(continua)

E, no entanto, durante a dança
Depois do fim do medo e
da esperança
Depois de arrebanhar o
marginal, a puta,
o evangélico e o policial
Vi que meu desenho de mim
é tal e qual
O personagem pra mim
que eu cria que sempre olharia
com desdém total
Mas não é assim comigo
É como em plena glória espiritual que digo:
Eu sou o homem cordial
Que vim para instaurar a democracia racial
Eu sou o homem cordial
Que vim para afirmar a democracia racial

Eu sou o herói
Só Deus e eu sabemos como dói

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora