Bicho carpinteiro, por Aquiles Rique Reis

Carlos Careqa exacerbou os limites da criatividade e tratou de nomear o seu novo álbum de 60 mini songs (Barbearia Espiritual).

Bicho carpinteiro

por Aquiles Rique Reis

Sempre em busca de confundir, mais do que explicar, dessa vez Carlos Careqa exacerbou os limites da criatividade. Subvertendo entendimentos composicionais, tratou de nomear o seu novo álbum de 60 mini songs (Barbearia Espiritual). Sim, 60 mini songs!

Bem, ele, que raramente se dá ao desfrute de elucidar suas intenções, dessa vez e até deu uma colher de chá. Vou aproveitar… Assim escreveu Careqa no release:

A fugacidade das canções!

Temos 30 segundos, 45 segundos, 1 minuto no máximo para expressar uma ideia no mundo virtual que nos abrange todos os dias. Quis abordar este tema neste trabalho. 60 minicanções onde sem muita enrolação mostro ao que veio a ideia da canção.

Um trabalho desenvolvido durante a pandemia de coronavírus 2020/2021.

Um trabalho que não tem nenhuma referência a pandemia, política ou amor romântico. Pensar, compor e cantar.Trabalho este desenvolvido com Marcio Nigro, que dividiu os arranjos, samples e ideias. Marcio Nigro gravou, mixou e masterizou este trabalho. Somos assim. Poucos e muitos. Uma canção para cada ano vivido.

Carlos Careqa.

Como viram, mais uma vez a música de Careqa tem em Nigro o seu chão. (Nigro toca guitarra, violão, viola caipira, guitarra, baixo, teclado e samples; Carlos Careqa voz, violão e samples. Com instrumentos convencionais patentearam a música que tocam.) Levadas vão e vêm; letras dizem algo e você pensa que sacou, logo ele diz outra e você não pesca patavina. Carlos Careqa, o eterno garimpeiro de intenções musicais, músico cientista a misturar poções mágicas e bebê-las em seu mundo de faz-de-conta.

Se minha vó Edith fosse viva, diria: “Esse Careqa parece que tem ‘bicho carpinteiro’”. Matou a pau, vovó! Sabe o que eu pensei, Dona Edith? A sequência das 60 mini songs são como HQ: você pode pular de um quadrinho pro outro, às vezes mais ligado nos desenhos do que nos textos, e a historia segue lá, firme! Mas diferente.

Ou quem sabe, vovó, um caleidoscópio onde entrelaçam-se as palavras. Quanto mais o cilindro gira, mais frases se misturam, ganhando sentidos universais. Olhando pelo olho do brinquedo, os desenhos revelam termos icônicos. Agora, meu camarada, chacoalhe-o e veja que tudo mudou sem sair do lugar.

Siga girando e ouvindo as songs como Careqa as apresentou. Cada uma tem o valor musical aferido pelo “bicho carpinteiro”. Num gesto, digamos, de pirraça, ouça as 60 minis aleatoriamente. E busque significados seus onde Careqa produziu os dele. Enquanto o seu mundo pop preenche a cabeça do ouvinte, as 60 mini songs fazem total sentido na cabeça irrequieta de Careqa.

Encerro esta passagem pela concepção minimalista de Careqa e Nigro com mais um comentário, que, dentre outros, transcrevi neste texto que trata do trabalho de um eterno esquadrinhador; de um irrequieto e alucinado desarrumador de convenções; e de um sábio e convicto profanador de ações que produzem as suas ideias.

Carlos Careqa é mais do que isso e, a tudo isso, ele procura. Simples assim.

Aquiles Rique Reis, vocalista do MPB4

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador