E apareceu a Aparecida

Maria Aparecida Martins, ou simplesmente Aparecida, nasceu em Caxambu, Estado das Minas Gerais e viveu no Rio de Janeiro a partir dos 10 anos de idade. Foi excelente sambista, compositora e intérprete de suas composições, bem como de outros sambistas. 

Deixo aqui o link do Dicionário Cravo Albin de MPB para os interessados em sua biografia:http://www.dicionariompb.com.br/aparecida

Aparecida será aqui mostrada através de imagens e de suas interpretações, editadas através do canal youtube luciano hortencio.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. Um golinho

    Seu Lulu, mais uma pérola. De onde apareceu a Aparecida ? Do Rio ? Não conhecia também… E somos todos pretos, sim, calungo!

    Ah, sim, gostei da Aurea Martins que ouvi no seu canal, no Youtube. Bela voz.

     

    • Aparecida – Mineira

      Amiga Maria Luisa,

       

      Aparecida era mineira, porém foi para o Rio de Janeiro aos dez anos. Trabalhar como empregada doméstica… Coloquei o link do Dicionário Cravo Albin de MPB…

      Ouve essa homenagem que Aparecida faz para TEREZA ARAGÃO, que foi mulher de FERREIRA GULLAR. Ativista política, atriz e produtora. Lutou muito em favor da comunidade negra, daí o reconhecimento de Aparecida… Tereza Aragão também é praticamente desconhecida hoje em dia… Nossa memória vai mal… De mal a pior!

      Tereza Aragão está em pé, ao lado de Ferreira Gullar, nas imagens do vídeo.

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=XV9-XAtIPHM%5D

       

       

  2. As surpresas inéditas

    Também não conhecia essa cantora. Só mesmo o Luciano para nos brindar com surpresas como essa. Interessante a história de vida da Aparecida. Veio de Minas para o Rio, trabalhar como doméstica, mas o destino lhe proporcionou uma vida de sucesso como cantora. Bela história!

    • Obrigado, caro jagao!

       

      Pelo menos conhecias “Tereza Aragão”, o que não é pouco… Agora já conheces mais um pouquinho e poderás retransmitir isso aos seus filhos e amigos… Sei que é difícil incutir esse tipo de música na novíssima geração, bombardeada com música enlatada e ruim por tudo quanto é lado. Mas não custa tentar não é? Nossa memória cultural, principalmente a memória musical está necessitando urgentemente ser preservada. Do jeito que está não pode e nem deve ficar.

      Muito obrigado por participar e também por conhecer ” Tereza Aragão”.

       

      Abraço do luciano

       

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome