A última inspiração de Peterpan

por Luciano Hortencio

Edição em homenagem à memória de minha irmã Heloisa Hortencio de Negreiros, que hoje faria 75 anos, mas partiu prematuramente aos 43, chamada que foi por Deus.

Carlos Galhardo interpreta ÚLTIMA INSPIRAÇÃO de Peterpan.

 

Eu sempre fui feliz, vivendo só sem ter amor,

Mas o destino quis roubar-me a paz de sonhador

E pôs no sonho meu um olhar de ternura

De alguém que, mesmo em sonho, roubou minha ventura.

 

Sonhei com esse alguém noites e noites sem cessar

Por fim, alucinado, fui pelo mundo a procurar.

Aquele olhar tristonho da cor do luar,

Mas tudo foi um sonho, pois não pude encontrar.

 

Mas na espinhosa estrada desta vida, sem querer, um dia,

Encontrei com esse alguém que tanto eu queria.

Esse alguém que, mesmo em sonho, eu amei com tanto ardor,

Não compreendeu a minha dor.

 

Foi inspirado então na ingratidão de quem amava tanto

Que fiz esta triste valsa, triste como o pranto.

Que me mata de aflição, bem sei que esta valsa será

A minha última inspiração.

Carlos Galhardo – ÚLTIMA INSPIRAÇÃO – Peterpan.

Disco RCA Victor 80-0659-A.

Julho de 1950.

Arquivo Nirez.

Coisas que o tempo levou.

Julho de 1950.

Fotos colhidas na Avenida Beira Mar, Fortaleza, ao por do sol de 12 de setembro de 2018.

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Poetinha lembrando o essencial

    Tomara

    Que a tristeza te convença
    Que a saudade não compensa
    E que a ausência não dá paz
    E o verdadeiro amor de quem se ama
    Tece a mesma antiga trama
    Que não se desfaz

    E a coisa mais divina
    Que há no mundo
    É viver cada segundo
    Como nunca mais…

    Vinicius de Moraes

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome