Choro de João Pernambuco

Por Luiz Gonzaga da SILVA

João Pernambuco:

“Pernambucano filho de índia e português, começou a tocar viola na infância, por influência dos cantadores e violeiros locais. Mudou-se para Recife, onde passou a observar e aprender com os músicos das feiras locais. No início do século foi para o Rio de Janeiro, onde travou contato com violonistas populares, ao mesmo tempo em que trabalhava como ferreiro. Passou a compor músicas de inspiração nordestina, baseadas em cantigas folclóricas. É o caso do hino “Luar do Sertão”, composto em 1911, seu maior sucesso, não creditado pelo parceiro letrista Catulo da Paixão Cearense, que ficou como o único autor. Os dois apresentavam-se juntos em reuniões da classe alta carioca, o que contribuiu para a aceitação do violão como instrumento também da elite, e não apenas dos malandros e sambistas perseguidos pela polícia. Com o interesse crescente pela mistura de influências urbanas e sertanejas, montou a Troupe Sertaneja, que excursionou pelo país. Integrou ainda o Grupo Caxangá, que se apresentava vestido em roupas típicas e fez bastante sucesso nos anos 10. Também participou dos Turunas Pernambucanos e dos Oito Batutas, ao lado de Pixinguinha. Compôs diversas peças instrumentais para violão, entre as quais se destaca “Sons de Carrilhões”. Sua obra é referência para violonistas que a regravam constantemente.”

Ficha técnica: Choro do João Pernambuco, transcrição do Turibio Santos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora