CD de músicas de Tabajara Rosa é um registro ímpar do compositor, por Augusto Diniz

CD de músicas de Tabajara Rosa é um registro ímpar do compositor

por Augusto Diniz

Foi lançado CD com canções de Tabajara Rosa, 75 anos. O trabalho é o primeiro registro fonográfico somente com músicas do compositor e poeta paulistano.

Trata-se de uma sequência de músicas de uma densidade ímpar. Intitulado “Treze circunferências musicais”, o CD independente conta com a participação de vários intérpretes.

Tabajara Rosa é filho de músico. Seu pai, José Benedito da Rosa, foi regente e instrumentista, com composições variadas e grandes amigos no meio musical. Tabajara Rosa iniciou carreira musical como violonista de grupo de congada, depois tocou em quermesses e bailes. Na década de 1960, no contato com Osvaldinho da Cuíca conhece a fundo as manifestações afro-brasileiras; e se aproxima das escolas de samba de São Paulo, seus sambistas e baluartes.

As composições de Tabajara Rosa gravadas neste álbum recém-lançado percorrem toda essa riqueza musical que ele teve contato em São Paulo ao longo de sua vida. A produção e arranjos do CD é de Ronaldo Camilo, seu parceiro em várias músicas registradas no álbum.

O CD “Treze circunferências musicais” abre com o samba “Minha escola preferida”, cantado pelo próprio Tabajara Rosa. “No batuque do tambor” a interpretação é de Josenir Mendonça, o Semir, de um belo samba afro que evoca resistência.

A terceira faixa “Amor resgate da esperança”, cantado por Tito Amorim, é outro samba de referências afro. Em um comentário sobre essa sua música, Tabajara lembra que a letra reverencia os que viviam nos quilombos os quais “meu querido avô, na resistência, nos honrou lutando pela liberdade de seu povo e sobreviveu”.

A quarta música, uma ode a Zumbi dos Palmares, é uma parceria de Tabajara Rosa com Ronaldo Camilo. Ela chama-se “Livre”, interpretado por Luz Lima. Na sequência, a cantora Ully Costa dá voz a “Corre menino”, uma cantiga também de Tabajara e Ronaldo.

A sexta faixa é “Igual a um colibri” (Tabajara Rosa, Anita Galvão Bueno), interpretado por Anita, uma música com traços do samba rural paulista. Outra música de Tabajara e Anita foi gravada na sequência, “Canto de candura”, mas interpretada por Semir – trata-se de um ótimo samba.

Depois, Ully canta uma poesia, a “Cântico da Rosa” (Tabajara Rosa, Ronaldo Camilo). A nona faixa, outro bom samba, é “Athame de luz” (Tabajara Rosa, Marcia Cassiana Rosa), interpretada por Roberta Oliveira.

“Tributo a Luciano”, com Rose Calixto, e “Carta ao mar”, com Ully Costa, são mais duas outras composições da dupla Tabajara e Ronaldo repletas de lirismo. Já “Tributo ao guerreiro” (ainda de Tabajara e Ronaldo) tem como intérpretes Priscila Lavorato e Cacau Ras.

O disco encerra com a música que dá nome ao disco, “Treze circunferências do samba” (Tabajara Rosa, Mauricio Rocha, Alberto Dantas), com interpretação de Tito Amorim. A letra percorre os caminhos do samba.

Para ouvir o CD completo com músicas de Tabajara Rosa, clique aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora