Noca: da Portela e de todos os sambas, por Marquinho Carvalho

Noca: da Portela e de todos os sambas, por Marquinho Carvalho

Ensaio biográfico de Marcelo Braz + CD do compositor

Escrito pelo Prof. Marcelo Braz (UFRJ), com apresentação de Luis Antonio Simas, prefácio de Roberto Medronho e contracapa de Paulinho da Viola, o volume 3 do Acervo Universitário do Samba é dedicado a Noca da Portela, sambista mineiro que se instalou cedo no Rio, transitando entre a Zona Sul, a Zona Norte (com larga passagem na Paraíso do Tuiuti) e o subúrbio (onde se batizou na querida Portela).  Filho de um violonista militante das causas sociais, Noca soube como poucos aliar à carreira musical uma notável atuação na vida pública nacional, criando obras de raro sucesso e associando-se a episódios chaves da nossa história, como a campanha das Diretas Já! – cujo hino “Virada”, imortalizado na voz de Beth Carvalho, é de sua autoria e de Gilper.

Para contar a história deste guerreiro (um ex-feirante que abriu caminho na cena musical e se tornou, inclusive, Secretário de Cultura estadual), o biógrafo Marcelo Braz realizou entrevistas com o artista, amigos e familiares, além de diversas figuras do mundo do samba. Entre elas, vale citar os compositores Darcy Maravilha, Monarco, Serginho Procópio e Toninho Nascimento, os parceiros Roberto Serrão e Medronho, o generoso Dr. Bigu, os presidentes Luis Carlos Magalhães (Portela) e Renato Thor (Paraíso do Tuiuti), o produtor cultural Ricardo de Moraes e o comerciante André Carneiro, fã nº 1 do Comendador do Samba.

A obra reconstitui o percurso de Noca desde a saída da família de Leopoldina (MG), a adolescência no Catete e em Botafogo e os anos no Morro do Tuiuti, onde o casal Osvaldo e Conceição perdeu quase tudo em 1966, após o temporal que expôs as chagas da questão urbana na cidade. De cortiços, cabeças de porco e favelas, surge então o músico (co)autor de sambas antológicos, como “Caciqueando” e “É Preciso Muito Amor”, além de clássicos da Portela, como “Gosto que me Enrosco” (1995) e “ImagináRIO” (2015).

Leia também:  Pesquisa mostra PT como maior culpado pela crise. O que significa para os progressistas?

Ao final, retrata-se ainda sua fecunda participação em vários blocos cariocas (Cacique de RamosSimpatia é quase Amor e Barbas), além das condecorações recebidas, como a Ordem do Rio Branco (Itamaraty, 2006) e a Ordem do Mérito Cultural (MinC, 2009). Enfim, um artista de todos os sambas e de todas as lutas.

Eventos de lançamento

Teatro Odylo Costa, filho – UERJ – Rua São Francisco Xavier, 524 – Maracanã

Dia 12 de dezembro, 19 h – Entrada franca

Na data, o artista estará celebrando 86 anos de idade.

Livraria Arlequim – Paço Imperial – Praça XV, 48 – Centro

Dia 15 de dezembro, 14 h – Entrada franca

Nesse dia a Livraria serve uma feijoada em seu Bistrô.

Nota sobre o autor

Marcelo Braz é Professor Associado da ESS/UFRJ, onde se doutorou. Fez o pós-doutorado em Economia pela Universidade de Lisboa. Entre outras obras, publicou Samba, Cultura e Sociedade (2013) e Para a crítica da crise: diálogos com intelectuais e parlamentares da esquerda em Portugal (2016).

Ficha técnica

TítuloNoca – da Portela e de todos os sambas

Autor: Marcelo Braz (professor associado da UFRJ)

Editoras: DECULT-UERJ (Rio de Janeiro) e Outras Expressões (São Paulo)

RealizaçãoAcervo Universitário do Samba / DAF / DECULT-UERJ / SR-3 UERJ

Apoio cultural: Sintuperj / Cor Atual

Número de páginas: 496, com ilustrações e fotos coloridas

Disco bônus: CD encartado com sete músicas de Noca da Portela, algumas inéditas

Leia também:  TV GGN: O avanço das milícias na Bolívia

Preço de capa: R$ 40,00 (no lançamento na UERJ, haverá valores promocionais)

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome