DVD Arte Nômade de Murillo Da Rós disputa Prêmio da MPB

DVD do violonista e compositor curutibano Murillo Da Rós

O DVD Arte Nômade do violonista e compositor curitibano Murillo Da Rós, com Glauco Solter e Luciano Madalozzo, está entre os pré-selecionados para o Prêmio da Música Brasileira 2013.

Único DVD independente entre os escolhidos e praticamente desconhecido da imprensa nacional, Murillo da Rós disputa com nomes consagrados da MPB como Ana Carolina, Arnaldo Antunes, Erasmo Carlos, Nação Zumbi, Sorriso Maroto, Vitor e Leo, Zeca Pagodinho, Zeze Di Camargo e Luciano, Adriana Calcanhoto, João Bosco, Jota Quest, Mauro Senise, Roberto Carlos, Ivete Sangalo, Gilberto Gil e Caetano Veloso. Mas tem mais um detalhe: é um DVD de música instrumental.

Murillo foi selecionado para representar o Brasil no site Ourstage.com que seleciona 80 canções ao redor do mundo (Around The World In 80 Songs) com a música “Málaga” e para quem foi dedicado um artigo extenso e elogioso: “Talvez uma das maiores canções de Murillo seja “Málaga”, uma canção que exemplifica o seu domínio da guitarra, bem como suas habilidades incríveis como compositor. “Málaga” oferece tudo o que constitui a música de Murillo: uma experiência inesquecível, onde nunca deixa de surpreender a música instrumental, e que é atemporal e universal” (Perhaps one of Murillo’s greatest songs is “Malaga”, a song that exemplifies his mastery of the guitar as well as his amazing skills as a composer. “Malaga” offers everything that constitutes Murillo’s music: “an unforgettable experience where instrumental music never stops surprising” and that is timeless and universal).

Violonista virtuose que mistura o flamenco com a MPB, Murillo tem uma carreira sólida, é super conhecido no Paraná, já tocou com Badi Assad, Gilson Peranzzetta, no Brasil, com Jorge Pardo, Giuliano Pereira e Flavio Rodrigues, na Espanha, e excursionou por S. Petersburg (Russia) e Roma (Itália), além de ter tocado em várias cidades brasileiras.

A mistura rítmica que Murillo enxerta nas suas composições são como as brincadeiras lépidas de outro gigante do violão: Raphael Rabello. Apesar da forte influência de Paco de Lucia e do jazz, a sua brasilidade não esconde o samba que, lá no fundo, pinça de gingado seus rápidos acordes, sua ágil mão direita, sua limpeza de primoroso concertista erudito.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador