A morte de Cussy de Almeida

Morre em Pernambuco o maestro e violinista Cussy de Almeida

Ele estava internado desde 29 de maio e faleceu por deficiência pulmonar.

Orquestra Criança Cidadã deve prestar última homenagem neste sábado.

Cussy de Almeida Netto (1936-2010)

O maestro Cussy de Almeida, 74 anos, faleceu às 21h30 desta sexta-feira no Hospital Santa Joana, onde estava internado para se tratar de uma deficiência pulmonar. Segundo a família, seu corpo será velado e cremado neste sábado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista. Ele tinha uma doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), o que fazia com que apenas 28% do seu pulmão funcionasse.

Nascido em Natal, Cussy de Almeida deixou cinco filhos. Há dez anos ele se dedicava a dirigir a Orquestra Cidadã Meninos do Coque, que foi indicada em 2010 pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um dos 100 melhores projetos sociais do mundo. A seleção final ocorrerá em outubro, com a escolha dos 10 melhores projetos em todo o mundo, em uma festa em Dubai, nos Emirados Árabes.

A Orquestra Criança Cidadã, como era mais conhecida, deverá voltar a se apresentar no dia 5 de agosto, regida por um maestro italiano convidado. O repertório será formado por músicas de Luiz Gonzaga e contará com a participação de Alcimar Monteiro. O show deverá se transformar numa grande homenagem ao próprio Cussy.

Maestro, violinista e compositor, Cussy de Almeida realizou, com apenas seis anos, seu primeiro recital em público no Teatro Carlos Gomes, em Natal. Aos onze realizava concertos em várias cidades do Brasil o que motivou seu pai, o pianista, Waldemar de Almeida, a transferir a família para o estado de Pernambuco.

Ao longo de sua carreira, Cussy de Almeida se apresentou em vários países europeus e tornou-se professor das universidades federais da Paraíba e do Rio Grande do Norte e professor convidado da Universidade Federal de Pernambuco. Foi também diretor do Conservatório Pernambucano de Música, onde criou a Orquestra Armorial de Câmara. Criou ainda a Orquestra de Cordas Dedilhadas, a primeira no Brasil formada com instrumentos populares: violões, violas sertanejas de 12 cordas, bandolins e cavaquinho.

Fonte: Diario de Pernambuco

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador