Dircinha Batista, a grande romântica

A Thais Matarazzo, mocinha nova mas desde já pesquisadora das mais competentes, junto com amigos tem um podcast sobre a música brasileira antiga. Um primor! O último foi sobre Linda Batista (clique aqui para ir à página do Cardápio).

Belo programa, com informações importantes sobre nascimento, vida e morte trágica das irmãs Batista, mas focando na Linda.

Aí me lembrei do meu amigo Lineu, dentista e crooner da noite, me falando da Dircinha Batista, a mais tímida das duas irmãs – havia uma terceira que era desequilibrada e acabou não fazendo carreira.

Linda era solta, enfrentava sambas e marchinhas com um estilo gracioso. Já Dircinha era cantora romântica das mais competentes. Lineu a coloca na relação das maiores intérpretes românticas do país. Mencionou isso quando escrevi uma crônica mencionando a força dramática de Inhana – a parceira de Cascatinha.

Confira algumas interpretações de Dircinha para ver como o Lineu acertou na mosca.

Nas músicas:

1. O programa com a Linda.

2. Dircinha cantando “Uma Palavra” (de quem é?), que tem o começo idêntico ao “Este Seu Olhar”.

3. “Se eu morresse amanhã de manhã”, do Antonio Maria.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora