda porque votam em candidato com bandeira vermelha, será um avanço.

  26. COERENTE DECISÃO URUGUAIA

    O governo uruguaio negou o risível pedido de asilo político com base nas evidências de que as prisões foram decretadas para evitar a iminente ocorrência de atos de violência com implicações danosas imprevisíveis.

    É realmente gritante a falácia das alegações alardeadas na mídia acerca de pretensa arbitrariedade ditatorial no que tange às ações preventivas corretamente determinadas pelas autoridades brasileiras neste caso.

    Felizmente, a perseverança dos que prezam a busca da plena vigência do Estado Democrático de Direito tem conseguido aumentar a propagação da consciência social autêntica através da combatividade pacífica.

    Fica cada vez mais evidente o absurdo deplorável da farsa de dizerem que são ilegais ou antidemocráticas as prisões preventivas de pessoas que têm participado do planejamento, articulação e promoção de atos de violência.

    Mesmo diante da certeza de que é indispensável repudiar e coibir abusos e excessos frequentemente presentes nas atuações de forças policiais, é dever ressaltar a legitimidade das ações adotadas para evitar novos atentados.

    Desde junho/2013, tem se ampliado o histórico dos eventos criminosos decorrentes de ações de vandalismo e terrorismo na esteira da manipulação inescrupulosa das manifestações políticas.

    Protestar é um direito legítimo, mas bloquear vias, atear fogo nas ruas, destruir equipamentos urbanos e atirar explosivos potencialmente letais, não são direitos de ninguém.

    A trágica morte do cinegrafista mostrou esta realidade de forma inexorável.

    Portanto, se as investigações relativas ao risco de repetição dos atos de violência já registrados, produzidas com autorização judicial, reuniram evidências do planejamento de novas ações de tipo similar, a prisão dos envolvidos foi corretíssima. Se as evidências colhidas indicam a preparação e estoque de materiais incendiários e explosivos, além de ‘miguelitos’, a prisão dos responsáveis foi a medida adequada para evitar a realização de crimes de consequências graves.

    E vale lembrar que a irresponsabilidade e/ou falta de escrúpulos dos participantes do vandalismo criminoso foi demonstrada claramente no episódio ocorrido numa manifestação em São Paulo, quando foi incendiado um veículo de passageiros com quatro pessoas dentro. Os incendiários não se preocuparam sequer com o risco de ferir ou mesmo matar os ocupantes do fusca, que nada tinham a ver com aquele pseudo protesto político.

    Então, claro está que o governo do Uruguai não deve conceder asilo político neste caso, pois as ordens de prisão são decorrentes de crimes comuns.

    Do mesmo modo que está clara a falta de fundamento das alegações de ilegalidade das prisões decretadas pela justiça, em face das noticiadas evidências de associação criminosa e dos graves antecedentes relatados.

    Existe lei para isso. E as ações preventivas adotadas neste caso evidenciam a prudente preservação da paz social.

     

    • Pois é, eu fiquei com pena

      Pois é, eu fiquei com pena dela. Tem uma matéria no Terra, arrasadora. Parece que a situação dela é diferente da dos outros; não tem grana e nem família influente. Vi que a OAB está cuidando da defesa dela mas não se envolveu no pedido de asilo. Um dos advogados do grupo de DH, disse que ela já tinha saído do grupo e que os demais não concordavam com as ações dela. Tá sozinha, parece.

      • Se tivesse alguém com família

        Se tivesse alguém com família influente não estariam presos.

        Entreista de 30 minutos com a advogada Eloisa Samy, feita em abril, que já antecipa tudo que está acontecendo com ela.

        Revelador de cmo opera o estado de exceção. Ela diz muito claramente, para lembrarms, que até na ditadura advogados eram respeitados no exercício da sua profissão e não eram criminaliados por defender “subversivos”

        https://www.youtube.com/watch?v=5jLEA8QuRkA&app=desktop

  27. Sei que nada sei mas desconfio de muita coisa(Guimarães Rosa)

    SEm os líderes politicos que usaram esses jovens, a Globo ta pegando pesado nos manifestantes, porque teve que encapar seus logotipos!!!! verdade seja dita!!!!E vamos lembrar que só jogaram fezes em sua porta não invadiram!!!!!Acho que estou entendendo o ódio da Globo pelos manifestantes.Tinham que fazer matérias de helicópteros, e foram os primeiros a sair nas ruas a dizer palavras de ordem Globo participou da Ditadura!!!!Entre a Globo e os manifestantes prefiro a moçada!!!A moçada é bastante jovem, e com um susto desses de ficarem presos eles vão rever conceitos politicos, mas a Globo não tem cura!!!!

    • Jogar “fezes” pode, cocô não !!!!

      E vamos lembrar que só jogaram fezes em sua porta não invadiram

      Comentário do ano no blog. Quer dizer que jogar “fezes” pode ????

      A moçada é bastante jovem, e com um susto desses de ficarem presos eles vão rever conceitos politicos

      E aí eles param de jogar “fezes” nos outros, esse é o elevado conceito político que a “moçada” possui neste momento !

      Essa aí foi inacreditável …

      PS: fico imaginando a “coleta” momentos antes da manifestação. Estou ficando velho, em pensar que nas diretas eram milhões de pessoas e era raríssimo um tumulto…

  28. A Globo News exibiu hoje uma

    A Globo News exibiu hoje uma entrevista com o Negri, italiano da esquerda radical que foi acusado de participar da morte de Aldo Moro, falando sobre as manifestações de junho do ano passado no nosso país. Mino Carta tem uma opinião bem certeira sobre as consequências da divisão das esquerdas na Itália daquela época e que culminaram em sucessivas derrotas no cenário político até chegar a essa direita capitaneada por tipos como Berlusconi. Estranho é perceber o entusiasmo da Globo a esse tipo de entrevista que analisa sob um enfoque oportunista a situação brasileira. E mais.  Não consigo imaginar ativistas  representados por essa senhora advogada ou SIninho, cuja visão não oferece nada  sobre o que seria um regime democrático para elas. Há nesse movimento argumentos como a ‘violência como uma nova estética’ e exigências genéricas sobre ‘educação padrão FIFA’, ”saúde padrão FIFA’ e cobertura de advogados que defendem atos violentos contra tudo e contra todos e culminam com a acusação de um governo ditatorial que é do PT, partido que foi transformado na Geni da política brasileira. É uma maçaroca de palavras e intenções que não conseguem fugir da real má fé de seus ‘ativistas’. Criitcam as alianças do PT, mas fazem pacto até com o diabo. Definitivamente, o Uruguai respondeu à altura a essas pessoas, a quem falta experiência de uma verdadeira militância, história de comprometimento com movimentos sociais. 

  29. BRASIL NÃO É NOVA UCRÂNIA

    Esses vândalos não tiveram a menor complacência com o Brasil e o povo brasileiro, queriam implantar o caos no pais a serviço do governo americano, queriam transformar o país numa nova ucrânia, colocar um governo de extrema direita, não merecem piedade alguma, devem ser punidos com todo rigor, com penas máximas.

     

  30. Vou repetir pra vc

    Vou repetir pra vc entender:

    – O DESEMBARGADOR [que deve julgar os HCs] não consegue ter acesso ao processo ou ao inquérito!

    – A defesa não tem acesso às acusações contra seus clientes.

    – As prisões decretadas não individualizam os motivos.

    – A Globo, e só ela, tem acesso à tudo ilegalmente e usa trechos fora de contexto pra induzir a uma condenação publica sem direito de defesa ou contraditório.

    – O DESEMBARGADOR não tem acesso ao inquérito pra julgar! REPETINDO PRA VER SE ENTENDE. O delegado escondeu as 2 mil páginas, lidas e analisadas pelo MP em duas horas!

    Agora, vai la, apaga isso da sua mente, joga na lixeira junto da consciência e volta pro mantra “instituições funcionando, mudança é no voto”…

    Eu não disse isso. foi o Samuel Braun. mas poderia ter sido eu.

     

  31. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome