O parceiro de Garoto

PRÓ- MEMÓRIA DO GAROTO NO DIA ESTADUAL DO CHORO
IHGSP, INSTITUTO HISTÓRIOCO E GEOGRÁFICO DE SÃO PAUO
RUA BENJAMIN CONSTANT, 158, CENTRO – SP
QUARTA-FEIRA 30.06.10, ÁS 17H00

Mário Albanese

*Nosso Amigo Garoto,= – O Gênio das Cordas*, nasceu na Vila
Economisadora em São Paulo/SP, aos *28 de junho de 1915*, onde ficou
conhecido como o *Moleque do Banjo* pela sua incrível precocidade
musical. Portanto, o Dia do Choro, no estado de São Paulo, terá o nome
de Aníbal Augusto Sardinha, e será comemorado no dia de seu nascimento,
28 de junho. Se estivesse ainda vivo Garoto completaria 94 anos.

Com *39 anos e 11 meses* Garoto morreu no RJ aos *03 de maio de 1955*.
Viveu 23 anos em São Paulo e 16 no RJ onde provou que “*paulista é bom
também no choro”…*

*** Em 1936 parte do RJ caravana de artistas composta por Sílvio Caldas,
Nonô (Romualdo Peixoto), Luiz Barbosa e Araci de Almeida, para atuar na
Rádio Record. Ao chegar, Sílvio Caldas pergunta se havia alguém que
tocasse choro em SP… Nonô, no entanto, adverte Sílvio Caldas: “Acho
bom não chamar ninguém. “*Sabe como é paulista para choro…”* (página
18 do Livro Garoto – Sinal dos Tempos, de autoria de Regina Pereira e
Irati Antônio).

É importante *relembrar o aniversário de morte do Garoto* sugerindo às
escolas que incentivem os alunos a *pesquisar sobre sua obra*. O TCC de
Campos do Jordão poderá nos ajudar nessa empreitada.

Na *Vila Economisadora* nasceram também *Arnaldo Meireles*, renomado
acordeonista; *Osvaldo Moles*, genial produtor da Rádio Record e o
responsável pelo personagem que celebrizou Adoniran Barbosa; *Nestor
Amaral* violonista que, por indicação do Garoto, integrou o “Bando da
Lua”; *Waldemar Reis*, cantor que integrou o conjunto “Garoto e seus
garotos”; *Léo Albano*, cantor com quem convivi na Rádio e TV Tupi;
*José Rubens*, radio-ator e cômico da Record além de *Ivo de Freitas.*

No *Centenário do Choro: 1877 – 1977*, a primeira música do álbum
editado pela Fermata do Brasil é “*Amor Indiferença”*, de *Garoto e
Mário Albanese*, Copyright 1977 by Edições Jequibau. Três anos depois,
1980, a Editora Musical Pierrot Ltda lançou essa mesma música com o nome
de *Jorge do Fusa. *Até 1980 algumas composições do Garoto permaneceram
inéditas: Choro Triste nº2, Debussyana, Fantasia, Improviso, Jorge do
Fusa, Lamentos do Morro, Meditação, Naqueles Velhos Tempos, Nosso Choro,
Um Rosto de Mulher, Sinal dos Tempos e Voltarei. *Amor Indiferença*
nasceu de de um propósito comum de parceria e tanto a letra quanto a
parte de piano em Eb eu as fiz com o Garoto vivo e na década de
cinqüenta (50). Seria oportuno reparar esse erro histórico.

O pensamento cria, o desejo atrai e a fé no trabalho realiza!
Com particular consideração,
Mário “Jequibau” Albanese. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora