Raphael Rabello

Nos seus últimos anos, Raphael Rabello, atormentado pela tragédia que se abateu sobre ele, enveredou por um malabarismo angustiante, correndo demais ao violão, misturando notas.

Mas, quando interpretava, não tinha para mais ninguém. Confira essa preciosidade de interpretação de “Luiza”, de Tom Jobim ( clique aqui), e de “Garoto”, também de Tom ( clique aqui). O requinte do som, a dosagem da emoção, a capacidade de improviso mostram claramente que, não fosse o destino, Raphael caminharia para ser o maior violonista da história.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora