Paulo Moura interpreta Radamés Gnattali (1959)

Um álbum clássico, atemporal. Em 1959, Radamés idealizou este disco, com músicas compostas por ele especialmente para a execução do jovem Paulo Moura, então com apenas 27 anos. Foxes, sambas-canções, chorinhos e valsas fazem parte deste trabalho de Radamés e encontraram em Paulo Moura o intérprete perfeito. Além das composições lindíssimas e do sax alto de Paulo Moura, destacam-se o acompanhamento do próprio Radamés no piano, o ainda meio desconhecido Baden Powell na guitarra elétrica, a bateria de Trinca e os baixos de Vidal e Paulo.

É daqueles discos para se escutar sempre, meus horários prediletos para ele são o final do dia ou a madrugada. Apesar de ser um clássico da nossa música, pouca gente conhece, pois foi relançado em CD apenas uma vez, em 1995. Se você encontrar em algum sebo não deixe de comprar, o meu já está quase furando de tanto uso … Para felicidade geral da nação, tem o disco completo no Órfãos do Loronix: http://orfaosdoloronix.wordpress.com/2013/02/09/paulo-moura-paulo-moura-interpreta-radames-gnattali-1959/

1 – Monotonia (Radamés Gnattali)

2 – Sempre a sonhar (Radamés Gnattali) 

3 – Valsa triste (Radamés Gnattali)

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Eis Manu Saggioro!, por Aquiles Rique Reis

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome